Anexo:Brasões de antigos territórios portugueses

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Este artigo trata dos brasões de armas dos antigos territórios portugueses de 1935 a 1975, e de alguns territórios portugueses de épocas mais remotas.

Antigas colónias[editar | editar código-fonte]

Os brasões das antigas colónias seguiam o seguinte padrão: a dextra, composta de prata com cinco escudetes de azul, cada um com cinco besantes de prata em aspa; e a ponta, de prata com cinco ondas de verde - pretendiam simbolizar a ligação à metrópole. A sinistra era de uma composição intrínseca ao território em questão.

Brasão Território Descrição Significado
Lesser coat of arms of Portuguese West Africa.svg Angola Em campo de púrpura, um elefante e uma zebra.1 Os dois animais fazem referência à formação colonial de Angola, sendo que o elefante foi tirado do brasão de Benguela, e a zebra faz, provavelmente, referência a Luanda, pois estas duas cidades foram as primeiras a serem fundadas pelos portugueses.[carece de fontes?]
Lesser coat of arms of Portuguese Cape Verde.svg Cabo Verde Em campo de verde, uma nau de quatro mastros de ouro com vela de prata, sobre três ondas de verde em prata.1
Lesser coat of arms of Portuguese India.svg Estado Português da Índia Em campo de ouro, uma roda de tortura em negro com oito lâminas e uma torre vermelha.1 Alusão ao martírio de Santa Catarina.2
Lesser coat of arms of Portuguese Guinea.svg Guiné Portuguesa Em campo de negro, um ceptro de ouro com uma cabeça de africano.1 Alusão ao ceptro utilizado por D. Afonso V, rei de Portugal à época da exploração da região.2
Lesser coat of arms of Portuguese Macau.svg Macau Em campo de azul, um dragão chinês de ouro, armado e linguado de vermelho com um dos escudetes do brasão português na dextra.1
Lesser coat of arms of Portuguese East Africa.svg Moçambique Em campo de prata, sete flechas verdes apontadas para baixo, amarradas por uma fita vermelha.1
Lesser coat of arms of Portuguese Sao Tome and Principe.svg São Tomé e Príncipe Em campo de vermelho, gotado de azul, uma roda de engenho-de-açúcar dourada.1
Lesser coat of arms of Portuguese Timor.svg Timor Português Em campo gironado de prata e negro, uma cruz florida em contraste, carregada com um dos escudetes da dextra.1 Cruz igual àquela que simboliza a ordem dos Dominicanos, responsáveis em grande parte pela colonização de Timor.2

Brasões anteriores a 1935[editar | editar código-fonte]

Brasão Território Descrição Significado
Primeiro brasão macau.PNG Macau O primeiro brasão de Macau era composto das armas reais portuguesas em escudo de prata, e em volta o letreiro: "Cidade do nome de Deus, não há outra mais leal".2
Lesser coat of arms of Portuguese Macau (Used until 1935).svg Macau Em campo de negro, um dragão. Dragão semelhante ao encontrado nas bandeiras do Império Chinês, anterior a 1911.[carece de fontes?]
Lesser coat of arms of Portuguese East Africa (Used until 1935).svg Moçambique Em campo de prata, franchado de vermelho, uma esfera armilar de ouro. Símbolo de D. Manuel I, durante reinado no qual os portugueses chegaram à África Oriental.[carece de fontes?]

Territórios pertencentes a Portugal antes do século XX[editar | editar código-fonte]

