Anexo:Lista de personagens de Os Instrumentos Mortais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Essa é uma lista contendo os personagens da série de livros Os Instrumentos Mortais, escrita por Cassandra Clare, incluindo os romances Cidade das Almas Perdidas,Cidade dos Ossos, Cidade das Cinzas, Cidade de Vidro e Cidade dos Anjos Caídos. Atenção os textos a seguir são cheios de spoilers, então se você não leu todos os cinco livros, não leia o que está nesta página (a não ser que queira saber o enredo).

Índice

Caçadores de Sombras (Nephilim)[editar | editar código-fonte]

Também conhecidos como Nephilim, são seres-humanos com sangue de Anjo correndo nas veias, cuja função é livrar o mundo que conhecemos dos demônios. São treinados desde pequenos para isso, desenhando Marcas pelo seu corpo através de suas primeiras estelas e manejando armas. O país de origem dos Caçadores de Sombras é conhecido como Idris e seus governantes são membros da Clave.Um Nephilim não é necessariamente nascerem de pais,cujo seja um caçador de sombras, para se tornar Nephilim sem haver pais descendentes é preciso tomar o sangue do anjo Raziel, dentro do cálice mortal, uns dos instrumentos mortais.

Clary Fray[editar | editar código-fonte]

Clarissa "Clary" Adele Fray / Fairchild / Morgenstern é uma personagem fictícia e a protagonista da série Os Instrumentos Mortais. Clary, em uma boate de Nova York intitulada Pandemônio, fica chocada ao observar um grupo de adolescentes com aparentes habilidades sobrenaturais: Jace, Isabelle e Alec. Ela os vê atacando um demônio que tinha ido à boate, mas logo percebe que é a única pessoa capaz de ver essas coisas fora do comum.

Após a batalha, ela é apresentada ao grupo de adolescentes, que se identificam como Caçadores de Sombras, uma raça de seres humanos que são fisicamente aprimorados com sangue de anjo. Eles também revelam que secretamente protegem a huminidade dos demônios com os seus poderes. Quando sua mãe, Jocelyn, desaparece, Clary logo descobre que o evento está ligado ao conflito entre os Caçadores de Sombras e seus inimigos. Ela, então no mundo das Sombras, usa suas recém-reveladas habilidades místicas para ajudar o grupo durante a tentativa de encontrar a mãe. No processo, ela se apaixona por Jace Wayland.

Ela descobre que Valentim Morgenstern, (o antagonista principal da série) é seu pai e ex-marido de sua mãe, e, no final de Cidade dos Ossos, Valentim revela que ela e Jace são irmãos, fato que mais tarde é descoberto como uma mentira.

No segundo livro da série, Cidade das Cinzas, ela namora Simon (o seu melhor amigo), a fim de esquecer Jace, tentativa que falha porque ela ainda é apaixonada por ele. A Rainha Seelie lhe conta que ela tem a capacidade de criar símbolos que não existem, fato que mais tarde lhe permite destruir o navio de Valentim usando o Símbolo de Abertura. No final do segundo romance, ela descobre que uma velha amiga de sua mãe, Madeleine, sabe como acordar Jocelyn, que tem estado em um coma mágico desde o primeiro livro.

Em Cidade de Vidro, descobriu-se que Jocelyn tinha tomado uma poção, feita por um bruxo chamado Ragnor Fell, para induzi-la a um estado de coma e impedi-la de ser interrogada por Valentim a respeito da localização do Cálice Mortal. Antes de morrer, Madeleine diz a Clary que ela precisa encontrar Fell e que ele será o único capaz de ajudá-la a curar a sua mãe. Clary cria um portal e através dele, ela e Luke vão Idris, e cai em Lago Lyn, o que a faz ter alucinações. Luke, em seguida, a leva para a casa de sua irmã, Amatis, para que pudesse ser curada.

