Andrisco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Andrisco
Ἀνδρίσκος
Conhecido(a) por "pseudo-Filipe", Filipe VI da Macedônia
Nacionalidade macedônio

Andrisco, (em grego antigo: Ἀνδρίσκος - Andriskos) e, muitas vezes chamado de "pseudo-Filipe", foi o último rei da Macedônia (149 a.C. - 148 a.C.), e governante de Adramyttium na Eólia (no oeste da Anatólia).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Em 168 a.C., os romanos invadiram a Macedônia e destronaram o rei, Perseu, na Primeira Batalha de Pidna.

Em 149 a.C., Andrisco, naquele tempo apenas governante de Adramyttium, e afirmando ser filho de Perseu, anunciou sua intenção de retomar a Macedônia dos romanos.

Como sua primeira tentativa, Andrisco viajou para a Síria a fim de pedir ajuda militar para Demétrio Sóter da Síria. Demétrio ao invés de atender seu pedido, entregou-o aos romanos.

Andrisco escapou do cativeiro romano, e formou um exército com homens da Trácia. Com esse exército, invadiu a Macedônia e derrotou e matou o pretor romano Publius Juventius em 149 a.C. Andrisco então se declarou rei Filipe VI da Macedônia.

Em 148 a.C., Andrisco conquistou a Tessália e fez uma aliança com Cartago, trazendo assim a ira romana sobre ele. Em 148 a.C., no que os romanos chamaram de a Quarta Guerra Macedônica, Andrisco foi derrotado pelo pretor romano Quinto Cecílio Metelo Macedônico na Segunda Batalha de Pidna, e fugiu para a Trácia, cujo príncipe entregou-o para Roma, marcando assim o ponto final do reinado de Andrisco da Macedônia.

O breve reinado de Andrisco na Macedônia foi marcado pela crueldade e extorsão. Após isso, a Macedônia foi formalmente reduzida a uma província romana.

Referências