Amiri Baraka

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Amiri Baraka
Everett LeRoi Jones
Nacionalidade Estadunidense
Data de nascimento 7 de Outubro de 1934
Local de nascimento Newark
Data de falecimento 9 de fevereiro de 2014 (79 anos)
Local de falecimento Newark
Género(s) Poesia
Grupo étnico Negro
Período de atividade 1960-2013
Movimento Beat
Magnum opus "Blues people"
Obra(s) de destaque "Dutchman"
Cônjuge Hettie Cohen (até 1967)
Influências Ray Bradbury, Mao Tsé-Tung
Influenciados August Wilson

Amiri Baraka, nascido Everett LeRoi Jones (Newark, 7 de outubro de 1934 - 9 de janeiro de 2014) foi um poeta, escritor, dramaturgo e crítico musical dos Estados Unidos, ligado à Geração Beat e autor de ensaios contra o racismo e o colonialismo.

Ativismo[editar | editar código-fonte]

Baraka foi um dos poucos negros a integrar a caravana Beat promovida por Jack Kerouac e Allen Ginsberg, era vigiado pelo FBI e foi um precursor do hip-hop e do rap.[1]

Durante os anos 60 e 70 ele abandonou uma visão de integração social entre brancos e negros, após a Revolução Cubana, o assassinato de Malcolm X e sua prisão e espancamento em 1967, passando a defender uma revolução dos negros.[1]

Autor de diversas obras poéticas e historiográficas, que variavam da poesia, teatro, contos, etc, ele participou de diversos movimentos sociais dos negros estadunidenses.[1]

Internado desde dezembro de 2013 no Newark Beth Israel Medical Center, veio a falecer ao 79 anos.[1]

Referências

  1. a b c d Morre aos 79 anos o polêmico escritor e ativista Amiri Baraka Panorama (10/1/2014). Página visitada em 11/1/2014.
Ícone de esboço Este artigo sobre a biografia de um(a) escritor(a), poeta ou poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.