American Gigolo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
American Gigolo
American gigolo (PT)
Gigolô americano (BR)
 Estados Unidos
1980 • cor • 117 min 
Direção Paul Schrader
Roteiro Paul Schrader
Elenco Richard Gere
Lauren Hutton
Nina Van Pallandt
Género drama
Idioma inglês, sueco
Página no IMDb (em inglês)

American Gigolo (br: Gigolô americanopt: American Gigolo) é um filme estadunidense de 1980, do gênero drama, dirigido por Paul Schrader e baseado no filme de 1959 Pickpocket, de Robert Bresson.[1]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Julian Kaye vive em Beverly Hills e é um dos gigolô mais bem pagos da cidade, atendendo mulheres sofisticadas, ricas e entediadas. Mas quando ele se envolve com Michelle Stratton, a esposa de um senador, acaba sendo acusado do assassinato de outra cliente.[1]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Globo de Ouro 1981 (EUA)

  • Recebeu duas indicações, nas categorias de Melhor Trilha Sonora e Melhor Canção Original (Call Me, da banda Blondie).

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • O personagem "Julian Kaye" foi oferecido ao ator Christopher Reeve, que receberia um milhão de dólares pelo trabalho, mas ele recusou.
  • O papel de "Julian Kaye" foi oferecido a John Travolta, que também recusou. Alegou que o papel era "ousado demais".
  • Giorgio Armani cuidou do figurino do personagem de Richard Gere.
  • Julie Christie foi originalmente contratada para o papel de mulher do político, mas quando John Travolta foi escolhido para o principal papel masculino, ela desistiu do projeto, e quando Richard Gere foi contrado, ela não foi convidada outra vez, sendo substituída por Lauren Hutton.
  • Lauren Hutton já tinha uma carreira consagrada como top model (da famosa agência Ford Models) quando começou a atuar. Entre seus trabalhos como modelo destacam-se a gigante dos cosméticos Revlon e a grife Chanel.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b "Gigolo americano fala sobre pecado e redenção". Folha de São Paulo. Página visitada em 07 de março de 2014.