Amda Seyon II

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Amda Seyon II (c. 1487 — 26 de Outubro de 1494), na escrita ge'ez ዓምደ ፡ ጽዮን ʿāmda ṣiyōn, na amárico āmde ṣiyōn, "Pilar de Sião", nascido Endreyas, foi uma criança que foi elevada a nəgusä nägäst da Etiópia durante seis meses no ano de 1494. Era filho do imperador Eskender (ou Kwestantinos II), membro da dinastia salomónica da Etiópia, da segunda esposa do pai de Eskander, o falecido imperador Baeda Maryam.

Com cerca de 6 anos de idade, Amda Seyon tornou-se na vítima da luta pelo trono que se desencadeou quando o seu pais, o imperador Eskender, morreu prematuramente. Sendo o preferido para suceder seu pai no trono pela facção da corte liderada pelo poderoso bitwoded Amda Mikael, contra a facção que pretendia que o sucessor fosse o seu tio Na'od, que entretanto fora libertado da prisão onde o seu meio-irmão Eskender o colocara, foi proclamado imperador e reinou durante cerca de seis meses. Findo esse tempo foi assassinado, sendo o trono finalmente entregue a Na'od[1] .

Notas

  1. Taddesse Tamrat, Church and State in Ethiopia (Oxford: Clarendon Press, 1972), p. 293.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Taddesse Tamrat, Church and State in Ethiopia. Clarendon Press, Oxford 1972), p. 293.