Amarelos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Os termos raça amarela, oriental-asiática, mongoloide ou mongólica foram utilizados numa classificação de grupos humanos em antropologia, correspondendo a uma raça.

A raça amarela habitam nas regiões da Ásia Setentrional, Ásia Central, Sudeste da Ásia, com maior concentração na Ásia Oriental.[carece de fontes?]

A raça amarela divide-se basicamente em duas raças:

Asiáticos do Extremo Oriente: são seus representantes os mongóis, chineses, coreanos e japoneses. Geralmente tem a pele mais clara que sudestes asiáticos, o formato do rosto varia desde ovalado, redondo e estreito. A maioria tem olhos puxados e cabelos lisos, e pretos.

Sudeste Asiático: são seus representantes os malaios, cambojanos, laosianos, vietnamitas, filipinos, birmaneses e tailandeses. Suas características são: pele bronzeada, lábios grossos e nariz largo. Esses povos tem influências genéticas da antiga colonização chinesa.[carece de fontes?]

Posteriormente, se descobriu que os primeiros nativos americanos eram originários daquele continente, sendo estes igualmente classificados como amarelos, até que a noção biológica de raças humanas fosse abandonada com o Projeto Genoma.[carece de fontes?] Isso fez com que os índios passassem a ser novamente considerados um grupo humano distinto dos amarelos.[carece de fontes?]

Orientais no Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, o termo cor amarela refere-se a pessoas que tenham origens em países do Extremo Oriente (como japoneses, coreanos e chineses).[carece de fontes?] No censo de 2010, realizado pelo IBGE, quase um milhão de brasileiros ou 2,1% da população brasileira se autoclassificou como sendo de cor amarela.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. IBGE Censo 2006