Alimentação avante

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Alimentação avante, controle por antecipação, pré-alimentação, alimentação para a frente ou alimentação direta, do inglês feedforward, é um termo que descreve um tipo de sistema que reage a mudanças no seu ambiente, normalmente para manter algum estado desejado do sistema. Um sistema que exiba um comportamento de alimentação avante responde a um distúrbio medido de uma maneira pré-determinada, em contraste com um sistema com realimentação.

Controle[editar | editar código-fonte]

Esta é uma técnica de controle que pode ser medida, mas não controlada. O distúrbio é medido e passado adiante para o início do loop de controle, assim esta acção correctiva pode ser iniciada com antecedência ao distúrbio tendo um efeito adverso na resposta do sistema.

São necessários muitos pré-requisitos para implementar um esquema de um controle por realimentação avante: o distúrbio deve ser mensurável, o efeito do distúrbio para a saída do sistema deve ser conhecido e o tempo que leva para o distúrbio afectar a saída deve ser maior que o tempo que leva para o controlador por realimentação avante afectar a saída. Se estas condições são conhecidas, a alimentação avante pode ser regulada para ser extremamente eficiente.

O controle por alimentação avante pode responder mais rapidamente para tipos de perturbações conhecidas e mensuráveis, porém não muito com novas perturbações. O controle por alimentação avante manuseia qualquer desvio do comportamento desejado de um sistema, mas exige que a variável controlada(saída) do sistema reaja ao distúrbio a fim de notificar o desvio.

O controle por alimentação avante é exemplificado pela regularização homeostática da batida do coração em resposta ao esforço físico. Ele pode ser comparado à respostas assimiladas de sinais conhecidos. Estes sistemas pode esta presentes em teoria de controle, fisiologia ou computação.

Redes neurais[editar | editar código-fonte]

Redes neurais com alimentação direta têm seus neurônios organizados em camadas, e só podem ter sinapses de saída com outros neurônios que estejam em camadas posteriores1 . Se houver conexão com camadas anteriores, as redes são denominadas recorrentes2 . As perceptrons multicamadas são exemplos de redes neurais clássicas com alimentação direta1 .

Referências

  1. a b Norvig, Peter; Russel, Stuart. Inteligência Artificial (em português). 2 ed. [S.l.]: Elsevier, 2004. ISBN 9788535211771
  2. Haykin, Simon. Redes Neurais: Princípios e prática (em português). 2 ed. [S.l.]: Bookman, 2001. ISBN 9788573077186