Anexo:Lista de personagens de CSI: Crime Scene Investigation

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Esta lista mostra os personagens da séreie de televisão CSI: Crime Scene Investigation, que é transmitida pelo canal CBS.

Personagens principais[editar | editar código-fonte]

Investigadores e técnicos do laboratório[editar | editar código-fonte]

  • D.B. Russell (Ted Danson): É um CSI Nível 3. Russell aparece pela primeira vez na estréia da temporada 12 como o novo supervisor de turno da noite, substituindo Catherine Willows, que foi rebaixada. Inicialmente, Russell é questionado por Nick. Porém, mais tarde, ele tenta ganhar a amizade dos CSI's chamando todos para ir tomar café com ele. Foi Russell quem aconselhou Catherine a tomar a decisão que séria melhor para ela: continuar no CSI ou aceitar a oferta de ir para FBI, tendo ela ficado com a segunda opção (12x12 Willows in the Wind). Ele foi quem salvou a vida dela no mesmo episódio. Russell ofereceu a vaga deixada por Catherine a Julie Finlay, uma ex-amiga de trabalho, que, no episódio 12x14, aceita a proposta.
  • Julie "Finn" Finlay (Elizabeth Shue): Finlay é uma CSI Nível 3, especialista em sangue. Ela foi para Las Vegas para dar um curso sobre investigação de cena de crime, e Russell lhe ofereceu o cargo como a nova assistente do supervisor do turno da noite, substituindo Catherine Willows. Finn, como é conhecida, foi demitida do antigo local de trabalho, em Seattle, porque ela havia obtido ilegalmente uma amostra de DNA de um suspeito em uma investigação em uma festa e saiu com o vidro de champanhe do suspeito em sua bolsa. Russell a chama de "Rainha de Sangue", por causa de seu ótimo trabalho com sangue no laboratório. É retratada, na maioria das vezes, como uma mulher com sua vida amorosa bem ativa.
  • Nick Stokes (George Eads): Analista de fibras. É um CSI de nível 3. Jogava baseball na Universidade e é formado em Justiça Criminal pela Universidade Rice do Texas. Lá nasceu em 18 de Agosto de 1971 e é solteiro. Stokes tem tendência a empatizar com as vítimas e costuma ficar emocionado com certos casos mais facilmente que os seus colegas. Ele também fala fluentemente espanhol, e envolve-se a um nível mais pessoal em casos que envolvem sul-americanos. Nos episódios 5x24 e 5x25, Perigo a Sete Palmos, ele é sequestrado e enterrado vivo por um homem que queria vingar a filha que havia sido presa por um CSI. No episódio 10x01, ele é promovido por Catherine a Supervisor Assistente do turno da noite, sendo rebaixado devido aos acontecimentos da 11ª temporada e a chegada de Russell ao laboratório.
  • Sara Sidle (Jorja Fox): Análise de Materiais e elementos. É uma CSI nível 3. Nasceu em 16 de Setembro de 1972 e é divorciada (Se separou de Grissom, o que é revelado no episódio 13x15 Forget Me Not). Com o assassinato do pai pela própria mãe durante sua infância (O pai de Sara batia na mãe frequentemente e um dia a mãe da Sara esfaqueou-o até à morte) (5ª temporada Ep. 13 "Nesting Dolls"), Sara foi mandada a um orfanato enquanto sua mãe foi presa em um clínica psiquiátrica. Ela se formou em Física Teórica em Harvard e mais tarde recebeu o titulo de Mestre da Universidade de Berkley. Depois da faculdade ela se mudou para São Francisco onde trabalhava com o legista, onde conheceu Grissom e em 2000 foi convidada por ele para ir trabalhar na Criminalística de Vegas. Naquela época já era apaixonada por ele e ele por ela, além disso, eles têm uma boa amizade, que muitas vezes com minuciosos gestos, que parecem ser "amorosos", já foram motivo de perguntas em um dos casos parados no tribunal. No episódio 23 da segunda temporada é revelado ao público que Grissom e Sara têm uma relação. Após ser raptada no ultimo episódio da sétima temporada e encontrara por seus colegas no season premiere da oitava, aceita o pedido de casamento de Grissom. No entanto, resolve deixar o laboratório e voltar para São Franscico para resolver problemas familiares mal resolvidos, despedindo-se de Grissom com o beijo tão aclamado pelo público. Retorna no 9x01 para o enterro de Warrick e depois na 10 temporada onde reaparece já casada com Grissom. Embora na 10ª temporada ela já não faça mais parte do elenco principal, ela continua fazendo participações especiais e, dos 23 episódios desta temporada, ela aparece em 15. Volta para o elenco principal na 11º temporada.
