Anexo:Lista de governadores do Brasil colonial

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Esta é uma lista dos governadores e vice-reis do Brasil colonial.

O cargo de governador-geral foi criado pela primeira vez em 1549, por D. João III de Portugal, em favor de Tomé de Sousa. O título de vice-Rei foi instituído pela primeira vez em 1640, por Filipe III de Portugal, a favor de D. Jorge de Mascarenhas, Marquês de Montalvão.

Como acontecia na Índia Portuguesa, o título de vice-Rei só era, inicialmente, atribuído aos governadores-gerais pertencentes à mais alta fidalguia. Entre 1640 e 1719, foi atribuído somente três vezes: ao Marquês de Montalvão, ao Conde de Óbidos e ao Marquês de Angeja, tendo sido ainda nomeado Vice-Rei do Brasil D. Sancho Manuel de Vilhena, Conde de Vila Flor, mas que morreu antes de tomar posse do cargo. O título de vice-Rei só se tornou permanente a partir de 1719, com a nomeação de Vasco Fernandes César de Menezes, Conde de Sabugosa, muito embora não se conheça nenhum documento oficial que torne essse título permanente. No entanto alguns sustentem que tal terá ocorrido com a transferência de capital de Salvador da Baía para o Rio de Janeiro, em 1763, após uma vaga do cargo durante um período de três anos. O estatuto oficial do Brasil continuou a ser o de "Estado" - e não de "vice-Reinado" - mesmo sob o governo de vice-reis.

Em 22 de janeiro de 1808 o príncipe regente D. João chegou ao Rio de Janeiro, fugindo às invasões napoleónicas, e aí instalou a corte e a capital da Coroa de Portugal, cessando assim funções o então vice-Rei. Quase oito anos mais tarde, em dezembro de 1815, o Brasil era elevado da condição de Estado a Reino integrado na Coroa de Portugal, formando-se assim o chamado Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves.

Nome Imagem Cargo Início do mandato Fim do Mandato Observações Referências
Tomé de Sousa Tomedesousa.jpg Governador 7 de julho de 1549 1 de maio de 1553 [1] [2] [3]
Duarte da Costa Governador 1 de maio de 1553 3 de janeiro de 1558 [4]
Mem de Sá Mem-de-sa.jpg Governador 3 de janeiro de 1558 2 de março de 1572 [5] [6]
Território dividido em dois governos-gerais, um ao Norte na Bahia e outro ao Sul no Rio de Janeiro (1572-1578)
Luís de Brito e Almeida Governador na Bahia 10 de dezembro de 1572 12 de abril de 1578 [7] [8]
Antônio Salema Governador no Rio de Janeiro 1574 1577 [9]
Reunificação do governo-geral na Bahia (1578)
Lourenço da Veiga Governador-geral 12 de abril de 1578 17 de junho de 1581 [10] [11] [12]
[13] [14]
Cosme Rangel de Macedo
António Barreiros
