Lista de monarcas do Império Alemão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Deutscher Kaiser
Imperador alemão
Wappen Deutsches Reich - Reichswappen (Grosses).svg
Brasão de armas imperial
Wilhelm II. 1905.jpeg
Guilherme II
Dinastia: Hohenzollern
Primeiro Monarca: Guilherme I
Último monarca: Guilherme II
Estilo: Sua Majestade imperial e real
Residência oficial: Berliner Stadtschloss
Formação: 18 de janeiro de 1871
Extinção: 28 de novembro de 1918
Pretendente atual: Jorge Frederico da Prússia
Lista oficial: Gallery of kings

O Imperador alemão (em alemão: Deutscher Kaiser) foi o título oficial do chefe de estado do Império Alemão, na qual era ocupado pelo rei da Prússia. O título foi criado em 1871 para Guilherme I da Prússia, quando a Confederação da Alemanha do Norte, após a vitória da Prússia sobre a França na Guerra franco-prussiana, tornou-se um império,[1] até 1918, quando acabou a Primeira Guerra Mundial (culminado a derrota da Alemanha) e eclodiu a Revolução Alemã,[2] derrubando a monarquia, na qual as funções do Kaiser foram transmitidas para o Reichspräsident ("Presidente do Reich") da República de Weimar. Ao todo foram três monarcas.

História[editar | editar código-fonte]

Desde 1806 que os estados alemães estavam fragmentados, em decorrência do fim do Sacro Império Romano Germânico.[3] Após 1815, esses estados foram chefiados pela Áustria, na Confederação Germânica, e a partir de 1866 pela Prússia, na Confederação da Alemanha do Norte, sucessora da Confederação Germânica, mas com a expulsão da Áustria e Baviera.

A supremacia entre a Prússia e Áustria era disputada desde a criação da Confederação Germânica, em 1815 pelo Congresso de Viena, entretanto, a partir de 1850, a Prússia era superior aos austríacos economicamente, mas a liderança política só veio em 1862, quando o rei de Guilherme I da Prússia fez um reforma militar.

A unificação foi concretizada por Otto von Bismarck, O chanceler de ferro, ministro presidente do Reino da Prússia, que para formar a unidade alemã, desprezou os recursos do liberalismo político, preferindo a política da força.[4]

Proclamação de Guilherme I[editar | editar código-fonte]

Guilherme I recebeu o título imperial em 18 de janeiro de 1871, na Galeria dos Espelhos, no Palácio de Versalhes, faltando cinco meses para que acabasse a guerra com a França. O título foi cuidadosamente escolhido por Bismarck, entretanto, o novo imperador alemão (assim proclamado) aceitou com "má vontade", não só por achar o titulo prussiano "muito maior" que o alemão, reclamando ao seu filho Frederico que foi "forçado a deixar a brilhante coroa prussiana por esta coroa suja", mas também por preferir Imperador da Alemanha, que, no entanto, era inaceitável para os monarcas federados e também teria sinalizado uma reivindicação de terras fora do seu reino (Áustria, Suíça, Luxemburgo, etc.).

Abdicação de Guilherme II[editar | editar código-fonte]

Em 3 de novembro de 1918, com influência na Revolução Russa de 1917, com um ideal internacionalista fomentado pela Internacional Comunista, e a crise econômica causada pela Primeira Guerra Mundial abalavam a Alemanha. Com a Revolução, os comunistas conseguiram no sul da Alemanha fundar a República Soviética da Baviera, e tentaram expandir o movimento. Entretanto, foi um governo breve, onde foi sufocado pelo governo social-democracia, suprimindo a extrema esquerda.

Após o rebentar da Revolução Alemã, Guilherme II não conseguia decidir se o melhor seria abdicar ou não. Até certo ponto, aceitou que o mais provável era ter de prescindir da coroa imperial, mas ainda tinha esperanças de conseguir manter o trono da Prússia. Esta crença tornou-se irreal quando, na esperança de preservar a monarquia perante crescente agitação revolucionária, o chanceler, o príncipe Max de Baden, anunciou que Guilherme iria abdicar de ambos os títulos a 9 de novembro de 1918. Até o príncipe Max foi forçado a abdicar do seu título nesse mesmo dia quando se tornou claro que apenas Friedrich Ebert, líder do Partido Social-Democrata (SPD), conseguia exercer algum tipo de controlo efetivo.

Imperadores alemães (1871 - 1918)[editar | editar código-fonte]

O rei Guilherme I da Prússia foi proclamado imperador em 1871. Os únicos três imperadores da Alemanha eram da Casa de Hohenzollern, além de intitularem Kaiser (que veio do latim Cæsar e significa imperador). Ambos também governavam a Prússia.

