Lista de encíclicas do Papa João XXIII

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Papa João XXIII emitiu oito Encíclicas Papais durantes seus cinco anos de mandato como Papa da Igreja Católica Romana, desde a sua eleição em 28 de outubro de 1958 até sua morte em 3 junho de 1963. Duas de suas encíclicas, Mater et Magistra e Pacem in Terris, são especialmente importantes.[1] [2] Uma Encíclica Papal é uma carta enviada pelo Papa, que é destinadas a Bispos da Igreja Católica Romana de uma determinada área ou do mundo inteiro.[3] [4] Encíclicas podem condenar erros, apontar ameaças à fé e a moral, exortar praticas aos fiéis, ou fornecer soluções para os perigos presentes e futuros para a Igreja. A autoridade da encíclica varia de acordo com as circunstâncias e não é necessariamente ex cathedra.[5] O título de uma encíclica papal é geralmente tomada a partir de suas primeiras palavras.[6]

A primeira encíclica do Papa João XXIII, Ad Petri Cathedram, foi emitida em oito meses de seu pontificado e não era nem um documento social importante, nem exposição doutrinal. Em vez disso, enfocou para a unidade, verdade, a paz com características de familiadade e preocupação.[6] A segunda, Sacerdotii Nostri Primordia, comemorou o 100 º aniversário da morte de São João Vianney, enquanto Grata Recordatio fala sobre o uso do Rosário. Princeps Pastorum, sua quarta encíclica, usa I Pedro 5, 4 como seu texto bíblico e celebra as missões Católicas Romanas.

Mater et Magistra, a quinta encíclica, foi criada a partir das ideias de Leão XIII na Rerum Novarum (1891), que tinha sido emitida 70 anos antes, e da encíclica Quadragesimo Anno (1931) de Pio XI. O impulso significativo na encíclica é a sua aplicação da teoria da Lei Natural para a comunidade internacional.[7] É uma das mais longas encíclicas, com mais de 25.000 palavras.[8] A sexta encíclica, Aeterna Dei Sapientia, celebra a morte do Papa Leão I e apelou para a unidade dentro da Cristandade que se encontram cercadas pelos movimentos externos, tais como o Comunismo e o secularismo.[9] A penúltima encíclica, Paenitentiam Agere, leva em consideração a penitência e o Concílio Vaticano II. A última encíclica de João XXIII, Pacem in Terris, foi escrita dois meses antes de sua morte. É longa e possui mais de 15.000 palavras e é a primeira vez na história que foi dirigida a "todos os homens de boa vontade", ao invés de apenas os bispos e leigos da Igreja Católica Romana. Foi saudado como "um dos documentos mais profundos e significativos da nossa era."[10]

Encíclicas[editar | editar código-fonte]

No. Latim Assunto Data Texto/ref
1.
Ad Petri Cathedram Conhecimento da verdade, restauração da unidade e da paz na caridade. 29 de junho de 1959 Texto
2.
Sacerdotii Nostri Primordia São João Maria Batista Vianney. 1 de agosto de 1959 Texto
3.
Grata Recordatio Sobre o Rosário: Oração para a Igreja, missões, os problemas internacionais e sociais. 26 de setembro de 1959 Texto
4.
Princeps Pastorum As missões católicas, o clero nativo, e a participação dos leigos. 28 de novembro de 1959 Texto
5.
Mater et Magistra Sobre o cristianismo e o progresso social. 15 de maio de 1961 Texto
6.
Aeterna Dei Sapientia Em comemoração do quinto centenário da morte do Papa Leão I. 11 de novembro de 1961 Texto
7.
Paenitentiam Agere Sobre a necessidade da pratica da penitência interior e exterior. 1 de julho de 1962 Texto
8.
Pacem in Terris Sobre o estabelecimento da paz universal, na verdade, a justiça, a caridade e a liberdade. 11 de abril de 1963 Texto

Referências

  1. "Vatican Revolutionary", TIME, 7 June 1963, http://www.time.com/time/magazine/article/0,9171,874758-1,00.html, visitado em 21 de maio de 2008 
  2. Pope John XXIII Biography L'Osservatore Romano (6 de setembro de 2000). Visitado em 11 de maio de 2008.
  3.   "Ecclesiastical Letters". Enciclopédia Católica. (1913). Nova Iorque: Robert Appleton Company. 
  4.   "Bulls and Briefs". Enciclopédia Católica. (1913). Nova Iorque: Robert Appleton Company. 
  5.   "Encyclical". Enciclopédia Católica. (1913). Nova Iorque: Robert Appleton Company. 
  6. a b "Ad Petri Cathedram", TIME, 13 de julho de 1959, http://www.time.com/time/magazine/article/0,9171,869179,00.html, visitado em 21 de maio de 2008 
  7. Brown, Robert McAfee; Moody, Joseph N.; Lawler, J. George (1964), "Review of The Challenge of Mater et Magistra" (subscription required), Review of Religious Research (Religious Research Association, Inc.) 6 (1): 44–45, doi:10.2307/3510885, "O impulso significativo na nova encíclica é a sua aplicação da teoria da lei natural para a comunidade internacional, e seu reconhecimento de que em nossa sociedade nova e complexa, haverá ocasiões mais do que no passado em que as atividades anteriormente realizadas por particulares terá de ser administrado pelo estado." 
  8. "Mater et Magistra", TIME, 21 de julho de 1961, http://www.time.com/time/magazine/article/0,9171,897825,00.html, visitado em 21 de maio de 2008 
  9. "A Shepherd Calls", TIME, 15 de dezembro de 1961, http://www.time.com/time/magazine/article/0,9171,827100,00.html, visitado em 21 de maio de 2008 
  10. "The Lasting Vision of Pope John", TIME, 26 de fevereiro de 1965, http://www.time.com/time/magazine/article/0,9171,833488,00.html, visitado em 21 de maio de 2008 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]