Durante sua estada em Alicante, Clary se aventura para encontrar Ragnor Fell, que será capaz de ajudá-la com a poção. Ela é escoltada por Sebastian Verlac, a quem ela se reuniu recentemente, em uma tentativa de fazer contato com Fell. Ao invés disso, ela encontra Magnus Bane, que pede para que ela encontre o Livro Branco em troca de sua ajuda. Ela retorna para Alicante, e Sebastian a beija, mas ela logo o rejeita. Ela então descobre que o Livro Branco está escondido na Mansão Wayland e viaja com Jace para recuperá-lo. No porão eles acham um anjo semi-morto chamado Ithuriel. Ele lhes mostra visões das experiências de Valentim, aplicando sangue de demônio em Jace com o objetivo de torná-lo um forte guerreiro.

Eles escapam da mansão depois de permitir que Ithuriel morra e compartilham um momento de romance. Eles voltam para Alicante e vêem a cidade em chamas. As barreiras que protegem a cidade foram derrubadas e demônios estão invadindo causando um completo caos. Clary descobre que Simon ainda está aprisionado e juntamente com Jace e Alec corre para salvá-lo. Logo depois, Clary usa suas habilidades para criar um Símbolo de Aliança, permitindo que Caçadores de Sombras e integrantes do Submundo compartilhem poderes. Todos aqueles com idade superior a dezoito anos marcham para a batalha na Planície Brocelin e Clary marca Simon com a Marca de Caim, para que os vampiros possam se juntar à luta.

Magnus acorda Jocelyn, que informa a Clary que Jace não é seu verdadeiro irmão. Na verdade, seu irmão é Sebastian (que era um espião de Valentim o tempo todo). Clary, em seguida, tenta localizar Jace para ajudá-lo. Ela corre para Valentim, que amarra-a e faz com que assista Jace sendo apunhalado pelo peito.

Após a convocação do anjo, ela muda as marcas no círculo de convocação de Valentim dando-lhe a capacidade de controlar o Anjo; depois que Valentim é morto, o anjo lhe concede um pedido e ela deseja ter Jace de volta à vida.

Em Cidade dos Anjos Caídos, Clary está de volta a Nova York, treinando e se acostumando com a nova vida de Caçadora de Sombras. Está namorando Jace, embora sua mãe ainda ache que ele não é uma boa companhia pelo fato de lembrar muito de Valentim. Ela percebe que Jace está se afastando dela sem motivos aparentes e se vê mergulhada em uma angústia muito profunda.

Depois de ouvir um telefone da mãe conversando com uma feiticeira do hospital em que ela ficou hospedada durante o coma mágico, ela descobre que alguém está tentando fazer mais crianças como Sebastian. Ela tenta desvendar o mistério e vai até a Igreja de Talto, onde encontra uma seita de adoração demoníaca e é atacada por um demônio Hydra, que é morto por ela depois que Clary manda uma mensagem para Isabelle pedindo que encontrasse com ela na Igreja.

A relação com Jace fica cada vez mais perturbada depois que descobre que ele anda tendo pesadelos onde é responsável por esfaqueá-la ou sufocá-la até a morte. Clary concorda em ajudá-lo e o leva para a Cidade do Silêncio, onde os Irmãos revelam que o fato dele ter sido ressuscitado fez com que ele nascesse de novo e os rituais de proteção que envolvem um Caçador de Sombras quando nasce não foram realizados, o que o deixa vulnerável a influências demoníacas. Ela concorda em deixá-lo em uma das celas da Cidade do Silêncio para que os Irmãos pudessem analisar sua mente. Entretanto, Jace acaba voltando antes de prazo estimado e ele diz a Clary que quer fazer um símbolo que una um ao outro para sempre. Clary concorda, mas percebe tarde demais que o símbolo falava apenas sobre morte e destruição; ela acaba desmaiando e Jace a leva até Lilith, que deseja usá-la como objeto de barganha, ameaçando-a de morte caso Simon não utilize seu sangue para ressuscitar Sebastian. Clary percebe que Lilith está influenciando Jace e se aproxima dele, rouba a adaga de seu cinto e corta a Marca de Lilith que tinha em seu peito. Jace ordena que fuja, mas ela acaba ficando presa nas cercas do telhado e Lilith a tortura, fazendo com que ela flutue e receba chicotadas. Simon entra na frente antes que Lilith pudesse dar a terceira chicotada em Clary e a Marca de Caim faz com que os atos assassinos da demônio volte-se sete vezes contra ela, fazendo com que se transforme em nada além de sal.

