Lista de agências espaciais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
  Operador de nave tripulada (lunar)
  Operador de estação espacial
  Operador de nave Tripulada (orbital)
  Operador de sondas interplanetária
  Capacidade de Lançamento
  Operador de Satélites
  Sem capacidade operacional

Esta é uma lista de agências espaciais governamentais engajadas em atividades relacionadas ao espaço exterior e à exploração espacial.

Agências espaciais internacionais/Globais[editar | editar código-fonte]

Organização das Nações Unidas (ONU)[editar | editar código-fonte]

O órgão da ONU que trata de assuntos relacionados com o espaço exterior é o OOSA (Office for Outer Space Affairs). A OOSA é uma organização da Assembléia Geral encarregada de implementar as políticas da Assembléia relacionadas com o espaço exterior. Está localizada no escritório da ONU em Viena, Áustria. Este órgão também oferece apoio à nações em desenvolvimento para uso de tecnologia espacial visando ao desenvolvimento econômico.


Agências espaciais internacionais/regionais[editar | editar código-fonte]

Agência espacial européia[editar | editar código-fonte]

A ESA, Agência Espacial Européia ("European Space Agency"), estabelecida em 1975, é uma organização inter-governamental dedicada à exploração do espaço com, atualmente, 17 estados membros (Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Noruega, Países Baixos, Portugal, Reino Unido, Suécia e Suíça). A sede central da ESA fica em Paris, na França. A ESA tinha um staff (excluindo agências espaciais nacionais) de cerca de 1900 funcionários com um orçamento de 3 bilhões de euros em 2005.

Agências espaciais nacionais[editar | editar código-fonte]

Agência Nome
(Na língua nativa)
Fundada em WebSite Capacidade Operacional
País Sigla Astronauta Operador de Satélities Foguetes de Sondagem Lançamento de Satélities Lançamento de Sondas Operador de Estação Nave Tripulada Orbital Nave Tripulada Lunar
 Alemanha DLR Deutsches Zentrum für Luft- und Raumfahrt (DLR) [3] Não Sim Não Não Não Não Não Não
 Argentina CONAE Comisión Nacional de Actividades Espaciales (CONAE) 1991 [4] Não Sim Não Não Não Não Não Não
 Austrália CSIRO Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation (CSIRO) [5] Não Sim Não Não Não Não Não Não
 Brasil AEB Agência Espacial Brasileira (AEB) 1994 [6] Sim Sim Sim Não Não Não Não Não
 Canadá ASC Canadian Space Agence (CSA; em francês: ASC) 1989 [7] Sim Sim Sim Não Não Não Não Não
 China CNSA Chinese National Space Administration (CNSA) [8] Sim Sim Sim Sim Sim Não Sim Não
 Coreia do Sul KARI Korea Aerospace Research Institute (KARI) Sim Sim Sim Sim Não Não Não Não
Flag of Spain.svg Espanha INTA Instituto Nacional de Técnica Aeroespacial (INTA) 1942 [9] Não Sim Sim Não Não Não Não Não
 Estados Unidos NASA National Aeronautics and Space Administration (NASA) 1958 [10] Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim
 França CNES Centre National d'Études Spatiales (CNES) 1961 [11] Sim Sim Sim Sim Sim Não Não Não
 Índia ISRO Indian Space Research Organization (ISRO) 1969 Sim Sim Sim Sim Sim Não Não Não
 Itália ASI Agenzia Spaziale Italiana (ASI) 1988 [12] Sim Sim Sim Não Não Não Não Não
 Japão JAXA Japan Aerospace eXploration Agency (JAXA) 2003 [13] Sim Sim Sim Sim Sim Não Não Não
 México AEXA Agencia Espacial Mexicana (AEXA) 2007 [14] Não Não Não Não Não Não Não Não
Países Baixos Holanda SRON Netherlands Institute for Space Research (SRON) Não Não Não Não Não Não Não Não
 Reino Unido UKSA UK Space Agency (UKSA) 2010 [15] Não Sim Sim Sim Sim Não Não Não
 Rússia Roscosmo Russian Federal Space Agency (RKA) 1992 [16] Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Não
 Suécia SNSB Swedish National Space Board (SNSB) Não Sim Sim Não Não Não Não Não
Suíça SSO Swiss Space Office (SSO) Não Não Não Não Não Não Não Não
 Ucrânia NSAU National Space Agency of Ukraine (NSAU) 1993 [17] Sim Sim Sim Sim Não Não Não Não

Capacidade de lançamento de satélites parcial: Capacidade de lançamento próprio em desenvolvimento através do projeto VLS e lançamento conjunto em parceira com a Ucrânia (Alcantara Cyclone Space).

A Nasa não tem capacidade de realizar missões lunares tripuladas na atualidade. A mesma foi a única agência espacial que conseguiu essa capacidade com o Projeto Apollo entre 1969-1972. O Programa Constellation que estava sendo desenvolvido pela Nasa para recuperar essa capacidade até 2020 foi cancelado pelo Presidente Barack Obama em 1 de fevereiro de 2010 [1] .

Atualmente a NASA não tem nenhum programa de naves tripuladas ativo. A mesma perdeu esta capacidade por causa do fim do programa de ônibus espaciais, dependendo apenas da nave russa Soyuz para realizar missões na ISS[2] .


Agências espaciais extintas[editar | editar código-fonte]

Agência Nome Fundada em Desativada em Capacidade operacional
País Sigla Astronauta Operador de Satélities Foguetes de Sondagem Lançamento de satélities Lançamento de sondas Operador de Estação Nave tripulada
orbital lunar
 União Soviética
Programa espacial soviético
1957
1991
Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Não


Maiores agências espaciais[editar | editar código-fonte]

  1. NASA $16 bilhões
  2. ESA $3.8 bilhões
  3. CNES (French space agency) $2.2 bilhões
  4. JAXA (Japan Aerospace Exploration Agency) $2.0 bilhões
  5. RKA (Russian Federal Space Agency) $1.3 bilhões
  6. DLR (German Aerospace Center) $1.0 bilhões
  7. ASI (Italian Space Agency) $900 milhões
  8. ISRO (Indian Space Research Organization) $815 milhões
  9. CNSA (Chinese National Space Administration) $500 milhões
  10. BNSC (British National Space Centre) $400 milhões
  11. INTA (Spanish space agency) $270 milhões
  12. Belgian (Science policy and space policy) $230 milhões
  13. SRON (Netherlands Institute for Space Research) $160 milhões
  14. KARI (Korea Aerospace Research Institute) $150 milhões
  15. SSO (Swiss Space Office) $110 milhões
  16. SNSB (Swedish National Space Board) $100 milhões
  17. AEB (Brazilian Space Agency) $100 milhões

Os orçamentos listados acima (em USD) são orçamentos oficiais obtidas das homepages das diferentes agências espaciais. Note que o orçamento chinês de $500 milhões de USD foi informado por Luo Ge, vice administrador da China National Space Administration.

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. Folha Online: "Obama inicia redução do deficit e sepulta ida à Lua em 2020". Página visitada em 4 de fevereiro de 2010. [1]
  2. Terra: Sem ônibus espaciais, Rússia prepara missão com americano à ISS [2]