Junta governativa 17 de junho de 1581 11 de maio de 1582 [10]
Manuel Teles Barreto Governador-geral 11 de maio de 1582 9 de maio de 1587 [10] [15]
[12] [16]
Antônio Barreiros
Cristóvão de Barros
António Coelho de Aguiar
Junta governativa 9 de maio de 1587 1592 [10] [17]
[18] [19]
Francisco de Sousa
Marquês das Minas
Governador-geral 1592 1 de abril de 1602 [20]
Diogo Botelho Governador-geral 1 de abril de 1602 1607 [21] [22] [23]
Território dividido em dois governos-gerais, um ao Norte na Bahia e outro ao Sul no Rio de Janeiro (1608-1612)
Diogo de Meneses e Sequeira Governador-geral na Bahia 1608 22 de agosto de 1612
Francisco de Sousa
marquês das Minas
Governador-geral no Rio de Janeiro 1609 1611 [24]
Reunificação do governo-geral na Bahia (1612)
Gaspar de Sousa Governador-geral 1613 1 de janeiro de 1617 [10] [25]
[26] [27]
Luís de Sousa,
conde do Prado
Governador-geral 1 de janeiro de 1617 12 de outubro de 1621
Diogo de Mendonça Furtado Governador-geral 12 de outubro de 1621 26 de julho de 1624
Marcos Tejeira
Antón de Mesquita Oliveira
Junta governativa 1624 1625
Francisco de Moura Rolim Governador-geral 1625 1626
Autonomização da Capitania do Maranhão, elevada à dignidade de Estado do Maranhão (1621)
Diogo Luís de Oliveira Governador-geral 28 de dezembro de 1626 11 de dezembro de 1635
Pedro da Silva,
conde de São Lourenço
Governador-geral 11 de dezembro de 1635 23 de janeiro de 1639 [28]
Fernando de Mascarenhas,
conde da Torre
Governador-geral 23 de janeiro de 1639 1640
Vasco de Mascarenhas,
conde de Óbidos
Vasco de Mascarenhas, 1.º Conde de Óbidos (recorte).jpg Governador-geral 1640 26 de maio de 1640
Jorge de Mascarenhas,
marquês de Montalvão
Vice-rei 26 de maio de 1640 16 de abril de 1641
Pedro da Silva Sampaio
Luís Barbalho Bezerra
Lourenço de Brito Correia
Junta governativa provisória 16 de abril de 1641 14 de julho de 1642
Antônio Teles da Silva Governador-geral 1642 26 de dezembro de 1647
António Teles de Meneses,
conde de Vila Pouca de Aguiar
Governador-geral 26 de dezembro de 1647 10 de março de 1650
João Rodrigues de Vasconcelos e Sousa,
conde de Castelo Melhor
Governador-geral 10 de março de 1650 14 de dezembro de 1654
Jerónimo de Ataíde, 6.º Conde de Atouguia Governador-geral 14 de dezembro de 1654 20 de junho de 1657
Francisco Barreto de Meneses Governador-geral 20 de junho de 1657 21 de julho de 1663
Vasco de Mascarenhas,
conde de Óbidos
Vasco de Mascarenhas, 1.º Conde de Óbidos (recorte).jpg Vice-rei 21 de julho de 1663 13 de junho de 1667
Alexandre de Sousa Freire Governador-geral 13 de julho de 1667 8 de maio de 1671
Afonso Furtado de
Castro de Mendonça

