Almada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Almada
Brasão de Almada Bandeira de Almada
Brasão Bandeira
Almada Cristo Rei.jpg
Vista aérea da cidade de Almada com o Santuário de Cristo Rei.
Localização de Almada
Gentílico Almadense
Área 70,21 km2
População 174 030 hab. (2011)
Densidade populacional 2 478,71 hab./km2
N.º de freguesias 5
Presidente da
Câmara Municipal
Joaquim Judas (CDU) [1]
Fundação do município
(ou foral)
1190 (Rei D. Sancho I)
Região (NUTS II) Lisboa
Sub-região (NUTS III) Península de Setúbal
Distrito Setúbal
Antiga província Estremadura
Orago São João Baptista
Feriado municipal 24 de junho (São João)
Código postal 2800 Almada
Sítio oficial Câmara Municipal de Almada
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

Almada é uma cidade portuguesa pertencente ao Distrito de Setúbal, região de Lisboa e sub-região da Península de Setúbal, sendo a sexta cidade mais populosa de Portugal,[carece de fontes?] com cerca de 95 000 habitantes.[2] [3] [4]

É sede de um município com 70,21 km² de área[5] e 174 030 habitantes (2011),[3] [4] subdividido em 5 freguesias.[6] O município é limitado a leste pelo município do Seixal, a sul por Sesimbra, a oeste pelo Oceano Atlântico, abrindo-se a norte e nordeste para o Estuário do Tejo, frente aos concelhos de Lisboa e Oeiras. O rio Tejo, o maior da Península Ibérica desagua entre Almada e Oeiras.

O concelho recebeu foral de Dom Sancho I em 1190. Almada foi elevada à categoria de cidade em 1973. Outra localidade do município de Almada com estatuto de cidade é a Costa da Caparica, esta elevada a cidade em 2004.

Em Almada, situa-se o famoso Santuário Nacional de Cristo Rei.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A designação de Almada pensa-se que possa ser proveniente da palavra árabe المعدن (transliteração:al-ma'adan), «a mina», pelo motivo de que, aquando do domínio árabe da Península Ibérica, os árabes procediam à exploração do jazigo de ouro da Adiça, no termo do concelho.

O Padre António Carvalho da Costa, na página 309 do vol. 3º da sua "Corografia Portuguesa", obra publicada entre 1706 e 1712, quando se refere à "Vila de Almada", diz que esta: "foi doada por D. Afonso Henriques em 1147. Chamaram-lhe primeiro VIMADEL, que significa "povoação de todos". Depois chamou-se Almada por ser conquistada aos mouros por um cavaleiro deste apelido".

História[editar | editar código-fonte]

Almada Árabe e Cristã - Das origens ao século XVII[editar | editar código-fonte]

As muralhas do Castelo de Almada.
O monumento a Cristo-Rei simboliza a profunda identidade cristã da cidade e de todo o país

A primeira referência histórica à região de Almada remonta para o período Neolítico, há cerca de 5000 mil anos. Este foi um ponto de passagem para comunidades como a Romana, Fenícia e Cartaginesa mas são os árabes que acabam por exercer maior influência na região.

A sua localização na ponta Noroeste da Península de Setúbal, à margem do rio Tejo e em frente a Lisboa, faz desta ao longo dos vários anos ponto estratégico militar para a defesa e vigilância das rotas comerciais da região. O rio Tejo era um cruzamento de embarcações que faziam trocas de mercadorias como por exemplo: farinha, fruta, peixe, vinho, etc. Almada (nomeadamente Cacilhas) era um dos principais portos da Península Ibérica.

Na idade média, em 1147, D. Afonso Henriques, com o auxílio das cruzadas vindas dos países do norte da Europa conquista Almada[7] , uma das principais praças militares árabes a sul do Tejo.

Mais tarde, em 1170, D. Afonso Henriques concede-a aos mouros que auxiliaram na conquista e repovoamento da região. Estes detiveram o seu controlo até D. Sancho I a conquistar no ano de 1186 e a atribuir à Ordem de Santiago.

