Anexo:Lista de palíndromos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde março de 2009).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

Palíndromo é a frase ou palavra que mantém o mesmo sentido quando lida de trás pra frente. A princípio uma lista de palíndromos pode parecer cultura inútil, mas a verdade é que os palíndromos são expressões muito utilizadas na literatura e na publicidade porque são mais fáceis de memorizar, mesmo que o leitor/consumidor não perceba que é um palíndromo.

Palavras[editar | editar código-fonte]

Uma palavra[editar | editar código-fonte]

  1. aça
  2. acaçá
  3. Ada
  4. afã
  5. aia
  6. ala
  7. ama
  8. Ana/anã
  9. anilina
  10. ara
  11. arara
  12. asa
  13. ata
  14. aviva
  15. ele
  16. esse
  17. mamam
  18. matam
  19. metem
  20. oco
  21. omissíssimo
  22. Omo
  23. osso
  24. Oto
  25. Otto
  26. ovo
  27. racificar
  28. radar
  29. reger
  30. raiar
  31. ralar
  32. ramar
  33. rapar
  34. rasar
  35. reler
  36. reter
  37. rever
  38. reviver
  39. rir
  40. rodador
  41. rotor
  42. sacas
  43. saias
  44. salas
  45. sanas(â)
  46. sapas
  47. saras
  48. sararás
  49. seres
  50. socos
  51. somávamos
  52. somámos
  53. sopapos

Nomes de pessoas[editar | editar código-fonte]

  1. Ada
  2. Ana
  3. Anna
  4. Bob
  5. Ebbe
  6. Elle
  7. Eve
  8. Hannah
  9. Menem
  10. Natan
  11. Nauan
  12. Neven
  13. Oto
  14. Otto
  15. Raiar
  16. Renner
  17. Mussum
  18. Bauab
  19. Rever
  20. Lael Leal

Nomes de lugares[editar | editar código-fonte]

  1. Neuquén (Cidade argentina)
  2. Mutum (Cidade mineira)
  3. Acaiaca (Cidade mineira)
  4. Muçum (Cidade gaúcha)
  5. Mirim (Bairro de Imbituba,SC)
  6. Itati (Cidade gaúcha)

Anagramas[editar | editar código-fonte]

Atenção: Nem todos os anagramas formam palíndromos!

  1. Ailen - Nélia
  2. abas - sabá
  3. acará - araçá
  4. acém - Meca
  5. aço - oca
  6. Adnan - Nanda
  7. ágil - liga
  8. alas - sala
  9. além - mela
  10. Alani - inala
  11. alô - olá
  12. amam - mama
  13. amor - Roma
  14. amor - romã
  15. amora - aroma
  16. ame - ema
  17. anal - Lana
  18. anel - Lena
  19. anelem - melena
  20. anil - Lina
  21. animal - lâmina
  22. anis - sina
  23. após - sopa
  24. ar - rã
  25. aram - Mara
  26. arar - rara
  27. arco - ocra
  28. are - era
  29. aro - ora
  30. arroz - zorra
  31. assam - massa
  32. assim - missa
  33. atar - rata
  34. atem - meta
  35. aterram - marreta
  36. ator - rota
  37. auge - égua
  38. aval - lava
  39. avaro - orava
  40. ave - Eva
  41. avo - ova
  42. avó - ova
  43. avô - ova
  44. Avon® - nova
  45. elo - olé
  46. íris - siri
  47. laicos- social
  48. latem - metal
  49. lavo - oval
  50. Leonam - Manoel
  51. Marrocos - socorram
  52. melar - ralem
  53. meter - retem
  54. ocas - saco
  55. olor - rolo
  56. orar - raro
  57. ramos - somar
  58. redil - líder
  59. servil - livres

Duas ou mais palavras que não são anagramas nem formam frases[editar | editar código-fonte]

  1. aceno boneca
  2. acne penca
  3. Anita latina
  4. aperto trepa
  5. laca bacal
  6. ladra pardal
  7. lama ramal
  8. lamina animal
  9. lata Natal
  10. saca macas
  11. rede ceder
  12. rezar prazer

Frases[editar | editar código-fonte]

Frases que não são orações[editar | editar código-fonte]

  1. A caca
  2. A caça
  3. A cama-maca
  4. A dama
  5. A droga gorda
  6. A baba
  7. A babá
  8. A Lêda dela
  9. A Lila
  10. A mama
  11. A mil... Baita...Katia B. Lima
  12. A Rua Laura
  13. Ada bêbada
  14. Ada levada velada
  15. Ada nada
  16. Aí, Bia!
  17. Ali, lado Dalila
  18. Anita, a tina! (Antonio de Castro)
  19. Arara rara
  20. É bebê!
  21. Lima a mil
  22. Luz azul
  23. Luz a arara azul
  24. O bobo
  25. O bolo do lobo
  26. O dado
  27. O dedo
  28. Oh! Limonada no milho? (Marcelo Coimbra Furtado)
  29. O Lilo
  30. O Lu nulo
  31. O selo leso
  32. A Sila lisa
  33. O Silo liso
  34. O trote torto
  35. O vovô
  36. Oi, raro horário!
  37. Oi rato otário!
  38. Oi, gol é relógio? (San Tiago Caraíva)
  39. Ovos nele, Helen Sovo!
  40. Ralo do dólar
  41. Zé de Lima, Rua Laura, Mil e Dez
  42. Aço Pipoca
  43. Anita latina
  44. Subi no ônibus

Orações e frases maiores[editar | editar código-fonte]