visconde de Barbacena
Governador-geral 8 de maio de 1671 26 de novembro de 1675
Agostinho de Azevedo Monteiro
lvaro de Azevedo
Antônio Guedes de Brito
Junta governativa provisória 26 de novembro de 1675 5 de março de 1678
Roque da Costa Barreto Governador-geral 5 de março de 1678 23 de maio de 1682
Antônio de Sousa Meneses Governador-geral 23 de maio de 1682 4 de junho de 1684
António Luís de Sousa Telo de Meneses,
marquês das Minas
Governador-geral 4 de junho de 1684 4 de junho de 1687
Matias da Cunha Governador-geral 4 de junho de 1687 24 de outubro de 1688
Manuel da Ressurreição
(presidente)
Junta governativa 24 de outubro de 1688 8 de outubro de 1690
Antônio Luís Gonçalves da Câmara Coutinho Governador-geral 8 de outubro de 1690 22 de maio de 1694
João de Lencastre Governador-geral 22 de maio de 1694 3 de julho de 1702
Rodrigo da Costa Governador-geral 3 de julho de 1702 8 de setembro de 1705
Luís César de Meneses Governador-geral 8 de setembro de 1705 3 de maio de 1710
Lourenço de Almada Governador-geral 3 de maio de 1710 14 de outubro de 1711
Pedro de Vasconcelos e Sousa Governador-geral 14 de outubro de 1711 14 de outubro de 1714
Pedro António de Meneses Noronha de Albuquerque,
marquês de Angeja
Vice-rei 14 de outubro de 1714 11 de junho de 1718
Sancho de Faro e Sousa,
conde de Vimieiro
Governador-geral 21 de agosto de 1718 13 de outubro de 1719
Sebastião Monteiro da Vide
Caetano de Brito e Figueiredo
João de Araújo e Azevedo
Junta governativa provisória 14 de outubro de 1719 23 de novembro de 1720
Vasco Fernandes César de Meneses,
conde de Sabugosa
Vice-rei 23 de novembro de 1720 11 de maio de 1735
André de Melo e Castro,
Conde das Galveias
Vice-rei 11 de maio de 1735 17 de dezembro de 1749
Luís Pedro Peregrino de Carvalho e Ataíde,
conde de Atouguia
Vice-rei 17 de dezembro de 1749 17 de agosto de 1754
José Botelho de Matos
Manuel António da Cunha Souto Maior
Lourenço Monteiro
Junta de governo provisória 17 de agosto de 1754 23 de dezembro de 1755
Marcos José de Noronha e Brito,
conde dos Arcos
Vice-rei 23 de dezembro de 1755 9 de janeiro de 1760
António de Almeida Soares Portugal,
marquês do Lavradio
Vice-rei 9 de janeiro de 1760 4 de julho de 1760
Tomás Rubi de Barros Barreto
José Carvalho de Andrade
Barros e Alvim
Junta governativa provisória 4 de julho de 1760 27 de junho de 1763
Transferência da capital da Bahia para o Rio de Janeiro (1763)
Antônio Álvares da Cunha,
conde da Cunha
Antônio Álvares da Cunha - Conde da Cunha.jpg Vice-Rei e Capitão-General de Mar e Terra do Estado do Brasil[29] 27 de junho de 1763 31 de agosto de 1767 [30]
Antônio Rolim de Moura Tavares,
conde de Azambuja
Antônio Rolim de Moura Tavares.jpg Vice-rei 17 de novembro de 1767 4 de novembro de 1769 [31] [32]
Luís de Almeida Portugal Soares de Alarcão d'Eça e Melo Silva Mascarenhas,
marquês do Lavradio e conde de Avintes
Luís de Almeida Soares Portugal de Alarcão d'Eça e Melo Silva Mascarenhas.jpg Vice-rei 4 de novembro de 1769 30 de abril de 1778 [33]
Extinção do Estado do Grão-Pará e Rio Negro e do Estado do Maranhão e Piauí, e sua incorporação ao Estado do Brasil (1775)
Luís de Vasconcelos e Sousa, 4.º Conde de Figueiró LuisVasconcelosSousa-LeandroJoaquim-XVIII-MHN.jpg Vice-rei 30 de abril de 1778 9 de maio de 1790 [34] [35] [36]
José Luís de Castro,
conde de Resende
José Luís de Castro conde de Resende.jpg Vice-rei 9 de maio de 1790 14 de outubro de 1801
Fernando José de Portugal e Castro,
marquês de Aguiar
Pes 13656.jpg Vice-rei 14 de outubro de 1801 14 de outubro de 1806
Marcos de Noronha e Brito,
conde dos Arcos
Marcosdenoronha.jpg Vice-rei 14 de outubro de 1806 22 de janeiro de 1808

