Anarquismo budista

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde setembro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.

Anarquismo budista ou budismo anarquista é uma vertente de ação, reflexão e pensamento formada a partir dos ensinamentos budistas aceitos e entendidos sob o prisma do anarquismo filosófico. Surge e se desenvolve entre expoentes da Geração Beat como Gary Snyder e Diane di Prima. Alguns reconhecem como marco inicial o ano de 1961 em que Gary Snyder publicou um ensaio intitulado "Anarquismo Budista".

Outros que apontaram conexões entre o budismo e o anarquismo incluem Edward Carpenter, Ananda Coomaraswamy, Lala Hardayal Liu Shipei, John Cage, Kenneth Rexroth, Allen Ginsberg, Jackson MacLow, Peter Lamborn Wilson, John Moore, Kerry Thornley, Max Cafard, William Batchelder Greene, assim como o situacionista Ken Knabb.

Mesmo Piotr Kropotkin a seu tempo já apontava para o fato que as comunidades budistas de outrora viviam e colocavam em prática o princípio do mutualismo,[1] e o historiador do anarquismo no Japão, Mattey Turner encontrou evidências que apontam para o fato de alguns sacerdotes budistas terem se envolvido com o movimento anarquista naquele país no início do século XX.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Piotr Kropotkin; (1902); Mutual Aid: A Factor of Evolution; "Conclusion".

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Anarquismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre Budismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.