  1. "A base desatola calotas e desaba"
  2. "A base do teto desaba" (Rômulo Marinho)
  3. "A Capital. Lati paca" (Eduardo Banks)
  4. "A cara rajada da jararaca" (Sheldon Cooper)
  5. "A dama admirou o rim da amada"
  6. "A Daniela ama a lei? Nada!" (Marcelo Coimbra Furtado)
  7. "Adias a data da saída." (Marcelo Coimbra Furtado)
  8. "A diva ávida, dádiva à vida" (Rogério Duarte Filho)
  9. "A diva em Argel alegra-me a vida" (Rômulo Marinho)
  10. "A droga do dote é todo da gorda" (Rômulo Marinho)
  11. "A grama é amarga" (Millor Fernandes)
  12. "Ai, Ravel. Arados, serrotes e torres só Dara levaria. Ela foi-se" (Marcelo Coimbra Furtado)
  13. "A leda, sacana, ia na casa dela." (Marcelo Coimbra Furtado)
  14. "A lupa pula" (Catarina Lins)
  15. "A má (boa?) nova lê Bono: Nobel Avon a Obama (Leo Cunha)
  16. "A maca dos sonos só dá cama" (Mateus S. Thimóteo)
  17. "A mala nada na lama" (Millor Fernandes)
  18. "A mira da rima" (Mateus S. Thimóteo)
  19. "A miss é péssima!"
  20. "À Rita, sátira!" (Mateus S. Thimóteo)
  21. "A, seu Gu, tropa da portuguesa?" (Mateus S. Thimóteo)
  22. "Amarga-me a droga, a gorda é magra má" (Rogério Duarte Filho)
  23. "Amo Omã. Se Roma me tem amores, amo Omã!" (Mateus S. Thimóteo)
  24. "Arroz é zorra" (Fernando Fonseca)
  25. "Acata o danado... e o danado ataca!"
  26. "Acinte animal: aos sopapos, soa lâmina étnica." (Beto Furquim)
  27. "Acuda cadela da Leda caduca" (Rômulo Marinho)
  28. "Até Reagan sibarita tira bisnaga ereta" (Chico Buarque de Hollanda)
  29. "A Daniela ama a lei? Nada!" (Marcelo Coimbra Furtado)
  30. "Adias a data da saída" (Marcelo Coimbra Furtado)
  31. "Adias aérea saída." (Beto Furquim)
  32. "Ah, 'leva eu', que a velha..." (Mateus S. Thimóteo)
  33. "Ah, livre era papai noel, leon ia papar é ervilha." (Rogério Duarte Filho)
  34. "Ai, Ravel, arados, serrotes e torres, só Dara levaria" (Marcelo Coimbra Furtado)
  35. "Ajudem Edu já!" (Ândrey Galvão)
  36. "Amarga é a maca - tira-a, Rita! cama é a grama..." (Marcos Chrispim)
  37. "Ame a ema"
  38. "Ame o poema"
  39. "Amil, mera gula, é dia, ide alugar em Lima(Ândrey Galvão)
  40. "Amor, aniversário: só iras revi na Roma" (Eduardo Banks)
  41. "Amor me açoda, aviva, adoça em Roma." (Beto Furquim)
  42. "Amora me tem aroma"
  43. "Ana, case, esse é sacana"
  44. "Ana lava Lana"
  45. "Ana me rola, calor emana..."
  46. "Ana (e Dari) irá reler Ari; ira de Ana." (Filipe Prates)
  47. "Ana Penélope arder a Lua acitore é erótica aula redra e pólen e pana." (Eduardo Banks)
  48. "Ande logo, ela vale o gol, Edna!" (Marcelo Coimbra Furtado)
  49. "Anotaram a data da maratona" (François S. Oliveira)
  50. "A pateta ama até tapa..."
  51. "A porta rangia à ignara tropa"
  52. "Após a sopa"
  53. "A rara arara"
  54. "Ar gera regra" (Mateus S. Thimóteo)
  55. "Ararás. A cuca roda. Ata é bom semear. Assem-a sem ovo, mês a mês, sara. E mesmo beata, a dor, a cuca sarará." (Almi Cardoso da Silva)
  56. "Arfas a arar solos; rara, a safra." (Beto Furquim)
  57. "A Rita, sobre vovô, verbos atira" (Rômulo Marinho)
  58. "A roda da Dora"
  59. "Aro, fala oba idem*. Edu, tive o dna dum eco desse. Aí moço, toma. Zedi, pare de ler e vai, ide e levai. Daniel ei vai roda tu p*. Moço, o computador ia, vi ele inadiavel, e Edi ia ver ele "de rapidez" a moto. Comi a esse doce mudando e vi tu de media boa lá fora.(Ândrey Galvão)
  60. "Aroma. Me supus em amora." (Beto Furquim)
  61. "A sacada da casa"
  62. "A semana toda lemos: só melado tá na mesa" (Marcelo Coimbra Furtado)
  63. "Após a negra falarás: Sara Lafarge na sopa!" (Euclides José Maciel Marques)
  64. "Arame na cidade? Mele-o! Ele faz a fé, Léo! Ele me dá dica, né, Mara?" (Mateus S. Thimóteo)
  65. "Arara, vi paca e a capivara. Rá!" (Mateus S. Thimóteo)
  66. "Asa, caneta, arroz, radar, zorra: até na casa?" (Mateus S. Thimóteo)
  67. "Assim a aia ia à missa" (Millor Fernandes)
  68. "Assim a aluna anula a missa"
  69. "Até na cana, to na Lua. Paul, anota na caneta(Ândrey Galvão)
  70. "Até Reagan sibarita tira bisnaga ereta" (Chico Buarque)
  71. "A sogra má e amargosa"
  72. "Atino…banana bonita."
  73. "Atlas, omissíssimo, salta." (Beto Furquim)
  74. "Ato idiota"
  75. "A torre da derrota"
  76. "Aula na Lua" (Mateus S. Thimóteo)
  77. "Aula sobre verbos à Lua" (Mateus S. Thimóteo)
  78. "A Varig girava" (Diogo Vasconcellos Lima)
  79. "Ave veloz o leve. Vá!"
  80. "É a mateira Marieta mãe?"
  81. "É cova! Puxa, amo tossir "e ame"! De o dna Rô! Mano, a Thaisi? Ah, tão namorando! É de mãe (risso). Toma, "axu pá" voce!(Ândrey Galvão Barbosa)
  82. "E Amaro? Faz a paz afora, mãe." (Bruno Prates)
  83. "E assim a missa é"
  84. "E até o Papa poeta é” (Rômulo Marinho)
  85. "É, fala! A, reza! Fala! Ó, jura: "mão de 11 é do(a) marujo(a)" Lá, fazer a Alá fé! (Mateus S. Thimóteo)
  86. "E Leda, sacana, ia na casa dele" (Marcelo Coimbra Furtado)
  87. "Ema, só após merecerem sopa os ame." (Beto Furquim)
  88. "Ele padece da pele"
  89. "E telas eram usadas à caneta até na casa da Sumaré, Salete!"
  90. "E toma, leva, roda a missa. Reza fará prazer... e lave-me, ótimo é o demo, evite o azar, evite-se esse mês. Acorde pedroca sem esse (e se tive razão, e tive) o medo é o mito e me vale rezar para fazer assim. À Adorável, amo-te." (Rogério Duarte Filho)
  91. "E troca a corte!" (Mateus S. Thimóteo)
  92. "E vá após a sopa, ave!" (Mateus S. Thimóteo)