Em 1190, D. Sancho I concede o primeiro foral extensivo a cristãos e homens livres que viviam na vila e seu termo. Este primeiro foral manteve-se praticamente inalterável até ao séc. XVI.

A 1 de Dezembro 1297, El-Rei D. Dinis negoceia com a Ordem de Santiago e incorpora Almada nos Bens da Coroa em troca de outras vilas a sul do Tejo. Data desta troca a primeira delimitação oficial do território do concelho que abrangia sensivelmente os atuais concelhos de Almada e Seixal.

Em 1513, D. Manuel I atribui a Almada novo Foral, que proporciona transformações económicas, sociais e políticas. As primeiras referências da população e das freguesias de Almada começam a ser registadas em documentos cadastrais. O Termo de Almada adquiriu uma expressão significativa aquando da expansão marítima portuguesa, sendo parte integrante da zona de influência económica de Lisboa.

Almada Industrializada e Associativa - Do século XIX a 1973[editar | editar código-fonte]

Por volta do século XIX, o concelho de Almada altera-se como consequência de vários tipos de indústria, nomeadamente na área da tecelagem, da indústria naval, moagem e cortiça. Devido à união de duas características como o sector industrial e a disposição geográfica da cidade, Almada tornou-se um ponto de fixação da população. A 4 de Outubro de 1910 desenvolve-se a antecipação da proclamação da república neste concelho. Sendo dos primeiros concelhos a destacar-se nesta afirmação política. Em finais dos anos 40 até início dos anos 70, há um aumento abrupto do fluxo migratório devido à procura de emprego e de habitação, criando grandes mudanças no concelho, e consequentemente afetando os transportes, urbanismo e vida sociocultural.

Mar bravio no pontão da Cova do Vapor (com o Forte de São Lourenço e Farol do Bugio ao fundo).

Almada Infraestruturada - De 1974 a 1989[editar | editar código-fonte]

A 21 de Junho de 1973, devido ao desenvolvimento das infraestruturas e à evolução urbanística, Almada passa de vila a cidade – pelo Dec. Lei nº308/73 de 16 de Junho Com o 25 de Abril de 1974, inicia-se uma nova fase na história de Almada. Com o fim do regime ditatorial do Estado Novo os cidadãos passaram a poder organizar-se e discutir os problemas locais. Em Dezembro de 1976 realizam-se as primeiras eleições autárquicas. A evolução da cidade e das suas infraestruturas continuam num esforço de cobrir todas as necessidades básicas dos munícipes. Desde a evolução do saneamento básico, à ampliação das redes de água e esgotos, ao desenvolvimento do Ensino, conceção de projetos de intervenção social, até à introdução de arte pública.

Almada Desenvolvida - Década de 90[editar | editar código-fonte]

É na década de 90 a cidade de Almada sofre um importante desenvolvimento ao nivel das suas principais infraestruturas: ampliação das principais redes de abastecimento de água e saneamento, incluido as primeiras estações de tratamento de água; investimento nas redes de transportes; expansão da Faculdade de Ciência e Tecnologia, do Instituto Piaget e a entrada em funcionamento do Instituto Superior de Ciências da Saúde e da Escola Egas Moniz. Tem início a primeira fase de um programa de habitação social, com mais de um milhar de habitações e o realojamento e inserção de famílias. Na área da mobilidade é a altura da entrada em funcionamento do comboio da ponte e do avanço da luta pelo Metro Sul do Tejo. Os anos 90 correspondem a uma acelerada transformação em todos os campos da vida local, individual e colectiva.

Vista panorâmica da cidade de Almada[editar | editar código-fonte]

Panorâmica da cidade de Almada, de sudeste para sudoeste, vista a partir do topo do monumento do Santuário Nacional de Cristo Rei.

