Ana Sofia Reboleira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ana Sofia Reboleira
Nome completo Ana Sofia P. S. Reboleira
Nascimento 6 de Outubro de 1980 (34 anos)
Caldas da Rainha
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Ocupação Bióloga
Escola/tradição Universidade de Aveiro

Ana Sofia Reboleira, (Caldas da Rainha, 1980) é uma bióloga e espeleóloga portuguesa doutorada, mestre e licenciada pela Universidade de Aveiro. Especializada em Biologia subterrânea, deu o maior contributo para o conhecimento do património biológico subterrâneo de Portugal e já descreveu mais de duas dezenas de novas espécies para a Ciência.[1] [2] [3] [4]

É presidente do Núcleo de Espeleologia da Universidade de Aveiro e membro da junta directiva da Sociedade Internacional de Biologia Subterrânea e da Comissão Europeia de Protecção de Cavidades da Federação Europeia de Espeleologia.[3]

Participa regularmente em expedições espeleológicas para distintas partes do mundo, incluindo a gruta mais profunda do mundo - Krubera-Vorónia - situada no Cáucaso ocidental, onde descobriu e descreveu a comunidade de invertebrados subterrâneos mais profundos do planeta.[5] [6]

Foi editora convidada, da secção de Sociedade e Ciência, na edição comemorativa dos 148 anos do Diário de Notícias (Portugal), uma edição especial com a direcção de Gonçalo M. Tavares.[7]

Novas espécies[editar | editar código-fonte]

Ana Sofia Reboleira descobriu e descreveu 19 novos taxa para a Ciência, todos com a particularidade de exibirem troglobiomorfismos, adaptações morfo-fisiológicas à vida subterrânea. Destacam-se alguns animais icónicos como o pseudoescorpião gigante das grutas do Algarve Titanobochica magna, o tisanuro gigante Squamatinia algharbica, os primeiros dipluros e diplópodes cavernícolas de Portugal (Litocampa mendesi e Boreviulisoma barrocalense), e a maioria dos escaravelhos cavernícolas de Portugal Continental.

Fora de Portugal, Sofia Reboleira tem participado em várias expedições. A bióloga organizou os trabalhos bioespeleológicos na gruta mais profunda do mundo, onde participou na expedição ibero-russa da equipa Cavex à gruta Krubera-Vorónia na Abecásia, descobrindo várias espécies de animais adaptados à vida em grutas, incluindo o animal subterrâneo mais profundo do planeta, o colêmbolo Plutomurus ortobalaganensis.[8]

Distinções[editar | editar código-fonte]

A Câmara Municipal das Caldas da Rainha, cidade natal da investigadora, atribuiu-lhe a medalha de honra do município, no dia da cidade, a 15 de Maio de 2011.[9]

Em Maio de 2008, a Federação Portuguesa de Espeleologia atribuiu-lhe a primeira edição do Prémio de Mérito Cientifico-espeleológico pelo seu labor científico em prol do inter-associativismo.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.