  93. "É volitar ter a ave... Lico domina e lê. Ática, Ana Morale, a ti, Paolo, todavia, relê. Assinada, ela fala: ‘– Sai, cala, foge, retrata, vá, ó Satim! (repetem o nosso nome). Te permitas o avatar ter ego. Falácias, Alá, fale à Danissa!’ Ele, raiva do tolo, apita... Ela, romana, a cita. Ele, ânimo dócil... Eva, a retrátil, o vê!" (Herbert Saavedra)
  94. "Em roda, tropa, após a sopa, à porta dorme" (Rômulo Marinho)
  95. "Ésio, fale! Ai, Ravel, arados, serrotes e torres só Dara levaria. Ela foi-se" (Marcelo Coimbra Furtado)
  96. "És sapo? Passe"
  97. "Eta, longe Egno late" (Mateus S. Thimóteo)
  98. "Eu, neto; vovô, tênue" (Leo Cunha)
  99. "Eva, asse essa ave"
  100. "Eva, asse e pape essa ave"
  101. "Ia, vem e vai" (Mateus S. Thimóteo)
  102. "Ias em missa? Logo o gol assim me sai..." (Marcos Chrispim)
  103. "Íris ama siri" (Ítalo Lourenço)
  104. "Ítalo, lati" (Mateus S. Thimóteo)
  105. "Fica fácil escrever palindromos com nomes próprios, como fazem Mezaf Omocso, Irporp Semon, Mocs Omord, Nila Prevercs e Lica Facif." (Rodrigo Marçal e Marco Vieira)
  106. "Girava Varig" (Mateus S. Thimóteo)
  107. "Há gaz no Gonzaga." (Antonio de Castro Rocha Jr)
  108. "Laço bacana para panaca boçal" (Rômulo Marinho)
  109. "Lael é leal!" (Ricardo Biesek)
  110. "Lá tá no novo; e sem o califa na fila come-se ovo no Natal." (Antonio Prates)
  111. "Lá tem metal."
  112. "Lavo ovo oval" (Mateus S. Thimóteo)
  113. "Lena me teve (tem) anel" (Mateus S. Thimóteo)
  114. "Liga: se sobes sebos, és ágil." (Beto Furquim)
  115. "Livre do poder vil" (Rogério Duarte Filho)
  116. "Luza Rocelina, a namorada do Manuel, leu na “Moda da Romana”: “Anil é cor azul”
  117. "Maria, Selena e Anele saíram" (Euclides José Maciel Marques)
  118. "Marujos só juram"
  119. "Mata da TAM" (Mateus S. Thimóteo)
  120. "Modo: som tiramos, somamos som a ritmos: o dom" (Rômulo Marinho)
  121. "Morram após a sopa marrom"
  122. "Navio MOCS? Ueh, ta Matheus com o Ivan? (Ivan Souza de Andrade, p/ o filho, Matheus B.W.A)"
  123. "O caso da droga da gorda do saco"
  124. "O céu sueco"
  125. "O Cid é médico"
  126. "O da PUC o é: Ocupado" (Pedro Palomino)
  127. "O Decamerão: are, Macedo" (Eduardo Banks)
  128. "O Demo é tema, sua causa mete o medo." (San Tiago Caraíva)
  129. "Ódio do doido!"
  130. "O Gal. Leno Roca, à porta da cidade, a portador relata fatal erro da tropa e dá dica da tropa a Coronel Lago" (Rômulo Marinho)
  131. "O galo ama o lago"
  132. "O galo no lago"
  133. "Ó, mas adoro rodas: amo!" (Mateus S. Thimóteo)
  134. "Oh! Limonada no milho? (Marcelo Coimbra Furtado)
  135. "Oh nossas luvas avulsas, sonho..." (Rogério Duarte Filho)
  136. "Oh, nó de Mara medonho!"(Gletson Aguiar Martins)
  137. "Oi, nó! Medo do demônio? (Mateus S. Thimóteo)
  138. "Oi! Leva arara? - Ave Lio!"
  139. "O Ivan ama navio" (Ivan Nicoli)
  140. "Olá tio Ítalo" (Ítalo Lourenço)
  141. "O lobo ama o bolo"
  142. "O mero remo" (Ítalo Lourenço)
  143. "O mito é ótimo"
  144. "O pó de cocaína mata maníaco cedo, pô!"
  145. "Orar é em missa? Assim me é raro!" (Mateus S. Thimóteo)
  146. "O romano acata amores a damas amadas e Roma ataca o namoro"
  147. "O romano do namoro" (Mateus S. Thimóteo)
  148. "Oslo: o clã é de álcool só" (Leo Cunha)
  149. "O tal é o rio leve na neve loiro e lato" (Roberto F. Silvestre)
  150. "O tapa. Oh! Li-me, Datena. Coma arroz. Ó, não é o ano. Zorra: amo: caneta; de milho a pato" (Mateus S. Thimóteo)
  151. "O teu drama é amar dueto"
  152. "O terrível é ele vir reto" (Rômulo Marinho)
  153. "Oto come doce seco de mocotó" (Rômulo Marinho)
  154. "Oto come mocotó"
  155. "O treco certo"
  156. "O vôo do ovo"
  157. "Ramo do mar" (Mateus S. Thimóteo)
  158. "Reverta é verbo, O vivo breve é, Sabe bem ama-lo o Lama, Me beba se é verbo vivo, O breve atrever." (Rogério Duarte Filho)
  159. "Rezar pro Pedro (morde por prazer)." (Bruno Prates)
  160. "Rir, o breve verbo rir"
  161. "Roda esse corpo, processe a dor!"
  162. "Roma é amor"
  163. "Roma? Eu? Que amor..." (Mateus S. Thimóteo) - primeira frase palíndroma com a letra Q
  164. "Roma me tem amor"
  165. "Sá dá tapas e sapatadas"
  166. "Sá, grave Vargas" (Mateus S. Thimóteo)
  167. "Saíram o tio e oito marias"
  168. "Sais sem o casaco, Messias?"
  169. "Salta o Atlas"
  170. "Saltaram o mar, Atlas" (Mateus S. Thimóteo)
  171. "Seco de raiva, coloco no colo caviar e doces" (Rômulo Marinho)
  172. "Sem o dote, é todo mês"
  173. "Ser belo, lebres!"
  174. "_Seres saro há horas! _Seres?!" (Mateus S. Thimóteo)
  175. "Se rota, sô, ave leva os atores!" ( A respeito dos ministros do 1ª escalão do governo Dilma)
  176. "Soam-me ótimos os reversos: o mito em mãos!"
  177. "Só com o tio somávamos oito moços" (Rômulo Marinho)
  178. "Só Dnira mata tamarindos..."(Gletson Aguiar Martins)
  179. "Socorram Marrocos"
  180. "Socorram-me em Marrocos!"
  181. "Socorram-me, subi no ônibus em Marrocos!"
  182. "Soluçou em meu óculos" (Mateus S. Thimóteo)
  183. "Só melado tá na mesa a semana toda, Lemos!" (Marcelo Coimbra Furtado)
  184. "Sorri. P.S.: espirros!" (Mateus S. Thimóteo)
  185. "SOS, A Varig girava, SOS" (Diogo Vasconcellos Lima)
  186. "Subi no ônibus"
  187. "Tucano na CUT" (Rômulo Marinho)
  188. "Zé de Lima, Rua Laura, mil e dez"
  189. "Zé do dez" (Mateus S. Thimóteo)
  190. "Livro da dor vil." (Joir Mauro)
  191. "O Norton no trono." (Maycon CDM)
  192. "O pavão vê arara, só vi urubu ruivo sarará e voava pô!"(Sérgio Igrés)
  193. "Ria, só tive sorte má, a metros evito sair." (Sérgio Igrés)

