Agnaldo Rayol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde Junho de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Agnaldo Rayol
Agnaldo rayol.jpg
Agnaldo Rayol
(foto: Sérgio Savarese/flickr)
Informação geral
Nome completo Agnaldo Coniglio Rayol
Nascimento 3 de maio de 1938 (76 anos)
Origem Rio de Janeiro
Nacionalidade  brasileiro
Gênero(s) MPB, clássica
Ocupação(ões) Cantor, ator
Instrumento(s) vocal
Período em atividade 1943 - atualmente
Página oficial www.AgnaldoRayol.com.br

Agnaldo Coniglio Rayol (Rio de Janeiro, 3 de maio de 1938) é um ator e cantor brasileiro[1] , conhecido pela voz afinada e o repertório romântico, em que despontam, nos anos mais recentes, canções italianas.

Em 1970 estrelou a novela As Pupilas do Senhor Reitor como Daniel das Dornas, ao lado de Geórgia Gomide e Dionísio Azevedo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Agnaldo Rayol iniciou a carreira de cantor aos cinco anos na Rádio Nacional do Rio de Janeiro, no programa Papel carbono, de Renato Murce, e aos doze anos estreia no cinema, no filme Também Somos Irmãos. Depois de morar algum tempo em Natal (Rio Grande do Norte), voltou em 1951 ao Rio de Janeiro e participou do filme Maior Que o Ódio. Foi obrigado a parar de cantar entre 1952 e 1954, por causa de mudanças hormonais próprias da adolescência, que afetaram a voz.

A partir do final dos anos 50 quando a voz potente de adulto se estabiliza, firma-se na carreira, levando adiante o estilo impostado e operístico comum aos cantores da geração anterior, como Vicente Celestino e Francisco Alves. Como exemplo dessa peculiar forma de cantar, a magistral interpretação da Ave Maria emocionou noivas de várias gerações, que não hesitavam em pagar o caro cachê para tê-lo cantando em cerimônias de casamento. Em 1956 foi contratado pela Rádio Tupi e dois anos depois gravou o primeiro disco pela gravadora Copacabana.

O auge da carreira acontece na década de 60, com programas próprios na Rede Record, entre eles Agnaldo RayoI Show e Corte RayoI Show, ao lado do humorista Renato Corte Real, um sucesso sem precedentes. Foi uma das atrações da edição de estreia do programa Jovem Guarda. No cinema, protagonizou Agnaldo, Perigo à Vista em 1969 e, ainda como ator, esteve no elenco das telenovelas Mãe (1964), O Caminho das Estrelas (1965), A Última Testemunha(1968) ,As Pupilas do Senhor Reitor (1970) e "Os Imigrantes" (1981).

Nos anos 80, comandou por oito anos o grande sucesso Festa Baile, programa musical produzido pela TV Cultura de São Paulo. Em 1981, no Uruguai, ganhou o Festival Internacional da Canção, onde participaram cantores de todo o mundo. Agnaldo Rayol cantou também na Argentina, México, Estados Unidos, Portugal e Itália.

Sempre fiel ao repertório romântico, nos anos 90 faz sucesso interpretando canções italianas, língua que domina perfeitamente, por ser a mãe nascida na Itália. Duas entram para o repertório de telenovelas da Rede Globo e estouram nas paradas: Mia Gioconda na novela O Rei do Gado e Tormento d'Amore, tema de abertura da novela Terra Nostra gravada em Londres em dueto com a soprano Charlotte Church.

No dia 30 de abril de 2006 Agnaldo acabara de vir de um concerto e estava pronto para embarcar no aeroporto de Porto Alegre, quando tropeçou e caiu no chão, por osteoporose, fraturando o fêmur da perna direita. Levado para o Hospital Mãe de Deus na capital gaúcha, esteve internado por uma semana e comemorou ali o 68º aniversário, numa festa organizada pelas freiras que comandam o serviço de enfermagem do hospital.

No dia 11 de maio de 2007, cantou durante a missa de canonização de Frei Galvão pelo papa Bento XVI, na pista de aviação do Aeroporto Campo de Marte, no bairro de Santana, na capital de São Paulo, Brasil.

Em novembro de 2009, Agnaldo Rayol participou do Livro/CD Mensagens Positivas nas vozes dos grandes nomes do rádio brasileiro cantando a música Esperança que é a faixa 1 deste CD. Esta obra é de autoria do escritor Antônio Marcos Pires e foi lançado pela Editora Santuário e amplamente divulgado pela Rádio Globo.

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • (2011) O Amor É Tudo (coletânea)
  • (2005) Maxximum (Agnaldo Rayol)
  • (2000) Agnaldo Rayol
  • (2000) Mensageiro do Amor
  • (2000) Sempre Boleros
  • (1999) Focus
  • (1999) Você É Um Pouco de Mim
  • (1999) Terra nostra
  • (1998) Tormento D'amore
  • (1997) Todo o Sentimento
  • (1997) Sempre Romântico
  • (1994) Agnaldo Rayol
  • (1986) Meu Jeito de Amar
  • (1984) Água Caliente
  • (1972) Imagem
  • (1971) O Que Eu Canto
  • (1968) As Minhas Preferidas - na voz de Agnaldo Rayol - presidente Costa e Silva
  • (1968) Agnaldo Rayol
  • (1968) Quero Lhe Dizer Cantando
  • (1967) Você é Um Pouco de Mim
  • (1966) Quando o Amor Te Chama
  • (1966) A Mais Bela Voz do Brasil
  • (1965) Sempre Te Amarei
  • (1964) Meu Amor É Mais Amor
  • (1964) Frente ao Mar
  • (1963) E Agora.../Manhã de Amor
  • (1963) Babalu/Canção de Outono
  • (1963) Maria Solidão/Acorrentados
  • (1963) Frente ao mar/Deixe para mim a culpa
  • (1962) Pierrô/Rosalinda
  • (1962) Eu quero twist/Terezinha
  • (1962) Se ela voltar/Faz tanto tempo
  • (1962) Adiante/E a Vida Continua
  • (1962) O Céu Que Vem de Você/De Joelhos
  • (1962) E a Vida Continua
  • (1962) Plenitude
  • (1961) Que Pena/Não Pode Ser
  • (1961) Se Ela Voltar
  • (1961) Eu Não Tenho Para Onde Ir
  • (1961) La novia/Diante de Deus
  • (1961) Felicidade/Fiquei Sozinho
  • (1961) Volta aos Meus Braços/E Eu Te Chamei de Amor
  • (1960) Minha Impaciência/Sou Eu
  • (1960) Marina/Sou Doido
  • (1959) Lo Sono Il Vento/Trágica Mentira
  • (1959) Não Me Condenem/Perdi Meu Amor
  • (1959) Você/Felicidade Ligeira
  • (1959) Dona Saudade/Escala de Cores
  • (1959) O Primeiro Natal/Eterno Natal
  • (1959) Noturno de Ouro Preto/Tu És o Meu Castigo
  • (1959) Maior Que a Saudade
  • (1958) Prece/Se Todos Fossem Iguais a Você
  • (1958) Onde Estará Meu Amor/Tarde Demais
  • (1958) Dançar Com Você/Serenata do Adeus
  • (1958) Sonhos Musicais
  • (1958) Agnaldo Rayol

Trabalhos no cinema[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Biografia no Cravo Albin dicionariompb.com.br. Visitado em 21 de fevereiro de 2014.
  2. Cinemateca Brasileira Possuídas pelo Pecado [em linha]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]