Nome Retrato Nascimento Casamento(s) Morte Ref
Guilherme I
18 de janeiro de 1871
– 9 de março de 1888
Kaiser Wilhelm I. .JPG 22 de março de 1797
filho de Frederico Guilherme III da Prússia e Luísa de Mecklemburgo-Strelitz
Augusta de Saxe-Weimar
11 de Junho de 1829
2 filhos
9 de março de 1888
90 anos
[5]
Frederico III
9 de Março de 1888 –
15 de Junho de 1888
Friedrich 3º.jpg 18 de outubro de 1831
filho de Guilherme I da Alemanha e Augusta de Saxe-Weimar
Vitória, Princesa Real do Reino Unido
25 de janeiro de 1858
8 filhos
15 de junho de 1888
56 anos
[6]
Guilherme II
15 de junho de 1888 –
9 de novembro de 1918
(abdicou)[2]
Kaiser Wilhelm Ii and Germany 1890 - 1914 HU68367.jpg 27 de janeiro de 1859
filho de Frederico I da Alemanha e Vitória, Princesa Real do Reino Unido
Augusta Vitória de Schleswig-Holstein
27 de Fevereiro de 1881
7 filhos
3 de junho de 1941
82 anos
[7]
Hermínia Reuss de Greiz
5 de Novembro de 1922
sem filhos

Imperadores titulares (1918 - presente)[editar | editar código-fonte]

Após a abdicação de Guilherme II em 1918, ele continuou sendo o chefe da Casa de Hohenzollern, imperador e rei titular e chefe da Família real da Prússia até sua morte em 1941, sendo sucedido por Guilherme da Alemanha, seu filho.

Os líderes sucessores do último Kaiser são chamados de Sua Alteza Imperial e Real, ou simplesmente Senhor. O atual chefe da dinastia é Jorge Frederico da Prússia, trineto de Guilherme II.

Para os sucessores de Jorge ao trono, veja Linha de sucessão ao trono alemão.

Nome Retrato Nascimento Casamento(s) Morte Ref
Guilherme Hohenzollern
(Guilherme II)

9 de novembro de 1918 –
3 de junho de 1941
Kaiser Wilhelm Ii and Germany 1890 - 1914 HU68367.jpg 27 de janeiro de 1859
filho de Frederico I da Alemanha e Vitória, Princesa Real do Reino Unido
Augusta Vitória de Schleswig-Holstein
27 de Fevereiro de 1881
7 filhos
3 de junho de 1941
82 anos
[7]
Hermínia Reuss de Greiz
5 de Novembro de 1922
sem filhos
Guilherme da Prússia
(Guilherme III)

3 de junho de 1941
– 20 de julho de 1951
Germany Before the First World War 1890 - 1914 HU68364.jpg 6 de maio de 1882
filho de Guilherme II da Alemanha e Augusta Vitória de Schleswig-Holstein
Cecília de Mecklemburgo-Schwerin
6 de Junho de 1905
6 filhos
20 de julho de 1951
69 anos
[8]
Luís Fernando da Prússia
20 de julho de 1951 –
26 de setembro de 1994
Louis ferdinand c1930.jpg 18 de outubro de 1831
filho de Guilherme, Príncipe Herdeiro da Alemanha e Cecília de Mecklemburgo-Schwerin
Kira Kyrillovna da Rússia
4 de maio de 1938
7 filhos
24 de setembro de 1994
86 anos
[9]
Jorge Frederico da Prússia
26 de setembro de 1994 –
presente
Georg Friedrich Prinz von Preussen.jpg 10 de junho de 1976
filho de Luís da Prússia e Donata Emma de Castell-Rüdenhausen
Sofia Joana de Isenburg
21 de janeiro de 2011
2 filhos
[10]

Titulatura régia[editar | editar código-fonte]

Ambos os três imperadores, entre 1871 e 1918, ostentavam os mesmos titulos:

Sua Majestade imperial e real, Pela graça de Deus, Imperador alemão, Rei da Prússia, Marquês do Brandemburgo, Burgrave de Nuremberg e Conde de Hohenzollern, Soberano e Duque Superior da Silésia e do Condado de Glat, Grão-Duque do Baixo Reno e da Posnânia, Duque da Saxônia, Vestfália e Engern, da Pomerânia, Luneburgo, Holstein e Schleswig, de Magdeburgo, Bremen, Clève, Jülich e Berg, Wenden e Kaschuben, de Krossen, Lauemburgo e Mecklemburgo, conde de Hesse e da Turíngia, marquês de Lusácia Superior e Inferior, Príncipe-Herdeiro de Orange, Príncipe de Rügen, Frísia Oriental, Padernborn e Pyrmont, Halberstadt, Münster, Minden, Osnabruque, Hildesheim, Verden, Kammin, Fulda, Nassau e Mörs, Conde de Heneberga, Conde de Marca e de Ravensberg, Hohenstein, Tecklenburg e Linden, de Mansfeld, Sigmarigen e Veringen, Senhor de Frankfurt.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. 1871: Fundação do Império Alemão (22 de Abril de 2012). Visitado em 12 de novembro de 2013.
  2. a b Revolução Alemã. Visitado em 29 de junho de 2014.
  3. O fim do Sacro Império (em português) UOL - Educação. Visitado em 15 de dezembro de 2013.
  4. Otto von Bismarck - Biografia (em português) UOL - Educação. Visitado em 15 de dezembro de 2013.
  5. Guilherme I. Visitado em 26 de novembro de 2013.
  6. Frederico III. Visitado em 26 de novembro de 2013.
  7. a b Guilherme II. Visitado em 29 de junho de 2014.
  8. Guilherme, o Príncipe-herdeiro. Visitado em 26 de novembro de 2013.
  9. Luís Fernando da Prússia. Visitado em 26 de novembro de 2013.
  10. Jorge Frederico da Prússia. Visitado em 26 de novembro de 2013.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]