Andreas Osiander, o Velho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Andreas Osiander, o Velho
(1498-1552)

Andreas Osiander (19 de Dezembro de 149817 de Outubro de 1552) foi um teólogo luterano alemão.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Nascido na cidade de Gunzenhausen, na Francônia, Osiander estudou na Universidade de Ingolstadt antes de ser ordenado padre em 1520. No mesmo ano ele começou a trabalhar em um convento augustiniano na cidade de Nuremberg como Professor de Hebraico. Em 1522, ele foi eleito para a Igreja de São Lourenço em Nuremberg, e ao mesmo tempo declarou-se publicamente como sendo Luterano. Durante a Primeira Dieta de Nuremberg (em 1522), ele conheceu Alberto da Prússia, Grão-Mestre dos Cavaleiros Teutônicos, e que desempenhou um importante papel em sua conversão ao Luteranismo. Ele também desempenhou um papel proeminente no debate que resultou na adoção da Reforma pela cidade de Nuremberg em 1525, e nesse mesmo ano Osiander se casou.

Osiander participou do Colóquio de Marburgo (1529), da Dieta de Augsburgo (1530) e na assinatura dos artigos de Schmalkalden (1531). A Ínterim de Augsburgo em 1548 foi necessária para que ele deixasse Nuremberg, estabelecendo-se primeiro em Breslau, e mais tarde, em 1549, na cidade de Königsberg, como professor da recém fundada Universidade de Königsberg, nomeado por Alberto da Prússia. Osiander viveu e trabalhou em Königsberg até a sua morte em 1552. Lucas (1534–1604), filho de Osiander, e seus netos Andreas (1562–1617) e Lukas (1571–1638) também atuaram como teólogos. Sua sobrinha se casou com o futuro Arcebispo de Canterbury, Thomas Cranmer.

Ele atacou violentamente os anabatistas. Uma das primeiras vítimas da sua hostilidade era Hans Denck, que era o reitor da escola de São Sebaldo e se juntou a um grupo que estavam insatisfeitos com a pequena melhora na vida religiosa e civil provocada pela Reforma. Na instigação de Osiander um curso de ação foi adotado, que terminou em expulsão de Denck em 21 de janeiro 1525, e a proibição depois da venda da tradução dos Profetas feitas por Denck e Ludwig Haetzer, embora não houvesse ainda qualquer outra versão alemã e a tradução foi livre de qualquer coisa desagradável.

Obras[editar | editar código-fonte]

Osiander publicou uma versão corrigida da Vulgata, com notas, em 1522 e uma Harmonia dos Evangelhos em 1537. Em 1533, a Brandenburg-Nuernbergishe Kirchenordnung do ano 1533 foi publicada, e Osiander foi colaborador tanto na coleta de material como na edição final. Esta ordem combinada de adoração e catecismo foi a primeira obra a incluir a seção de Entradas do Catecismo Menor de Lutero, do qual Osiander é autor presumido.

Em 1543, Osiander supervisionou a publicação do livro De revolutionibus orbium coelestium (Sobre a Revolução das Esferas Celestes) escrita por Copérnico. Ele adicionou um prefácio sugerindo que o modelo descrito no livro não era necessariamente verdadeiro, ou mesmo provável, mas tinha a sua utilidade para fins computacionais. Esta certamente não era a opinião de Copérnico, que provavelmente não estava ciente desta informação que foi acrescentada. Como resultado, muitos leitores, ignorando que Osiander era o autor do prefácio, acharam que o próprio Copérnico não acreditava que a sua hipótese era realmente verdadeira.

Em 1550 Osiander publicou duas obras controversas, De Lege et Evangelio e De Justficatione. Nelas, ele estabelecia seu ponto de vista de que a justificação pela fé havia sido imposta (ao invés de ser atribuída) à humanidade pela divindade do Cristo, uma visão oposta à aquela de Martinho Lutero e João Calvino embora ele concordasse com a oposição fundamental do luteranismo à fé católica romana e ao calvinismo. Esses preceitos foram mantidos depois de sua morte por Johann Funck (1518-1566) (que era seu genro), mas que desapareceram depois de 1566.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Beck, Josef. Die Geschichts-Bücher der Wiedertäufer in Oesterreich-Ungarn. Vienna, 1883; reprinted Nieuwkoop: De Graaf, 1967: 40.
  • Heberle, Wilhelm Heberle. "Johann Denk und die Ausbreitung seiner Lehre." Theologische Studien und Kritiken 28 (1855): 835.
  • Hege, Christian and Christian Neff. Mennonitisches Lexikon, 4 vols. Frankfurt & Weierhof: Hege; Karlsruhe: Schneider, 1913-1967: v. III, 312 f.
  • Hege, Christian. Die Täufer in der Kurpfalz. Frankfurt, 1908: 25 ff.
  • Hirsch, E. Die Theologie des Andreas Osiander und ihre geschichtlichen Voraussetzungen. Göttingen, 1919.
  • Keller, Ludwig. Die Reformation und die älteren Reformparteien: in ihrem Zusammenhange dargestellt. Leipzig : S. Hirzel, 1885: 411-417.
  • Moller, W. Andreas Osiander, Leben und ausgewählte Schriften. Elberfeld, 1870: 116, 204, 245 f.
  • Schornbaum, Karl. Quellen zur Geschichte der Täufer, V. Band (Bayern, II. Abteilung). Gütersloh: C. Bertelsmann, 1951: 260.
  • Selle, G. von. Geschichte der Albertus-Universität zu Königsberg in Preussen. Königsberg, 1944.
  • Wiswedel, Wilhelm. Bilder and Führergestalten aus dem Täufertum. 3 vols. Kassel: J.G. Oncken Verlag, 1928-1952: v. II, 26-28.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Biografias em inglês: