Amin Maalouf

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Amin Maalouf, 2013.

Amin Maalouf (25 de fevereiro de 1949, perto de Beirute) é um escritor libanês. É membro da Academia Francesa desde 2011[1] .

Foi chefe de redação do Jeune Afrique e mais tarde editorialista do mesmo. Durante 12 anos foi repórter, tendo realizado missões em mais de 60 países.

Recebeu os seguintes prémios:

  • Prix des Maisons de la Press pela obra “As cruzadas vistas pelos Árabes”
  • Prémio Goncourt 1993 pela obra “O rochedo de Tanios”
  • Prémio Príncipe das Astúrias na categoria letras em 2010.

Obras[editar | editar código-fonte]

Romances:

  • Leão, o Africano (1986)
  • Samarcanda (1988)
  • Os jardins de luz (1991)
  • O século primeiro depois de Beatriz (1992)
  • O rochedo de Tanios (1993)
  • Escalas do Levante (1996)
  • O périplo de Baldassare (2000)
  • Origens (2004)
  • O amor de longe

Ensaios:

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. publico.pt (24-6-2011). Amin Maalouf eleito membro da Academia Francesa. Visitado em 24-6-2011.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Amin Maalouf