Anamorfose

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde maio de 2010).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Hans Holbein the Younger - The Ambassadors - Google Art Project.jpg Holbein Ambassadors anamorphosis.jpg Skull-Ambassadors.jpg

Os embaixadores (1533) de Hans Holbein, o jovem

O termo anamorfose (anamorfismo) (do grego ἀναμόρϕωσις, translit. anamòrfoṡis "reformação, retorno da forma, reiteração da forma, reversão da forma", derivado de ἀναμόρϕωσις: "formar de novo"; de ανά, translit. aná: "no alto, em cima; no alto de, sobre; de baixo para cima" + μορφή morphê: "forma") é utilizado em vários áreas do conhecimento - matemática, óptica (com aplicações nas artes visuais), biologia e geologia, com diferentes acepções.

Processos de transformação, distorção, recombinação, aumento de complexidade, fusões e etc. ocorrem naturalmente, mas também de forma induzida. O conceito de anamorfose aplica-se a qualquer situação onde a base constitutiva transfere suas características para a constituição geral - tal como um fractal, estrutura geométrica complexa cujas propriedades, em geral, repetem-se em qualquer escala.

Dada a gama de interpretações que o conceito permite, pôde ser absorvido por diversas áreas.

Geometria[editar | editar código-fonte]

Em geometria, anamorfose é a correspondência obtida projetando-se, a partir de um ponto fixo (centro de projeção), os pontos de uma figura pertencente a um dado plano, sobre uma superfície plana ou curva. Sobre esta obtém-se uma figura correspondente ponto a ponto àquela projetada, porém deformada. Correspondências desse gênero se estabelecem, por exemplo, nos fenômenos de reflexão e refração.

Nomografia[editar | editar código-fonte]

Em nomografia, anamorfose é a transformação de uma função f em outra função F, cujo gráfico ou nomograma é mais simples ou mais adequado a determinado escopo, sobretudo quando a passagem de f para F é realizada com mudanças de variáveis que representam a adoção de escalas não métricas.[1]

Um exemplo bem conhecido mas pouco relacionado é o mapa-múndi. A representação dele planificada é uma anamorfose da esfera, onde matematicamente, as bordas superior e inferior não são matematicamente descritíveis no processo (deve haver uma linha-limite inexistente), pois um ponto não pode ser planificado.

entidadeobjeto, objeto físicoartefatocriaçãorepresentaçãocópia
          ╚anamorfose, anamorfismo

Óptica[editar | editar código-fonte]

Em óptica, ocorre anamorfose das imagens quando, por meio de espelhos especiais, prismas lentes ou outros sistemas ópticos, a ampliação no sentido horizontal dessas imagens é diferente da ampliação em sentido vertical.[2] .

Artes visuais[editar | editar código-fonte]

Abóbada da Igreja de Santo Inácio, em Roma, por Andrea Pozzo, 1685.

Anamorfose é um efeito de perspectiva utilizado nas artes visuais para forçar o observador a se colocar sob um determinado ponto de vista, o único a partir do qual o elemento recupera uma forma proporcionada e clara. A anamorfose esteve em voga sobretudo na pintura mural dos séculos XVI e XVII, para criar ilusões de ótica na pintura sobre superfícies curvas, como as abóbadas das igrejas, por exemplo, onde a deformação de perspectiva permite a visão correta somente a partir de um único ponto de vista: se o observador se colocar em qualquer outra posição, a imagem fica deformada e incompreensível. Este foi um método descrito nos estudos de Piero della Francesca sobre perspectiva, no seu tratado De prospectiva pingendi .[3]

Cinemascope: depois da compressão anamórfica, a imagem recupera a forma original na tela do cinema.

A mesma técnica tem sido amplamente utilizada na arquitetura e no cinema - a exemplo do Cinemascope, no qual as imagens são comprimidas verticalmente durante a filmagem, com o uso de lentes anamórficas, e depois são descomprimidas na mesma proporção, durante a projeção, sobre uma tela larga.

Anamorfose cronotópica[editar | editar código-fonte]

O conceito de anamorfose cronotópica ou a quarta dimensão da imagem refere-se às deformações resultantes de uma inscrição do tempo na imagem. Trata-se de um processo que integra a distorção espacial da imagem ao longo de um período de tempo em um filme, desenho, etc.[4] [5]

fenômeno
 ╚processo
   ╚processo técnicoanimação, edição de vídeo
       ╚anamorfose, anamorfismo

Internet[editar | editar código-fonte]

Um exemplo da aplicação do anamorfismo na internet são as chaves de segurança para confirmar usuários e barrar robôs, já que atualmente não existem robôs que interpretem uma malha distorcida anamorfica e aleatoriamente - que, entretanto, é legível pelo cérebro humano.

