Agave-azul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaAgave-azul
Agave tequilana

Agave tequilana
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Ordem: Asparagales
Família: Agavaceae
Género: Agave
Espécie: A. tequilana
Nome binomial
Agave tequilana
A. Weber

O agave-azul (Agave tequilana) é uma espécie de planta do género Agave e um importante produto económico do estado mexicano de Jalisco devido ao seu papel como ingrediente principal no fabrico de tequila, uma bebida alcoólica muito apreciada.

O agave-azul é nativo de Jalisco, preferindo as altitudes maiores que 1500 metros e solo arenoso. Os agaves selvagens e os agaves comerciais têm ciclos de vida muito diferentes. Ambos começam como uma grande suculenta, com folhas carnudas e pontiagudas, que podem crescer até mais de dois metros de comprimento. Os agaves selvagens desenvolvem um rebento quando atingem os cinco anos de idade que se converte num caule com até 5 metros de altura coroado por flores amarelas. As flores são polinizadas por um morcego que habita a região (Leptonycteris nivalis) e produzem vários milhares de sementes por planta. Então a planta morre. Nas plantas comerciais, os rebentos são removidos quando têm um ano de idade, permitindo que o centro da planta se desenvolva. Procede-se então à reprodução das plantas utilizando os rebentos; tal prática levou a uma perda considerável de diversidade genética do agave-azul cultivado.

Cultivo e produção de tequila[editar | editar código-fonte]

Piñas de agave-azul prontas para processamento.

A tequila é produzida removendo o centro da planta (piña) quando esta atinge os 12 anos de idade, o qual pesa entre 35 e 90 kg. As folhas do centro são aparadas e este é aquecido para extrair a seiva, a qual é fermentada e destilada. Outras bebidas como o mezcal e o pulque são também produzidas a partir do agave-azul e outros agaves por métodos diferentes (utilizando também a seiva) e são vistas como mais tradicionais.

São cultivados cerca de 200 milhões de pés de agave-azul em várias regiões do México, mas nos últimos anos os agricultores têm tido dificuldades em responder à procura. Devido às más práticas de reprodução, o agave-azul perdeu a resistência ao fungo Fusarium e a outras doenças que actualmente fazem com que sejam perdidos cerca de 25 a 30 % da produção.

Investigadores da Universidade de Guadalajara, no México, crêem que o agave-azul contém compostos que podem ser úteis no transporte de drogas até ao intestino para o tratamento de doenças como a doença de Crohn e a colite.[1]

Pragas[editar | editar código-fonte]

A produção desta importante colheita no México foi afectada no início da década de 2000 por várias pragas que causam o apodrecimento das plantas, colectivamente designadas por tristeza y muerte de agave. Em 2003, 23% ou mais das plantas produzidas em Jalisco encontravam-se afectadas.

Parte do problema deve-se a um grupo de doenças disseminadas pelas larvas do caruncho Scyphophorus acupunctatus Gyll. Além disso, o fungo Thielaviopsis paradoxa impede as plantas mais jovens de formarem raízes.

Segundo um estudo de 2004, outros patógenos, Erwinia carotovora, Enterobacter agglomerans, Pseudomonas mendocina, e Serratia sp. são responsáveis pelo apodrecimento continuado.[2]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Reference, Chicago Sun-Times Sun April 1, 2007 p. 6A, or announcement made at ACS's annual meeting March 2007 in Chicago.
  2. Jimenez-Hidalgo, I., Virgen, G., Martinez, D., Vandemark, G.J., Alejo, J., Olalde, V.. (March 2004). "Identification and characterization of soft rot bacteria of agave tequilana weber var.azul". European Journal of Plant Pathology 110: 317–331. DOI:10.1023/B:EJPP.0000019791.81935.6d.
Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Agave-azul