Air Madrid

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Airbus A319-132 da Air Madrid

Air Madrid Lineas Aereas foi uma companhia aérea espanhola fundada em dezembro de 2003 por um grupo de empresas e profissionais do setor turístico europeu. Um ano depois, José Luis Carrillo, proprietário da Optursa Management Ltda, adquiriu 100% da companhia. Atuou no Brasil a partir 18 de janeiro de 2006 quando realizou seu primeiro vôo para Fortaleza. A princípio com dois vôos semanais, e depois contou com quatro vôos diretos e semanais para Madrid e Buenos Aires e um vôo direto para Barcelona, além de conexões em Madrid para outros destinos europeus.

Expansão no Brasil[editar | editar código-fonte]

Em fevereiro de 2007 a empresa planejava inaugurar nova base em São Paulo, fazendo a linha Guarulhos – Madrid – Guarulhos e conexões para destinos já praticados desde Fortaleza para outras cidades européias. A depender do aumento da demanda, outras rotas poderiam ser inauguradas para os Estados Unidos da América, voando para Miami e Los Angeles, ao mesmo tempo em que seriam avaliadas operações para países como Honduras, Bolívia e Japão, e cidades como Puerto Vallarta e Puebla, no México.

Frota[editar | editar código-fonte]

A frota de 9 aviões Airbus seria reforçada com a entrada de novos aparelhos. Um novo Airbus A-340 se uniria a rota Madrid - São Paulo e dois novos Airbus A-320 seriam incorporados. A Air Madrid esperava contar até o final de 2007 com uma frota de 20 aviões para incrementar sua presença nas Américas.

Falência[editar | editar código-fonte]

Em 15 de dezembro de 2006, a AirMadrid suspendeu suas atividades. A razão alegada, em nota da própria empresa, foi "a gravíssima situação em que ficou, como conseqüência das medidas adotadas pela Administração Pública, concretamente a Direção Geral de Aviação Civil, dependente do Ministerio de Fomento espanhol".

Na prática, o governo espanhol vinha exigindo da empresa um ajuste de conduta no sentido de cumprir exigências tocantes à segurança do vôo bem assim de evitar as constantes queixas de passageiros, mormente em relação ao atraso dos vôos.

Em 21 de dezembro de 2006, a AirMadrid apresentou um "concurso voluntário de credores", com prazo até 20 de fevereiro de 2007 para os afetados pelo cancelamento dos vôos fazer suas reclamações ao Juzgado Decano de Madrid, preenchendo um formulário próprio, inclusive pela Internet. [1]

Destinos cancelados[editar | editar código-fonte]

  • De Madrid para Bogotá, Bucareste, Buenos Aires, Cartagena, Fortaleza, Frankfurt, Guaiaquil, Lima, Lisboa, Londres, Milão, Nice, Cidade do Panamá, Paris, Rio de Janeiro, Roma, Quito, San José, Costa Rica, Santa Cruz de Tenerife, Santiago, Tel Aviv e Toluca.
  • De Barcelona para Bogotá, Bucareste, Buenos Aires, Cartagena, Fortaleza, Guaiaquil, Milão, Nice, Quito, Santa Cruz de Tenerife e Santiago.

Air Comet[editar | editar código-fonte]

No final de janeiro de 2007, em troca de parte das rotas operadas pela Air Madrid, a empresa aérea espanhola Air Comet assinou um acordo com o Ministério de Fomento comprometendo-se a contratar cerca de 52% dos ex-funcionários da Air Madrid e aceitar os cupons de vôo emitidos por esta, mediante um encargo adicional de 200€ (tal oferta foi válida até 30 de junho de 2007).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.