Arquitetura e urbanismo[editar | editar código-fonte]

Ginger and Fred, em Praga: distorção arquitetônica de Frank Gehry, em estilo deconstrutivista.

Em arquitetura, o processo de transição do modernismo para o deconstrutivismo (ou supermodernismo), por exemplo, é um processo parcialmente anamórfico, pois os elementos desdobram-se, perpetuam-se, florescem, repetem-se, fragmentam-se em processos de pequena ou grande escala, o que, em termos geométricos, é o resultado de uma conjunção de fatores culturais, gerando dessa forma não um estilismo raso, mas um profundo processo de transformação do espaço urbano que vem da base da psique humana - e portanto, de uma escala constituinte para uma escala constituída. A arquitetura barroca também é um forte exemplo desse processo.

Em termos de urbanismo, o anamorfismo se dá tanto nos planos construtivos, quanto nos mapas sociais individuais, descritos inicialmente por Anne Cauquelin, ou na noosfera urbana, onde a cidade é uma conformação de diversos mapas conforme os "reais" existentes para cada grupo. Assim, a cidade "desdobra-se" e toma a forma da projeção dos habitantes, em seus modos diversos.

fenômeno
 ╚processo
   ╚processo sobredeterminado
     ╚processo psicológico, representativo, econômico, estrutural, simbólico, artístico
       ╚anamorfoses, anamorfismos

Geologia[editar | editar código-fonte]

Cristal de Sulfato de cobre. Os ângulos do cristal bruto correspondem à geometria da organização atômica.

O termo correlato anamorfismo é usado em geologia para designar o fenômeno de formação de rochas de composição complexa, através de mudanças na estrutura de outros minerais de composição mais simples, sejam elas pela ação de agentes físicos, como a pressão ou o calor, ou pela introdução de novas substâncias químicas. Esse processo ocorre na zona mais profunda de metamorfismo, onde não penetram as águas de infiltração.[1] O termo derivado anamórfico designa os cristais que apresentam o núcleo invertido quando em posição estável.

fenômenoprocesso
   ╚processo natural; ação natural; atividade
     ╚processo geológicometamorfismo
         ╚anamorfismo

Biologia[editar | editar código-fonte]

Em biologia, no sentido amplo, anamorfose é a tendência da natureza de gerar formas mais complexas, com um crescente grau de diferenciação e especialização dos organismos. Em zoologia, tem uma acepção mais restrita, designando o desenvolvimento direto, sem metamorfose, de alguns artrópodes, nos quais se verifica um gradual aumento do número de segmentos ou de apêndices do corpo.

O fenótipo pode portanto apresentar uma deformação anamórfica, isto é, resultante de anamorfose do gene. Podem ocorrer transições suaves ou bruscas das formas e funções existentes. Tais alterações podem ser responsáveis pela adaptação ou pelo fracasso de espécimes ou de uma espécie inteira.

fenômeno
 ╚processo
  ╚processo orgânico, processo biológico
   ╚evolução; filogenia; filogênese
     ╚anamorfose, anamorfismo

Ecologia profunda[editar | editar código-fonte]

Em ecologia profunda, a teoria de Gaia também apresenta aspectos semióticos que deságuam no anamorfismo ou na anamorfose biológica. Pode-se interpretar o processo de desenvolvimento biológico rumo à artificialidade como uma transição anamórfica, estrutural, material e informacional, uma vez que além destes processos apresentarem diversas características de processos anamórficos combinados, apresentam também comportamentos fractais, retirando de certa forma, algumas destas questões do domínio exclusivo da semiótica.

Referências

  1. a b Vocabolario Treccani
  2. Uma anotação para o radical grego ana encontrada na literatura é [\!(f)\!]. Os colchetes utilizados são conhecidos como colchetes lente, uma vez que anamorfose também tem um sentido óptico
  3. GUÉRIOS, Gislaine T.B. O Ensino da Perspectiva: ensaio de uma escrita histórica p.50s. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina,2009.
  4. MACHADO, Arlindo Chronotopic Anamorphosis or the Visual Representation of Time and Movement, 1998.
    Máquina e Imaginário, Edusp, 1993.
  5. Chronotopic Anamorphosis . Vídeo.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ARANTES, Otilia. O Lugar da Arquitetura depois dos Modernos, Edusp, 1995.
  • CAUQUELIN, Anne. A Invenção da Paisagem, Martins Fontes, 2007.
  • DOCZY, Gyorgy. O Poder dos Limites, Mercuryo, 1990.
  • PESTANA, Flávio Bonfim. Dicionário Completo da Língua Portuguesa - Folha da Tarde (3a. ed.). São Paulo: Melhoramentos, 1994.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Anamorfose

Ligações externas[editar | editar código-fonte]