Política[editar | editar código-fonte]

Câmara Municipal[editar | editar código-fonte]

O município de Almada é administrado por uma Câmara Municipal composta por 10 vereadores. O cargo de Presidente da Câmara Municipal de Almada pertence a Joaquim Estêvão Miguel Judas.

Freguesias[editar | editar código-fonte]

Freguesias do concelho de Almada.

O concelho de Almada está dividido em 5 freguesias:

Demografia[editar | editar código-fonte]

População
Ano 1801 1849 1900 1930 1960 1981 1991 2001 2011
Nº de habitantes 3 363 6 440 15 764 23 694 70 968 147 690 151 783 160 825 174 030

Infraestruturas[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

O concelho de Almada dispõe de uma ampla rede de estabelecimento que vai desde o ensino pré-escolar ao ensino superior, passando pelo ensino profissional, ensino sénior e escolas noturnas.

Escolas

A rede educativa de Almada é constituída por 129 Escolas (60 da rede pública e 69 da rede privada). Apresenta também ofertas formativas não formais, como a Academia de Música de Almada ou um pólo do Centro de Arte e Comunicação Visual (Ar.Co).

Ensino Superior

Almada é o 2º maior pólo universitário da Área Metropolitana de Lisboa, constituída por 7 instituições onde estão inscritos cerca de 12 mil alunos:

  • Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa
  • Instituto Piaget (inclui a Escola Superior de Educação e o Instituto Superior de Estudos Interculturais e Transdisciplinares)
  • Escola Superior de Saúde Egas Moniz
  • Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz
  • Escola Naval e Escola Superior de Tecnologias Navais
  • Universidade Sénior de ALmada (USALMA)
Bibliotecas

Almada dispõe da Biblioteca Central, no Fórum Municipal Romeu Correia (1997) que é composta por uma Sala de leitura geral, uma sala Infanto-Juvenil, uma sala polivalente (Sala Pablo Neruda), uma Sala de Audiovisuais, Átrio e Bar. Em 2009 foi inaugurada, na Freguesia do Feijó, a Biblioteca Municipal José Saramago equipada com várias áreas de distintas valências que vai desde uma área de consulta de periódicos, uma sala polivalente destinada a exposições, conferências ou reuniões até áreas destinadas aos mais novos. A Biblioteca Municipal José Saramago tem ainda uma área dedicada à multimédia com acesso à internet. Existe também o Arquivo Histórico, com documentação datada desde XVI até XX, disponível para consulta de forma a preservar a memória da história da cidade.

Saúde[editar | editar código-fonte]

Em 1991 é inaugurado o Hospital Garcia de Orta, o único Hospital Público do Concelho de Almada que serve também os concelhos de Seixal e Sesimbra.

Hospitais

  • Hospital Garcia de Orta
  • Hospital Particular de Almada

Centros de Saúde

  • Unidade de saúde Rainha Dona Leonor
  • Unidade de saúde familiar da Cova da Piedade
  • Unidade de saúde Monte da Caparica
  • Unidade de saúde familiar da Sobreda
  • Unidade de saúde familiar São João Pragal
  • Unidade de saúde da Costa da Caparica
  • Unidade de saúde da Trafaria
  • Unidade de saúde de Santo António
  • Unidade de saúde do Laranjeiro
  • Unidade de saúde Xavier de Noronha

Saúde privada

  • No sector privado, existe uma ampla oferta de empresas, que prestam cuidados de saúde.

Farmácias

  • O concelho de Almada tem 42 (quarenta e duas) farmácias repartidas pelas onze freguesias. Estas farmácias efectuam serviços permanentes.

Instituto:

  • Instituto de Cardiologia Preventiva de Almada

A informação de saúde acima referida, tem por fonte a Janela da Saúde.

Transportes[editar | editar código-fonte]

Farol de Cacilhas e o Cacilheiro, barco que efectua a travessia do rio Tejo da margem de Almada até Lisboa.

