Alcains

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
 Portugal Alcains  
—  Freguesia  —
Avenida 12 de Novembro, à entrada da vila
Avenida 12 de Novembro, à entrada da vila
Brasão de armas de Alcains
Brasão de armas
Alcains está localizado em: Portugal Continental
Alcains
Localização de Alcains em Portugal
39° 55' N 7° 28' O
País  Portugal
Concelho CTB.png Castelo Branco
 - Tipo Junta de freguesia
Área
 - Total 36,95 km²
População (2011[1] )
 - Total 5 022
    • Densidade 135,9/km2 
Gentílico: Alcainense
Código postal 6005
Orago Nossa Senhora da Conceição
Correio electrónico junta.alcains@netvisao.pt

Alcains é uma freguesia portuguesa do concelho de Castelo Branco com 36,95 km² de área e cerca de 5000 habitantes. É sede de uma freguesia em que a vila é a única localidade que dela faz parte. Faz fronteira com as freguesias de Lardosa, Escalos de Cima, Escalos de Baixo, Cafede, Póvoa de Rio de Moinhos e Castelo Branco. É uma das maiores vilas portuguesas, sendo a maior, não sendo sede de concelho, de todo o interior do país. Foi o pólo industrial mais importante do concelho, até meados da década de 80 do Século XX.

É actualmente servida pela A23, e pelas EN18 e EN352. Em termos ferroviários, pela Linha da Beira Baixa.

O IC31 ligará esta freguesia à fronteira com Espanha, mais precisamente em Monfortinho.

A vila de Alcains fica situada no Eixo Urbano Castelo Branco-Covilhã-Guarda.

A qualidade dos queijos aqui produzidos e os mestres de cantaria daqui naturais, levam o nome da vila a todo o país.

A personalidade mais famosa natural de Alcains foi o General Ramalho Eanes, Presidente da República entre 1976 e 1986.

Geografia[editar | editar código-fonte]

A vila fica situada a cerca de 12 km a Norte da sua sede de concelho Castelo Branco. A pouco mais de 230 km a Nordeste de Lisboa e a cerca de 280 km a Sudeste da cidade do Porto, por Auto-Estrada. Dista da fronteira (Segura) com Espanha cerca de 55 km, e da sua capital, Madrid, cerca de 380 km.

Relevo[editar | editar código-fonte]

Está localizada a cerca de 370 metros de altitude e é atravessada pela Ribeira da Líria, afluente do Rio Ocreza.

O Rio Tejo, corre 30 km a sul de Alcains enquanto que os seus afluentes, Rio Ponsul a cerca de 20 km a Sudeste e o Rio Ocreza a pouco mais de 2 km a Oeste da localidade. O Rio Zêzere, um pouco mais longe ; a cerca de 50 km a Oeste.

Num raio de 15 a 30 km, a vila é rodeada pela Serra da Gardunha a Norte, e de Oeste para Sul, pela Serra de Alvelos e Serra do Moradal. A Serra da Estrela, a 50 km, não é visível a partir de Alcains, pelo facto da Serra da Gardunha se situar mais perto da vila e por se encontrar precisamente na mesma direcção da Serra mais alta de Portugal Continental.

Outras, como a Serra da Lousã, Serra do Açor e Serra de São Mamede fazem também parte do leque de Serras portuguesas visíveis desde Alcains. A fronteiriça Sierra de Gata fica também ao horizonte.

Com a Serra da Gardunha ao longe.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima é Temperado Mediterrânico. A pluviosidade é escassa no Verão, com temperaturas relativamente elevadas, ultrapassando as máximas, na maior parte dos dias, os 30 °C. As mínimas, por sua vez, são relativamente suaves embora haja um número ainda significativo de noites com temperaturas acima dos 20 °C - numa média anual que ronda as 15 - e que se designam por noites tropicais em meteorologia.

Os Invernos são frios e chuvosos, com mínimas que chegam a alcançar os -3 °C, enquanto que as máximas se situam normalmente em torno dos 12 °C. Episódios de queda de neve são quase todos os anos registados, embora a acumulação no solo seja menos frequente. O último nevão data de 10 e 11 de Janeiro de 2010.

Quanto à vegetação, há o predomínio da oliveira, sobreira, azinheira.