Referências

  1. Governo de Tomé de Sousa. http://www.mundoeducacao.com. Página visitada em 9 de setembro de 2013.
  2. Tomé de Sousa. http://www.brasilescola.com. Página visitada em 9 de setembro de 2013.
  3. Tomé de Sousa. http://www.suapesquisa.com. Página visitada em 9 de setembro de 2013.
  4. Duarte da Costa. http://www.brasilescola.com. Página visitada em 9 de setembro de 2013.
  5. Governo de Mem de Sá (1558 – 1572). http://cvc.instituto-camoes.pt. Página visitada em 23 de julho de 2013.
  6. Mem de Sá. http://www.historiabrasileira.com. Página visitada em 23 de julho de 2013.
  7. VICENTE, "História do Brasil, 1500-1627" de 1982 com 437 páginas, citado na página 140.
  8. "Grande enciclopédia portuguesa e brasileira" de 1936, citado na página 60.
  9. Biblioteca Lusitana, de Diogo Barbosa Machado, tomo I, página 383
  10. a b c d e WORLD STATESMEN.org (em inglês)
  11. pitoresco.com (em português)
  12. a b Medeiros Barbosa, Maria de Fátima. As letras e a cruz: pedagogia da fé e estética religiosa na experiência missionária de José de Anchieta, S.I. (1534-1597) (em português). Roma: Editrice Pontificia Università Gregoriana, 2006. Capítulo: IV. , 461 p. p. 334-335. ISBN 9788878390560 Página visitada em 2 de março de 2011.
  13. Medeiros Barbosa, Maria de Fátima. As letras e a cruz: pedagogia da fé e estética religiosa na experiência missionária de José de Anchieta, S.I. (1534-1597) (em português). Roma: Editrice Pontificia Università Gregoriana, 2006. Capítulo: IV. , 461 p. p. 334-335. ISBN 9788878390560 (citando ANCHIETA, J. "Breve Informação do Brasil - 1584", in TH, 41; LEITE, S. "História", II, 155; VIOTTI, H.A. "Anchieta", 190-191; CARDOSO, A. "Um Carismático", 255) Página visitada em 2 de março de 2011.
  14. portugalweb.net (em português)
  15. Klick Educação (em português)
  16. Moniz Bandeira. O feudo: a Casa da Torre de Garcia d'Ávila : da conquista dos sertões à independência do Brasil (em português). São Paulo: Editora Record, 2000. Capítulo: III. , 601 p. p. 133. ISBN 9788520005231 Página visitada em 9 de setembro de 2013.
  17. MultiRio. A União Ibérica e a Expansão Oficial. Página visitada em 9 de setembro de 2013.
  18. José Maria da Silva Paranhos Júnior,Barão do Rio Branco,Efemérides brasileiras ,publicado de 1891 até 1916 e republicado pelo Sénado brasileiro em 1999
  19. Francisco Adolfo de Varnhagen, Visconde de Porto Seguro, História Geral do Brasil ed. Melhoramentos
  20. "O Epos Bandeirante e São Paulo Vila e Cidade" in Ensaios Paulistanos, 1958, p. 627.
  21. Vicente do Salvador. História do Brasil, 1627
  22. Hermann, J. No reino do desejado. São Paulo: Companhia das Letras, 1998
  23. Vainfas, Ronaldo (direção). Dicionário do Brasil Colonial: 1500 - 1808. Rio de Janeiro: Ed. Objetiva, 2000
  24. "O Epos Bandeirante e São Paulo Vila e Cidade" in Ensaios Paulistanos, 1958, p. 627.
  25. Pereira, João Félix. Chorographia do Brazil (em português). Lisboa: Imprensa de Lucas Evangelista, 1854. 349 p. p. 115-116. Página visitada em 9 de setembro de 2013.
  26. Jaboatão, Antônio de Santa Maria. Novo orbe serafico brasilico ou Chronica dos frades Menores da provincia do Brasil (em português). Rio de Janeiro: Typografia brasiliense de Maximiano Gomes Ribeiro, 1858. Capítulo: XIV. , 349 p. p. 182-187. 2 vol. vol. 1. (livro de 1761) Página visitada em 3 de março de 2011.
  27. Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (em português).
  28. São Lourenço (Pedro da Silva, 1.º conde de).. http://www.arqnet.pt/dicionario/saolourenco1c.html Portugal - Dicionário Histórico. Página visitada em 9 de setembro de 2013.
  29. Anais do Congresso, comemorativo do bicentenário da transferência da sede do govêrno do Brasil da cidade do Salvador para o Rio de Janeiro. Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Vol. 4, p. 139.
  30. http://www.geneall.net/P/per_page.php?id=29194
  31. Quem foi Rolim de Moura?. http://www.supermercadostrento.com.br. Página visitada em 9 de setembro de 2013.
  32. O fantástico Rolim de Moura. http://www.gentedeopiniao.com.br. Página visitada em 9 de setembro de 2013.
  33. 1769 – 1779: D. LUÍS DE ALMEIDA PORTUGAL SOARES D’EÇA ALARCÃO DE MELO E SILVA MASCARENHAS (MARQUÊS DE LAVRADIO). http://www.pensario.uff.br identidades do Rio. Página visitada em 10 de setembro de 2013.
  34. MACEDO, Joaquim Manuel de, Anno biographico brazileiro (v.1), Typographia e litographia do imperial instituto artístico, Rio de Janeiro, 1876.
  35. d.Luís de Vasconcelos. http://www.passeiopublico.com. Página visitada em 10 de setembro de 2013.
  36. Vasconcelos e Sousa (Luís de).. http://www.arqnet.pt Portugal - Dicionário Histórico. Página visitada em 10 de setembro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]