Outros exemplos[editar | editar código-fonte]

Palavras[editar | editar código-fonte]

  • aba, acaiaca, Ada, ala, ama, amarram-a, Ana, anilina, ara, arara, asa, assa, ata, esse, iriri, mamam, matam, mapam, melem, metem, mexem, mirim, mutum, mussum, Natan, oco, omo, osso, oto, ovo, racificar*, radar, ralar, ramar, rapar, rasar, ratar, reler, Renner, reter, rever, reviver, rir, rotor, sacas, salas, seres, siris, saras, socos, sapas, solos, soros, seles, somavamos, somos, sugus, supus.
  • Racificar: Unificar raça.
  • avaro/orava. auge/egua. Edna/ande. apartas/satrapa. Raul/luar. amar/rama. roma/amor. ator/rota. servil/livres. Messias/saissem. missa/assim. atlas/salta. Ari/ira. Eva/ave. Avó/ova. Sapos/Sopas. sacos/socas. será/ares. raul/luar.

Frases e orações com simetria total (até nos espaços entre as palavras)[editar | editar código-fonte]

  • "Acinte animal: aos sopapos, soa lâmina étnica." (Beto Furquim)
  • "Adias aérea saída." (Beto Furquim)
  • "Ame a ema."
  • "Amar Donato idiota no drama." (Laura Oliveira)
  • "Amor me açoda, e aviva, e adoça em Roma." (Beto Furquim)
  • "Amor, me ama em Roma?"
  • "Ande, Edna."
  • "Ante Atlas, Oto salta Etna"
  • "Após a sopa."
  • "Arre! Sem o erre, o mês erra." (Beto Furquim)
  • "Arfas a arar solos; rara, a safra." (Beto Furquim)
  • "Assam a massa."
  • "Assim a aluna anula a missa."
  • "Atlas, omissíssimo, salta" (Beto Furquim)
  • "E assim a missa é."
  • "Ai,é legal a geleia"
  • "Ema, só após merecerem sopa os ame." (Beto Furquim)
  • "Eu, ué!"
  • "Eu acuo Laura na ciririca na rua louca, ué" (Laura Oliveira)
  • "Eva, asse essa ave."
  • "Liga: se sobes sebos, és ágil." (Beto Furquim)
  • "Matem e metam." (Euclides José Maciel Marques)
  • "Maus matutam, suam." (Beto Furquim)
  • "Morram após a sopa marrom."
  • "Omitiram radar marítimo."
  • "Omito osso ótimo."
  • "Orar é em missa? Assim me é raro!" (Mateus S. Thimóteo)
  • "Oras e saro." (Guilherme Pedroso)
  • "Os Maias saíam só." (Tulio)
  • "Raul e Íris: após sopapos, sopa, siri e luar." (Beto Furquim)
  • "Roma é amor."
  • "Salta o Atlas."
  • "Somar me em Ramos." (Celia L. Ribeiro)
  • "Roma me tem amor."
  • "Aula na rua é aura na lua" (Laura Oliveira)
  • "A diva da dívida da vida." (Laura Oliveira)
  • "Socorram Marrocos."
  • "Somos seres, somos?!?! Seres somos !?!?" (Paulo Cezar Antunes Junior)
  • "SOS: somos sós"
  • "Zed lota o atol dez" (Hemeterio)
  • "Sopas suam, e Solar/Somar soa animal marítimo; livres ares anula acinte, à reviver, a étnica aluna será servil? Omitiram lâmina aos ramos ralos e maus sapos" (Giuliano Fratin)
  • "Sós,nossos palermas sapos só passam relapsos,sonsos!" (Sérgio Igrés)

Frases e orações com simetria parcial (não inclui os espaços entre as palavras)[editar | editar código-fonte]