Economia[editar | editar código-fonte]

Dielmar.

A vila de Alcains foi até à década de 80 o principal pólo industrial do concelho de Castelo Branco, atingindo um grande desenvolvimento durante as décadas de 60 e 70 com a criação de várias empresas, algumas delas de nível nacional, como são o caso das Fábricas Lusitana, Dielmar e Sicel.

Para além das anteriormente referidas, há actualmente indústrias ligadas às mármores e granito, à transformação de carnes, uma moderna unidade de produção do famoso Queijo de Alcains, entre outras. Alcains, é desde há muito reconhecida pela qualidade dos seus pastos e que se reflecte na qualidade do queijo que aqui é produzido.

A realçar também a indústria de chapéus e a tecelagem, hoje já desaparecidas.

Esta vila, deve também muito da sua fama às pedreiras de granito aqui situadas e considerado um dos melhores de Portugal.

O trabalho dos canteiros de Alcains está presente em muitos locais de Portugal.

A Companhia de Caminhos de Ferro de Portugal aplicou o granito proveniente desta freguesia em muitas das suas estações.

As peças de arte e estátuas que ornamentam o Jardim do Paço, bem como a filial do Banco de Portugal em Castelo Branco, os Paços de Concelho da Covilhã entre outras unidades fabris da cidade serrana, e ainda por diversas cidades de Portugal como são o caso de Viseu, Guarda, Coimbra, Porto, Estremoz, Elvas, Évora, Lisboa, está a marca dos canteiros de Alcains. Há ainda referências a obras em Macau e Lourenço Marques

A vila continua em franco desenvolvimento económico, embora o ritmo que a caracterizou até meados da década de 80 tenha abrandado de uma forma algo considerável.

Ensino[editar | editar código-fonte]

Escola EB1, Edifício 2.
Seminário de São José.

Alcains dispõe de um Infantário e de duas Escolas Pré-Primárias. A Escola do 1 °Ciclo do Ensino Básico é composta por dois edifícios distanciados entre si cerca de 50 metros, situando-se ambos na mesma rua.

Possui ainda a Escola do 2º e 3º Ciclo do Ensino Básico José Sanches e uma Escola Secundária, ambas dotadas de um pavilhão gimno-desportivo.

O Ensino Primário em Alcains chegou a ter um outra escola, no Bairro da Feiteira, inaugurada em 1942. Funciona actualmente como Escola Pré-Primária.

No local onde se situa o actual edifício da Junta de Freguesia de Alcains, funcionou em finais do Século XIX a primeira Escola de Ensino Oficial da vila. O espaço foi remodelado para acolher os alunos já que anteriormente serviu de cadeia (também chamada Casa da Justiça)

Alcains dispunha até ao final da década de 90 do Século XX , de ensino religioso leccionado no Seminário de São José. Ele que chegou a ser o Seminário Maior da Diocese de Portalegre-Castelo Branco.

História[editar | editar código-fonte]

Monumento de Elevação a Vila e Fonte Romana.

Região habitada desde tempos remotos, com evidentes sinais neolíticos e de predominância romana. Já existia no tempo de D. Afonso Henriques, fazendo parte dos inúmeros povoados que constituíram a Herdade de Açafa. Mais tarde, esta Herdade foi doada por D. Afonso III à Ordem dos Templários. Ao longo da Idade Média o seu desenvolvimento foi de certo modo, irregular, devido às constantes recessões demográficas da região. Por finais do século XIV, com a criação dos municípios foi delimitado o termo que dizia respeito à Aldeia de Alcains.

Com o dealbar do século XVI foi-se recompondo com o fomento da economia que aproveitava a boa situação geográfica de interligação, com a implantação de numerosas oficinas. O seu progresso ulterior mantém-se devido à predominância de uma actividade agrícola e implantação de indústria significativa.[2]

A palavra parece derivar do árabe: " a igreja " e segundo alguns historiadores, tem a mesma origem que Alcañiz, cidade da província espanhola de Teruel

Alcains, foi elevada à categoria de vila apenas a 12 de Novembro de 1971 pelo Decreto nº 495/71, depois de ter sido considerada a maior aldeia de Portugal durante muitos anos.