A Câmara Municipal de Almada tem promovido um plano de desenvolvimento do sector de transportes tendo em vista a melhoria do acesso à cidade e mobilização dentro desta. Em 2008 surge o Metro Sul do Tejo, um meio de transporte eléctrico amigo do ambiente, que conta com 3 linhas criadas e 19 paragens que ligam a outros transportes públicos, zonas comerciais, universidade e áreas de grande densidade populacional[8] .

A cidade dispõe ainda de duas redes importantes de ligação com Lisboa, a Fertagus (linha ferroviária) que faz ligação de comboio através da Ponte 25 de Abril e a Transtejo (via fluvial)que ligam a Trafaria e o Porto Brandão à capital.

Espaços Desportivos[editar | editar código-fonte]

Por todo o Município de Almada existem várias instalações desportivas que permitem a prática de uma grande variedade de modalidades:

  • Pista Municipal de Atletismo
  • Estádio Municipal José Martins Vieira
  • Complexo Municipal dos Desportos Cidade de Almada
  • Complexo Municipal de Piscinas na Caparica
  • Complexo Municipal de Piscinas na Charneca da Caparica
  • Complexo Municipal de Piscinas na Sobreda
  • Pavilhão Municipal da Costa da Caparica
  • Pavilhão Municipal do Laranjeiro
  • 80 clubes e coletividades com modalidades desportivas Campos de ténis

(7 municipais e 8 geridos por clubes, associações desportivas e privados)

  • Campos de golfe (2 na Herdade da Aroeira e 1 no Hotel Meliã da Costa)

Cultura[editar | editar código-fonte]

Espaços Culturais[editar | editar código-fonte]

Em Almada encontram-se vários espaços culturais e museus dos quais podemos destacar o Cristo Rei, uma das principais atrações turísticas a 215 metros acima do nível da água do mar, a Casa da Cerca - Centro de Arte Contemporânea, que tem como principal função a divulgação de arte contemporânea (desde 1993), o Museu da Cidade, O Convento dos Capuchos e o Teatro Municipal Joaquim Benite [9] .

Outros espaços culturais e lazer:

  • Galeria Municipal de Arte
  • Galeria Municipal de Arte na Costa da Caparica
  • Museu da Cidade
  • Museu da Música Filarmónica
  • Museu Naval
  • Núcleo de Arqueologia e História
  • Solar dos Zagallos
  • Auditório Costa da Caparica (Associação Gandaia)

Música[editar | editar código-fonte]

Almada tem sido berço de grandes grupos musicais e cantores a nível nacional. Alguns exemplos são as bandas UHF, Da Weasel, Xutos e Pontapés, Sara Tavares e mais recentemente, os O'queStrada e parte dos Melech Mechaya.

Personalidades[editar | editar código-fonte]

Almada é a terra de muitas personalidades, como:

Turismo[editar | editar código-fonte]

Almada é conhecida por atracções especiais que são consequência da sua geografia, nomeadamente as praias, a zona ribeirinha e o centro histórico de Almada Velha.

Santuário Nacional de Cristo Rei[editar | editar código-fonte]

Em 1959, a cidade de Almada inaugurou um monumento dedicado ao Sagrado Coração de Jesus que se veio a tornar no actual famoso Santuário Nacional de Cristo Rei. Este santuário forma, na actualidade, o triângulo de ouro da Península Ibérica, em termos religiosos, juntamente com o Santuário de Nossa Senhora de Fátima e com a Catedral de Santiago de Compostela em Espanha. Possui uma vista panorâmica de 360 graus a 215 metros acima do nível do mar, e tornou-se numa visita obrigatória pelos peregrinos cristãos todos os anos.

Convento e Jardim dos Capuchos[editar | editar código-fonte]

O Convento dos Capuchos é um antigo convento da Ordem dos Frades Franciscanos Capuchinhos que fica localizado na área da Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Costa de Caparica e a partir do qual se pode observar não só a a sua extensa costa de praia da Caparica, mas até os arredores, avistando-se dele uma esplêndida paisagem da Costa de Lisboa, do Estoril e de Cascais. Este convento foi mandado edificar por Lourenço Pires de Távora em 1558. Possui ao redor o Jardim dos Capuchos.

