Al-Baladhuri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
al-Baladhuri
أحمد بن يحيى بن جابر البلاذري
Nome completo ʾAḥmad ibn Yaḥyā al-Balādhurī; Ahmad ibn Yahya ibn Jabir ibn Dawud al-Baladhuri
Nascimento  ?
Pérsia
Morte ca. 892 [1]
Bagdade
Nacionalidade Califado Abássida
Ocupação historiador
Principais trabalhos Kitab Futuh al-Buldan, Ansab al-Ashraf

ʾAḥmad ibn Yaḥyā al-Balādhurī[2] [3] (em árabe: أحمد بن يحيى بن جابر البلاذري; m.  892), mais conhecido simplesmente como al-Baladhuri ou al Biladuri foi um historiador persa do século IX. Foi um dos mais proeminentes historiadores do Médio Oriente do seu tempo, e passou a maior parte da sua vida em Bagdade, onde tinha grande influência na corte do califa al-Mutawakkil.[4] Viajou pela Síria e pelo Iraque, compilando informações para as suas obras maiores.[1] É considerado uma fonte fiável para a história dos primeiros Árabes e da expansão islâmica.[4]

Outras variantes ou grafias do nome[editar | editar código-fonte]

  • Ahmad ibn Yahya ibn Jabir ibn Dawud al-Baladhuri
  • Ahmad bin Yahya bin Jabir al Biladuri (em árabe: أحمد بن يحيى بن جابر البلاذري)
  • Balazry Ahmad bin Yahya bin Jabir Abul Hasan
  • Abi al-Hassan Baladhuri[5]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Apesar de ser persa de nascimento, aparentemente nutria grande simpatia pelos Árabes,[1] pois al-Masudi refere-se a um dos seus trabalhos onde rejeita a condenação feita por Baladhuri ao nacionalismo não árabe Shu'ubiyya.[carece de fontes?] Viveu na corte dos califas al-Mutawakkil e al-Musta'in, e foi tutor do filho de al-Mu'tazz.[1] Morreu em 892, em resultado duma droga chamada baladhur (anacárdio oriental, Semecarpus anacardium),[2] que autores judeus e árabes descrevem como boa para avivar a memória.[6] Segundo a tradição, o nome al-Baladhuri por que é conhecido deve-se a esse facto.[2] [6]

Aparentemente experimentou a alquimia, pois menciona como se fabricava vidro depois de misturar "ácidos líquidos" com soda[desambiguação necessária] e areia. Também menciona como o bronze era produzido misturando cobre e carvão, num processo que ajuda a remover o óxido de zinco. Fala ainda de como colorir vidro misturando vários materiais.[carece de fontes?]

Obras[editar | editar código-fonte]

A sua obra mais importante que sobreviveu até aos nossos dias é um resumo duma história mais longa, o Kitab Futuh al-Buldan (فتوح البلدان; "Livro das Conquistas das Terras"), o qual foi traduzido para inglês por Philip Khuri Hitti em 1916[7] e por Francis Clark Murgotten em 1924, que a integrou no seu livro The Origins of the Islamic State ("A Origem do Estado Islâmico").[8] O Kitab Futuh al-Buldan fala sobre as guerras e conquistas dos Árabes do século VII,[1] e dos acordos feitos com os residentes nos territórios conquistados. Cobre as conquistas de territórios da Arábia, Egito, resto do Norte de África e península Ibérica, a ocidente, e Iraque, Irão e Sinde, para oriente. A sua história foi muito usada por escritores posteriores.[carece de fontes?]

Outra obra célebre é o Ansab al-Ashraf (أنساب الأشراف; "Genealogias dos Nobres") que também sobreviveu até à atualidade, uma coleção de biografias organizada por ordem genealógica sobre a aristocracia árabe desde Maomé e seus contemporâneos até aos califas Omíadas e Abássidas. Os seus escritos sobre a ascensão e queda das poderosas dinastias contêm uma moral política. Os seus comentários sobre metodologia são raros, à parte de asserções de exatidão.[9]

Fez também algumas traduções de persa para árabe.[1]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d e f Baladhuri [ligação inativa] (em inglês) www.1911encyclopedia.org LoveToKnow Classic Encyclopedia baseada na Encyclopædia Britannica (edição de 1911). Visitado em 17 de dezembro de 2012. Cópia arquivada em 29 de outubro de 2010.
  2. a b c Khan, M. Nauman; Mohiuddin, Ghulam. Ahmad Ibn Yahya Al Baladhuri (em inglês) salaam.co.uk. Visitado em 17 de dezembro de 2012.
  3. "al-Baladhuri". (em inglês) Encyclopædia Britannica. (2006). Consultado em 17 de dezembro de 2012. 
  4. a b Baladhuri, al- (em inglês) The Columbia Electronic Encyclopedia, 6th ed. infoplease.com. Visitado em 17 de dezembro de 2012.
  5. Chapter Two: General facts on Fadak (em inglês) Shia Pen shiapen.com. Visitado em 17 de dezembro de 2012.
  6. a b Bos, Gerrit (1996), "Baladhur" (Marking-Nut): A Popular Medieval Drug for Strengthening Memory" (em inglês), Bulletin of the School of Oriental and African Studies (Universidade de Londres) 2 (59): 229-236, ISSN 0041977X, http://www.jstor.org/stable/619709, visitado em 17 de dezembro de 2012 
  7. Hitti 1916
  8. Murgotten 1924
  9. Baladhuri, Ahmad ibn Yahya al- (em inglês) The Oxford Dictionary of Islam www.oxfordislamicstudies.com. Visitado em 17 de dezembro de 2012.

Bibliografia e ligações externas[editar | editar código-fonte]