  • Greg Sanders (Eric Szmanda): Análise de DNA até a 5ª temporada. Depois vai para o campo e atualmente é um CSI nível 3. Nasceu em 5 de Maio de 1975 e é solteiro. Desde que ganhou seu primeiro kit de química aos sete anos, Greg sabia que queria ser um cientista, o que levou a se formar em Química pela Universidade de Berkeley. No episódio 03x22, Play With Fire, ele foi atingido por uma explosão que aconteceu no laboratório. Desde a 2ª temporada ele demonstrava querer trabalhar em campo, embora às vezes cometia erros. Alguns bem graves como quando urinou num banheiro da cena do crime no episódio 05x01. Antes, ele era retratado como um garoto geek louco, que em certos episódios chegava a dançar música no meio do laboratório ou do corredor, o que era desaprovado pelo chefe Grissom. Porém, desde quando começa a trabalhar em campo, seu personagem começa a ficar mais maduro. Os telespectadores são levados a acreditar que Greg tem um interesse romântico em Morgan Brody, filha do xerife Conrad Ecklie no episódio, quem ele conhece no episódio 12x01 - 73 Seconds. Em alguns episódios fica desesperado para salva-la quando está em perigo, como é o caso dos episódios 12x05 - CSI Down e 13x22 - Skin in the Game e 14x01 - The Devil and D. B. Russell.
  • Morgan Brody (Elisabeth Harnois): Morgan Brody é uma CSI nível 2 do turno da noite. Filha do xerife Conrad Ecklie, ela apareceu pela primeira vez em Cello and Goodbye como uma CSI em Los Angeles. Nesse episódio, ajudou a equipe de Las Vegas a prender Nate Haskell, contra as ordens de seu supervisor. Por isso, foi demitida. Veio para Las Vegas (12x01) em busca de um emprego. Ecklie deu-lhe um trabalho no turno da noite. Seu primeiro caso na equipe foi um caso de assassinato em massa. No episódio 13x22 foi sequestrada por um assassino ritualista, mas escapou no início no episódio 14x01. Levou um tiro da filha de Jim Brass no mesmo episódio, ficou internada no hospital e sobreviveu.
  • Dr. Albert Robbins (Robert David Hall): Medico Legista chefe. Amigo pessoal de Grissom, durante as necrópsias e análises, conseguiu de Gil as frases mais comentadas da série, o único a entendê-lo e vice-versa. Ele perdeu as duas pernas e fica implícito que isso aconteceu num acidente durante a investigação de uma cena de crime. Sua primeira aparição foi no episódio 01x06, ''Who Are You?''. Ele se torna um personagem principal a partir da 3ª temporada. Quando Warrick foi morto, ele não conseguiu fazer a autópsia do amigo e pediu para o legista do turno do dia, Gary Klausbach, à fizesse.
  • David Phillips (David Berman): Phillips (apelidado de "Super Dave") é o médico legista assistente do Dr. Al Robbins. Ele apareceu pela primeira vez no episódio "Amigos e amantes". David aparece pela primeira vez nos créditos de abertura na 10ª temporada. Seu apelido, Super Dave, é porque na 3ª temporada, ele salvou um homem que estava vivo da autopsia, mas o homem morre logo depois, no hospital.
