Amy Fisher

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Amy Fisher
2010 Amy Fisher.jpg
Fisher em 2010.
Nascimento: 21 de agosto de 1974 (39 anos)
Cidade natal: Wantagh, Nova Iorque,
 Estados Unidos
Nome de nascimento: Amy Elizabeth Fisher
Altura: 1.63 m
Etnia: Italiana
Judia
Ocupação: Jornalista
Escritora
Atriz pornográfica
Nomes artísticos: Elizabeth Bellers
Ano de estreia: 2007
Nº de filmes: 3
Página Oficial
(ATENÇÃO: As ligações externas podem conter conteúdo sexual explícito.)
Amy Fisher no IMDb
Amy Fisher no AFDB

Amy Elizabeth Fisher (Wantagh, 21 de agosto de 1974), que mudou seu nome para Elizabeth Bellers,[1] é uma mulher norte-americana que ficou conhecida como "a Lolita de Long Island" pela mídia em 1992 quando, aos 17 anos de idade, baleou e feriu gravemente Mary Jo Buttafuoco, esposa de seu amante Joey Buttafuoco.[2] Ela inicialmente foi acusada de tentativa de assassinato em primeiro grau, porém assumiu ser culpada de agressão em primeiro grau, ficando sete anos presa. Depois de conseguir liberdade condicional em 1999, Fisher se tornou jornalista e escritora, antes de começar uma carreira como atriz pornográfica em 2007.

Vida[editar | editar código-fonte]

Fisher nasceu em Wantagh, Nova Iorque em 21 de agosto de 1974, filha de Elliot e Roseann Fisher;[3] seu pai era judeu e sua mãe uma ítalo-americana.[4] Aos 16 anos, enquanto ainda estudava na John F. Kennedy High School em Bellmore, Nova Iorque, ela começou uma relação sexual com Joey Buttafuoco depois de danificar o carro de seus pais e implorar para que ele, que era dono de uma oficina, consertasse o veículo sem sua família saber.[5]

Crime e prisão[editar | editar código-fonte]

No dia 19 de maio de 1992, Fisher, então com 17 anos, fez com que um cúmplice lhe levasse até a casa de Buttafuoco em Massapequa. Quando Mary Jo Buttafuoco abriu a porta, Fisher lhe disse que Joey estava tendo um caso com sua irmã mais nova, mostrando uma camiseta da oficina de Joey como sua "prova". Quando Mary Jo se virou Fisher atirou nela na cabeça e fugiu.[3]

Fisher acabou presa e acusada de tentativa de assassinato em primeiro grau, porém disse ser culpada de agressão, e em desembro de 1992 ela foi sentenciada de 5 a 15 anos de prisão.[2] Baseado em um recibo de hotel datado de um dia antes do aniversário de Fisher, Joey Buttafuoco foi acusado de estupro; ele foi condenado em outubro de 1993 e ficou seis meses na prisão.[6]

Em 1999, depois de Fisher ficar sete anos presa, Denis E. Dillon, promotor público do Condado de Nassau, concordou em anular o acordo judicial original de Fisher e um novo foi criado com uma pena de 3 a 10 anos de prisão, fazendo com que fosse solta em liberdade condicional.[2]

Pós-libertação[editar | editar código-fonte]

Depois de sair da prisão, Fisher se tornou colunista no Long Island Press. Ela escreveu um livro detalhando suas experiências, If I Knew Then..., publicado em 2004. Um ano antes, Fisher havia se casado com Louis Bellera; os dois têm três filhos.[7]

Vídeo de sexo e carreira na indústria pornográfica[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 2007, o New York Post publicou rumores que o marido de Fisher havia vendido uma fita de sexo do casal para o Red Light District Video em Los Angeles.[8] Alguns dias depois a Red Light publicou um comunicado de imprensa dizendo que pretendia lançar um vídeo de sexo do casal.[9] No dia 31 de outubro, fotos de Fisher nua apareceram em várias páginas na internet, e em 1 de novembro a Red Light lançou um pequeno clipe mostrando ela tomando banho e se bronzeando nua. No dia 6 de novembro Fisher processou a Red Light por inflingir direitos autorais.[10]

No início de 2008 ela e a Red Light chegaram a um acordo e o processo foi retirado, e Fisher concordou em fazer aparições promocionais.[11] Em 19 de janeiro de 2009, Fisher lançou um filme adulto chamado Amy Fisher: Totally Nude & Exposed,[11] também começando um site pronográfico. Em julho de 2010, foi anunciado que Fisher estrelaria uma série de filmes adultos em 2010 e 2011. Porém, em 2011, ela afirmou que não faria mais nenhum filme pornográfico, mas não descartava a possibilidade de participar de algum no futuro.[7]

Referências

  1. Amy Fisher Shoots Over to Florida ... For Brand New Digs. TMZ (24 de junho de 2012). Página visitada em 17 de julho de 2012.
  2. a b c Amy Fisher, 'Long Island Lolita,' granted parole. CNN (6 de maio de 1999). Página visitada em 17 de julho de 2012.
  3. a b Bell, Rachael. Growing Up Fast. truTV. Página visitada em 17 de julho de 2012.
  4. THE DEVIL IN LONG ISLAND. The New York Times (19 de setembro de 1993). Página visitada em 17 de julho de 2012.
  5. Buttafuoco Admits to Sex With Amy Fisher. The New York Times (6 de outubro de 1993).
  6. Davis, Richard (4 de janeiro de 2008). Amy Fisher to promote sex tape with husband. CNN. Página visitada em 17 de julho de 2012.
  7. a b Amy Fisher: 'I Need to Drink'. The Insider (23 de junho de 2011). Página visitada em 17 de julho de 2012.
  8. Li, David K. (29 de outubro de 2007). AMY FISCHER'S SEXY VIDEO. New York Post. Página visitada em 17 de julho de 2012.
  9. Red Light District to Distribute Amy Fisher Sex Video. PR Newswire (31 de outubro de 2007). Página visitada em 17 de julho de 2012.
  10. Warren, Peter (6 de novembro de 2007). Título não preenchido, favor adicionar. Adult Video News. Página visitada em 17 de julho de 2012. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2007.
  11. a b Boyka, Olga (21 de janeiro de 2009). Amy Fisher stars in a pay-per-view porn special. Daily News. Página visitada em 17 de julho de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]