Mais tarde, ela conversa com Jace, que estava envergonhado pelo fato de ter sido influenciado e não ter conseguido controlar os próprios atos. Clary afirma que não era ele quem tinha feito tudo aquilo e que não se importava, contanto que ainda pudesse continuar amando-o como sempre.

Aparência física[editar | editar código-fonte]

Clary possui mais ou menos um metro e cinquenta e três de altura, com cabelos encaracolados ruivos, olhos verdes e pele clara. Dizem que é parecida com sua mãe — que é descrita como bonita e alta, o contrário de Clary que é, segundo ela mesma, baixa, bastante magra, e bonita o suficiente . Maryse Lightwood, a mãe de Alec e Isabelle, observa que Clary se parece com Valentim quando ela a encontra pela primeira vez. Ela é descrita muitas vezes por Jace ao longo da série como delicada e linda, e Isabelle parece ter um pouco de inveja disso também. Ela será retratada por Lily Collins na adaptação cinematográfica da série e sua foto está na capa de Cidade das Cinzas, Cidade dos Anjos Caídos, Cidade das Almas Perdidas e Cidade do Fogo Celestial

Família[editar | editar código-fonte]

Ela é filha de Valentim Morgenstern e Jocelyn Fairchild. Ela também é irmã de Jonathan Christopher Morgenstern/Sebastian Verlac. Ela ganhou a capacidade de criar símbolos quando Valentim alimentou a mãe com sangue de anjo enquanto ela ainda estava no útero.

Interesses amorosos[editar | editar código-fonte]

  • Jonathan Christopher "Jace" Wayland / Morgenstern / Herondale / Lightwood: Eles são dilacerados pelos seus mundos diferentes, e depois pelo fato de acreditarem que são irmãos, o que acaba por se revelar como uma farsa, mas finalmente acabam namorando.
  • Simon Lewis: O melhor amigo de Clary, ele é apaixonado por ela e se ressente primeiramente por Jace. Namoraram brevemente em Cidade das Cinzas, mas acabam terminando após Clary perceber que ainda ama Jace. Eles permanecem como melhores amigos ao longo da série.
Aparições em livros

Jace Wayland[editar | editar código-fonte]

Jonathan Christopher "Jace" / Wayland / Morgenstern / Herondale / Lightwood é um Caçador de Sombras que vive no Instituto em Nova York com sua família adotiva. O nome legal de Jace se altera ao longo da série: de Jace Wayland (quando pensavam que seu pai era Michael Wayland), para Jonathan Morgenstern (filho de Valentim) e para Jace Herondale (quando é revelado que seu verdadeiro pai é Stephen Herondale). Sua mãe era a jovem Céline, um membro íntimo do Ciclo de Valentim, juntamente com Stephen Herondale.

O apelido "Jace" foi dado a ele por Maryse Lightwood após as suas (falsas) iniciais JC (Jonathan Christopher, quando ainda se acreditava que ele era realmente filho de Valentim). Foi dado sangue de anjo para Jace quando Céline estava grávida. Isso lhe deu melhores habilidades de combate, tais como a capacidade de saltar de alturas extremas e sobreviver, correr mais rápido do que qualquer outro Caçador de Sombras e a capacidade de mover-se com uma furtividade próxima a dos Irmãos do Silêncio (um grupo de Caçadores de Sombras que optaram por não caçar demônios, mas a viverem isolados e com um imenso conhecimento. Dessa forma eles são semelhantes a monges).

