André LeBlanc

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

André LeBlanc (16 de janeiro de 1921, Haiti21 de dezembro de 1998, EUA) foi um desenhista histórias em quadrinhos (tanto em tiras, quanto em revistas em quadrinhos) haitiano que residiu e trabalhou por muitos anos no Brasil e nos Estados Unidos.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Trabalhou nos Estados Unidos como assistente de Will Eisner em The Spirit e com Sy Barry em O Fantasma[1] , ainda nos EUA, lecionou na The School of Visual Arts na cidade de Nova Iorque, depois, no Brasil, atuou em diversas publicações entre elas: Edição Maravilhosa (O Guarani, Ubirajara, A Moreninha, Menino de Engenho, Cangaceiros, etc.)[2] [3] , Clássicos Ilustrados da Literatura Brasileira, Morena Flor (personagem criada por ele), Capitão Atlas, Intellectual Amos (tira diária), ilustrou inúmeros livros de Monteiro Lobato na Editora Brasiliense[4] , Gibi e outros. Recebeu por seus feitos, a Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul.

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Gérson Fasano (17/02/2006). O Fantasma Comemora 70 anos. HQ Maniacs.
  2. Heitor Pitombo (07/11/2002). O mundo mágico dos quadrinhos invade a Biblioteca Nacional. Universo HQ.
  3. , Gonçalo Júnior Editora Companhia das Letras, A guerra dos gibis: a formação do mercado editorial brasileiro e a censura aos quadrinhos, 1933-1964, 123, 2004. ISBN 8535905820, 9788535905823
  4. QUADRINHOS - A arte maior de Le Blanc, Ivan e Euzébio. O Estado do Paraná (06/04/2003).
  5. a b c Carlos Patati (03/04/2011). André Le Blanc: um Discreto Gigante. Bigorna.net.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.