Cronologia das artes marciais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Espada japonesa mostrando a lâmina manga habaki e a mão guarda tsuba

Esta cronologia das artes marciais é desenvolvida para ajudar a descrever a história das artes marciais de uma forma linear. Muitos dos artigos sobre estilos particulares têm discussões sobre sua história. Este artigo é desenvolvido para ajudar a visualizar o desenvolvimento destas artes, para ajudar a compreender melhor a evolução dos estilos separados e ilustrar onde eles se inter-relacionam.

A história das artes marciais é um desafio para documentar com precisão, devido à falta de registros históricos, a natureza secreta da relação professor-aluno e das circunstâncias políticas durante grande parte da sua história. É provável que muitas técnicas foram aprendidas, esquecidas, e reaprendidas ao longo da história humana.

Idade do Cobre (4000 AC)[editar | editar código-fonte]

  • Século XL A.C. - Foi criado na China pelo lendário Jakus-Shu, um estilo de arte marcial chamado Chiao-Ti, hoje denominado Shuai Chiao ou Shuai Jiao, existem indícios que provem que é a primeira arte marcial do mundo. O Shuai Chiao é muito conhecido por ser um dos mais eficazes estilos de Wushu (Kung Fu).

Idade do Bronze (2000 à 1000 AC)[editar | editar código-fonte]

Idade do Ferro e Antiguidade[editar | editar código-fonte]

Muitas das artes marciais praticadas hoje têm suas raízes na Índia e na China, onde acredita-se que o início do amplo intercâmbio comercial e cultural tenha ocorrido por volta de 600 AC. Essa expansão do comércio para o Japão e Okinawa posteriormente, provavelmente resulutou no intercâmbio da técnica e da filosofia entre um subgrupo de praticantes de artes marciais há mais de dois mil anos. [1]

  • Século VIII AC - A Ilíada de Homero descreve muitas cenas de combate corpo-a-corpo em detalhes.
  • 300 AC - Fundação do Taoísmo, que mais tarde influênciou os estilos de artes marciais internas chinesas, como o Hsing-I Chuan e o Tai Chi Chuan, que envolvem o cultivo do chi e o estudo dos movimentos da natureza e dos animais.
  • 50 AC - Os mais antigos registros de artes marciais coreanas chamado Taekkyeon encontrado em pinturas nas Muyong-chong, um túmulo real da dinastia Koguryo. [2]
  • 72 DC - O Coliseu é inaugurado em Roma, proporcionando ao público o maior local de apresentação de artes marciais do mundo nos próximos 300 anos.
  • 477 DC - O primeiro monge Shaolin foi Batuo, um mestre dhyana indiano que foi à China em 464 DC para difundir os ensinamentos budistas.

Idade Média (500 à 1500)[editar | editar código-fonte]

  • 500 - O principal Templo Shaolin foi construído na base oeste da cadeia de montanhas chinesas Song Shan, sob as ordens do Imperador Hsiao-wen. Sucessivos imperadores chineses autorizaram monges lutadores à treinar no templo. Posteriormente, outros templos Shaolin são construídos na China.
  • 630 - Na Índia, arte em templo hindu mostra técnicas de combate desarmado.
  • 782 - O período Heian japonês começa. Espadas curvas chamadas de Tachi (espada grande) aparecem. Apesar dos samurais não aparecem tecnicamente até o século 12, na aparência estas são os primeiros espadas curvas vulgarmente reconhecidas como "espadas de samurai". [3]
  • 1156-1185 - A classe japonesa dos samurais surge durante o período de guerra entre as famílias Taira e Minamoto. O código de guerreiros do Bushido também emerge durante este tempo.
  • 1338 - Início do período Ashikaga japonês, durante o qual a casta samurai expande sua influência. Muitas escolas de esgrima florescem. O período termina em 1500.
  • 1400 - A China envia delegações para Okinawa, que então começa a negociar com a China e o Japão. A arte de combate desarmado de Okinawa chamado de "te" é provavelmente influenciada pelas artes marciais chinesas e japonesas ao longo dos próximos três séculos, formando a base para a arte moderna do caratê.
  • 1477 - O rei de Okinawa Sho Shin, influenciado pelos japoneses, [1] proíbe o porte de armas. Proibições semelhantes ocorreram no Japão em 1586. [1] Ambas as proibições aparentemente levaram para a clandestinidade o desenvolvimento das artes marciais, e podem ter incentivado as técnicas de combate desarmado desenvolvidas para uso contra soldados armados, tais como o jujutsu.