  • David Hodges (Wallace Langham): Técnico de Vestigios. Hodges, um técnico de laboratório formado pela Williams College, foi transferido do laboratório de criminalística de Los Angeles para o de Las Vegas. Como CSI é uma série de investigação, e é, de certo modo, séria, os produtores decidiram criar um personagem mais cômico. Hodges sempre tenta impressionar seu chefe Gil Grissom, porém, nunca consegue. Tal fato pode ser a explicação de que quando Grissom deixa o CSI, David fica muito abalado e triste, tanto é que quando Ray Langston (Laurence Fishburne) entra no CSI, ocupando o lugar de Grissom, este é mal recebido por Hodges, deixando claro que ele ainda não superou a saída do amigo. Apesar de suas atitudes "chatas" com os colegas de trabalho, Hodges, por vezes tenta se redimir. No episódio 05x25 - "Perigo a sete palmos-Parte 2", Hodges salva a equipe CSI inteira após avisar de que embaixo do caixão onde Nick estava enterrado, havia traços de Explosivos, e que, por sorte, os CSIs encontram um jeito de salvarem Nick sem machucar ninguém. Hodges tem um olfato fora do comum, que, e algumas vezes, ele nem precisa usar máquinas para identificar compostos químicos. A partir da oitava, temporada ele se torna um personagem principal e aparece nos créditos de abertura. Durante a 11ª, ele passa a receber treinamento em campo e a partir daí, começa a aparecer trabalhando, algumas vezes, fora do laboratório.
  • Henry Andrews (Jon Wellner): Henry é um especialista em toxicologia e DNA do laboratório forense de Las Vegas, que lida principalmente com a identificação de substâncias tóxicas que foram submetidos ao consumo humano. Apareceu pela primeira vez no episódio da 5ª temporada "Congelado". Do mesmo modo que aconteceu com Hodges, Herry também recebeu treinamento de campo, e às vezes, é visto trabalhando em campo.
  • Gilbert "Gil" Arthur Grissom : (William Petersen): Ex-Supervisor noturno do laboratório criminal de Las Vegas. É entomologista forense formado em Biologia na Universidade da Califórnia, em Los Angeles (UCLA), sendo especializado na área de insetos. Grissom usava desses artefatos para descobrir, por exemplo, há quanto tempo a vítima morreu. Era um CSI de nível 4. Nasceu a 17 de Agosto de 1956. Conhecido pela sua personalidade muito séria e metódica, ele foi criado segundo a religião Católica, no entanto, não é muito crente, acreditando que a religião não é muito útil nos dias de hoje. Aprendeu a linguagem de sinais com sua mãe, que era surda, e terá que usá-la quando começar a perder a audição, devido a uma doença, na qual, há um crescimento na base do estribo, provocando a surdez, que graças a uma cirurgia, não se agrava mais. Para o público, foi confirmada a existência de um relacionamento com Sara Sidle durante a segunda temporada, quando ele diz a um morador de rua que sua namorada Sara gostaria do cachecol que ele usa e conta para o resto da equipe durante a sétima temporada, quando Sara é raptada. Pediu-a em casamento na oitava temporada e ela aceitou, porém ela sai da série logo em seguida, despedindo-se dele com um beijo. Na nona temporada, o personagem deixa o comando do laboratório e vai atrás de Sara. É mencionado no 10x01, quando Sara fala sobre a vida de casada. Um fato curioso é que embora tenha deixado a série, é sempre mencionado, como no episódio 10x02, em que os CSI's se lembram do caso do juiz Millander ou então no episódio 10x23 quando o serial killer Nate Haskell diz para Ray: "Onde está aquele outro? O barbudo? Como ele se chamava?"
  • Catherine Willows (Marg Helgenberger): Analista de marcas de sangue e Ex-Supervisora do turno da noite. Também é uma CSI de nível 3. Nasceu a 26 de Março de 1963. Era supervisora assistente noturna durante as quatro primeiras temporadas, assumindo o comando quando Grissom tem de se ausentar e já discutiu várias vezes com ele e com Ecklie quando sentiu a sua autoridade ameaçada. Por várias vezes já pediu promoções ou formas de poder passar mais tempo com a sua filha adolescente. O ex-marido de Catherine, Eddie, e o seu pai, Sam, foram ambos assassinados em episódios do programa. Willows tem um Bacharelato de Ciências em Tecnologia Médica da Universidade de Nevada Las Vegas (UNLV). Ela sustentou-se durante a Universidade trabalhando como dançarina. Esta personagem é baseada na CSI Yolanda McCleary. Torna-se a chefe do turno da noite após a saída de Grissom. No episódio 12x12, ela deixa o CSI para aceitar um cargo no FBI. No marco de 300 episódios, em 14x05, ela retorna em flashback's, quando um crime não resolvido volta à tona. Essa foi, por enquanto, sua última aparição.