  • "Óto come doce seco de mocotó"
  • "Subi no onibus"
  • "A base do teto desaba." (Rômulo Marinho)
  • "A diva ávida, dádiva à vida" (Rogério Duarte Filho)
  • "Ah, livre era papai noel, leon ia papar é ervilha." (Rogério Duarte Filho)
  • "A cara rajada da jararaca." (Manu Lafer)
  • "Acata o danado... e o danado ataca!"
  • "Acuda cadela da Leda caduca" (Rômulo Marinho)
  • "A dama admirou o rim da amada."
  • "A Daniela ama a lei? Nada!" (Marcelo Coimbra Furtado)
  • "Adias a data da saída." (Marcelo Coimbra Furtado)
  • "Adão, Tejo hereje, gere hoje toada." (pintado num muro da UFRJ)
  • "Omitiram o nobre verbo no marítimo" (San Tiago Caraíva)
  • "A droga do dote é todo da gorda." (Rômulo Marinho)
  • "A diva em Argel alegra-me a vida." (Rômulo Marinho)
  • "A grama é amarga." (Millor Fernandes)
  • "Ah, Caetano, e Leona te acha?" (Ederson Dantas)
  • "Ai, Ed... O Oto odeia!" (Ederson Dantas)
  • "Ai, Ravel, arados, serrotes e torres, só Dara levaria. Ela foi-se” (Marcelo Coimbra Furtado)
  • "A ira cava na vacaria."(Glétson Aguiar Martins)
  • "Amada dama" (Jederson L. Ribeiro)
  • "A mala nada na lama." (Millôr Fernandes)
  • "A lua panamenha agita, fatiga. Ah! Nem Ana Paula..."(Noguerol)
  • "Amada rapariga agira para dama."
  • "Amarelo cadaver tá; é a treva da cólera má." (Manu Lafer)
  • "Amarga é a maca - tira-a, Rita! Cama é a grama..." (Marcos Chrispim)
  • "Amarga-me a droga, a gorda é magra má." (Rogério Duarte Filho)
  • "Ame o poema."
  • "A miss é péssima!"
  • "Amora me tem aroma."
  • "Amor é de Roma." (Iuan Melo Meirelles)
  • "Ana, case, esse é sacana."
  • "Ana (e Dari) irá reler Ari; ira de Ana." (Filipe Prates)
  • "Ana lava Lana."
  • "Anali amada dama ilana." (Ada Jéssica da Silva)
  • "Ana me rola, calor emana..."
  • "Ande logo, ela vale o gol, Edna!" (Marcelo Coimbra Furtado)
  • "Anotaram a data da maratona."
  • "A pateta ama até tapa..."
  • "A porta rangia à ignara tropa."
  • "A rara arara."
  • "Ararás. A cuca roda. Ata é bom semear. Assem-a sem ovo, mês a mês, sara. E mesmo beata, a dor, a cuca sarará." (Almi Cardoso da Silva)
  • "A Rita, sobre vovô, verbos atira." (Rômulo Marinho)
  • "Arroz é a mata, mãe zorra!" (Herbert Saavedra)
  • "A sacada da casa."
  • "A semana toda lemos: só melado tá na mesa." (Marcelo Coimbra Furtado)
  • "Após a negra falarás: Sara Lafarge na Sopa!" (Euclides José Maciel Marques)
  • "Assim, a sopa só mereceremos após a missa."
  • "Assim a aia ia à missa." (Millor Fernandes)
  • "Assim a diva Ana Rita, em Roma, amor me atira, na ávida missa."
  • "Até Reagan sibarita tira bisnaga ereta." (Chico Buarque)
  • "Ato idiota."
  • "Ator Aran adia, vai danar a rota" (Jederson L. Ribeiro)
  • "A torre da derrota."
  • "Auê só nos EUA!" (Hemeterio)
  • "Ave veloz o leve. Vá!"
  • "A vida é a diva!"
  • "Bola de tênis, sinete da LOB." (Bruno Prates) [LOB é uma academia de tênis no Rio de Janeiro]
  • "E Amaro? Faz a paz afora, mãe." (Bruno Prates)
  • "É a mateira Marieta mãe?"
  • "E até o Papa poeta é.” (Rômulo Marinho)
  • "É a vossa meta mor: amarga, letal, amável. Lá ele murmurou que todo amor eu quero. Mão do teu quorum. Rum é leal. Leva mala, tela, grama... Roma, temas, sova é!" (Herbert Saavedra)
  • "E depile na lâmina o raro animal anelípede." (Gelson)
  • "E Leda, sacana, ia na casa dele." (Marcelo Coimbra Furtado)
  • "Em roda, tropa, após a sopa, à porta dorme.” (Rômulo Marinho)
  • "E dá dica, dona Issa, com amigos: “Amo-te!” E toma só Gim."Amo Cassiano da cidade!"” (Estêvão Queiroga)
  • "Ele padece da pele " (Ana Julia Licio).
  • "- E nota Leda? Ávida, dá remédio. Dose por dose divide. Divide só, Dr. O pé só dói. De mera dádiva a delato, né?" (Estêvão Queiroga)
  • "Esse sai. Opa! E me apóias esse!" (Ederson Dantas)
  • "És sapo? Passe."
  • "Eva, asse e pape essa ave."
  • "E toma, leva, roda a missa. Reza fará prazer... e lave-me, ótimo é o demo, evite o azar, evite-se esse mês. Acorde pedroca sem esse (e se tive razão, e tive) o medo é o mito e me vale rezar para fazer assim. À Adorável, amo-te." (Rogério Duarte Filho)
  • “É volitar ter a ave... Lico domina e lê. Ática, Ana Morale, a ti, Paolo, todavia, relê. Assinada, ela fala: ‘– Sai, cala, foge, retrata, vá, ó Satim! (repetem o nosso nome). Te permitas o avatar ter ego. Falácias, Alá, fale à Danissa!’ Ele, raiva do tolo, apita... Ela, romana, a cita. Ele, ânimo dócil... Eva, a retrátil, o vê!” (Herbert Saavedra)
  • "Ias em missa? Logo o gol assim me sai..." (Marcos Chrispim)
  • "Laço bacana para panaca boçal." (Rômulo Marinho)
