Alfabeto persa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde janeiro de 2011)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Amostra das regras de proporção da caligrafia nasta'liq, um dos estilos mais populares de escrita perso-árabe.

O alfabeto persa ou escrita perso-árabe é um sistema de escrita originalmente baseado no alfabeto árabe. Este último, inicialmente usado exclusivamente para a língua árabe, foi modificado para se adequar à língua persa (pársi), tendo sido adicionadas quatro letras: [p], چ [tʃ], ژ [ʒ], e گ [ɡ]. Muitas línguas que usam a escrita perso-árabe acrescentam outras letras. Além de usado para escrever em persa, o alfabeto deu origem aos alfabetos curdo-sorani, urdu, sindhi, saraiki, luri, turco otomano, balochi, punjabi shahmukhi, tatar, azeri e outros.[nt 1]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Azulejo com a oração do Pai Nosso escrita em persa, no Convento do Padre Nosso, em Jerusalém

A fim de representar sons não existentes no árabe, foram criadas novas letras juntando pontos, linhas e outras formas a letras já existentes. Por exemplo, as consoantes retroflexas do urdu são representadas ortograficamente pondo um pequeno ط por cima dos seus equivalentes não retroflexos: د [d̪] e ڈ [ɖ]. Por exemplo, a consoante surda fricativa retroflexa do pachto é escrita juntando um ponto acima e abaixo da letra س [s], o que resulta em ښ.. A vogal central arredondada fechada [ʉ] do curdo é escrita com dois ﻭ [u], resultando em ﻭﻭ.

O alfabeto perso-árabe é escrito exclusivamente de forma cursiva, ou seja, a maior parte das letras numa palavra estão ligadas entre elas. Quanto não é escrito à mão, o computador liga as letras umas às outras. O uso de letras desligadas não é muito aceite. Em perso-árabe, como em árabe, as palavras são escritas da direita para a esquerda, enquanto que os números são escritos da esquerda para a direita.

Há muitos alfabetos derivados do árabe que não foram influenciados pelo perso-árabe, incluindo o jawi, usado para o malaio, o sorabe, usado para o malgaxe, além de muitos alfabetos usados no Norte de África. Estes sistemas de escrita recorreram a outras inovações para representar sons comuns como [p] e [g], em vez das letras پ e گ do perso-árabe, embora o jawi use o mesmo símbolo para [tʃ] (چ).

Uma característica da escrita árabe e perso-árabe, possivelmente com origens que recuam aos hieróglifos do Antigo Egito, é a da pouca representação das vogais. Por exemplo, em árabe clássico (ou corânico), as três vogais mais curtos (dentre as seis existentes) são normalmente omitidas (exceto no Alcorão), enquanto que as três vogais longas são representadas de forma ambígua por certas consoantes. Das várias línguas que usam derivados do alfabeto persa, só o caxemíri, uigur e curdo indicam regularmente todas as vogais.[nt 1]

Letras principais[editar | editar código-fonte]

Apresentam-se abaixo as 32 letras do alfabeto persa moderno. Devido à escrita ser cursiva, a aparência de cada letra muda conforme a sua posição numa palavra: isolada, no início (ligada à esquerda), meio (ligada em ambos os lados), fim (ligada à direita).[nt 1]

Inscrição otomana em caligrafia nasta'liq.
Nasta'liq script.jpg
Thuluth, Persian naskh, and tawqi' scripts.gif
Persian-Nastaliq IranNastaliq-font haramam-bad-agar.png
Salam aleykom nastaliq.svg
Posição Nome Transliteração [nt 2] [q 1] Transcrição[q 2]
Isolado Inicial Meio Final
alef â, a, e, o, ’ /ɒː, a, e, o, ʔ/
be b /b/
پ پ pe p /p/ [ph]
te t /t/ [th]
se s /s/
jim j /ʤ/
چ ce c /ʧ/ [ʧh]
he jimi h /h/ [h, ɦ][q 3]
xe x /x/ [χ]
dâl d /d/
zâl z /z/
re r /r/ [ɾ]
ze z /z/
ژ ژ že ž /ʒ/
sin s /s/
šin š /ʃ/
sâd s /s/
ﺿ zâd z /z/
t /t/ [th]
z /z/
eyn /ʔ/ [ʔ, Vˁ][q 4]
qeyn q /q/ [ɢ, q]
fe f /f/
qâf q /q/ [ɢ, q]
ک kâf k /k/ [kh, ch][q 5]
گ gâf g /g/ [g, ɟ][q 6]
lâm l /l/
mim m /m/
nun n /n/
و و vâv v, u, w /v, u, w/
he h /h/ [h, ɦ][q 7]
ye i, y /iː, j/
  1. Sistema de transliteração UniPers(Unipers)
  2. Transcrições em AFI: fonemas eventualmente seguidos da sua realização fonética por ordem de frequência.
  3. [ɦ] entre vogais.
  4. As sequências /VʔC/ são realizadas [VˁC].
  5. [ch] em frente da vogal anterior (e inclui /a/). As oclusivas surdas são todas aspiradas.
  6. [ɟ] em frente da vogal anterior (e inclui /a/).
  7. [ɦ] entre vogais.

