Amaury Kruel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Amaury Kruel
Nascimento 11 de abril de 1901
Santa Maria
Morte 23 de agosto de 1996 (95 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade  Brasileiro
Ocupação Militar

Amaury Kruel (Santa Maria, 11 de abril de 1901Rio de Janeiro, 23 de agosto de 1996) foi um militar brasileiro com a patente de general-de-exército e que ao ir para a reserva foi promovido a marechal.

Formado em 1921 na Escola Militar do Realengo, participou, em 1923, de manifestações em apoio à Revolução Federalista em Livramento. Tomou parte da Revolução de 1930 e entre 1936 e 1937 comandou a Polícia Municipal do Rio de Janeiro.

Integrou a Força Expedicionária Brasileira na Itália, durante a Segunda Guerra Mundial.

Foi ministro da Guerra no governo João Goulart, de 14 de setembro de 1962 a 15 de junho de 1963.

Mobilizou as tropas do II Exército (sediado na cidade de São Paulo) para a sublevação militar e sítio ao estado da Guanabara durante o golpe militar de 1964. Afirma-se que, antes de aderir ao golpe, teria proposto ao presidente Goulart que este dissolvesse a CGT e adotasse uma política dura com a esquerda. Somente teria apoiado o movimento militar diante da negativa do presidente.

De acordo com o coronel Erimá Pinheiro Moreira, Kruel recebeu seis malas contendo aproximadamente 1,2 milhão de dólares do então presidente da Fiesp, Raphael de Souza Noschese, para trair o presidente Goulart.[1] [2]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Ernesto Geisel
Chefe do Gabinete Militar
1961 — 1962
Sucedido por
Albino Silva
Precedido por
Nélson de Melo
Ministro da Guerra
1963
Sucedido por
Jair Dantas Ribeiro


Portal
A Wikipédia possui o
Portal Santa Maria
da Boca do Monte

Leitor, participe do projeto
"Vamos todos wikificar Santa Maria."
Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.