  • Dr. Raymond "Ray" Langston: (Laurence Fishburne): CSI Nível 2. Médico e ex-palestrante, ajudou os CSIs a resolver um caso com um serial killer. Sua primeira aparição foi no episódio 09x09, 19 Down. Seu pai foi um soldado na Guerra da Coréia e foi muito violento durante a sua infância, o que o perturba até hoje. Ele recebeu uma fria recepção de David Hodges, que ainda estava descontente com a saída de Grissom. Seus primeiros dias de trabalho como um CSI foram um pouco difíceis, como é mostrado no 09x11. Ele ficou obcecado pelo fato de não conseguir prender o assassino em série Dr. Jekyll, o que foi mostrado no episódio 10x22. Na continuação deste, o episódio termina com Ray sendo esfaqueado pelo outro serial killer Nate Haskell. No final da 11ª temporada, ele mata o serial killer Nate Haskell depois que ele sequestra e estrupa sua ex-esposa. O personagem sai da série, não retornando na 12ª temporada e sendo substituído por D.B. Russell.
  • Capitão James "Jim" Brass (Paul Guilfoyle): Detetive da Homicídios. No colegial, ele se alistou no Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos e fez duas excursões na Guerra do Vietnã. Ele estudou na Universidade de Seton Hall, e obteve uma licenciatura em história. Após a guerra, entrou para a Polícia de Newark. Passou 20 anos trabalhando até se tornar detetive de homicídios em Nova Jersey. Antes de se tornar um detetive de homicídios, ele foi designado para Vice. Enquanto atuava nessa função, ele trabalhou duro para limpar seus serviços, ganhando a inimizade de muitos de seus ex-colegas (e o apelidado de 'Squeaky', como em 'squeaky clean'). Brass, sob pressão, às vezes bebia e procurava esconder o cheiro de álcool no hálito (episódio 4x15, "Early Rollout"). Enquanto sua esposa Nancy estava tendo um caso com o policial Mike O'Toole, Brass estava ocupado com seu próprio caso com outro membro da equipe vice, Annie Kramer, que mais tarde se mudou para Los Angeles e ele foi promovido a capitão. Brass mais tarde tentou justificar dizendo que Nancy que arruinou seu casamento, e não o contrário, e que ela, eventualmente, só queria um caso (episódio 5x20, "Hollywood Brass"). Brass foi transferido para fora de Nova Jersey, nos anos de 1990 e chegou a Las Vegas. Ele eventualmente dirigia o departamento de CSI, mais como um administrador e não como um investigador. Mostrando o quanto ele confiava na equipe, Brass afirmou que ele queria a equipe de Gil Grissom investigando os casos. Deu a Grissom plenos poderes, caso acontecese. Essa declaração teve seu peso quando Grissom foi obrigado a decidir se ele passaria ou não por cirurgia quando ele foi baleado em serviço. Brass costumava designar Grissom, como supervisor da equipe de CSI. Após a jovem CSI Holly ser assassinada em seu primeiro dia no campo, perdeu sua posição para Grissom. Foi então dada a posição como um detetive de homicídios, servindo como referência para a equipe de CSI e aquele que faz a maioria das prisões e interrogando suspeitos. Ele normalmente anda armado e não gosta muito quando os CSI's se expõem em análise de matérias perigosas, como prender os suspeitos em suas próprias mãos. Ele acompanha os casos de Grissom pelo mesmo não ter sua arma, mesmo em situações apropriadas. No episódio de duas partes "A Bullet Runs Through It", Brass tenta aconselhar Detetive Sofia Curtis, que acredita que ela pode ter acidentalmente matado outro policial em um tiroteio caótico com uma gangue de traficantes de drogas. Mais tarde, ele fica atordoado culpado ao perceber que ele foi quem matou o policial. Depois, no enterro do policial, a viúva aproxima, e quando Brass tentou explicar como ele estava arrependido, ela disse a ele que ela sabia que não era culpa dele. Brass tem uma filha distante, Ellie Rebecca Brass, que não é biologicamente sua (ele só descobre depois da menina crescida). Na verdade, o pai biológico de Ellie é o ex-policial de Nova Jersey, o Oficial Mike O'Toole, que Brass descobriu ter muita sujeira na policia. Ellie trabalha como prostituta em Los Angeles, para a profunda decepção de seu pai. Apesar de seu comportamento rebelde, Brass ainda a ama profundamente, e mantém uma foto dela ainda criança em sua mesa em seu escritório. Quando ele descobre que ela está fazendo uso de drogas, ele continua atrás dela