Património[editar | editar código-fonte]

Capela do Espírito Santo.
Igreja Matriz de Alcains.
Fonte Romana.
Monumento à Virgem Maria.
Solar Viscondessa de Oleiros e Capela.
Frontaria Monumental do Solar.
  • Casa de Alcains ou Solar da Viscondessa de Oleiros- Construção do início do século XVIII. Nas suas traseiras ainda se encontra uma Frontaria Monumental da antiga quinta que estava anexa a este Solar.
  • Solar dos Goulões- É o actual Centro Cultural de Alcains e data do início do século XVIII. Funcionou também como Instituição de Beneficência, com o objectivo de colaborar na formação religiosa, social e moral das famílias da região. Era a chamada "Casa do Bem" tendo começado a funcionar em 1968.
  • Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição- Data dos meados do século XVI. É uma igreja de grandes dimensões. Tem uma frontaria pombalina. Contudo, na porta lateral Norte e na parte interior, há uma inscrição que tem a data de 1641.
  • Capela do Espírito Santo- O púlpito existente nesta capela tem gravado o ano de 1689, data da sua reconstrução, que é posterior à da capela e grande pia baptismal. Foi construída no Século XVI.
  • Capela da Senhora da Piedade- Também conhecida por Capela do Senhor das Chagas ou de São Brás. Em 1733 aí foi celebrada a 1ª Missa. Fica anexa ao Solar dos Goulões, actual Centro Cultural de Alcains
  • Capela de Santa Bárbara- Data dos princípios do século XVIII. Está ligada ao Solar da Viscondessa de Oleiros.
  • Capela do Senhor Jesus do Lírio- Capela situada junto ao actual cemitério da vila e tem data de 1927.
  • Capela do Seminário de São José- A portada desta capela é de granito e formada por ogivas. Data de 1937.
  • Ermida de Santa Apolónia- Foi construída no século XVII. Tem a data de 1639. Possui um alpendre. Sofreu uma grande reparação em 1965.
  • Ermida de São Pedro- Fica situada à saída de Alcains na direcção de Escalos de Cima e foi construída no 1º quartel do século XVII
  • Ermida de São Domingos- Situa-se na parte poente de Alcains junto ao nó com a A23. A data da sua construção não está bem definida. Contudo, crê-se que tenha sido no início do século XVII. Tem uma imagem de São Domingos em mármore.
  • Cruzeiro da Levandeira- Foi edificado em 1895 no antigo Largo da Levandeira.
  • Cruzeiro de São Domingos- Anexo à ermida de São Domingos.
  • Cruzeiro de São Pedro- Anexo à ermida de São Pedro.
  • Cruzeiro do Senhor dos Esquecidos - Situado no jardim do centro da vila.
  • Tanque das Freiras - Fica situado na estrada EN18 a norte da ermida de São Domingos. Tem um brasão que parece ser de D. Sancho II
  • Fonte Maria Rodrigues- Data de 1632 e situa-se a nascente da ermida de Santa Apolónia.
  • Fonte Romana- Embora assim seja conhecida, não tem origem romana. Tem cerca de 5 metros de profundidade, é de forma quadrada e é forrada por granito. Tem aproximadamente 4 metros de lado. É coberta e tem acesso pelos arcos faciais. Data do século XVII.
  • Chafariz de Santo António- Outro exemplo da cantaria de Alcains. Situa-se no largo com o mesmo nome e está ali desde 1928.
  • Estátua do Canteiro - Situa-se em plena Avenida 12 de Novembro. Serve de homenagem aos artistas de cantaria de Alcains e foi inaugurada no dia 7 de Setembro de 1985.
  • Monumento à Virgem Maria- Data de Junho de 1953. O pedestal é de granito artisticamente trabalhado pelos canteiros de Alcains. A imagem é de mármore finíssimo. Foi mandado construir pelo alcainense José André Júnior.

Fonte:[1]-Livro Alcains e a sua História - Sanches Roque

Cultura, Turismo e Lazer[editar | editar código-fonte]

Zona de Lazer.

Para além do património acima referido há também a destacar o Museu do Canteiro a funcionar no espaço do Centro Cultural de Alcains e ainda o Museu de Artes e Ofícios Tradicionais.

Na vila existem duas bibliotecas fixas: a da Fundação Calouste Gulbenkian e a da Junta de Freguesia de Alcains.

