Allan Dwan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Allan Dwan
Nome completo Joseph Aloysius Dwan
Nascimento 3 de abril de 1885
Toronto, Ontário, Canadá
Morte 28 de dezembro de 1981 (96 anos)
Woodland Hills, Los Angeles, Califórnia
Nacionalidade Canadá canadense
Povo dos Estados Unidos norte-americano
Cônjuge Pauline Bush (1915–1921)
Marie Shelton (1922–1954)
Ocupação Diretor, produtor, roterista

Allan Dwan (Toronto, Ontário, 3 de abril de 1885Woodland Hills, Califórnia, 28 de dezembro de 1981) foi um diretor, produtor e roteirista de cinema nos Estados Unidos. É considerado um dos pioneiros do cinema.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido Joseph Aloysius Dwan em Toronto, Ontário, Canada, sua família mudou para os EUA quando ele tinha 11 anos de idade. Na University of Notre Dame, cursou engenharia e começou a trabalhar para uma companhia de iluminação em Chicago. Nessa época, demonstrou interesse pela indústria do cinema e quando a Essanay Studios lhe ofereceu uma oportunidade para começar a escrever scripts, ele aceitou o trabalho.

Na época, alguns produtores de cinema iam passar o inverno na Califórnia, devido ao clima, para a continuidade das filmagens. Em 1911, Dwan começou a trabalhar durante uma parte do tempo em Hollywood. Na época em que esteve em Nova Iorque, em 1917, ele foi o presidente fundador da Costa Leste da Motion Picture Directors Association.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Após ter feito vários westerns e comédias, Dwan dirigiu a canadense Mary Pickford em diversos filmes de sucesso, assim como o marido dela, Douglas Fairbanks, em especial no aclamado Robin Hood, de 1922.

Após o início do cinema sonoro, em 1937, dirigiu a estrela mirim Shirley Temple em Heidi e Rebecca of Sunnybrook Farm (filme 1938)|Rebecca of Sunnybrook Farm (br: “Sonho de Moça”), no ano seguinte.

Em sua carreira de mais de 50 anos, Dwan dirigiu cerca de 1850 filmes[1] , muitos dos quais alcançaram fama, tais como Sands of Iwo Jima, em 1949. Entre 1909 e 1913, Dwan estimava ter feito cerca de 400 filmes, dos quais 200 para a American Film Company, em San Diego, Califórnia.

Dirigiu seu último filme em 1961, a ficção científica “The Most Dangerous Man Alive” (“O Mais Perigoso dos Homens”), para a Columbia Pictures, com Ron Randell, Debra Paget e Elaine Stewart.

Dawn morreu em Woodland Hills, Los Angeles, aos 96 anos, sem deixar descendentes, e foi enterrado no San Fernando Mission Cemetery, Mission Hills, Califórnia.

Allan Dwan tem uma estrela na Calçada da fama no 6263 Hollywood Boulevard, em Hollywood.

Filmes selecionados[editar | editar código-fonte]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. LEPIANE, João. Prolífico e Heterogêneo (1990). Cinemin n.66, p.30

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  • LEPIANE, João (1990), Prolífico e Heterogêneo, Rio de Janeiro: EBAL. ISBN Cinemin n. 66
  • Foster, Charles. Stardust and Shadows: Canadians in Early Hollywood (2000) ISBN 1-55002-348-9

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Allan Dwan