Grafias particulares[editar | editar código-fonte]

Painel caligráfico otomana em escrita nasta'liq com orações a Alá, o Profeta Maomé e ou seu genro Ali.
Caligrafia otomana do século XIII.

Além das letras árabes, existem as seguintes letras:[nt 2]

Letra Nome Transliteração Transcrição
پ pe p /p/
چ ce c /ʧ/
ژ že ž /ʒ/
گ gâf g /g/

As letras seguintes não são específicas do perso-árabe, mas são escritas de maneira diferente ou, no caso de lâm alef, uma ligação de duas letras.[nt 2]

Isolada Inicial Meio Final Nome Transliteração Transcrição
alef madde/alef bâ kolâh ’â /ʔɒː/
tâ’ marbuta h, t, Ø, h, /a, at/
lâm ’alef /lɒː/

Apesar de à primeira vista todas as variantes do alfabeto serem semelhantes, há inúmeras diferenças na forma como as diferentes línguas empregam os alfabetos. Por exemplo, as palavras semelhantes são escritas de maneira diferente em persa e em árabe.

Separadores de palavras

Tipicamente as palavras são separadas umas das outras por espaços. Alguns morfemas (como o plural finalizado com -hâ') são escritos sem espaço, mas separados da palavra anterior com um "não-separador de comprimento nulo"[a]

Línguas escritas em variantes do alfabeto perso-árabe[editar | editar código-fonte]

Allah nastaliq.svg
Amol-nastaliq.png
Farsi.svg
Khodahafez nastaliq.svg
Mehran-dilmaghanian-a nevit 056.svg

Atualidade[editar | editar código-fonte]

No passado[editar | editar código-fonte]

  • azeri — no Azerbaijão foi substituído pelo alfabeto latino, posteriormente pelo cirílico, tendo voltado a ser escrito no alfabeto latino recentemente
  • turco chagatai (ou tchaghatai) — substituído pelo alfabeto latino e posteriormente pelo cirílico
  • cazaque — no Cazaquistão foi substituído pelo alfabeto latino e posteriormente pelo cirílico
  • quirguiz — no Quirguistão foi substituído pelo alfabeto latino e posteriormente pelo cirílico
  • turco — substituído pelo alfabeto latino
  • tadjique — no Tadjiquistão foi substituído pelo alfabeto latino e posteriormente pelo cirílico
  • turcomeno — no Turquemenistão foi substituído pelo alfabeto latino, posteriormente pelo cirílico, tendo voltado a ser escrito no alfabeto latino recentemente
  • uzbeque — no Uzbequistão foi substituído pelo alfabeto latino, posteriormente pelo cirílico, tendo voltado a ser escrito no alfabeto latino recentemente

Relação com a cultura islâmica[editar | editar código-fonte]

A escrita perso-árabe tem vindo a ser defendida e promovida como um símbolo da cultura islâmica. As populações e os governos de alguns países islâmicos teem interesse nesta escrita por causa da sua relação com o Islão e porque tem sido utilizada para escrever o Alcorão, o livro de Maomé. Por isso, o debate sobre o uso do alfabeto perso-árabe ou do alfabeto latino não é um assunto neutro do ponto de vista político ou social.

Notas[editar | editar código-fonte]

[a] ^ Nota de tradução: "zero-width non-joiner" no original.[nt 1] . Ver «Zero-width non-joiner» na Wikipédia em inglês.
  1. a b c d A maior parte do texto foi inicialmente baseado no artigo «Perso-Arabic script» na Wikipédia em inglês (acessado nesta versão).
  2. a b c Trechos baseado no artigo artigo «Alphabet perso-arabe» na Wikipédia em francês (acessado nesta versão).

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]