Monte da Cruz[editar | editar código-fonte]

O cruzeiro do Monte da Cruz.

O Monte da Cruz é um famoso outeiro situado na Quinta de Vale do Rosal na localidade de Charneca de Caparica e onde se encontra erigida uma imponente cruz de pedra seiscentista, assinalando às gerações vindouras aqueles que pela sua fé foram martirizados e mortos, decorria o ano de 1570.

De acordo com os registos existentes, o solo deste local encontra-se consagrado desde o século XVI.

O cruzeiro foi colocado neste monte, local onde outrora existira uma das cinco cruzes de madeira que faziam parte do caminho que os religiosos jesuítas percorriam em oração, muitas vezes em ladainhas cantadas. O mesmo aconteceu quando o Padre Dom Inácio de Azevedo aqui se instalou com um esquadrão de noviços para a sua preparação física e espiritual para depois seguirem os caminhos da evangelização do Brasil, os quais se tornaram, mais tarde, em famosos mártires cristãos (conhecidos como "os Quarenta Mártires do Brasil").

Praias[editar | editar código-fonte]

As extensas praias do concelho de Almada (desde a Costa de Caparica à Fonte da Telha) que abrangem cerca de 13 km de costa, possuem excelentes condições para a prática de desportos de mar como o Surf, o Kit-Surf, Windsurf, Bodyboard. Ao longo das praias existem vários bares e restaurantes que oferecem o melhor da gastronomia local.

Zona Ribeirinha[editar | editar código-fonte]

Graças à sua localização banhada pelo rio Tejo, torna a zona ribeirinha bastante interessante para quem lá passa. Diversos restaurantes tiram partido da fantástica vista sobre Lisboa e oferecem uma gastronomia típica, tendo como base o os pratos de peixe. A zona de Cacilhas, ponto de embarque para quem viaja de barco entre Almada e Lisboa, é também um ponto de restauração importante do concelho. É aqui, na renovada Rua Cândido dos Reis que se situa o Centro Municipal de Turismo.

Parques e Jardins[editar | editar código-fonte]

Almada também possui um importante conjunto de parques e jardins urbanos, sendo o Parque da Paz o maior e considerado um dos melhores parques do país, concebido pelo Arquitecto Sidónio Pardal, tem uma dimensão de 60 hectares. No concelho de Almada existe ainda o valioso património natural da Mata dos Medos, localizada em frente ao mar, inserida na Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Costa de Caparica que possui 338 hectares.

Outros Parques e Jardins:

  • Jardim Botânico Chão das Artes - Casa da Cerca Centro de Arte Contemporânea
  • Jardim do Castelo
  • Jardim dos Capuchos
  • Jardim da Cova da Piedade
  • Jardim da Criança
  • Jardim Doutor Alberto Araújo
  • Jardim do Rio
  • Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Costa da Caparica
  • Parque Urbano Comandante Júlio Ferraz
  • Jardim Urbano da Costa da Caparica
  • Parque Multiusos da Sobreda
  • Parque Aventura da Charneca de Caparica
  • Parque Urbano das Quintinhas na Charneca da Caparica

Zona Comercial[editar | editar código-fonte]

A 17 de setembro de 2002, foi inaugurado o Centro Comercial Almada Fórum. Até então Almada não tinha uma grande superfície comercial, o que veio dinamizar o dia-a-dia dos moradores e visitantes da cidade. Em 2003 classificado como o melhor centro comercial da Europa tem como preocupação base a proteção ambiental, desenvolvendo atividades e alertando para assuntos desse interesse. Com 248 lojas, 35 restaurantes e 1 hipermercado, associado a um parque de estacionamento gratuito.

