Análise administrativa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Novembro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Análise administrativa é a disciplina de identificação das necessidades do negócio e determinar as soluções para os problemas empresariais. Soluções muitas vezes incluem um componente de desenvolvimento de sistemas, mas também podem consistir em melhoria de processos, mudanças organizacionais ou de planeamento estratégico e desenvolvimento de políticas. A pessoa que realiza esta tarefa é chamado de analista de negócios.

Conceito de Análise Administrativa[editar | editar código-fonte]

(Segundo Antonio Cury, 1994, Pág. 285 a 305)

A análise administrativa é um processo de trabalho, dinâmico e permanente, que tem como objetivo efetuar diagnósticos situacionais das causas e estudar soluções integradas para os problemas administrativos, envolvendo, portanto, a responsabilidade básica de planejar as mudanças, perfeiçoando o clima e a estrutura organizacionais, assim como os processos e os métodos de trabalho.

Os pontos fundamentais da análise administrativa, dentro de um enfoque comportamental, basicamente, desdobram-se em dois momentos distintos:

1- Diagnóstico situcional das causas, buscando identificar não só o clima e a estrutura da organização, mas também seus métodos e processos de trabalho, o que se pode conseguir, em princípio, através das fases de levantamento de dados e crítica respectiva, analisada.

2- Intervenção planejada

  • Envolve o estudo das soluções dos problemas, compreendendo, de início, as fases de planejamento da solução e competente crítica.
  • Envolve o planejamento as mudanças, efetivando, em linhas gerais, nas de implantação e controle de resultados.

Processo da Análise Administrativa[editar | editar código-fonte]

Pontos Fundamentais da Análise Administrativa:

1- Condições Ótimas:

  • Perspectiva global da empresa
  • Integração das necessidades indivíduo x organização
  • Enfocar organização como sistema aberto

2- Dificuldades Básicas:

  • Envolvimento positivo com o público interno
  • Tempo razoável
  • Atingir a cultura da organização

3- É fundamental para o êxito da intervenção existir condições ótimas para a realização da Análise Administrativa:

  • O apoio da administração estratégica, inclusive definindo as diretrizes gerais do projeto de mudança;
  • Possuir os membros da equipe de trabalho responsável pelo projeto um perspectiva global da empresa;
  • Procurar, no planejamento da solução dos problemas, a integração das necessidades individuais e organizacionais;
  • Considerar a organização um sistema aberto necessitando, portanto, de compatibilização não só com o meio ambiente externo, mas também dos diversos e diferenciados sistemas internos.

Análise das Funções da Administração[editar | editar código-fonte]

(Segundo Sinclayr Luiz, 1991, pág 77)

Quais itens deverão ser analisados.[1] A Administração de uma empresa compreende diversas funções, que deverão ser examinadas seguindo a seguinte classificação:

  • Previsão - corresponde à fixação de metas, objetivos e prazos gerais.
  • Planejamento - refere-se à parte prática e executiva da previsão e consiste na consolidação da previsão em planos e programas.
  • Organização - Corresponde à criação e disposição dentro da empresa de diversos setores departamentos, seções ou divisões internas, e atribuição das diversas funções que cada um desempenhará, de forma que se obtenha um todo harmônico.
  • Coordenação - refere-se à articulação das diversa atividades num conjunto em que umas complementem as outras.
  • Controle - tem como função garantir o cumprimento dos planos e programas estabelecidos, bem como corrigir os eventuais desvios de orientação.

Organização[editar | editar código-fonte]

(Segundo Sinclayr Luiz, 1991, pág 78)

Embora as funções se inter-relacionem, o administrador ao se organizar, está ao mesmo tempo dirigindo, coordenando ou controlando as atividades da empresa, pode-se dizer que a tarefa da organização se sobressai particularmente. Como afirmou Henri Fayol, um dos pioneiros da ciência administrativa, organizar é fazer da empresa um organismo, um todo que funcione organicamente.com os diversos órgãos, departamento ou setores integrando-se harmonicamente.

