Amauri Carvalho de Oliveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Amauri
Amauri.jpg
Informações pessoais
Nome completo Amauri Carvaho de Oliveira
Data de nasc. 3 de Junho de 1980 (34 anos)
Local de nasc. Carapicuíba,  Brasil
Altura 1,86 m
Destro
Informações profissionais
Clube atual Itália Torino
Número 22
Posição Atacante
Clubes de juventude
19992000 Brasil Santa Catarina
Clubes profissionais1
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
2000
2000
20002001
20012002
20022003
20032006
20062008
20082011
2011
20112012
2012
20122014
2014
Itália Napoli
Suíça Bellinzona (emp.)
Itália Napoli
Itália Piacenza
Itália Messina
Itália Chievo
Itália Palermo
Itália Juventus
Itália Parma (emp.)
Itália Juventus
Itália Fiorentina
Itália Parma
Itália Torino
00000 000(0)
00005 000(1)
00006 000(1)
00007 000(0)
00023 000(4)
00090 00(17)
00052 00(23)
00071 00(17)
00011 000(7)
00000 000(0)
00013 000(1)
00065 00(18)
00000 000(0)
Seleção nacional3
2010 Flag of Italy.svg Itália 00001 000(0)


1 Partidas e gols pelo clube profissional
contam apenas partidas das ligas nacionais,
atualizados até 1 de setembro de 2014.


3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 31 de janeiro de 2011.

Amauri Carvalho de Oliveira (Carapicuíba, 3 de junho de 1980) é um futebolista ítalo-brasileiro que atua como atacante. Atualmente, defende o Torino.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Começou a carreira no futebol aos dezenove anos, no Santa Catarina, clube que na época disputava a segunda divisão catarinense. Transferiu-se para o Napoli em 2000, após se destacar em um torneio de juniores na Itália.[1]

Foi emprestado para o Bellinzona, da Suíça, por conta do número de jogadores estrangeiros no clube. Voltou ao clube de Nápoles em meados de 2000, chegando a fazer dupla com Edmundo. Entretanto, não permaneceu muito tempo, transferindo-se para o Piacenza em 2001, onde acabou tendo uma temporada difícil, ficando praticamente um ano sem jogar. Em 2002, foi para o Messina, onde teve mais oportunidades.

Mas foi no Chievo, em 2003, clube em que Amauri teve mais oportunidades e, começou a ter mais destaque no futebol italiano.[1]

Ascensão[editar | editar código-fonte]

Em 2006 foi para o Palermo, rival de sua ex-equipe do Messina, por sete milhões de euros. Após duas ótimas temporadas no time da Sicília, sendo destaque na mídia internacional, foi contratado pela Juventus, por 22,8 milhões de euros.[2] Sua estreia oficial pela sua nova equipe ocorreu em 13 de agosto de 2008, quando disputou a primeira partida da fase classificatória da Liga dos Campeões da UEFA contra o Artmedia Petržalka.[3] Na segunda partida contra o clube eslovaco, Amauri marcou seu primeiro gol.[4]

Sua primeira temporada no clube juventino terminou razoavelmente bem, tendo marcado catorze vezes em 44 partidas.[5] [6] [7] Na segunda, no entanto, marcou apenas sete vezes nas quarenta partidas que disputou.[8] [9] [10] [11] Já na terceira, mesmo tendo marcado três vezes nas quatro partidas que disputou na fase classificatória da Liga Europa no início da temporada,[12] não marcou mais nenhuma vez nas doze partidas seguintes que disputou.[13] [14] [15] Com a contratação de Luca Toni[16] para disputar posição, acabou sendo emprestado no último dia da janela de transferências de inverno para o Parma,[17] permanecendo até o término da temporada.[18]

Mesmo tendo marcado sete vezes nas onze partidas que disputou durante seu empréstimo,[19] em seu retorno, a direção tinha intenção em vendê-lo devído ao seu alto salário[20] e atuações abaixo do esperado, além de não disputar uma competição europeia, ocasionando uma grande perda em ganhos na temporada. No entanto, mesmo tendo propostas do Olympique de Marseille[20] e clubes da Turquia,[20] fora a oportunidade de permanecer no Parma, Amauri se recusou a deixar o clube. Por conta disso, acabou sendo afastado do elenco. Deixaria o clube apenas em 19 de janeiro de 2012, quando acertou com a Fiorentina.[20] O clube de Florença pagou quinhentos mil euros pela sua transferência, e assinou um contrato de curta duração, até o término da temporada.[20]