Galeria de fotos[editar | editar código-fonte]

Geminações[editar | editar código-fonte]

O concelho de Almada é geminado com as seguintes cidades:[10]

Referências

  1. Câmara Municipal de Almada - Presidente - Currículo Câmara Municipal de Almada. Visitado em 31 de Outubro de 2013.
  2. INE. Anuário Estatístico da Região Lisboa 2012. Formato PDF. Lisboa: Instituto Nacional de Estatística, 2013. p. 27. ISBN 978-989-25-0216-8. ISSN 0872-8984. Visitado em 29/11/2014.
  3. a b INE. Censos 2011 Resultados Definitivos – Região Lisboa. Formato PDF. Lisboa: Instituto Nacional de Estatística, 2012. p. 98. ISBN 978-989-25-0185-7. ISSN 0872-6493. Visitado em 15/04/2014.
  4. a b INE (2012). Quadros de apuramento por freguesia (XLSX-ZIP) Censos 2011 (resultados definitivos) Instituto Nacional de Estatística. Visitado em 27/07/2013. "Tabelas anexas à publicação oficial; informação no separador "Q101_LISBOA""
  5. Instituto Geográfico Português (2013). Áreas das freguesias, municípios e distritos/ilhas da CAOP 2013 (XLS-ZIP) Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013 Direção-Geral do Território. Visitado em 28/11/2013.
  6. Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro: Reorganização administrativa do território das freguesias. Anexo I. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Suplemento, de 28/01/2013.
  7. O Padre António Carvalho da Costa, no vol. 2º página 59 da sua "Corografia Portuguesa", obra publicada entre 1706 e 1712, quando aborda Pombalinho, refere-se que: os "Almadas têm a sua origem num cavaleiro inglês, mestre de campo de Guilherme Longa Espada, que veio de socorro a Lisboa, quando El-Rei D. Afonso Henriques a ganhou aos mouros e este rei lhe fez mercê da Vila de Almada, que uns dizem que dele tomou o nome, por se chamar "ALMADÃO", outros que a dita vila deu o apelido". Ainda o documento de confirmação do título nobiliárquico de Conde de Almada a D. Lourenço José Boaventura de Almada, supostamente representante do chefe desses cruzados, quando é nomeado por despacho de Sua Majestade D. Maria I, em 29 de Abril de 1793, diz: que deverá usar do Título da Vila de Almada, de que tem o apelido, em honra da memória do Primeiro dos seus Avós, que adoptou como Conquistador e Povoador, pelo Senhor Rei D. Afonso I de Portugal.
  8. http://www.m-almada.pt/xportal/xmain?xpid=cmav2&xpgid=genericMenuContent&menu_title_generic_qry=BOUI=17109296&menu_generic_qry=BOUI=17109296&genericContentPage_qry=BOUI=36606944&actualmenu=17109296
  9. http://www.m-almada.pt/xportal/xmain?xpid=cmav2&xpgid=genericPage&genericContentPage_qry=BOUI=6397126&actualmenu=4162146
  10. http://www.anmp.pt/anmp/pro/mun1/gem101l0.php?cod_ent=M2800

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Almada
Concelhos do Distrito de Setúbal Mapa do distrito de Setúbal
Alcácer do Sal
Alcochete
Almada
Barreiro
Grândola
Moita
Montijo
Palmela
Santiago do Cacém
Seixal
Sesimbra
Setúbal
Sines
Alcácer do Sal
Alcochete
Almada
Barreiro
Grândola
Moita
Montijo
Palmela
Santiago do Cacém
Seixal
Sesimbra
Setúbal
Sines
Concelhos Portugueses com mais de 100 mil habitantes
Bandeira de Portugal

Lisboa | Sintra | Vila Nova de Gaia | Porto | Cascais | Loures | Braga | Matosinhos | Amadora | Almada | Oeiras | Gondomar | Seixal | Guimarães | Odivelas | Coimbra
Santa Maria da Feira | Vila Franca de Xira | Maia | Vila Nova de Famalicão | Leiria | Setúbal | Barcelos | Funchal