Aléxio de Constantinopla

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Aléxio de Constantinopla (em grego: Ἀλέξιος ὁ Στουδίτης - Alexey Studite), dito Estudita, foi o patriarca de Constantinopla entre 1025 e 1043 d.C. Ele era um membro do Mosteiro de Stoudios (fundado em 462) e foi o último patriarca indicado pelo imperador bizantino Basílio II Bulgaróctone.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Aléxio patrocinou as ações de João de Melitene, cujo interesse era limitar a influência da Igreja Sírio-Jacobita (atualmente parte da Igreja Ortodoxa Síria) no sudeste do Império Bizantino, especialmente nos recém-conquistados themas da Mesopotâmia e Telouch. Por esta razão, o patriarca sírio-jacobita João VIII bar Abdoun foi preso e levado a julgamento em Constantinopla; posteriormente, ele foi trancafiado num mosteiro em Monte Ganos. Em 1034, Aléxio coroou Miguel IV, o Paflagônio, o favorito da imperatriz bizantina Zoé Porfirogênita, que, para abrir espaço para seu amado, encomendou a morte de seu marido, o imperador Romano III Argiro. Por fim, o patriarca também frustrou as tentativas de João, o Eunuco (irmão do imperador) de conseguir o trono patriarcal em 1036.

Aléxio morreu em 1043 d.C.

Tipicon[editar | editar código-fonte]

Aléxio Estudita também fundou um mosteiro para o qual ele escreveu a regra chamada tipicon, que foi então utilizada pelo Mosteiro das Cavernas de Kiev.

Os seus decretos ainda existem.[2] [3] [4]

Aléxio de Constantinopla
(1025 - 1043)
Precedido por: Cruz ortodoxa.png
Lista dos patriarcas ecumênicos de Constantinopla
Sucedido por:
Eustátio 100.º Miguel I

Referências

  1. Alexey Studite (em grego) Site do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla. Visitado em 24/07/2011.
  2. ap. Jus Gr. Rom. vol. i. lib. iv. p. 250, Leunclav. Francof. 1596
  3. Christie, Albany James (1867). "Alexius I of Constantinople". (em inglês) Dictionary of Greek and Roman Biography and Mythology 1. Ed. William Smith. Boston: Little, Brown and Company. 131. 
  4. Johann Albert Fabricius, Bibliotheca Graeca vol. xi. p. 558.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • F. Lauritzen, Against the Enemies of Tradition, Alexios Studites and the Synodikon of Orthodoxy in A. Rigo and P. Ermilov, Orthodoxy and Heresy in Byzantium, Roma 2010. (em inglês)
  • J. Thomas and A. Constantinides, eds., Byzantine Monastic Foundation Documents. Washington, D.C: Dumbarton Oaks, 1998. (em inglês)
  • A. Pentkovsky, Typikon Patriarxa Aleksija Studita v Vizantii i na Rusi, Moscow 2001, (em grego)