Na maior parte dos livros, Jace é sarcástico, frio e seu comportamente esconde sua alma torturada e irritada. Em Cidade das Cinzas, sua forte personalidade de "bad-boy" faz Maryse Lightwood (sua mãe adotiva) ter um pouco de medo dele, temendo que ele seja muito parecido com Valentim, que se acreditava ser seu verdadeiro pai até a suposição ser desmentida em Cidade de Vidro. Jace e Clary se apaixonam em Cidade dos Ossos, mas depois de descobrir que são "irmãos", se deparam com situações difíceis e, através de toda a série, cada um deles tenta superar isso namorando outras pessoas. Ele tenta evitar Clary e agir como um real irmão deve agir, agindo despreocupadamente com ela, tentando mascarar o que ele realmente sente. Ele não consegue controlar sua mentira o tempo todo e é, naturalmente, superprotetor e carinhoso com ela, embora Clary não veja isso devido ao seu sofrimento interno. No final do terceiro romance, Cidade de Vidro, Jocelyn contradiz a confissão de Valentim de que Clary e Jace são irmãos, dizendo a Clary que Jace é o filho de Céline e Stephen Herondale. A verdade liberta Jace e Clary da tortura de serem irmãos, permitindo-lhes aceitarem seus sentimentos mútuos e se tornarem um casal.

Aparência física[editar | editar código-fonte]

Jace tem cabelo enrolado louro-dourado escuro e os olhos cor de mel. Ele é esguio e musculoso. Seu rosto é descrito como sendo bonito e angular, e Clary muitas vezes se refere a ele como belo e leonino, com uma boca estreita. Seus olhos eram muito mais leves nos três primeiros livros; Clary descreve que os olhos e os cabelos são mais escuros em Cidade dos Anjos Caídos.

Como todos os outros Caçadores de Sombras, ele é coberto de cicatrizes finas e esbranquiçadas de anos de várias aplicações de símbolos mágicos para batalha e propósitos de cura. Diz-se que Jace tem dezessete anos de idade. Jace também é canhoto (como Valentim). Ele disse várias vezes (e tentou provar) que a única característica que ele recebeu de seu pai era a sua atitude. Jace será interpretado por Jamie Campbell Bower na adaptação cinematográfica do livro.

Família[editar | editar código-fonte]

Em Cidade dos Ossos, Jace vive com sua família adotiva, os Lightwoods, e vê-se como o irmão das crianças Lightwoods. Mais tarde, é dito que ele é o filho de Valentim e Jocelyn Morgenstern, e não Michael Wayland como todos sempre haviam acreditado. Neste momento, também é dito que Clary Fray é sua irmã.

No final é revelado que ele é realmente filho de Stephen Herondale e Céline Herondale e que Clary não é sua irmã de verdade. Ele e Clary têm uma conversa no final de Cidade de Vidro em que ele confessa que não sabe quem ele é, se referindo ao seu sobrenome. Clary confirma que ele é um Lightwood e Jace aceita tal fato. Em Cidade dos Anjos Caídos, ele sempre corrige as pessoas que se referem a ele como "Jace Herondale". Porém, ao final de Cidade do Fogo Celestial, Jace acaba por aceitar ó sobrenome, afirmando que não o fazia por achar odiar seu verdadeiro pai, mas isso não é verdade.

Interesses amorosos[editar | editar código-fonte]

  • Clary Fray/ Morgenstern / Fairchild: Em Cidade de Vidro, Isabelle diz que antes de Jace conhecer Clary, ele estava apático e apenas meio vivo, mas que depois de seu primeiro encontro, ele "começou a viver". Ao longo da série, Jace continua amando Clary, mesmo quando acredita que são irmãos. Ele já namorou muitas meninas e até mesmo tentou iniciar algo com Aline Penhallow para superar seu amor por Clary, mas nunca conseguiu.
  • Aline Penhallow: Em Cidade de Vidro, Jace flerta várias vezes com Aline, em uma tentativa frustada de esquecer Clary. Ela acaba flagrando ambos se beijando, o que provoca uma grande discussão entre Jace e Clary.
  • Alec Lightwood: Alec passa uma parte da série apaixonado por Jace, seu melhor amigo e parabatai. Ele está ciente dos sentimentos de Alec, mas não retribui e incentiva Alec a perceber que ele não ama verdadeiramente Jace de uma forma romântica.
Aparições em livros

Isabelle Lightwood[editar | editar código-fonte]

Isabelle "Izzy" Lightwood é uma Caçadora de Sombras e vive no Instituto em Nova York. Ela é rebelde e muitas vezes sai com integrantes do Submundo para chamar a atenção; quando Clary a encontra pela primeira vez, ela está namorando um Cavaleiro Fada. Recentemente, ela começou a fazer amigas do sexo feminino. Ela também é muito bonita. Sua falta de prática na hora de cozinhar muitas vezes é um fato que diverte Jace e Alec, e estremece Clary quando pensa em sua sopa.

