Andaluzita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Andaluzita
Classificação Strunz VIII/B.02-20
Cor castanho, verde, rosa, violeta e vermelho
Fórmula química Al2SiO5 = Al[6]Al[5]OSiO4
Propriedades cristalográficas
Sistema cristalino Ortorrômbico - Dipiramidal
Parâmetros da célula a = 7,79 b = 7,9 c = 5,56
Grupo espacial Pnnm
Propriedades físicas
Densidade 3,15
Dureza 7,0 a 7,5
Clivagem 3
Brilho Vítreo
Risca Incolor

A andaluzita (português brasileiro) ou andaluzite (português europeu) é um silicato de alumínio, com a fórmula química Al2SiO5.

Ocorrência[editar | editar código-fonte]

A andaluzita é um mineral comum em zonas de metamorfismo regional e se forma com baixas pressões e/ou temperaturas. Os minerais cianita e sillimanita são polimorfos da andaluzita, cada qual ocorrendo em regimes diferentes de temperatura-pressão, não ocorrendo pois em simultâneo na mesma rocha.

É transparente, de cor variável, prismática, fortemente pleocroica e usada como gema, embora raramente tenha mais de 2 quilates. É produzida principalmente no Brasil e no Sri Lanka. Dureza 7,0 a 7,5 e densidade 3,16 a 3,20.

A quiastolita é uma variedade de andaluzita cujos cristais contêm inclusões carbonosas em forma de cruz, sendo comum em algumas rochas metamórficas.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Branco, Pércio de Moraes, 2008, Dicionário de Mineralogia e Gemologia, São Paulo, Oficina de Textos, 608 p. il.

Detalhes[editar | editar código-fonte]

Lustre
Peso específico 3.16 - 3.20
Índice de refracção 1.641-1.648
Geminação Lamelar

Minerais relacionados[editar | editar código-fonte]

  1. Cianita
  2. Silimanita

Ligações externas[editar | editar código-fonte]