Amaury Ribeiro Jr.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Amaury Ribeiro Jr)
Ir para: navegação, pesquisa
Amaury Ribeiro Jr.
Nascimento Amaury Ribeiro Junior
Ocupação jornalista e escritor
Nacionalidade Brasil brasileiro
Trabalhos notáveis O Globo
Correio Braziliense
Estado de Minas
Isto É

Amaury Ribeiro Jr. é um jornalista investigativo especializado inicialmente na temática dos Direitos Humanos.

Trajetória[editar | editar código-fonte]

Em 1996 ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo ao abordar o tema da Guerrilha do Araguaia[1] junto a outros jornalistas, ajudando na descoberta de ossadas de guerrilheiros em cemitérios clandestinos e forçando o Estado Brasileiro a pagar indenização às famílias das vítimas. Em 1997, ganhou outro prêmio Esso ao desvendar uma rede de prostituição infantil[2] , e em 1999 ainda no jornal "O Globo", junto a outros jornalistas ganhou outro prêmio Esso com reportagem sobre o Rio Centro.[3]

Em 2007 trabalhava para o Correio Braziliense e enquanto investigava homicídios ligados ao narcotráfico no Entorno do Distrito Federal, foi baleado numa tentativa de homicídio.[4] O suposto autor era um sobrinho em primeiro grau da prefeita da cidade Sonia Melo (PSDB) e Ribeiro Jr teve de permanecer sob escolta policial. O caso teve repercussão internacional[5] [6] [7] e fez com que o jornalista fosse transferido para o jornal Estado de Minas, do mesmo grupo, e passasse a se dedicar a assuntos políticos, se especializando posteriormente na temática de lavagem de dinheiro.[8] Ribeiro Jr. foi o responsável por levantar os dados da CPI do Banestado junto com a jornalista Sônia Filgueiras e do caso da "Máfia dos Fiscais" no Rio de Janeiro, dentre outros.

Além dos três prêmio Esso que ganhou, foi vencedor por quatro vezes do prêmio Vladimir Herzog[9] , faz parte do ICIJ – Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos.[10] Foi repórter especial do jornal “O Globo” e da revista “Isto É”, além de ter se destacado no “Correio Braziliense” e no “Estado de Minas”, foi um dos fundadores da Abraji, entre outros.[11]

Em 2010, o jornalista foi indiciado pela Polícia Federal pelos crimes de violação de sigilo fiscal, corrupção ativa, uso de documentos falsos e por dar ou oferecer dinheiro ou vantagem à testemunha.[12] [13] Amaury Júnior negou as acusações e afirmou que "jamais pagaria pela obtenção de dados fiscais sigilosos de qualquer cidadão". Segundo o próprio, todos os dados foram obtidos em juntas comerciais, paraísos fiscais e na CPI do Banestado, alegando a exceção de verdade. Alguns dos acusantes, como Ricardo Sérgio de Oliveira, Gregório Preciado dentre outros, possuem ação por quebra de sigilos bancário, fiscal e telefônico na 4ª Vara Federal de Brasília.[14]

Ribeiro Jr. lançou em 9 de dezembro de 2011 o livro A Privataria Tucana, onde relata um suposto esquema de corrupção para lavagem de dinheiro público em paraísos fiscais, que foram usurpados pelo Governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB) durante as privatizações no Brasil, tendo como principal protagonista, o então Ministro do Planejamento José Serra.[15] Em 2012, o PSDB anuncia que tomará as medidas judiciais cabíveis contra o que qualificou como calúnias e erros verificados em sua publicação.[16]

A Privataria Tucana foi um dos finalistas da 54ª edição do Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, o prêmio mais prestigiado da literatura brasileira, na categoria Reportagem.[17] [18] [19]

Em fevereiro de 2013, Amaury Júnior e a Geração Editorial foram condenados a pagarem R$ 1.000 ao ex-governador José Serra a título de indenização por eventual dano moral e eleitoral pela publicação do livro A Privataria Tucana.[20] [21] [22]

