Albino Manique

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Albino Costa Manique (São Francisco de Paula, 12 de março de 1939) é um músico, compositor e instrumentista acordeonista brasileiro[1] [2] .

Albino, sempre teve consigo a música desde muito cedo, tinha um vizinho chamado Francisco Castilhos, e se davam bem desde pequenos. Então começaram a tocar juntos e até ganharam instrumentos. Francisco ganhou um cavaquinho e como Albino tocava pandeiro fizeram uma dupla para animar as festinhas do interior. Com o passar do tempo, ''Chico'' ganhou um violão, e Albino uma gaita de 80 baixos de seu pai, e desde então se apaixonou por este instrumento que ainda lhe acompanha até hoje.

Em 1958 se apresentavam num concurso musical de uma igreja em São Francisco de Paula, no Rio Grande do Sul. Como a dupla não tinha nome ainda, o animador Jair Teixeira disse que iria apresentá-los como Dupla Mirim.. O batizado deu certo e a partir desde dia, ficaram conhecidos como Dupla Mirim.

Em 1961 com Antoninho Duarte gravaram seu primeiro disco intitulado ''Barbaridade'' que até hoje ainda é muito tocado no sul do país.

Depois de algum tempo se concretizou o Conjunto Os Mirins liderado por Albino.

Albino Manique tinha uma musicalidade muito forte e muita habilidade com a sua gaita, criando uma técnica muito peculiar e vinha se destacando por seus arranjos complexos e muito bem elaborados, e suas técnicas apuradíssimas.

Em 1969 trouxe seu primeiro disco solo intitulado '' Alma de Acordeon'', com sucessos como Taquito Militar e Bugio da Serra.

Na década de 70 dedica-se ao conjunto, deixando de lado os discos individuais, voltando com todo vapor em 1981 com o disco solo '' No Compasso da Acordeona'' trazendo músicas como Bombachudo e Bugio da Serra.

A facilidade de Albino em compor era tamanha, e suas melodias tão virtuosas que em pouco tempo foi considerado uns dos melhores instrumentistas do Brasil, também era muito requisitado para gravar discos de outros artistas. Adelar Bertussi considera Albino um gênio musical por pegar seu instrumento e fazer músicas lindas sem tem estudado.

Referências

  1. Albino Costa Maniquel. Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira, Instituto Cultural Cravo Albin. Página visitada em 27 de junho de 2012.
  2. Meu Ídolo - Michael Hartmann gaiteiro

Bis como bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • PERSCH, Adriano. A música de Albino Manique - Doce Saudade Vol.1
Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.