para tentar ajudar numa possível reabilitação, mas a sua relação continua a ser difícil e tensa. Brass é baleado por William Cutler, um suspeito de um homicídio triplo. Quando ele está no hospital em estado grave, na sexta temporada " Way to Go ", Ellie parece mais preocupada com a pensão que seu pai do que com a probabilidade de sobrevivência, já que Brass deu seu poder de representação ao colega e amigo Gil Grissom. Ele é quem autoriza a cirurgia para remoção da bala e salva a vida de Brass. No final desse episódio, Brass é cercado por sua família: a equipe de CSI turno da noite, que acompanhou todas os momentos bem de perto.. No episódio de estreia da sétima temporada, "Built to Kill, Parte 1," Brass é visto em uma loja de tatuagens, tendo a data da sua nova vida (11 de maio de 2006) tatuado logo abaixo da cicatriz da bala. Brass nunca poderia ser acusado de ser um policial corrupto, já que demonstrou respeito pelas regras em todos os episódios. No episódio "Who and What", crossover com "Whithout a Trace", depois do FBI Jack Malone bater a cabeça de um suspeito na mesa ele se apressa em defendê-lo, dizendo: "Se você quer extradição dele para Gitmo, eu o dou de presente. Mas nesta casa, as regras do jogo são outras". No final da 8ª temporada, em "For Gedda", Brass diz ao CSI Warrick Brown "Eu espero que você se lembre de como você é sortudo", após o mesmo ser inocentado de uma acusação de assassinato. Warrick é assassinado no final do episódio. Na season premiere da nona temporada, Brass mostra-se culpado por ter dito essas palavras. Na 13ª Temporada, Brass descobre que sua filha está na cidade. No final da mesma temporada, ela é sequestrada, junto com a CSI Morgan Brody por um serial killer ritualístico. No episódio de estreia da 14ª temporada, descobre que na verdade Ellie, a filha de Jim, era parceira do serial killer, e então ela mata o Serial Killer e depois atira em Morgan. Mais tarde, no mesmo episódio, ela mata à sangue frio sua mãe e quase assassina Brass. O personagem saí no final da 14ª temporada.
  • Archie Johnson (Archie Kao): É um CSI Nível 2, técnico em em fitas K7, CDs e DVDs. Sua última aparição foi na décima segunda temporada.
  • Sofia Curtis (Louise Lombard): Entrou no episódio "Formalidades". Mais tarde é explicado que apesar de ter se qualificado para tornar-se uma detetive, o xerife atribuiu-a com CSI devido a suas habilidades de laboratório. Devido a uma luta na política do escritório, Conrad Ecklie a retira do turno do dia (episódio "Mea Culpa") para ser integrante do turno da noite, já que a equipe sofre divisão. Ela pensa em desistir já que teoricamente a supervisão do turno da manhã deveria ser dela que integrava a equipe e não Catherine, sendo convencida por Grissom a ficar, recomeçando a sexta temporada na sua carreira original: trabalhando como detetive da polícia, como sua mãe. Ela inicialmente assumiu uma posição em Boulder City, mas é transferida de volta para Las Vegas no primeiro episódio da sexta temporada. No episódio de duas partes "A Bullet Runs Through It", ela acredita que ela pode ter acidentalmente baleado e morto o adjunto Daniel Bell em uma perseguição com troca de tiros com traficantes de drogas. O tiroteio traz grande ansiedade e estresse emocional, mas a investigação forense, eventualmente, revelou que o capitão Jim Brass foi o atirador acidental (o oficial tinha involuntariamente levantou-se na linha de fogo de Brass). Mais tarde, Curtis fica horrorizada ao descobrir que ela viu uma policial disfarçada morrer por envenenamento por monóxido de carbono enquanto faziam uma operação para prender um dos serial killer mais explorados na série. Embora ela tenha reagido com mais tranquilidade do que o incidente com o policial Daniel Bell, ela ainda se sente responsável pela morte da policial (sétima temporada "Monster in the Box"). No início da sétima temporada, Sofia torna-se um membro do elenco principal. Na oitava temporada, com a entrada de David Hodges, interpretado por Wallace Langham no elenco principal, sua personagem passa a ser listada como uma convidada especial. Seu status é desconhecido após o episódio primeiro da oitava temporada. Mas agora Curtis volta em participação especial na 11ª temporada como sub-xerife, sendo essa sua última aparição até agora.