Mesmo não tendo disputado uma única partida nos seus últimos oito meses na Juventus, sua estreia pela viola ocorreu apenas dez dias após sua contratação, contra o Siena. Apesar de ter iniciado a partida como titular, ficando em campo até os 87 minutos de partida, não marcou na vitória por 2 x 1.[21]

Tendo marcado apenas um vez nas treze partidas que disputou durante sua passagem pela Fiorentina, acabou não tendo seu contrato renovado. Pouco tempo depois, em 2 de julho, foi anunciado como novo reforço do Parma, assinando um contrato de duas temporadas com a opção de renovação por uma terceira.[22] Sua reestreia ocorreu na quarta rodada do italiano,[23] ironicamente contra seu clube anterior, a Fiorentina, entrando aos 65 minutos de partida, mas não sendo capaz de evitar o empate em 1 x 1.[24] Os primeiros gols apareceram apenas em sua quinta partida, na vitória por 2 x 1 sobre a Sampdoria.[25]

Foi anunciado como novo reforço do Torino em 1 de setembro de 2014, no último dia da janela de transferências de verão do futebol europeu,[26] assinando um contrato com duração de duas temporadas.[27] Embora habitualmente utilize a camisa número 11, a qual estava disponível após a saída de Alessio Cerci (o qual chegou para substituir), Amauri adotou como seu o número 22.[28]

Seleção[editar | editar código-fonte]

Suas boas apresentações já no Palermo angariaram estimativas para uma convocação para a Seleção Italiana. Amauri, que não tem ascendência italiana, necessitava da conclusão do processo de naturalização de sua esposa, Cynthia, que pôde requisitá-la mesmo também não possuindo ascendência por já ter cumprido o tempo mínimo de residência no país exigido pelas leis da Itália.[1] Opiniões favoráveis à sua convocação para a Azzurra aumentaram com a repetição de sua boa fase na Juventus.

Seu grande momento em um clube de ponta do futebol italiano ascendeu pedidos de que o então técnico da Seleção Brasileria, Dunga, o convocasse, uma vez que os principais nomes do ataque brasileiro, como Ronaldo, Adriano e Robinho, não vinham em boa forma o suficiente,[1] enquanto outros, como Luís Fabiano, Nilmar, Fred, Alexandre Pato, Afonso Alves, Vágner Love, Rafael Sobis, e Ricardo Oliveira ainda não haviam se firmado (totalmente ou não) no setor.[29] Uma simples partida pelo Brasil já eliminaria as possibilidades de jogar pela Itália, de acordo com as normas da FIFA.[1]

Sua primeira convocação para a Seleção Brasileira aconteceu em 31 de janeiro de 2009, após muita expectativa, justamente para o amistoso contra a Itália, entrando na vaga de Luís Fabiano, que foi cortado por lesão.[30] [31] Apesar disso, a Juventus vetou sua ida para a seleção, pois sua convocação foi após o prazo limite determinado pela FIFA.[32]

Amauri (que na Itália tem seu nome pronunciado como "Amáuri",[1] conforme a língua local), todavia, não se decidia por qual seleção jogar, chegando a declarar que não precisa de nenhuma delas.[1] A falta de posicionamento do brasileiro rendeu críticas do volante Gennaro Gattuso, da Seleção Italiana, que disse que, com tal atitude do atacante, prefere que ele jogue pelo Brasil, justificando que "não somos o Azerbaijão ou a Finlândia. Somos a Itália, vencemos quatro Copas do Mundo e o nosso futebol não deve invejar nada a ninguém".[33]

Recebeu finalmente a cidadania no dia 12 de abril de 2010, ao fazer o juramento sobre a constituição italiana,[34] o que lhe tornou apto para defender a Itália. Antes cotado para defender a Itália na Copa do Mundo de 2010, acabou prejudicado pela data, próxima demais do mundial - para o qual já iria como um veterano - para que pudesse ser testado; além disso, atravessava má fase, juntamente com toda a equipe da Juventus, à época.