Sua arma é um chicote elétrico com o qual é bastante habilidosa. Ela tem muita maquiagem e vestidos elegantes em todo o seu quarto no Instituto, como mostrado quando ela praticamente forçou Clary a usar as roupas que ela escolhera para a festa de Magnus. Apesar deste lado aparentemente superficial e feminino de sua personalidade, ela sempre é mostrada assumindo a responsabilidade de diversas situações, como por exemplo quando assumiu a culpa pela morte de seu irmão Max, apesar de estar inconsciente no momento. Ela é consolada por Simon e acaba dormindo com ele (não sexualmente). Ela casualmente começa a sair com Simon, que ao mesmo tempo também está saindo com Maia. Ela percebe que pode estar apaixonado por Simon, mas jamais admitiria tal fato. Ela é perigosa e muitas vezes carrega armas em suas botas de cano alto.

Isabelle, obviamente, se preocupa com Jace e Alec, e é ferozmente protetora de ambos. Devido a isso, ela se sente constantemente despedaçada sobre o fato de Alec estar lutando com sua sexualidade e Jace estar inconsolável por Clary.

Em Cidade dos Ossos, Isabelle demonstra uma leve antipatia por Clary e é a única Caçadora de Sombras um tanto quanto amigável com Simon. Ela recebe um convite para a festa de Magnus Bane, onde surge a oportunidade para Clary descobrir o motivo do nome do feiticeiro estar impresso em sua mente. Nessa mesma festa, Simon é transformado em rato e Clary levemente a culpa pela situação, bem como por ela ter ido embora sem problemas, mostrando o quanto pode ser corajosa e protetora com as pessoas que ama.

Em Cidade das Cinzas, Isabelle está presente na Corte Seelie, onde é revelado que ela estava saindo com um Cavaleiro das Fadas chamado Meliorn. Mostra-se excessivamente preocupada com Simon quando ele se transforma em um vampiro, fato que provavelmente comprova sua paixão secreta por ele. Luta na batalha no navio de Valentim e acaba ficando muito ferida depois de enfrentar um demônio com a aparência de um elefante.

Em Cidade de Vidro, Isabelle parte para Alicante juntamente com os outros Lightwood e fica hospedada na casa dos Penhallow. Quando as barreiras caem e os demônios invadem a cidade, ela permanece na casa juntamente com os outros que ainda não tem idade suficiente para o combate. Ela salva Aline de um demônio, mas a garota foge. Após isso, ela se reúne com Alec, Max e Sebastian na mansão. Alec sai para procurar os pais e enquanto Sebastian supostamente faz símbolos de proteção, ela sobe para buscar armas. Quando volta, vê a casa escura e silenciosa e o símbolo de proteção não-terminado. Sebastian mata Max e a nocauteia. Ela fica desolada com a morte do irmão menor e se culpa por não tê-lo ouvido quando ele afirma que vira alguém escalando as Torres Demoníacas, por ter sido levemente grossa com ele antes de sua morte e por não ter conseguido protege-lo. No final do livro, ela discute com Clary após a ruiva ter tentado mostra-la a carta de despedida que Jace a deixou. Izzy fala o quanto Jace a ama, e que embora não tivesse nada contra Clary e até gostasse dela, via como o irmão estava sofrendo com a situação, e preferia que fossem todos para longe dela. Ela se atreve a chamar Clary de egoísta, mas Simon interfere, falando que ela tampouco sabia o que Clary estava passando. A discursão é interrompida pela chegada de Jocelyn.