  • "Lá Renê gorava o avaro general." (Eduardo Vidili)
  • "Lá tá no novo; e sem o califa na fila come-se ovo no Natal." (Antonio Prates)
  • "Lá vou eu em meu eu oval." (Marina Wisnik)
  • "Amada data, cera é ter ré da vela: leva, derrete a recatada dama." (Manu Lafer)
  • "Livre do poder vil" (Rogério Duarte Filho)
  • "Livros - se for pagar, traga professor vil." (Laerte Coutinho)
  • "Luza Rocelina, a namorada do Manuel, leu na 'Moda da Romana': 'Anil é cor azul.'" (Bocage?)
  • "Luz azul"
  • "Mar e número remuneram" (San Tiago Caraíva)
  • "Maria, Selena e Anele saíram" (Euclides José Maciel Marques)
  • "Mari, Rose, Ari e Ed adiavam, sem a mesma vaidade e ira, e só riram."(Túlio F.T.de Sousa)
  • "Marujos só juram"
  • "Me vê se a panela da moça é de aço, Madalena Paes, e vem.”
  • "Missa. A atam na luz. Alá fala: Fá-la, Zulan, mata-a, assim!" (Herbert Saavedra)
  • "Moça morde Pégasus e Jesus? Age, Pedro maçom!" (Eduardo Vidili)
  • "Modo: som tiramos, somamos som a ritmos: o dom.” (Rômulo Marinho)
  • "Morra, mata marrom!" (Larissa Bontempi)
  • "O caso da droga da gorda do saco."
  • "O céu sueco."
  • "O Cid é médico."
  • "Ódio do doido!"
  • "O Gal. Leno Roca, à porta da cidade, a portador relata fatal erro da tropa e dá dica da tropa a Coronel Lago." (Rômulo Marinho)
  • "O galo nada no lago." (Sergio Alberto Schneider)
  • "O Ivan a ama à navio..." (Ivan Souza de Andrade)
  • "Oi, rato otário."
  • "Oi,Val! Fez o ovo do vô, o Zé Flávio?" (Flávio Bueno Marcondes Oliveira)
  • "Olá Valor, eu quero lavá-lo" (Rogério Duarte Filho)
  • "Oh nossas luvas avulsas, sonho..." (Rogério Duarte Filho)
  • "O lobo ama o bolo."
  • "O mito é ótimo."
  • "Ô gela gema, ame galego!"(Glétson Aguiar Martins)
  • "O ovo vovô !! Voô ! (Paulo Cezar Antunes Junior, complemento de Marcel Horner)
  • "O pó de cocaína mata maníaco cedo, pô!"
  • "Oro e temo meteoro." (Glétson Aguiar Martins)
  • "O romano acata amores a damas amadas e Roma ataca o namoro."
  • "O teu drama é amar dueto." (Rômulo Marinho)
  • "Ota, o ator, trota o ato" (Hemeterio)
  • "Òto, come ovo e mocotó" (Heumesmo)
  • "O terrível é ele vir reto." (Rômulo Marinho)
  • "Oto come doce seco de mocotó." (Rômulo Marinho)
  • "O treco certo."
  • "Ovo novo."
  • "O vôo do ovo."
  • "Lê:tapa,raso,sarapatel!"(Glétson Aguiar Martins)
  • "Só Ivan, o tio, é dono de oito navios." ( Antônio José de Carvalho)
  • "O corte dói, dê-me remédio de trôco." (Antônio José de Carvalho)
  • "Roma se doa toda à ira, Maria, adota o desamor." (Antônio José de Carvalho )
  • " O Narciso é livre, servil é o sicrano." (Antônio José de Carvalho)
  • " O mito é ele Pelé, e ótimo." (Antônio José de Carvalho)
  • " Nos dê o gol logo, Edson." (Antônio José de Carvalho)
  • " Saltar o meteoro é temor, Atlas." (Antônio José de Carvalho)
  • "Raoni, tal psicose... peso cisplatino, AR." (pintado num muro da UFRJ)
  • "Reter e rever para prever e reter." (Rômulo Marinho)
  • "Reverta é verbo, O vivo breve é, Sabe bem ama-lo o Lama, Me beba se é verbo vivo, O breve atrever." (Rogério Duarte Filho)
  • "Rezar pro Pedro (morde por prazer)." (Bruno Prates)
  • "Rir, o breve verbo rir."
  • "Roda esse corpo, processe a dor!"
  • "Rô! Sono do cubano Nabucodonosor.(Glétson Aguiar Martins)
  • "Roma me tem amor."
  • "Sá dá tapas e sapatadas."
  • "Saíram o tio e oito Marias."
  • "Seco de raiva, coloco no colo caviar e doces." (Rômulo Marinho)
  • "Sem o dote, é todo mês."
  • "Só com o tio somávamos oito moços." (Rômulo Marinho)
  • "Soa como caos"
  • "Socorram-me, subi no ônibus em Marrocos!"
  • "S.O.S., seres matam seres sós!" (Paulo Cezar Antunes Junior)
  • "Subi no ônibus."
  • "Tucano na CUT" (Rômulo Marinho)
  • "Vi Êmulo vetar até volume IV." (Rômulo Marinho)
  • "Zé de Lima, rua Laura, mil e dez."
  • "A gorda não voa na droga!" (Luiz Pedro)
  • "Resumamos: soma m, use r !"(Glétson Aguiar Martins)
  • "Neda Lnib ama só Osama Bin Laden."(Glétson Aguiar Martins)
  • "Só metemos."(Pedro Augusto Chizzolini Lonel)
  • "Uruburetama ama Teruburu." (Glétson Aguiar Martins)
  • "Amo La Paloma" (Giuliano Fratin)
  • "Livro da dor vil." (Joir Mauro)
  • "Arara só vi urubu ruivo sarará!" (Sérgio Igrés)
  • "A dar açúcar é ser açucarada?" (Sérgio Igrés)
  • "A vó cadaver tá na treva da cova!" (Sérgio Igrés)
  • "Ao ver tubarão no ar abutre voa." (Sérgio Igrés)
  • "Ele,crocodilo,sólido corcel é!" (Sérgio Igrés)
  • "Encare ter acne!" (Sérgio Igrés)
  • "Se sofro,matemático só cita metamorfoses!" (Sérgio Igrés)

