Ana Sofia Reboleira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ana Sofia Reboleira
Nome completo Ana Sofia P. S. Reboleira
Nascimento 6 de Outubro de 1980 (33 anos)
Caldas da Rainha
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Ocupação Bióloga
Escola/tradição Universidade de Aveiro

Ana Sofia Reboleira, (Caldas da Rainha, 1980) é uma bióloga e espeleóloga portuguesa doutorada, mestre e licenciada pela Universidade de Aveiro. Especializada em Biologia subterrânea, deu o maior contributo para o conhecimento do património biológico subterrâneo de Portugal e já descreveu mais de duas dezenas de novas espécies para a Ciência.[1] [2] [3] [4]

É presidente do Núcleo de Espeleologia da Universidade de Aveiro e membro da junta directiva da Sociedade Internacional de Biologia Subterrânea e da Comissão Europeia de Protecção de Cavidades da Federação Europeia de Espeleologia.[3]

Participa regularmente em expedições espeleológicas para distintas partes do mundo, incluindo a gruta mais profunda do mundo - Krubera-Vorónia - situada no Cáucaso ocidental, onde descobriu e descreveu a comunidade de invertebrados subterrâneos mais profundos do planeta.[5] [6]

Foi editora convidada, da secção de Sociedade e Ciência, na edição comemorativa dos 148 anos do Diário de Notícias (Portugal), uma edição especial com a direcção de Gonçalo M. Tavares.[7]

Novas espécies[editar | editar código-fonte]

Ana Sofia Reboleira descobriu e descreveu 19 novos taxa para a Ciência, todos com a particularidade de exibirem troglobiomorfismos, adaptações morfo-fisiológicas à vida subterrânea. Destacam-se alguns animais icónicos como o pseudoescorpião gigante das grutas do Algarve Titanobochica magna, o tisanuro gigante Squamatinia algharbica, os primeiros dipluros e diplópodes cavernícolas de Portugal (Litocampa mendesi e Boreviulisoma barrocalense), e a maioria dos escaravelhos cavernícolas de Portugal Continental.

Fora de Portugal, Sofia Reboleira tem participado em várias expedições. A bióloga organizou os trabalhos bioespeleológicos na gruta mais profunda do mundo, onde participou na expedição ibero-russa da equipa Cavex à gruta Krubera-Vorónia na Abecásia, descobrindo várias espécies de animais adaptados à vida em grutas, incluindo o animal subterrâneo mais profundo do planeta, o colêmbolo Plutomurus ortobalaganensis.[8]

Distinções[editar | editar código-fonte]

A Câmara Municipal das Caldas da Rainha, cidade natal da investigadora, atribuiu-lhe a medalha de honra do município, no dia da cidade, a 15 de Maio de 2011.[9]

Em Maio de 2008, a Federação Portuguesa de Espeleologia atribuiu-lhe a primeira edição do Prémio de Mérito Cientifico-espeleológico pelo seu labor científico em prol do inter-associativismo.

Referências

  1. Madalena Balca. Sofia Reboleira é Herói Como Nós Rtp.pt. Página visitada em 21 de Junho de 2010.
  2. Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade. Duas novas espécies de insectos portal.icnb.pt. Página visitada em 21 de Junho de 2010.[ligação inativa]
  3. a b Ciência: Bióloga portuguesa descobre insectos desconhecidos mundialmente Aeiou.expresso.pt. Página visitada em 21 de Junho de 2010.
  4. Duas espécies de escaravelhos descobertas em trabalho de mestrado Cienciahoje.pt. Página visitada em 21 de Junho de 2010.
  5. UAonline. Doutoranda da UA descobre duas novas espécies cavernícolas ua.pt. Página visitada em 10 de Março de 2011.
  6. Naturlink. Investigadora portuguesa descreve a fauna da gruta mais profunda do mundo. Página visitada em 20 de Junho de 2012.
  7. Diário de Notícias. Edição especial do Diário de Notícias hoje nas bancas dn.pt. Página visitada em 11 de Março de 2011.
  8. http://www.sciencedaily.com/releases/2012/02/120222094130.htm
  9. Jornal das Caldas. Medalha de honra do Município jornaldascaldas.com. Página visitada em 15 de Maio de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.