Anexo:Lista de batalhas na série de livros As Crônicas de Nárnia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Question book.svg
Este anexo ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Wikitext.svg
Este anexo ou seção precisa ser wikificado (desde dezembro de 2011).
Por favor ajude a formatar este anexo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.

Este artigo é uma lista de batalhas nas Crônicas de Nárnia.

Batalha do Beruna[editar | editar código-fonte]

A batalha do Beruna e citada no livro As Crônicas de Nárnia: O leão a feiticeira e o guarda-roupa e relata o confronto entre o exercito de Aslam e o da Feiticeira Jadis que disputavam o trono de Nárnia, roubado por ela no ano 1000, instaurando assim um inverno de cem anos. O confronto formal ocorreu no Passo do Beruna, próximo do Grande Rio. Esta batalha foi significativamente uma das mais importantes para Narnia, já que reinstalou a paz perdida há tanto tempo para o povo narniano.

Batalha em Anvard[editar | editar código-fonte]

A batalha em Anvard e citada no livro “O cavalo e seu menino”, e relata o combate entre Rabadesh e Rei Luna da Arquelândia, sendo ajudado por Rei Edmundo e Rainha Lúcia de Nárnia. O objetivo principal de Rabadesh era conquistar Arquelândia e mais tarde Nárnia, pois anteriormente Susana prometida a ele, porem ela quebrara o acordo provocando a cólera do príncipe. Ao final da batalha os “amigos de Nárnia” vencendo a batalha levaram Rabadesh ao encontro de Aslam que o transformou em asno, sendo acunhado de “Rabadesh, o ridículo” e que o feitiço só estaria desfeito no festival que era anualmente dedicado ao deus Tash. Conta-se no livro que nunca houve na Calormânia um rei tão pacifico quanto Rabadesh, pois ele não podia se afastar do seu castelo sob pena de virar asno para sempre.

A Segunda Batalha do Beruna[editar | editar código-fonte]

A segunda batalha do Beruna e citada no livro As Crônicas de Nárnia: Príncipe Caspian, e relata o confronto entre as forças aliadas a Miraz e contra Miraz. Este confronto foi planejado para que Caspian, verdadeiro herdeiro do trono, fosse coroado rei. A disputa foi conquistada em duas partes, a primeira em confronto armado, e a segunda entre Rei Pedro e Miraz, sendo que esta foi decididamente a mais importante para esta ocasião. Ao Pedro vencer Aslam convocou os telmarinos de Nárnia a escolherem entre ficar em Nárnia ou voltarem para o nosso mundo, pois foi daqui que eles saíram. A grande Maioria resolveu sair, pois não queriam perder seus papeis de importância no estado e viver como cidadãos comuns.

A Batalha de Cair Paravel[editar | editar código-fonte]

Esta é a batalha referenciada no livro final da série, A última batalha. Conforme o andamento da batalha, todos os animais é mortos (muitos por anões, que atacam a ambos os lados) e Eustáquio, Jill e Poggin são lançados do estábulo onde o falso Aslan foi mantido. Tirian, anteriormente, tinha jogado Manhoso no estábulo e Tash, que engoliu o macaco todo. Tirian, deixada sozinho e luta por sua vida, arrasta Rishda Tarkaan, o líder do Calormanos, para o estábulo. Para a surpresa do líder Calormano e terror, Tash aparece e arrebata o até em um braço. Pedro, Edmundo, Eustáquio, Lucia, Jill, Polly e Digory aparecem antes deles, (Susana não aparece em Nárnia porque ela parou de acreditar nela, pensando apenas como algum jogo bobo infância). E Pedro ordena Tash deixar. Aslan aparece, e como eles vêem na porta estável, todas as pessoas e animais, incluindo aqueles que já haviam morrido, se reúnem fora do celeiro e são julgados por Aslan. Aqueles que foram leais a Aslan ou a moralidade sustentada por narnianos se juntar Aslan no País de Aslam. Aqueles que se opuseram ou abandonaram-se os animais normais e desaparecem a um lugar não mencionado.