Alexandrina de Baden

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alexandrina
Duquesa de Saxe-Coburgo-Gota
Princesa de Baden
Alexandrina Duchess Saxe Coburg, 1842.jpg
Alexandrina por Franz Xaver Winterhalter
Governo
Consorte Ernesto II de Saxe-Coburgo-Gota
Vida
Nascimento 6 de dezembro de 1820
Karlsruhe, Alemanha
Morte 20 de setembro de 1904 (83 anos)
Castelo de Callenberg, Alemanha
Pai Leopoldo I de Baden
Mãe Sofia da Suécia

A princesa Alexandrina de Baden (Alexandrina Luísa Amélia Frederica Isabel Sofia), (6 de dezembro de 182020 de dezembro de 1904) foi a filha mais velha do grão-duque Leopoldo I de Baden e de sua consorte, a princesa Sofia da Suécia.

Casamento[editar | editar código-fonte]

Origens[editar | editar código-fonte]

Antes de subir ao trono, o czar Alexandre II da Rússia foi enviado a Baden para pedir a mão de Alexandrina em casamento. A princesa já se considerava sua noiva e deu-se inicio às negociações para o casamento. Contudo, na viagem de regresso para a Rússia, Alexandre visitou a corte de Hesse-Darmstadt, onde conheceu a princesa Maria e acabaria por se casar com ela.[1]

A pedido do seu irmão, o príncipe Alberto, o príncipe-herdeiro Ernesto de Saxe-Coburgo-Gota começou a procurar uma noiva adequada à sua posição. Alberto acreditava que uma esposa faria bem ao seu irmão: "São correntes que tens de carregar de qualquer das maneiras e de certeza que te vai fazer bem (...). Quanto mais pesadas e apertadas forem, melhor para ti. Os intervenientes de um casal devem estar acorrentados um ao outro, ser inseparáveis e devem viver apenas um para o outro."[2] Seguindo o conselho, mesmo apesar de Alberto ter sido repreendido por aconselhar pessoas mais velhas do que ele, Ernesto começou a procurar.[2]

Por volta desta altura, Ernesto sofria de uma doença sexualmente transmissível que tinha contraído entre os vários casos amorosos que tinha, o que fez com que Alberto o aconselhasse a esperar até estar completamente curado antes de casar. Também o avisou de que a sua promiscuidade o poderia levar a ser infértil. Então, Ernesto decidiu esperar mais alguns anos antes de casar.

A 13 de Maio de 1842, Alexandrina casou com Ernesto em Karlsruhe. Para irritação do seu irmão Alberto e da sua cunhada Vitória, o casamento não conseguiu fazer com que Ernesto "assentasse". Alexandrina aceitava todos os defeitos do marido com a boa-disposição que conseguia manter. A princesa era completamente devota ao marido, algo que as pessoas de fora não conseguiam compreender.[3]

Referências

  1. "Foreign Notes and Comment", The Washington Post, 26 de Outubro de 1899
  2. a b Zeepvat, p. 1.
  3. Zeepvat, p. 2.