Início da Idade Moderna (1500 à 1800)[editar | editar código-fonte]

  • 1549 - Hayashizaki Minamoto nasce e mais tarde funda a arte do iaijutsu ou iaido, a arte do desenho e corte com a espada em um único movimento. Mestres sucessores de sua escola podem ser rastreados até os dias atuais.
  • 1600 - Uma espada samurai de estilo mais recente, chamada de katana ou daito, é amplamente utilizada.
  • 1600 - Escravos afro-brasileiros começar a desenvolver a arte da Capoeira.
  • 1674 - O exército do imperador chinês Kangxi queima o Templo Shaolin Song Shan, talvez devido a preocupações sobre a capacidade de sua força de combate. O templo é reconstruído, mas este evento perturba 1100 anos de treinamento concentrado nessa infra-estrutura. Acredita-se que muitos dos monges sobreviventes se mudaram para outros templos, espalhando ainda mais o estilo de luta de Shaolin. [1]
  • 1700 - Desenvolvimento do wing chun kung fu.
  • 1700 - Afrescos de templos chineses retratam monges do Templo Shaolin praticando combate desarmado. Os estilos te de Okinawa, e o Shaolin da China misturam-se, como parte do comércio entre os países.
  • 1750 - As técnicas da arte marcial chinesa do Tai Chi Chuan são escritas.
  • 1790 - O Muyedobotongji foi encomendado pelo rei Jeongjo da Coréia e escrito por Yi Deok-mu, Pak Je-ga, e Baek Dong-su. Vinte e quatro técnicas são descritas e ilustradas, das quais uma lida com o combate desarmado, vinte e uma lidam com a luta armada, e seis incluem habilidades eqüestres. Desenho de coreanos, chineses, japoneses e fontes, é um dos mais completos manuais militares pré-modernos da Ásia Oriental. [5]

Século XIX[editar | editar código-fonte]

  • 1882 - Jigoro Kano modifica o tradicional jujutsu japonês para desenvolver a arte do judô. Ele abre sua escola, Kodokan. Um dos seus métodos de treinamento, chamado randori, removeu as mais perigosas técnicas de luta tendo ênfase no grappling e submissão entre os alunos praticados com força total. Seus alunos ensinaram o judo usando o randori em todo o mundo durante o início do século XX.
  • 1893-1901 - Edward William Barton-Wright estuda jujutsu no Japão e cria o bartitsu ao retornar para a Inglaterra, um dos primeiros a introduzir as artes marciais japonesas no Ocidente e criador da primeira arte marcial conhecida que combina estilos de luta asiáticos e europeus.

Século XX[editar | editar código-fonte]

