An Enquiry Concerning Human Understanding

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

An Enquiry Concerning Human Understanding (em inglês) é o título original de Investigação sobre o Entendimento Humano, livro do filósofo escocês David Hume, publicado em 1748.

Esta obra é uma simplificação de um livro anterior de Hume, chamado Tratado da Natureza Humana (A Treatise of Human Nature em inglês), publicado em 1739/1740. Hume ficou desapontado com a recepção do primeiro livro, por isso tentou de novo expor as suas idéias em um texto mais curto e mais, como diríamos hoje, pedagógico. Investigação sobre o Entendimento Humano é bastante mais económico do que A Treatise of Human Nature, procurando expor apenas os temas mais importantes e de forma clara. Além disso, o livro trata somente de uma parte da obra original: o conhecimento. As emoções, ou paixões e a moral foram temas para outros dois livros. Esta obra influenciou muitos pensadores, tanto nos anos seguintes ao seu lançamento como nos dias de hoje. Kant indica-o como o livro que o despertou do seu "sonho dogmático" e todo o empirismo moderno (termo que David Hume não utiliza, ao contrário do que é comum pensar-se) se apoia nele contra o racionalismo cartesiano.

A obra tem doze secções, assim tituladas: I- "Das diferentes espécies de filosofia"; II- "Da origem das ideias"; III- "Da associação de ideias"; IV- "Dúvidas cépticas sobre as operações do entendimento..."; V- "Solução céptica dessas dúvidas"; VI- "Da probabilidade"; VII- "Da ideia de conexão necessária"; VIII- "Da liberdade e da necessidade"; IX- "Da razão dos animais"; X- "Dos milagres"; XI- "De uma providência particular e de um estado futuro"; XII- "Da filosofia académica ou céptica".

Devemos começar por realçar que além da reformulação dos pontos principais do Tratado da Natureza Humana, David Hume acrescentou novas ideias sobre a livre vontade, os milagres e a problemática teológica. Por outro lado, na "Advertência" mostra o incómodo suscitado por algumas críticas ao seu Tratado da Natureza Humana, por má compreensão ou má-fé. Por isso, "Daqui em diante, deseja o autor que os textos que se seguem sejam os únicos que se considere encerrarem os seus princípios e opiniões filosóficas."