Ancamna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Retrato de Ancamna e Marte Smertrius de Freckenfeld no antigo território de Nemetes.

Na religião galo-romana, Ancamna foi uma deusa cultuada particularmente no vale do rio Moselle. Era celebrada em Trier e Ripsdorf como a consorte de Marte Lenus,1 e em Möhn como a consorte de Marte Smertulitanus.2 3 Em Trier, altares foram erguidos em honra a Marte Lenus, Ancamna e aos gênios de vários pagi dos Treveros, dando a impressão de que Marte Lenus e Ancamna agiam como protetores tribais, honrados em um culto organizado oficialmente.4 5 Entre algumas estatuetas deixadas como oferendas votivas no santuário de Marte Smertulitanus e Ancamna de Möhn está uma de um genius cucullatus como aquelas oferecidas aos Xulsigiae no complexo do templo de Marte Lenus em Trier.6

Inciona é também aparentemente invocada com Marte Lenus Veraudunus em um ex voto de bronze oriundo de Luxemburgo;7 é obscuro que essa conexão, se é que há alguma, exista entre Inciona e Ancamna. Jufer e Luginbühl ligam Ancamna a duas outras consortes do Marte gaulês, Litavis e Nemetona, notando que nenhuma destas parecem ser deusas de guerra; ao invés disso, sugerem que Ancamna possa ter sido associada às nascentes.3 Edith Wightman considera o casal Marte Loucetius e Nemetona ser "intimamente semelhante, se não idêntico, a Lenus e Ancamna".8

Trabalhos citados[editar | editar código-fonte]

  1. H. Finke (1927). "Neue Inschriften," Bericht der Römisch-Germanischen Kommission 17, inscrições 12, 13, 20, 254, citadas em Epigraphik-Datenbank Clauss/Slaby.
  2. CIL 13: 4119.
  3. a b Nicole Jufer & Thierry Luginbühl. 2001. Les dieux gaulois : répertoire des noms de divinités celtiques connus par l'épigraphie, les textes antiques et la toponymie. Editions Errance, Paris. pp.14, 21. (francês)
  4. Wightman, p. 214.
  5. Duas das tais inscrições sobreviventes foram publicadas em Finke, op. cit. inscrições 12 e 13.
  6. Wightman, p. 224.
  7. Musée d'histoire et d'art, Luxembourg. 1974. Pierres sculptées et inscriptions de l'époque romaine, catalogado por Eugénie Wilhelm, p.71. (francês)
  8. Wightman, p. 219.

Leitura avançada[editar | editar código-fonte]

  • Ellis, Peter Berresford (1994). Dictionary of Celtic Mythology(Oxford Paperback Reference), Oxford University Press, Oxford. ISBN 0-19-508961-8
  • MacKillop, James (1998). Dictionary of Celtic Mythology. Oxford University Press, Oxford. ISBN 0-19-280120-1.
  • Wightman, Edith Mary (1970). Roman Trier and the Treveri. Rupert Hart-Davis, London.
  • Wood, Juliette (2002). The Celts: Life, Myth, and Art. Thorsons Publishers. ISBN 0-00-764059-5