  • 1900 - Os soldados britânicos e americanos no Japão começam a aprender as técnicas de artes marciais do Exército japonês.
  • 1928 - Registros do Templo Shaolin são queimados, destruindo muitos documentos e registros dos primórdios das artes marciais.
  • Por volta da década de 1930 - O governo tailandês apresenta um código de regras e regulamentos para competições de muay thai (boxe tailandês). As luvas são obrigatórias, substituindo as cordas de cânhamo usadas antes da década de 1930. Classes de peso também são introduzidas e padronizadas.
  • 1935 - Karate torna-se o nome oficial das artes marciais de Okinawa, com base na tradicional arte do te (mão) e o termo kara (vazio ou desarmado).
  • 1936 - Gichin Funakoshi publica a primeira edição de seu livro Karate-Do Kyohan, que documenta muito da filosofia e os katas (formas) tradicionais do caratê moderno. Uma segunda edição foi publicada em 1973, muitos anos após sua morte em 1957. [7]
  • 1943 - O judô, o caratê e o kung fu (wushu) são oficialmente introduzido na Coréia, provavelmente começando a se misturar com as artes marciais coreanas.
  • 1945 - A primeira academia coreana, ou a escola de artes marciais, abre em Seul. Muitas outras escolas surgem. Militares coreanos recebem treinamento em artes marciais.
  • 1945 - Choi, Yong Sool viaja de volta à Coréia depois de morar no Japão com Sokaku Takeda. Ele começa a ensinar dai dong yusool (daito ryu aikijujutsu), que viria a ser conhecido como hapkido.
  • 1945 - A Segunda Guerra Mundial termina, com muitos soldados americanos e britânicos posicionados na Ásia e expostos às artes marciais. Isso inclui o norte-americano Robert A. Trias, que começou a ensinar artes marciais asiáticas em Phoenix, no Arizona.
  • 1955 - Em 11 de abril, o General Choi solicita um encontro entre mestres coreanos para unificar as artes marciais coreanas.
  • 1956 - Shimabuku realiza uma reunião com seus alunos e proclama o seu novo sistema como isshinryu.
  • 1957 - Taekwondo torna-se o nome oficial das artes marciais coreanas.
  • 1959 - Bruce Lee chega aos Estados Unidos e começa a ensinar kung-fu (wushu) para seu primeiro aluno, o afro-americano Jesse Glover, a primeira instância documentado de um ocidental que está sendo ensinado em artes marciais chinesas.
  • 1959 - A Korea Taekwondo Association (KTA) é formada.
  • 1975 - O livro de Bruce Lee O Tao do Jeet Kune Do é publicado após sua morte. Ele credita a influência do boxe e da esgrima ocidental no desenvolvimento de sua arte, entre outros.[8]
  • 1978 - O tukong moosul, desenvolvido por Jang Su-ok, é aprovado pelo Comando de Guerra Especial sul-coreano.[9] [10]
  • 1980 - O ashihara kaikan, um estilo de caratê de contato total, fundado por Ashihara Hideyuki. Muitas vezes é referido como "fighting karate" pelos seus praticantes.
  • 1983 - O nhat nam, uma arte marcial vietnamita, foi oficialmente apresentado pelo mestre das artes marciais Ngo Xuan Binh.
  • 1988 - O estilo da WTF de taekwondo torna-se um esporte de demonstração olímpico. Em 2000 se torna um esporte de medalhas completo.

Século XXI[editar | editar código-fonte]

  • 2001 - O Marine Corps Martial Arts Program (MCMAP) é formalizado nos Estados Unidos.

Referências

  1. a b c d Reid, Howard; Croucher, Michael. The Way of the Warrior: The Paradox of the Martial Arts.. Nova Iorque, NY: Overlook Press, 1983.
  2. Park, Yeon Hee. Tae Kwon Do. Nova Iorque, NY: Checkmark Books, 1999. p. 1.
  3. Shimbabukuro, Masayuki; Pellman, Leonard. Flashing Steel: Mastering Eishin-Ryu Swordsmanship. Berkeley, CA: Frog Ltd., 1995.
  4. Musashi, Miyamoto. The Book of Five Rings. Nova Iorque, NY: Shambhala, 2000. (Traduzido por Thomas Cleary)
  5. Yi Deok-mu; Pak Je-ga; Baek Dong-su. Muyedobotongji. Coréia: [s.n.], 1790. (Prefácio escrito pelo rei Jeongjo)
  6. Gracie, Renzo; Gracie, Royler. Brazilian Jiu-Jitsu. Montpelier, VT: Invisible Cities Press, 2001.
  7. Funakoshi, Gichin. Karate-Do Kyohan: The Master Text. 2°. ed. Tóquio: Kodansha International, 1973.
  8. Lee, Bruce; Lee, Linda. The Tao of Jeet Kun Do. Burbank, CA: O'Hara Publications, 1975.
  9. History of Tukong Moosul, 대한특공무술협회 (Korean).
  10. 장수옥. ㅌ특공무술이해(경호무도의 역할). 경호출판사, 2005.
Ícone de esboço Este artigo sobre artes marciais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.