Anatólio de Laodiceia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Santo Anatólio de Laodiceia
Bispo de Laodiceia
Nascimento Início do século III dC em Alexandria, Egito
Morte 3 de julho de 283 em Laodiceia, província romana da Síria, (atual Lataquia, Síria)
Veneração por Igreja Católica
Igreja Ortodoxa Oriental
Festa litúrgica 3 de julho
Gloriole.svg Portal dos Santos

Anatólio de Laodiceia (início do séc. III dC - 3 de julho de 283 dC[1] ) era originário de Alexandria, e suas atividades datam do último quarto do séc. III. Quando “passava por Laodiceia, os cristãos do lugar elegeram-no para suceder ao falecido bispo Eusébio de Laodiceia,[2] entre 270 e 280. Se seu amigo Eusébio morreu ou se ambos ocuparam a juntos é tema de muita discussão (veja Bolandistas).

Vida[editar | editar código-fonte]

Anatólio nasceu e foi criado em Alexandria, no Egito durante o século III dC. Antes de se tornar um dos grandes luminares da Igreja desfrutou de considerável prestígio lá, onde atribuíram-lhe grandes conhecimentos de aritmética, geometria, física, retórica, dialética e astronomia, de acordo com Eusébio.[3] Ainda segundo ele, este teria sido o motivo pelo qual os habitantes da cidade requisitaram que ele fundasse ali uma escola aristotélica. O filósofo pagão Jâmblico estudou entre seus discípulos por um breve período.[4]

Existem fragmentos de dez livros sobre aritmética escritos por ele, além de um tratado sobre a data da celebração da Páscoa.[1]

Uma história é contada por Eusébio sobre a forma como Anatólio desmontou uma revolta numa região de Alexandria conhecida como Bruchium (Pyrucheium). Ela estava sendo protegida pelas forças de Zenóbia e, estando diligentemente sitiada pelos romanos, estava à num estado de fome. O santo, que vivia em Bruchium naquele tempo, organizou para que os inimigos recebessem as mulheres e as crianças, os velhos e os enfermos, e permitindo a quantos desejassem lucrar fugindo disfarçados o fizessem. Apesar da derrota dos rebeldes, este ato patriótico - e de grande benevolência - por parte do santo, salvou inúmeras vidas da morte[3] .

A festa de Santo Anatólio, assim como a de seu homônimo São Anatólio de Constantinopla, é comemorada em 3 de julho.

Obras[editar | editar código-fonte]

Chegaram a nós (através de Eusébio de Cesareia) fragmentos de duas obras suas: os Cânones pascais e os dez livros das Introductiones arithmeticae. Estas últimas apontam para sua versatilidade científica, o que lhe garantiu a cátedra de filosofia aristotélica entre os alexandrinos.

Referências

  1. a b Omer Englebert. Lives of the Saints, (em inglês). Nova Iorque: Barnes & Noble Books, 1994. 256 p.
  2. Simonetti, 97
  3. a b Eusébio de Cesareia. História Eclesiástica: The Distinguished Ecclesiastics of our Day, and which of them survived until the Destruction of the Churches. (em inglês). [S.l.: s.n.]. Capítulo: 32. , vol. VII.
  4. Eunapius, Lives of the Philosophers and Sophists

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]