Alberto II de Meissen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alberto II
Marquês de Meissen
Conde da Turíngia
Conde Palatino da Saxônia
Marketa Albercht2.jpg
Alberto II e Margarete da Sicília, em uma ilustração do século XV.
Governo
Reinado 1288–1292
Antecessor Henrique III
Sucessor Frederico Tuta
Dinastia Wettin
Vida
Nascimento 1240
Meissen, Ducado da Saxônia, Sacro Império Romano-Germânico
Morte 20 de novembro de 1314 (74 anos)
Erfurt, Ducado de Saxe-Vitemberga, Sacro Império Romano-Germânico
Cônjuges
Margarete da Sicília
Cunigunda de Eisemberga
Isabel de Orlamünde
Filhos Henrique
Frederico I
Teodorico
Margarete
Agnes de Brunswick-Grubenhagen
Isabel
Apitz
Pai Henrique III de Meissen
Mãe Constança da Áustria

Alberto II, o Degenerado (em alemão: Albrecht II., der Entartete) (1240 – 20 de novembro de 1314) foi marquês de Meissen, conde da Turíngia e conde palatino da Saxônia. Foi membro da Dinastia Wettin, filho mais velho de Henrique III de Meissen com sua primeira esposa, Constança da Áustria.

Vida[editar | editar código-fonte]

Em 1265, Henrique III concedeu a Marca da Turíngia e o Palatinado a Alberto, e a Marca de Landsberga, na Osterland, a seu irmão mais novo Teodorico. Henrique III manteve para si as marcas de Meissen e de Lusácia como um poder formal sobre seus filhos.

Em junho de 1255 Alberto casou com Margarete da Sicília, filha do imperador Frederico II, que era também Rei da Sicília, e de Isabel da Inglaterra. Margarete, conhecida também por Margarete de Suábia era irmã de Henrique Otão, também conhecido por Carloto. Como dote, Pleissnerland foi prometido para a Casa de Wettin. Alberto e Margarete tiveram cinco filhos:

Alberto II de Meissen (1288–1307) e Frederico I de Meissen (1307–1324); Fürstenzug, Dresden, Alemanha.
  1. Henrique (21 de março de 1256 - 25 de janeiro/23 de julho? de 1282), herdou Pleissnerland em 1274.
  2. Frederico (1257 - Wartburg, 16 de novembro de 1323), marquês de Meissen.
  3. Teodorico, chamado de Diezmann (1260 - assassinado em Lípsia, em 10 de dezembro de 1307), marquês da Lusácia.
  4. Margarete (1262 - morreu jovem em 17 de abril de 1273).
  5. Inês (1264 - setembro de 1332), casou-se antes de 21 de julho de 1282 com Henrique I, Duque de Brunswick-Grubenhagen.

Depois do que foi inicialmente um governo e casamento feliz, Alberto se afastou de Margarete e começou um caso de amor apaixonado com Cunigunda de Eisemberga. Ela lhe deu dois filhos: uma filha, Isabel, em 1269,[1] e um filho, Alberto ("Apitz"), em 1270.

Quando ela descobriu o adultério e os nascimentos ilegítimos, Margarete deixou Wartburg em 24 de junho de 1270 e foi para Frankfurt am Main, onde morreu em 8 de agosto do mesmo ano. Os dois filhos mais novos, Frederico e Teodorico foram criados por seu tio, Teodorico de Landsberga. Henrique, o mais velho, desapareceu na Silésia, em 1282.

Alberto casou com Cunigunda em 1274 e legitimou seus filhos. Quando Alberto planejou deixar para Apitz, o Condado da Turíngia e compensar seus dois filhos do primeiro casamento, apenas com a Osterland (que era herança de sua mãe), e o condado palatino da Saxônia, eles iniciaram uma guerra contra seu pai. Frederico foi capturado por seu pai e ficou preso no castelo de Wartburg. Porém, fugiu um ano depois e continuou a guerra contra seu pai, juntamente com Teodorico. Durante este tempo, em 1284, seu tio Teodorico de Landsberga morreu, e quatro anos depois, em 1288, Henrique, o Ilustre, pai de Alberto, também morreu. Estas mortes aumentaram as disputas familiares.