Em outras línguas[editar | editar código-fonte]

Em alemão[editar | editar código-fonte]

  • "Ein Esel lese nie." (Um burro nunca lê.)
  • "Ein Neger mit Gazelle zagt im Regen nie." (Um negro com uma gazela nunca se desespera na chuva.)

Em dinamarquês[editar | editar código-fonte]

  • Den ret tapre Knud Åge i Egå dunker patter ned.
  • Den laks skal ned.
  • Damejer Nis Berg greb sin rejemad.
  • Elsa har fat i Rita fra Hasle.
  • Lås oksemaden ned og giv Viggo denne dameskosål.
  • Degnene traf i farten en ged.
  • Tre negre med fane, en af dem er genert.
  • Selmas lakserøde garagedøre skal samles.
  • Trolde med lort.

Em espanhol[editar | editar código-fonte]

  • "¿Acaso hubo búhos acá?" (Juan Filloy)
  • "Adivina ya te opina, ya ni miles origina, ya ni cetro me domina, ya ni monarcas, a repaso ni mulato carreta, acaso nicotina, ya ni cita vecino, anima cocina, pedazo gallina, cedazo terso nos retoza de canilla goza, de pánico camina, ónice vaticina, ya ni tocino saca, a terracota luminosa pera, sacra nómina y ánimo de mortecina, ya ni giros elimina, ya ni poeta, ya ni vida." (Ricardo Ochoa)
  • "Allí por la tropa portado, traído a ese paraje de maniobras, una tipa como capitán usar boina me dejara, pese a odiar toda tropa por tal ropilla." (Luis Torrent)
  • "Alli tape Menen esa patilla." (Juan Filloy)
  • "¿Anás usó tu auto, Suzana?"
  • "Atale, demoniaco Cain, ó me delata!" (Julio Cortázar)
  • "Ateo por Arabia iba raro poeta." (Juan Filloy)
  • "Dábale arroz a la zorra el abad."
  • "Nada, yo soy Adán." (Guillermo Cabrera Infante)
  • "Noel ama como camaleón." (Juan Filloy)
  • "Salta Lenin el Atlas." (Julio Cortázar)
  • "Ojo rojo."

Em finlandês[editar | editar código-fonte]

  • Aattona Jania aina janottaa.
  • Aatu osaa soutaa.
  • Allill´ on tilit nollilla.
  • Asko, anna oksa!
  • Assi, köytä työkissa!
  • Atte-kumiorava, varo imuketta!
  • Autioitua
  • Emman amme.
  • Saippuakivikauppias (vendedor de soda cáustica)
  • Saippuakauppias.(vendedor de sabão)

Em francês[editar | editar código-fonte]

