Alano IV, duque da Bretanha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Alano IV, Duque da Bretanha)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde Maio de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Alano IV (m. 13 de outubro de 1119) foi duque da Bretanha de 1084 a 1112. Famoso por ter sido o último duque da Bretanha a falar bretão.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Alano nasceu no castelo de Châteaulin, em Finistère, filho de Hoel V, conde da Cornualha, e de Edviges, duquesa da Bretanha.

Teve que restaurar sua autoridade ducal no condado de Rennes contra Godofredo Gononat, meio-irmão do duque Conan II, em detrimento da mãe de Alano, Edviges, a herdeira legítima. Alano capturou Rennes liderando seu exército e exilou Gononat em Quimper, a capital da Cornualha na Bretanha, onde ele morreu no mesmo ano, dando a Alano a oportunidade de retomar o título de conde de Rennes. No mesmo ano, ele elegeu seu irmão leal, Mateus, para governar o condado de Nantes, mas ele recuperou o título com a morte do último, em 1103.

Alano preferia ficar na parte do ducado em que se falava bretão, morando em seus castelos de Aurey e de Carnoët, não muito longe da abadia cruzada de Quimperlé, dirigida por seu tio Bento. A prevalência da paz em seu ducado fez possível para Alano responder ao chamado do papa Urbano II e, no verão de 1096, ele se juntou à Primeira Cruzada na companhia de outros senhores bretões. Ele se ausentou da Bretanha por cinco anos, deixando o ducado sob o controle da difícil, porém, muito capacitada Hermengarda de Anjou, sua segunda esposa. Em seu retorno da Cruzada, Alano se interessou cada vez mais em assuntos religiosos, e apoiou a reforma do clero por Marbodo, bispo de Rennes. Isto, porém, não o impediu de tomar partido de Henrique I da Inglaterra no conflito com o irmão dele, Roberto II da Normandia, e Alano participou da Batalha de Tinchebray, em 1106, na qual Roberto II foi derrotado e capturado. Ele se tornou vassalo de Henrique I e casou seu filho Conan com Matilde, filha de Henrique I.

Devido à enfermidade, Alano abdicou, em 1112, em favor de seu filho Conan, e se retirou para a Abadia de Saint-Sauveur, em Redon, onde morreu e foi sepultado.

Casamentos e descendência[editar | editar código-fonte]

Em 1086, Alano casou com Constança da Normandia, filha de Guilherme, o Conquistador, mas ela morreu envenenada, em 1090, sem filhos. Três anos depois, Alano desposou Ermengarda de Anjou, esposa divorciada de Guilherme IX da Aquitânia, filha de Fulco IV, conde de Anjou, e da primeira esposa deste, Hildegarda de Beaugency. O relacionamento deles foi tempestuoso no início. Ela tentou deixá-lo para entrar para o convento de Fontevrault, pedindo que seu casamento fosse anulado. Os bispos se recusaram a fazê-lo, mandando-a de volta para seu esposo e exortando-a a aceitar seu lugar como esposa e mãe. O casal deve ter chegado a um entendimento, já que tiveram três filhos:

Alano teve ainda dois filhos ilegítimos:

Precedido por
Hoel II
Duque da Bretanha
13 de abril de 1084 - 1112
Sucedido por
Conan III


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Alano IV, duque da Bretanha