A localidade tem um carinho especial pelo teatro. Já em meados do século XX havia representações teatrais no Salão Paroquial. Posteriormente, e com a inauguração da Casa do Povo de Alcains, passaram a realizar-se no respectivo auditório.

Relembrar o Grupo de Teatro " A Carroça ", grupo de teatro infantil. Mais recentemente, surge o Grupo " Cães à Solta " destinado a um público mais adulto, fazendo com que o teatro continue a marcar presença na vila.

A A.R.C. A (Associação Recreativa e Cultural de Alcains), é uma das associações mais dinamizadoras, do ponto de vista cultural, existentes nesta localidade, com diversas actividades que vão desde o teatro à música (com a Orquestra Jovem, o Grupo de Concertinas e a Escola de Música), passando pela ocupação de tempos livres. Desta associação fez parte a emissora A.R.C.A. Rádio1, criada em 1988. Foi a única estação radiofónica a emitir a partir de Alcains, até hoje.

A Alzine é outra. Foi criada no dia 1 de Maio de 2004 e tem como objectivo promover e dinamizar a vila a nível cultural e social. É a promotora dos anuais "Festins"

No plano musical há ainda a referir a existência na vila, da Orquestra Típica de Alcains e o Rancho Folclórico da Casa do Povo. Em tempos idos também a Banda Filarmónica; actualmente extinta.

Para o lazer: vários restaurantes, cafés e espaços de diversão nocturna, um jardim em pleno Centro Civico (Largo de Santo António), uma Zona de Lazer à entrada da vila, um moderno Complexo de piscinas (sendo uma delas coberta) e ainda um Centro hípico na zona sul da freguesia.

Na vila, há residenciais e um hotel de turismo rural

Alcainenses Famosos[editar | editar código-fonte]

General Ramalho Eanes em 1983, numa visita de Estado aos Estados Unidos.
  • General Ramalho Eanes - Presidente da República - (1976-1986).
  • António Trigueiros Coelho de Aragão- Um dos maiores pioneiros do progresso fabril na vila de Alcains e fundador das Fábricas Lusitana em 1954. Ainda antes, em 1925 deu vida a Fábrica de São Pedro junto à Estação da CP em Alcains. A ele se deve também a criação do Sindicato dos Pedreiros do distrito de Castelo Branco em Alcains; a Casa do Povo da vila foi edificada sob o seu impulso, oferecendo gratuitamente todo o terreno, bem como o do local onde actualmente se situa o actual Estádio de Alcains, de nome " António Coelho Trigueiros de Aragão ".
  • Doutor Juiz Conselheiro Emídio Pires da Cruz- Em 1944 nomeado como Procurador da Républica junto da Relação do Porto e Subsecretário de Estado da Assistência Social em 1957.
  • D. Manuel Sanches Goulão- Bispo da Diocese de São Tomé de Meliapor entre (1719-1726), sendo o 6º dessa antiga diocese portuguesa. Faleceu num naufrágio da nau quando seguia seguia para a Índia.
  • D. Aurélio Granada Escudeiro- Bispo da Diocese de Angra - (1979-1996).
  • José Manuel Tavares Castilho- Licenciado em História pela Faculdade de Letras de Lisboa, (1986), Mestre em Sociologia (1997) e Doutor em História Social Contemporânea (2008), pelo ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa. O livro "Os Deputados da Assembleia Nacional, 1935-1974, Assembleia da República/Texto, 2009" valeu-lhe o Prémio Calouste Gulbenkian de História Moderna e Contemporânea em 2010.
  • Maria Cristina Vicente Pires Granada- Foi Deputada na Assembleia da República (2002-2005); Vereadora na Câmara Municipal de Castelo Branco (desde 2005) e Candidata ao Parlamento Europeu, pelo PS, em 2009.