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

O Lado Sujo do Futebol, escrito em parceria com Leandro Cipoloni, Luiz Carlos Azenha e Tony Chastinet (2014)

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Prêmio Esso de Jornalismo
Prêmio Jornalistico Vladimir Herzog

Referências

  1. a b Prêmio Esso (1996). 1996 - Prêmio principal - Guerrilha no Araguaia. Visitado em 28 de outubro de 2012.
  2. a b Prêmio Esso (1997). 1997. Visitado em 28 de outubro de 2012.
  3. a b Prêmio Esso (1999). 1999. Visitado em 28 de outubro de 2012.
  4. Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (20 de setembro de 2007). Amaury Ribeiro Júnior é baleado durante investigação, no entorno do Distrito Federal. Visitado em 28 de outubro de 2012.
  5. The Guardian (22 de setembro de 2007). Brazilian crime reporter shot (em inglês). Visitado em 28 de outubro de 2012.
  6. Freedom House (29 de abril de 2008). Country reports - Freedom of the Press 2008 (em inglês). Visitado em 1 de março de 2011.
  7. Committee to Protect Journalists (5 de fevereiro de 2008). Attacks on the Press 2007: Brazil (em inglês). Visitado em 28 de outubro de 2012.
  8. Ribeiro Jr., Amaury. A Privataria Tucana. 1. ed. [S.l.]: Geração Editorial, 2011. p. 19-20. ISBN 978-85-61501-98-3.
  9. Prêmio Vladimir Herzog (1996). 1996 - A Guerrilha do Araguaia (ZIP). Visitado em 28 de outubro de 2012.
  10. International Consortium of Investigative Journalists. Amaury Ribeiro, Jr. (em inglês). Visitado em 28 de outubro de 2012.
  11. Gato Sabido. A Privataria Tucana - Ebook Download. Visitado em 28 de outubro de 2012.
  12. O Estado de São Paulo (25 de outubro de 2010). Jornalista Amaury Ribeiro Jr. é indiciado por 4 crimes pela Polícia Federal. Visitado em 28 de outubro de 2012.
  13. Folha de S. Paulo (20 de outubro de 2010). Jornalista confirma à PF que encomendou dados de tucanos. Visitado em 28 de outubro de 2012.
  14. Tribunal Regional Federal da Primeira Região. Processo: 2002.34.00.029731-6. Visitado em 28 de outubro de 2012.
  15. CartaCapital (8 de dezembro de 2011). Chega às livrarias ‘A Privataria tucana’, de Amaury Ribeiro Jr. CartaCapital relata o que há no livro. Visitado em 28 de outubro de 2012.
  16. O Estado de São Paulo (27 de dezembro de 2011). PSDB quer processar autor de livro sobre privatizações no governo FHC. Visitado em 28 de outubro de 2012.
  17. Correio do Brasil (24 de outubro de 2012). ‘A Privataria Tucana’ está na final do prêmio Jabuti. Visitado em 8 de novembro de 2012.
  18. Estadão (20 de setembro de 2012). Prêmio Jabuti divulga finalistas. Visitado em 8 de novembro de 2012.
  19. Prêmio Jabuti. Confira a Classificação Final do Prêmio Jabuti 2012. Visitado em 8 de novembro de 2012.
  20. Rede Brasil Atual (28 de março de 2013). Serra ganha indenização de R$ 1 mil por 'Privataria Tucana'. Visitado em 31 de março de 2013.
  21. Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Consulta de Processos do 1ºGrau. Visitado em 31 de março de 2013.
  22. Folha de São Paulo (28 de março de 2013). Serra recebe indenização por "oportunismo eleitoral" do livro "A Privataria Tucana". Visitado em 31 de março de 2013.
  23. Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos. A guerrilha do Araguaia. Visitado em 28 de outubro de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]