Al-Walid II

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Walid II
11º Califa Omíada
Map of expansion of Caliphate.svg

  Expansão durante a vida do Profeta Maomé, 622-632
  Expansão durante o período dos três primeiros califas, 632-661
  Expansão durante o Califado Omíada, 661-750
Governo
Reinado 743 – 744
Antecessor Hisham
Sucessor Yazid III
Dinastia Omíadas
Vida
Nome completo Walid ibn Yazid
Morte 16 de abril de 744
Filhos al-Hakam e Uthman
Pai Yazid ibn al-Muhallab

Walid ibn Yazid (em árabe: الوليد بن يزيد), conhecido como Walid II, foi o califa omíada entre 743 e 744 d.C. Ele sucedeu ao tio, Hisham ibn Abd al-Malik e era filho de Yazid ibn al-Muhallab, um líder em revolta contra o califado e que havia sido morto por Maslama ben Abd al-Malik Ibn-Marwan1 .

Vida e obras[editar | editar código-fonte]

Conforme al-Walid crescia, seu tio ficava mais descontente com ele por conta de suas bebedeiras e sua vida desregrada, chegando pedir-lhe se afastasse para dar lugar ao seu próprio filho. Finalmente, o califa pediu-lhe que expulsasse seu melhor companheiro de bebedeiras, cortou-lhe os fundos e o encorajou fortemente a ser mais respeitoso com relação aos assuntos religiosos.

Como herdeiro, al-Walid era conhecido por sua generosidade. Ao se tornar califa, ele se preocupou especialmente com os aleijados e os cegos.

Ele nomeou seus dois filhos, al-Hakam e Uthman, nesta ordem, como sucessores e existe uma carta sobre o tema preservada por al-Tabari2 e datada de 21 de maio de 743. O historiador também preservou alguns dos poemas de al-Walid, que também era fã de corridas de cavalo.

Al-Walid primeiro confirmou Nasr ibn Sayyar como governador do Grande Coração. Porém, subornado por Yusuf ibn Umar, acabou por despedi-lo. Ele também apontou seu tio Yusuf ibn Muhammad como governador de Medina. Ele mandou prender Sulayman ibn Hisham, um ato que, juntamente com os seus hábitos desregrados, acabaram por fomentar uma considerável oposição ao seu reinado. Com várias vozes se levantando contra a imoralidade do califa, começaram as conspirações para matá-lo. Khalid ibn Abdallah, ao saber delas, correu para avisar al-Walid. Porém, a falta de detalhes acabou por irritar o califa que mandou prender Khalid e terminou vendendo-o para seu inimigo, Yusuf ibn Umar, pela quantia de cinquenta milhões de dirhams. Yusuf torturou e matou Khalid, o que irritou até mesmo os próprios parentes de al-Walid.

Sabendo que uma possível conspiração se armava, Marwan ibn Muhammad (que seria califa no futuro) escreveu da Armênia urgindo o califa para que fosse mais cuidadoso para preservar a unidade do Império e da casa dos omíadas. Era tarde demais e um exército avançou sobre Damasco, cercando o califa num castelo nos subúrbios da cidade. Ele lutou bravamente, mas, em 6 de abril de 744, em Al-Aghdaf (atualmente na Jordânia), al-Walid foi derrotado e morto pelas forças de Sulayman ibn Hisham.

Al-Walid foi sucedido por seu primo Yazid III.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Rotter, G. (1991). "Maslama b. 'Abd Al-Malik b. Marwan". The Encyclopedia of Islam, New Edition, Volume VI: Mahk–Mid. Leiden and New York: BRILL. ISBN 90-04-08112-7 
  2. Al-Tabari, p. 106-115

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Al-Walid II