Alice Echols

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alice Echols, 2011

Alice Echols é uma crítica cultural e historiadora.[1] Uma especialista dos anos 60, Echols é Professora de Inglês, Estudos de Gêneros e História da Universidade da Califórnia.[2]

Educação[editar | editar código-fonte]

Echols recebeu seu diploma de bacharel do Macalester College em 1973. Ela obteve seu diploma de mestrado e doutorado na Universidade de Michigan em 1980 e 1986 respectivamente.[3]

Publicações[editar | editar código-fonte]

Ela autorou (com prefácio de Ellen Willis), Daring to Be Bad: Radical Feminism in America 1967-1975.[4] ; Scars of Sweet Paradise: The Life and Times of Janis Joplin; Shaky Ground: The Sixties and Its Aftershocks; e mais recentemente, Hot Stuff: Disco and the Remaking of American Culture. Ela está atualmente trabalhando num livro sobre um escândalo bancário na era da Depressão em Colorado.

Bibliografia selecionada[editar | editar código-fonte]

  • Daring to Be Bad: Radical Feminism in America 1967-1975[4]
  • Shaky Ground: The Sixties and its Aftershocks (2002)[3]
  • Scars of Sweet Paradise: The Life and Times of Janis Joplin (1999)[5]
  • Hot Stuff: Disco and the Remaking of American Culture (2009)[3]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. "The ’80s are back with ‘Transformers’", MSNBC, 29 de Junho de 2007. Página visitada em 23 de Fevereiro de 2010.
  2. Charles, Ron. "On Campus, Vampires Are Besting the Beats", 'Washington Post', 8 de Março de 2009. Página visitada em 23 de Fevereiro de 2010.
  3. a b c USC Faculty profile University of Southern California. Página visitada em 23 de Fevereiro de 2010.
  4. a b "Lit up by her own blowtorch", 'Irish Times', 25 de Março de 2000. Página visitada em 23 de Fevereiro de 2010.
  5. "Dissecting rock 'n' roll's first female superstar", CNN, 24 de Maio de 1999. Página visitada em 23 de Fevereiro de 2010.