Com a morte de seu pai, Alberto tornou-se marquês de Meissen, enquanto que o seu sobrinho Frederico Tuta, filho de Teodorico de Landsberga, herdou a Marca da Lusácia, que foi vendida pelo filho de Alberto, Teodorico em 1303. Pouco depois, Frederico capturou seu pai Alberto em uma batalha. Pelo Tratado de Rochlitz (1 de janeiro de 1289) Alberto obteve sua liberdade após a renúncia de grande parte de suas terras. Manteve Meissen para si, mas, posteriormente, vendeu-a para Frederico Tuta. Quando, após a sua morte (1291) seus primos Frederico e Teodorico arbitrariamente tomaram posse de suas terras, Alberto enfrentou dificuldades financeiras e foi obrigado a vender a Turíngia, em 1293, para o rei alemão Adolfo I de Nassau; no contrato, ficou estipulado que o rei tomaria posse das terras após a morte de Alberto. Na venda, Alberto incluiu Meissen e Osterland como seus feudos, apesar do fato de eles estarem nas mãos de seus filhos. Graças a isso, o sucessor de Adolfo, Alberto I de Habsburgo foi capaz de tomar posse destas terras, alegando que o contrato de venda era legítimo e legal.

Cunigunda de Eisemberga morreu em 31 de outubro de 1286. Quatro anos depois, em 1 de outubro de 1290, Alberto casou, pela terceira vez, com Isabel de Orlamünde, herdeira de Nordhalben e viúva de Hartmann XI de Lobdeburgo-Arnshaugk. No mesmo ano, Apitz, filho de Alberto com Cunigunda, foi formalmente legitimado pelo imperador e recebeu o título de Senhor de Tenneberg.

Em 11 de abril de 1291, a irmã mais nova de Apitz, Isabel, casou com Henrique III de Frankenstein; o casamento durou pouco tempo e não tiveram filhos.[2] Isabel morreu em 28 de setembro de 1293.[3] Três anos mais tarde (9 de outubro de 1296), Apitz casou com uma irmã de seu cunhado, Henrique III, aparentemente, também chamada de Isabel.[4] Este casamento, assim como o de sua irmã, não deixou descendentes.

Quatro anos depois (24 de agosto de 1300), o filho mais velho sobrevivente de Alberto, Frederico, casou com Isabel de Lobdeburg-Arnshaugk, filha de sua madrasta; o que causou a reconciliação definitiva entre pai e filho. Cinco anos mais tarde (27 de junho de 1305), Apitz de Tenneberg morreu, aos trinta e cinco anos de idade. A morte de seu filho favorito foi um golpe terrível para Alberto. Ele nunca se recuperou da perda.

Dois anos depois, em 1307, Alberto finalmente concedeu o Condado da Turíngia e o Condado Palatino da Saxônia a seu filho Frederico, em troca de uma anuidade. Morreu sete anos depois, em Erfurt, aos setenta e quatro anos.

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. E-Familytree.net
  2. Genealogy Dates in Stoyan. De acordo com este site Isabel e seu marido tiveram sete filhos.
  3. ThePeerage.com. Neste site a morte de Isabel é citada depois de 23 de abril de 1326 e seu marido é chamado de Henrique II, e não III. Também, a morte do irmão de Isabel, Apitz, é citada em 27 de junho de 1301, quatro anos antes da data citada neste artigo.
  4. Genealogy Dates in Stoyan

Referências

Wikisource  "Albert (landgrave of Thuringia)". Encyclopædia Britannica (11th). (1911). Ed. Chisholm, Hugh. Cambridge University Press. 

Alberto II de Meissen
Nascimento: 1240 Morte: 20 de novembro de 1314
Títulos de Nobreza
Precedido por:
Henrique III
Condado da Turíngia
1288–1292
Sucedido por:
Frederico I
Marquês de Meissen
1288–1292


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Alberto II de Meissen