Aérospatiale Alouette III

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Alouette III)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde fevereiro de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.

Alouette III
Picto infobox helicopter.png
Alouette III pousado numa fragata da Marinha Francesa
Descrição
País de origem  França
Fabricante Aérospatiale (antes Sud-Est e Sud Aviation)
Produção 1961-1985
Quantidade
produzida
2000+ unidade(s)
Primeiro voo 28 de fevereiro de 1959 (SE-3160)
Entrada em serviço 1960
Tipo Utilitário ligeiro de transporte
Tripulação 2 piloto e co-piloto
Passageiros/
Soldados
5 passageiros
Dimensões
Comprimento 10,2 m
Diâmetro do
rotor
11,02 m
Altura 2,9 m
Área (rotor) 95,38
Peso
Tara 1143 kg
Peso total 2200 kg
Propulsão
Motores 1 turbina Turbomeca Artouste IIIB de 870 hp (649 kW)
Performance
Velocidade máxima 220 km/h
Alcance 1300 km
Teto/tecto máximo 6100 m
Relação de subida 4,3 m/s
Armamento
Metralhadoras/
Canhões
1 canhão lateral de 20 mm (0,79 in)
Vistas esquemáticas do Alouette III
Alouette IIIS da Força Aérea Suíça
Alouette III da Força Aérea Portuguesa lançando pára-quedistas num heli-assalto em Angola

O Alouette III é um helicóptero utilitário ligeiro de transporte, monomotor, fabricado pela Aérospatiale, na França.

É um desenvolvimento do Alouette II, tendo um tamanho maior e uma maior capacidade de carga. Originalmente propulsado por uma turbina Turbomeca Artouste IIIB, o Alouette é reconhecido pelas suas capacidades de operação em grandes altitudes, sendo o ideal para o salvamento em áreas montanhosas.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

A primeira versão do Alouette III, o protótipo SE-3160 voou pela primeira vez em 28 de Fevereiro de 1959. A sua produção foi iniciada em 1968, mantendo-se até 1968. Em 1968 começou a ser produzida a versão SA-316B.

Versões[editar | editar código-fonte]

  • SE-3160/ SA-316A Alouette III : o primeiro Alouette III de série levantou voo em julho de 1961, ano em que são entregues os primeiros exemplares a utilizadores militares. Esta versão passou a designar-se SA-316A a partir de 1968;
  • HAL Chetak: versão do SE-3160 construída sob licença na Índia. Esta designação inclui a versão indiana do SA-316B construída posteriormente;
  • SE-3164 Alouette canon: protótipo de helicóptero de apoio tático construído com base num SE-3160 modificado, onde foi instalado um canhão orientável de tiro rápido de 20 mm apontável para a esquerda da cabine, quatro mísseis AS-11 ou AS-12 ou casulos de foguetes. Foi também testada uma versão com duas metralhadoras Browning montadas na lateral da fuselagem;
  • SA-316B Alouette III: versão do SA-126A com o mesmo motor, mas aperfeiçoado;
  • IAR-316B: versão do SA-316B construída sob licença na Roménia;
  • IAR-317 Skyfox: projecto romeno de helicóptero de ataque com uma cabine bilugar em tandem, baseado no IAR-316B;
  • F+W Alouette IIIS: versão do SA-316B construída, sob licença, na Suíça;
  • SA-316C Alouette III: última versão do SA-316, com um motor Artouste IIID de 870 CV;
  • SA-319B Alouette III: versão remotorizada com uma turbina Turboméca Astazou XIV de 870 CV, permitindo uma redução de consumo na ordem dos 15% - 20%;
  • SA-319C Alouette III: última versão do Alouette apenas com modificações de pormenores.

Utilizadores[editar | editar código-fonte]

Serviço em Portugal[editar | editar código-fonte]

Os SE-3160 Alouette III (ALIII) foram adquiridos pela Força Aérea Portuguesa a partir de abril de 1963 como complemento aos poucos aparelhos Alouette II já em serviço, para actuarem nas operações militares a decorrer em Angola, Guiné Portuguesa e Moçambique. O Alouette III tornou-se num dos principais ícones da Guerra do Ultramar, ficando famosas as imagens dos Páraquedistas e Comandos a saltar dos aparelhos, enquanto estes pairavam a cerca de 3 metros do solo, durante as operações de heli-assalto.

Os ALIII básicos desarmados, com o nome de código "Canibais" realizavam essencialmente operações de transporte, heli-assalto e evacuação sanitária. A estes ALIII juntaram-se os helicanhões, com o nome de código "Lobos Maus", com um canhão de 20 mm montado virado para bombordo, disparado por um apontador através da porta lateral aberta. Em 1973 realizaram-se algumas experiências no sentido de incorporar lança-foguetes de 37 mm ou 2,75", mas nunca chegaram à fase operacional.

A Força Aérea Portuguesa adquiriu um total de 142 Alouette III, o segundo maior número de um único modelo de aeronave ao serviço de Portugal, logo a seguir ao North-American T-6.

Actualmente, os aparelhos remanescentes são utilizados na Base Aérea de Beja essencialmente para instrução e como utilitários.

Referências

Força Aérea Portuguesa - Alouette III

Ver também[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Aérospatiale Alouette III
Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.