Alexander Shulgin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Alexander "Sasha" Shulgin (Berkeley, 17 de Junho de 19252 de Junho de 2014) foi um farmacologista, químico e pesquisador de drogas russo-estadunidense.

Shulgin é creditado pela popularização do MDMA no final dos anos 70 e início dos anos 80, especialmente pelos seus usos em tratamentos psicofarmacêuticos e tratamento de depressão e desordem depressiva pós-traumática. Em anos subsequentes, Shulgin descobriu e sintetizou mais de 230 componentes psicoativos. Em 1991 e 1997, ele e sua esposa Ann Shulgin escreveram os livros PiHKAL (Phenethylamines I Have Known And Loved: A Chemical Love Story) e TiHKAL (Triptamines I Have Known And Loved: A Chemical Love Story), ambos sobre substâncias psicoativas. Os seus dois livros fazem referência às duas grandes famílias de substâncias psicoativas nas quais ele criou, as fenetilaminas e as triptaminas.

Seu último livro publicado é intitulado "The Shulgin Index: Psychedelic Phenethylamines and Related Compounds", sendo lançado em maio de 2011 o primeiro volume com quase 811 páginas, com as receitas, efeitos e referências de cada substância psicoativa criada por ele.

Tendo trabalhado durante os seus últimos anos em sua casa em Lafayette, Califórnia.[1] falece aos 88 anos de idade, a 2 de Junho de 2014, um dia após a sua esposa, Ann Shulgin, ter reportado no Facebook que Shulgin havia desenvolvido cancro no fígado. Embora de aparência fragilizada, os seus derradeiros momentos foram passados serenamente e sem dor.

Obras selecionadas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. The New York Times > Magazine > Dr. Ecstasy www.nytimes.com. Visitado em 2008-11-02.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.