Anáfora zero

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tipologia linguística
Tipologia morfológica
Língua analítica
Língua sintética
Língua flexiva
Língua aglutinante
Língua polissintética
Língua oligossintética
Tipologia sintática
Língua nominativa-acusativa
Língua ergativa-absolutiva
Tipologia morfossintática
Sujeito-Verbo-Objeto
Sujeito-Objeto-Verbo
Verbo-Sujeito-Objeto
Verbo-Objeto-Sujeito
Objeto-Sujeito-Verbo
Objeto-Verbo-Sujeito

Anáfora zero ou nula é o fenômeno pelo qual uma certa classe de pronomes pode ser omitida quando puderem de algum modo ser inferidos pragmaticamente (essa condição varia entre as diversas línguas, sendo até ser difícil de ser definida). Línguas em que existe isso são chamadas pro-drop (redução de de pronoun-dropping, do inglês para ‘supressão de pronome’).

Línguas "pro-drop"[editar | editar código-fonte]

A condição pro-drop, na qual sentenças apresentam a forma verbal sem a presença do pronome são mais comuns nas línguas com uma conjugação complexa e bem variável conforme a Pessoa gramatical. Nessas línguas, a própria forma do verbo conjugado já deve identificar o pronome a ser inferido e a ausência desse pronome não prejudica a compreensão da sentença. O fenômeno pro-drop também pode ocorrer em outras situações nas quais o pronome pode ser inferido pelo contexto da sentença. Essa ocultação do Pronome é mais comum quando esse é o Sujeito da sentença.

Dentre as línguas mais importantes e mais faladas podem ser destacadas como Pro-drop estão:

  • Japonês - a ausência do Pronome não corre somente quando esse é Sujeito, mas em todos os contextos gramaticais.
  • Chinês (idem acima)
  • Eslavas (idem acima, mas parcialmente)

Há outras línguas amplamente Pro-drop, tais como:

No sujeito[editar | editar código-fonte]

Outras línguas apresentam a não presença do Pronome quando esse é o Sujeito. Nesse caso temos:

Parciais[editar | editar código-fonte]

São parcialmente ou ocasionalmente Línguas pro-drop as seguintes, dentre outras:

  • Islandês
  • Línguas altaicas, como o Turco
  • Inglês - por vezes na linguagem falada na forma informal; também pronomes relativos em algumas orações subordinadas.
  • hebraico - parcialmente, nos tempos Futuro e Passado
  • Línguas fino-úgricas:
    • Finlandês - há omissão das primeira e segunda pessoas em frase simples.
    • Estoniano - idem ao Finlandês, mas somente na língua falada.
    • Húngaro - podem ser omitidos Pronomes tanto com Sujeito ou como Objeto, podendo, porém, aparecer com sentido de ênfase.

Referências

  1. LOPES, Edward. Fundamentos da Linguística Contemporânea. [S.l.]: Cultrix, 2001. 33 e 34 pp.
  • Bresnan, Joan (ed.), 1982, The Mental Representation of Grammatical Relations, MIT Press, Cambridge, Massachusetts.
  • Chomsky, Noam, 1981, Lectures on Government and Binding: The Pisa Lectures. Holland: Foris Publications. Reprint. 7th Edition. Berlin and New York: Mouton de Gruyter, 1993.
  • Graffi, G. (2001) 200 Years of Syntax. A critical survey, John Benjamins, Amsterdam, The Netherlands.
  • Moro, A. 1997 The raising of predicates. Predicative noun phrases and the theory of clause structure, Cambridge Studies in Linguistics, Cambridge University Press, Cambridge, England.
  • Rizzi, L. (1982) Issues in Italian Syntax, Foris, Dordrecht.