Após a Copa, recebeu sua primeira convocação para defender a Itália, para um amistoso contra a Costa do Marfim, que marcou a estreia de Cesare Prandelli como técnico azzurro.[35] Na partida, a qual terminou com vitória marfinense por 1 x 0, Amauri começou como titular, permanecendo em campo até os 59 minutos, quando foi substituído por Fabio Quagliarella.[36]

Referências

  1. a b c d e f g "Dilema Diplomático", Fernanda C. Massarotto e Jonas Oliveira, Placar número 1327, fevereiro de 2009, Editora Abril, págs. 55-60
  2. Amauri assina com o Juventus. Visitado em 31 de agosto de 2008.
  3. "Amauri > Champions League Qual. 2008/2009 .:. 3. Round". Visitado em 29 de janeiro de 2012.
  4. "Amauri > Champions League Qual. 2008/2009 .:. 3. Round". Visitado em 29 de janeiro de 2012.
  5. "Amauri > Champions League Qual. 2008/2009". Visitado em 29 de janeiro de 2012.
  6. "Amauri > Champions League 2008/2009". Visitado em 29 de janeiro de 2012.
  7. "Amauri > Serie A 2008/2009". Visitado em 29 de janeiro de 2012.
  8. "Amauri > Champions League 2009/2010". Visitado em 29 de janeiro de 2012.
  9. "Amauri > Coppa Italia 2009/2010". Visitado em 29 de janeiro de 2012.
  10. "Amauri > Europa League 2009/2010". Visitado em 29 de janeiro de 2012.
  11. "Amauri > Serie A 2009/2010". Visitado em 29 de janeiro de 2012.
  12. "Amauri > Europa League Qual. 2010/2011". Visitado em 29 de janeiro de 2012.
  13. "Amauri > Serie A 2010/2011". Visitado em 29 de janeiro de 2012.
  14. "Amauri > Europa League 2010/2011". Visitado em 29 de janeiro de 2012.
  15. "Amauri > Coppa Italia 2010/2011". Visitado em 29 de janeiro de 2012.
  16. "Luca Toni alla Juventus". Visitado em 29 de janeiro de 2012.
  17. "Amauri in prestito al Parma". Visitado em 29 de janeiro de 2012.
  18. "Juventus: sfuma anche Andreolli". Visitado em 29 de janeiro de 2012.
  19. "Amauri > Serie A 2010/2011". Visitado em 29 de janeiro de 2012.
  20. a b c d e Parado há oito meses, Amauri acerta com a Fiorentina. Visitado em 19 de janeiro de 2012.
  21. Parado há oito meses, Amauri acerta com a Fiorentina. Visitado em 19 de janeiro de 2012.
  22. Filho pródigo: Parma acerta retorno de Amauri. Visitado em 2 de julho de 2012.
  23. Amauri > Serie A 2012/2013. Visitado em 27 de outubro de 2012.
  24. Match details / line-up: Parma FC - ACF Fiorentina (Serie A 2012/2013). Visitado em 27 de outubro de 2012.
  25. Match details / line-up: Parma FC - Sampdoria (Serie A 2012/2013). Visitado em 27 de outubro de 2012.
  26. Amauri al Toro. Visitado em 1 de setembro de 2014.
  27. Ex-Juve ace Amauri moving forward with Torino. Visitado em 2 de setembro de 2014.
  28. Prima Squadra Serie A Tim 2014-2015. Visitado em 2 de setembro de 2014.
  29. "Yes, nós temos atacantes", Gustavo Hofman, Trivela número 37, março de 2009, Vox Editora, págs. 34-39
  30. Dunga convoca Amauri para amistoso, mas espera aval do Juventus. Visitado em 31 de janeiro de 2009.
  31. Dunga cede à 'pressão' e convoca Amauri para a seleção brasileira. Visitado em 31 de janeiro de 2009.
  32. Juventus não libera Amauri. Visitado em 31 de janeiro de 2009.
  33. Gattuso critica Amauri: "Melhor que jogue pelo Brasil". Visitado em 23 de março de 2009.
  34. "Amauri recebe cidadania italiana e pode defender a Azzurra", Trivela.com
  35. "Prandelli convoca Amauri para seleção italiana", Trivela.com
  36. Friendlies 2010 » August » Italy - Ivory Coast 0:1. Visitado em 2 de setembro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.