  • Riley Adams (Lauren Lee Smith): CSI Nível 2. Ex-policial de St.Louis. Ocupou a vaga deixada por Sara Sidle. Ela aparece pela primeira vez no episódio 09x03. Sai na 10ª temporada.
  • Bobby Dawson (Gerald McCullough): Trabalha na balística do laboratório criminal. Apareceu pela primeira vez em "Mudança fria".
  • Holly Gribbs (Chandra West): CSI Nível 1. Apareceu nos episódios da primeira temporada "Piloto" e "Mudança fria". Quando Warrick Brown a deixou sozinha na cena do crime no episódio piloto, o suspeito Jerrod Cooper voltou a cena e lhe deu um tiro fatal. Ela não sobreviveu.
  • Michael Keppler (Liev Schreiber): Um CSI nível 3, Mike trabalhou com os CSIs na 7ª temporada (nos episódios 07x12, 13, 14 e 15) para ocupar a vaga deixada por Grissom que estava em quatro semanas de ausência. Keppler foi assassinado por Frank, pai de sua namorada, mas antes de morrer deu 6 tiros em Frank em uma forma de salvar Catherine Willows.

Xerifes, detetives e policiais[editar | editar código-fonte]

Familiares e amigos dos CSI's[editar | editar código-fonte]

Serial killers[editar | editar código-fonte]

Nome Apelido Intérprete Crime(s) Temporadas Notas
Paul Millander Assassino da Banheira Matt O'Toole Assassinato em 1º grau
(4 contagens)
1 e 2 3 vítimas; Só mata Homens que nasceram no dia 17 de agosto
(dia que seu pai foi assassinado e tambem dia em que Grissom nasceu),
ele nasceu mulher mas submeteu-se a mudança de sexo.
Kevin Greer Assassino da Tinta Azul Taylor Nichols Assassinato em 1º grau
(6 contagens)
3 e 5 Fez 6 vítimas de 1987 á 2004;
Ele conseguiu suas vítimas usando um corrimão com tinta fresca que ele pintava na

Universidade de Las Vegas. Daí o seu nome, porque suas vítimas sempre estão com a mão azul por conta da tinta.

John Mathers Suposto Assassino da Tinta Azul Victor Bevine Assassinato em 1º grau
(1 contagem)
3 e 5 Suponha-se que este seja um fã do assassino original
e por isso copiou seu estilo de matar.
Hannah e Marlon West Os Irmãos West Juliette Goglia e Douglas Smith Assassinato em 1º grau
(2 contagens)
6 e 8 Cada um fez 1 vítima; Ambos tem menos de 18 anos.
Natalie Davis Assassina das Miniaturas Jessica Collins Assassinato em 1º grau
(5 contagens)
7, 8 e 9 5 vítimas; Ela faz uma maquete perfeita de meia polegada
do crime cometido e sequestrou a CSI Sara Sidle
.
Charlie DiMasa Dr. Jekyll Matt Ross Assassinato em 1º grau
(5 contagens)
10 e 11 Se presume 3 vítimas.
Warner Thorpe Nate Haskell/DJK Bill Irwin Assassinato em 1º grau
(23 contagens)
9, 10 e 11 Pelo menos 14 vítimas (em Nevada).
Ian Moone Assassino da Navalha Daniel Browning Smith Assassinato em 1º grau
(2 contagens)
11 2 vítimas; Costuma invadir a casa de suas vítimas
e dormir debaixo de suas camas e ler seus e-mails
.
Jason McCann Justin Bieber Assassinato em 1º grau
(2 contagens)
11 Interpretado pelo astro da música Justin Bieber.