Colectividades e Associações[editar | editar código-fonte]

Sede do Clube Desportivo de Alcains.
  • Clube Desportivo de Alcains
  • Motoclube de Alcains - Dog´s Land
  • Alcaténis
  • Clube Recreativo Alcainense
  • Nucleo Sportinguista de Alcains
  • Casa do Benfica de Alcains
  • Associação Caça e Pesca de Alcains
  • Associação Papa-Léguas de Alcains
  • Corpo Nacional de Escutas - 175
  • Associação Alcainense da Boa Vontade
  • Associação de Dadores de Sangue da Beira Interior Sul
  • Associação Recreativa e Cultural de Alcains (A.R.C.A.)
  • Megajovem
  • Alzine
  • Grupo de Teatro Cães-à-solta

Feiras[editar | editar código-fonte]

Rua do Mercado, até Dezembro de 2010.
  • Feira dos Santos- feira secular, realizada todos os anos a 1 de Novembro. Os frutos secos são o " prato forte " desta feira, sendo uma das mais concorridas de toda a região.
  • Feira do Queijo de Alcains- Realiza-se no fim-de-semana anterior ao da Páscoa
  • Mercado Semanal- aos Sábados.

Festivais, Festas e Romarias[editar | editar código-fonte]

  • Festa das Papas- No último fim de semana de Agosto. É uma festa emblemática de Alcains que traz à vila anualmente inúmeros visitantes para se deliciarem, de uma forma grátis, com as famosas Papas de Carolo de Alcains
  • Romaria de Santa Apolónia- Realizada no 5º fim de semana após a Páscoa. Leva anualmente uma multidão de gente ao recinto de Santa Apolónia. É uma romaria que combina o religioso com o popular. Organizada por um grupo de festeiros, o cortejo sai na manhã de Domingo do adro da Igreja Matriz de Alcains em direcção à Ermida. Muitos populares transportam as oferendas em tabuleiros de madeira para que as mesmas sejam " oferecidas " à Santa. O almoço é habitualmente realizado no parque anexo ao recinto. A tradição manda que, e antes da Missa que encerra a Romaria, se dê em cortejo 3 voltas à Ermida.
  • Festas de " nomes próprios "- Tratam-se essencialmente de convívios que reúnem anualmente pessoas (essencialmente homens) com o mesmo nome, ou seja, confraternizações. Por exemplo: "Festa dos Joões" ; " Festa dos Josés " ; " Festa dos Manueis " ; " Festa dos Antónios ", etc..
  • Semana do Agrupamento- Durante cinco dias, e para marcar o encerramento de mais um ano lectivo, o Agrupamento de Escolas José Sanches de Alcains leva a cabo um programa de festas que inclui actividades desportivas e culturais, jogos tradicionais, uma Feira de Artesanato. No ano de 2009 há a destacar a recriação da Festa de Santo António, que não se realizava em Alcains desde 1977.
  • Festins- Festa essencialmente destinada à juventude em Julho/Agosto, organizada por uma associação local, a Alzine. Decorre durante 3 a quatro dias combinando a música, dança, cinema, teatro, yoga, palestras e até passeios de burro.
  • 31 de Outubro- Anualmente, na noite de 31 de Outubro para 1 de Novembro, realizam-se um pouco por toda a vila inúmeros jantares reunindo os daqui naturais e residentes, por cada ano de nascimento. Trata-se de uma noite com bastante movimento nas ruas de Alcains.
  • East Festival- A primeira edição deste festival de música de dança decorreu no dia 10 de Junho de 2009. Contou com a presença de Tiësto, Yves Larock e do DJ português Diego Miranda, entre outros. O principal impulsionador do evento foi o DJ Hugo Tabaco, natural de Alcains. Fonte: [2] - East Festival 2009

Artesanato e Gastronomia[editar | editar código-fonte]

Estátua do Canteiro.
Queijo de Alcains.
  • Trabalhos em cantaria
  • Trabalhos em marcenaria
  • Queijos de Alcains
  • Sopa de Matação ou Antiga
  • Carapaus no Forno
  • Cabrito recheado
  • Papas de carolo
  • Bolo de festa/Páscoa
  • Biscoitos de azeite
  • Broas de mel
  • Broinhas de Requeijão de Alcains

Referências

  1. População residente, segundo a dimensão dos lugares, população isolada, embarcada, corpo diplomático e sexo, por idade (ano a ano) (em português). Instituto Nacional de Estatística. Arquivado do original em 4 de Dezembro de 2013. Página visitada em 28 de Fevereiro de 2014. "Informação no separador "Q601_Centro""
  2. Câmara Municipal de Castelo Branco. Cm-castelobranco.pt. Página visitada em 29 de Dezembro de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Alcains