  • Tu l'as trop écrasé, César, ce Port-Salut ! (Victor Hugo)
  • La mère Gide digère mal. (Louis Scutenaire)
  • Léon, émir cornu, d'un roc rime Noël. (Charles Cros)
  • "En gabbro, l’ammonite y écrase ce grès ému! Apte, Eve retire ta lame-égide (retirons nase et nom rusé d’or). Belle, elle usa ce lied à érosion. Nifé, le miasme nacra et Lucette dévalisa le cerf folié. Cargneule (ici tuf et là sableur), ce lassi fêlé cède un ave grenu et un imam-gamelle bâté. Eric élime un axe docte. Crétacé de crin et alu : essorez ! Sélène malien rétamé, Marc sort erse (Lisa, sédative, nia). Brune dolérite nue et opale, Rita te porte le mas. Un (isocèle, tracé, dégrossi) engin turbine la pinède. Ce val à l’Etna, tu mêlas. Anna y créma la divergence mêlée, le mec nègre vida la mer cyan. Nasale mutante, la lave cède : Ni pâle, ni brut, ni gneiss... Orge de carte, le cosinus a mêlé trop et a tiré la potée. Un étiré loden urbain évita des asiles rétros. Cramé, materné, il amène les zéros. Seul à tenir ce déca-tercet, codex à nu, Emile cire et Abel, le magma, minute un erg. Eva, nue, décèle fissa ! Le cruel basalte fût ici élu en grâce. Il offre cela si la vedette culte (arc à nems) aime le finnois. Oréade, île casuelle, elle brode, surmontée sans norite. Rédigée, ma latérite rêve et paume Serge. César, ce yeti, nomma l’Orb bagne."

Em grego antigo[editar | editar código-fonte]

  • "ΝΙΨΟΝ ΑΝΟΜΗΜΑΤΑ ΜΗ ΜΟΝΑΝ ΟΨΙΝ." (Lava teus pecados, e não só o rosto)

Em húngaro[editar | editar código-fonte]

  • Néma mén.
  • Edit, ide! (Sóti György)
  • Kerek erek.
  • Komor romok.
  • A Kupa apuka.
  • Dávid sógorom morog ósdi vád.
  • Réti pipitér.
  • Életem Etelé.

Em inglês[editar | editar código-fonte]

  • "Able was I ere I saw Elba" (frase que poderia ter sido dita por Napoleão depois de derrotado em Waterloo)
  • "A man, a plan, a canal, Panama!"
  • "Cigar? Toss it in a can, it is so tragic."
  • "Dennis and Edna sinned."
  • "Doc, note, I dissent: a fast never prevents a fatness; I diet on cod."
  • "God, no evil, live on dog."
  • "God lived as a devil dog."
  • "I love me, Vol I."
  • "I roamed under it, a tired nude maori."
  • "Lewd did I live & evil I did dwel."
  • "Madam, I'm Adam."
  • "Mad as Sadam." (Cassiano Leonelli e Estêvão Queiroga)
  • "Nat saw I was tan."
  • "Not a hero wore hat on"
  • "Satan oscillate my metallic sonatas" (as palavras escritas juntas formam o título de um EP da banda Soundgarden)
  • "See, slave, I demonstrate yet arts no medieval sees." (Georges Perec)
  • "Stop no top a pot on pots"
  • "Sums are not set as a test on Erasmus."
  • "Was it a car or a cat I saw?"

Em italiano[editar | editar código-fonte]

  • "Arte tetra"
  • "E la morta aveva atro male"
  • "E nei peccati, vitacce piene"
  • "E se noi amiamo vortici? Trovo mai maionese"
  • "O soriano, utile li', tuona iroso!"
  • "Ira m'aizza: cazzi amari!"
  • "E noi? Or toso Roma, Omar! Lisa, godi? Caos, oro dosagli. Raro vi da' velo, vela, e di alloro! Calarono, Sisifo, piallai. L'italo, ville! Bacco, bidonalo. Vidi casa, Giamaica, bello! Fotte tetto folle. Bacia, ma i gas acidi volano di bocca, belli volatili, alla ipofisi sonora. La corolla ideale voleva divorar. Il gas odoroso (acido gas), il ramo amoroso, troione!"

Em latim[editar | editar código-fonte]

O quadrado mágico
  • O quadrado mágico:

Um famoso palíndromo bidimensional, também conhecido como quadrado mágico, quadrado latino ou fórmula Sator (ver Quadrado Sator), é uma inscrição latina que foi encontrada nas ruínas de Herculano e Pompeia. (Sua tradução é disputada, mas duas das alternativas propostas são: "O semeador Arepo conduz cuidadosamente o arado" e "O criador mantém o mundo em sua órbita"). Observe que o quadrado é absolutamente simétrico - pode ser lido da esquerda para a direita, da direita para a esquerda, de cima para baixo e de baixo para cima.

  • "In girum imus nocte et consumimur igni." (Giramos a noite e somos consumidos pelo fogo.)
  • "Roma tibi subito motibus ibit amor." (Em Roma o amor lhe virá de repente)

Em polaco[editar | editar código-fonte]

  • Kobyła ma mały bok.
  • Zakopane na pokaz.
  • Może jutro ta dama da tortu jeżom.
  • Wół utył i ma miły tułów.
  • Jokata mazor rozamatakoj. (Beto Furquim)

Em sueco[editar | editar código-fonte]

  • Adolf i Paris rapar sirap i Floda.
  • Du har bra hud.
  • Nej, leta i ateljen.
  • Ni rakar bra Karin.
  • Ni talar bra latin.
  • I Reval sitta ni alla inatt i slaveri.
  • Sirap i Paris.
  • God apa gavs galna anlag svag apa dog.
  • Dromedaren Alpotto planerade mord.
  • Flyg mot dem med tom gylf.

Em turco[editar | editar código-fonte]

  • Elini aça aça inile.
  • Tasarıda radar, adı rasat.
  • Ulu eli milatlık anam; az namazlık zaman ara,namaz kıl zaman zaman; akıl talim ile ulu.
  • Kahreyleme emel yer hak.
  • Mekanizasyon oysa zina kem.
  • Rulo teleksi. Anayasa sayana iskelet olur.
  • Adnan İsa, bak! En iyi ve az eczane, ev ve en az cezaevi yine kabasinan'da.
  • Alarak elişi kazak, iş ile karala.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Palíndromo