Brasão Território Descrição Significado
Blason of Bahia (ancient).svg Bahia Em escudo redondo português em campo de prata, uma pomba com um ramo de oliveira no bico.3 O símbolo remete à história dos primeiros tempos de colonização da região do atual estado da Bahia. Sua gradual ocupação pelo donatário Francisco Pereira Coutinho desencadeou violentos conflitos na área. Segundo a historiografia e livros de heráldica da época, o símbolo da pomba foi adotado em razão de se ter fundado a capital, Salvador, e esta ter trazido a paz e reconciliação àquela parte do Brasil.3
Blason of Benguela (ancient).svg Benguela Em escudo redondo de dourado, um elefante-africano em prata.2 Simboliza força e também faz alusão ao comércio de marfim local, importante fonte de renda da colônia.2
Brazil colonial blason.svg Brasil Em escudo redondo de prata, um pau-brasil de verde e uma cruz latina negra.4 5 Uma junção dos dois símbolos que deram nomes a essa terra: Vera Cruz e Brasil.5
Sri Lanka.PNG Ceilão Em campo de prata, a geografia da ilha, com montanhas e palmeiras, tendo um elefante-asiático ao centro.[carece de fontes?] Simboliza a força.[carece de fontes?]
Blason of Funchal (ancient).svg Funchal Em escudo redondo de campo azul, cinco pães de açúcar em prata, tendo um arpão em tenné, com ponta dourada ao centro do escudo.2
Blason of Goa (ancient).svg Goa Em campo de vermelho, uma mitra dourada, uma roda de azenha em tenné com oito pás e uma torre em prata.2 Alusão ao martírio de Santa Catarina.2
Guiné.PNG Golfo da Guiné (Guiné Equatorial) Em escudo redondo de prata, em primeiro plano uma Bombax, ou árvore-deus, desenraizada, tendo por fundo uma cena natural da região.[carece de fontes?] Foi sob uma dessas árvores onde se assinou o primeiro tratado entre Portugal e o governante local. Curiosamente tal escudo sobrevive como emblema oficial da independente Guiné Equatorial, sofrendo mínimas modificações.[carece de fontes?]
Escudo Ilha de Moçmbique.svg Ilha de Moçambique Em campo de prata, um feixe de sete flechas de verde, atadas por uma fita de vermelho, em contrachefe duas palmas de verde.2 Tudo em alusão ao martírio de São Sebastião, patrono da Ilha de Moçambique.2
Bardez-Salsete.svg Salsete Em escudo redondo de prata, uma roda de azenha em tenné com oito pás. Dentro da roda, o brasão de Portugal, em escudo redondo.2 Alusão ao martírio de Santa Catarina.2
Santiago Cabo Verde.PNG Santiago (Cabo Verde) Em escudo redondo de prata, dois ramos de purgueira cruzados e quatro castanhas dispostas em cruz.2
Blason of Sergipe (ancient).svg Sergipe Em escudo redondo de vermelho, um sol dourado com uma face humana ao centro.[carece de fontes?]
Terceira (1675).PNG Terceira Em escudo redondo de prata, uma Cruz de Cristo ao centro, tendo, ao pé desta, dois açores.2

Brasões da Nova Holanda[editar | editar código-fonte]

Os brasões a seguir foram criados pela administração de Maurício de Nassau, durante o período em que os Países Baixos dominaram parte do nordeste brasileiro. Tais símbolos foram solicitados pelas Câmaras de Justiça locais para selarem seus papéis com emblemas próprios.6

Brasão Território Descrição Significado
Blason of Alagoas (ancient).svg Alagoas Em escudo redondo de prata, três tainhas postas em pala.6 Significava a fartura do pescado.6
Itamaracá.PNG Itamaracá Em escudo redondo de prata, três cachos de uvas.6
Pernambuco captaincy.png Pernambuco Em escudo redondo de prata, uma donzela com uma cana-de-açúcar na mão direita, olhando sua imagem refletida em um espelho seguro por sua mão esquerda.6 Simbolizava a verdade.2
Brasão do Rio Grande do Norte no período colonial.png Rio Grande do Norte Em escudo redondo de dourado, uma ema, ave caraterística da região, tendo a seus pés três ondas em azul, branco e azul.6
Blason of Paraíba (ancient).svg Paraíba Em escudo redondo de azul, seis torrões de pão-de-açúcar dourados.6 Alusão à produção de açúcar, principal atividade econômica da região à época.6

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h Flags of the World – Brasões dos territórios ultramarinos
  2. a b c d e f g h i j k l m n o p LAGHANS, Almeida. "Armorial do Ultramar Português". Agência Geral do Ultramar, 2 volumes. 1966.
  3. a b DORNELLAS, Afonso Dornellas. Brasões das Villas e Cidades de Portugal, circa fins do século XVIII.
  4. MENDES, Francisco Coelho. "Tesouro da Nobreza", 1675.
  5. a b POLIANO, Luís Marques. Heráldica, pág. 229. Ed. GRD. Rio de Janeiro, 1986.
  6. a b c d e f g h Imagens da Formação Territorial do Brasil. Fundação Emílio Odebrecht.
  • LAGHANS, Almeida. "Armorial do Ultramar Português". Agência Geral do Ultramar, 2 volumes. 1966.
  • DORNELLAS, Afonso. Brasões das Villas e Cidades de Portugal, circa fins do século XVIII.