Sub-disciplinas da Análise Administrativa[editar | editar código-fonte]

Análise empresarial como uma disciplina tem uma sobreposição pesada com análise de requisitos, por vezes, também chamada de engenharia de requisitos, mas concentra-se em identificar as mudanças que são necessárias para numa organização se atingir os objectivos estratégicos. Estas alterações incluem mudanças de estratégias, estruturas, políticas, processos e sistemas de informação. Exemplos de análise empresarial inclui:

Análise de empresa ou análise de sociedade[editar | editar código-fonte]

Centra-se na compreensão das necessidades do negócio como um todo, a sua direção estratégica e identificação de iniciativas que permitam a uma empresa cumprir essas metas estratégicas. Também inclui:

  • Criação e manutenção da arquitetura do negócio
  • Realização de estudos de viabilidade
  • Identificar novas oportunidades de negócios
  • Delimitar e definir novas oportunidades de negócios
  • Preparar a motivação comercial
  • Realização da avaliação inicial dos riscos

Necessidades de planeamento e gestão[editar | editar código-fonte]

Envolve o planeamento do processo de desenvolvimento de requisitos, determinando quais os requisitos são a maior prioridade para a implementação e mudança.

Levantamento dos requisitos[editar | editar código-fonte]

Descreve técnicas para coleta de requisitos das partes interessadas num projeto. Algumas técnicas de levantamento de requisitos são:

  • Brainstorming
  • análise de documentos
  • Grupo de discussão
  • Análise da interface
  • Entrevistas
  • Workshops
  • Engenharia reversa
  • Exames de performance
  • Análise da tarefa do usuário

Análise de requisitos e documentação[editar | editar código-fonte]

Descreve como desenvolver e especificar os requisitos em detalhe suficiente para permitir que eles sejam implementados com sucesso por uma equipa. As principais formas de análise são:

  • Análise da arquitectura
  • Análise de processos de negócios
  • Análise orientada a objectos
  • Análise estruturada

Embora a documentação dos requisitos possa ser em qualquer um dos formatos:

  • textual
  • matriz
  • diagramas
  • modelos

Requisitos de comunicação[editar | editar código-fonte]

Descreve técnicas para garantir que os interessados ​​tenham uma compreensão partilhada dos requisitos e como eles serão implementados.

Avaliação e validação da solução[editar | editar código-fonte]

Descreve como o analista de negócios pode verificar a correção de uma possível solução, como apoiar a implementação de uma solução, e como avaliar eventuais deficiências na implementação.

Metodologia[editar | editar código-fonte]

(Segundo Antonio Cury, 1994, Pág. 285 a 305)

1- Levantamento:

  • verificação da situação encontrada.
  • Identificação dos problemas.

2- Planejamento da Solução:

  • Elaboração de plano ideal de funcionamento.
  • Nova estrutura.
  • Novos métodos e processos de trabalho.
  • Organização mais saudável.
  • Elaboração de layout retratando a proposta.

3- Crítica do Planejamento:

  • Negociação com os usuários (feedback)
  • Avaliação sistêmica
  • Avaliação por analistas não envolvidos

4- Implantação

5- Controle dos resultados

Resultados[editar | editar código-fonte]

(Segundo Antonio Cury, 1994, Pág. 285 a 305)

Aperfeiçoamento de métodos e processos de trabalho, da estrutura, e do clima organizacionais, envolvendo:

Técnicas de análise de negócios[editar | editar código-fonte]

Há uma série de técnicas de negócio genérico que um analista de negócios vai usar ao facilitar a modulação de negócios. Algumas dessas técnicas incluem:

  • PESTLE
  • MOST
  • CATWOE
  • Os seis chapéus pensadores de Bono
  • 5W2H
  • MoSCoW
  • VPEC-T
  • Diagrama Causa-efeito
  • Análise do Campo de Força
  • Tabela e árvore de decisão
  • Análise das 5 forças(M. Porter)
  • WBS

See also[editar | editar código-fonte]


Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Organização & Métodos, Uma Visão Holística Perspectiva Comportamental e Abordagem Contigencial, 6a. Edição revista e ampliada, 1994, Autor: Antonio Cury,(página 285 a 305), Editora Atlas,ISBN 85-224-1013-5
  • Sinclayr, Luiz, Organização e Técnica Comercial. Introdução à Administração, O&M na Empresa, 13a edição, 1991, Editora Saraiva, ISBN 85-02-00068-3


Referências