Aldo Pellegrini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Aldo Pellegrini

Aldo Pellegrini (Rosário_(Santa_Fé) 19031973) foi um poeta, ensaísta e crítico de arte argentino.

Dois anos depois da publicação do primeiro manifesto surrealista de André Breton em 1924, Pellegrini fundou em Buenos Aires junto a Marino Cassano, Elías Piterbarg e David Sussman o primeiro grupo surrealista da Argentina e da América do Sul, que dá origem à publicação de dois números da revista Que em 1928.

Também foi fecunda sua parceria com Enrique Molina.

Pellegrini participou da criação e edição das revistas Ciclo, Letra y Línea e A partir de cero. Sua importante obra poética foi reunida em 1952 em um único livro com o título La valija de fuego, republicada pela Editorial Argonauta em 2001.

No terreno das artes plásticas desenvolveu um trabalho destacado como teórico e crítico, divulgando os primeiros artistas abstratos da Argentina e publicando incontáveis artigos em revistas especializadas. Em 1967 organizou no Instituto Di Tella a importante mostra Surrealismo na Argentina.

Obras[editar | editar código-fonte]

Poesia[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

Ensaio[editar | editar código-fonte]

Pintura[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]