Em Cidade dos Anjos Caídos, Isabelle está casualmente namorando Simon, e embora não saiba que ele também está namorando Maia. Ela está presente momentos antes de Simon ser convocado para conversar com Camille. Ela diz para um dos humanos subjugados da vampira que Simon é seu namorado e ele se surpreende ao ouvir isso. Mais tarde, ela é vista durante um dos shows da banda de Simon, onde conversa com Clary e diz que achou Jordan extremamente bonito, insuando também que o que ela tem com Simon não é tão sério nem exclusivo. Clary manda uma mensagem para Isabelle antes de investigar a Igreja de Talto e ela chega a tempo de ajudar Clary no ataque de um demônio Hydra. Também está presenta na festa de noivado de Luke e Jocelyn, e preocupase-se de imediato com o sumiço de Simon. Juntamente com Alec, Maia e Jordan, ela parte para procurá-lo e descobre um cartão em sua carteira onde há o endereço de Satrina (um dos dezessete nomes dados a Lilith). Chegam a um prédio e Isabelle encontra vários cadáveres de bebês e ataca uma das mães, que lhe revela que era uma integrante da seita de adoração de Lilith.

Aparência física[editar | editar código-fonte]

Isabelle é descrita como sendo bonita e alta. Ela tem olhos grandes e negros, longos cabelos negros e um grande busto. Ela geralmente usa botas grandes e sapatos de salto que não parecem se encaixar com o cenário de luta contra os demônios, e parece estar sempre de maquiagem. Clary descreve-a como o tipo de garota que a maioria das mulheres teriam inveja. Será retratada por Jemima West na adaptação cinematográfica da série.

Família[editar | editar código-fonte]

Isabelle é a filha do meio da família Lightwood. Seus pais são Maryse e Robert Lightwood, que já foram integrantes do Ciclo de Valentim até a Ascensão. Seu irmão mais velho é Alec e seu irmão mais novo era Max, que morreu nas mãos de Jonathan Christopher Morgenstern (também conhecido como Sebastian Verlac, que foi morto por Jonathan para que pudesse roubar sua identidade e fingir ser primo dos Penhallows para entrar em Idris). Seus pais executam o Instituto em Nova York.

Interesses amorosos[editar | editar código-fonte]

  • Simon Lewis: Simon fica levemente apaixonado por ela quando se conhecem, mas ela nunca o trata como algo mais que um simples "mundano" até sua transformação. Como vampiro, ele se aprofunda em seu mundo e eles se tornam amigos. Ele foi um dos poucos com quem Isabelle realmente conversou após a morte de Max. Isabelle também tem ciúmes de Maia, que também gosta de Simon.
  • Meliorn: É um Cavaleiro Fada que possui certas desconfianças a respeito dos Caçadores de Sombras. Isabelle namora com ele no início da série, embora seja representado como apenas mais um caso de Isabelle. A Rainha Seelie tenta subornar Clary para fazê-lo o novo representante das Fadas na nova ordem da Clave, mas Clary se recusa.
Aparições em livros

Alec Lightwood[editar | editar código-fonte]

Alexander "Alec" Gideon Lightwood é um Caçador de Sombras que vive no Instituto em Nova York com seus irmãos. Ele é o mais velho dos Lightwoods e o mais silencioso entre Isabelle, sua irmã, e Jace, seu melhor amigo e irmão adotivo. Alec possui dezoito anos, o que o torna legalmente um "adulto" e lhe dá permissão para assistir às reuniões da Clave e participar de batalhas perigosas.

Alec é suave e sério. Ele tenta o seu melhor para agir com sabedoria, e não é tão irresponsável como Jace. Mais tarde na história, é revelado que ele nunca tinha matado um demônio. Ele mostra-se extremamente carinhoso para com aqueles que ama e está disposto a fazer qualquer coisa para protegê-los. Entre o grupo todo, Alec é o mais inteligente. Durante a maior parte da série, Alec nega a sua homossexualidade e atração por garotos (particularmente Jace), o que o faz parecer uma pessoa tensa o tempo todo. Quando ele finalmente aceita a si mesmo, ele se torna uma pessoa mais relaxada.

Em Cidade dos Ossos, Alec acredita ser apaixonado por Jace e demonstra ter um ciúmes incontrolável de Clary porque sabia que Jace tinha sentimentos por ela. Ele conhece Magnus Bane durante a sua festa e o feiticeiro acaba demonstrando interesses amorosos por Alec. Ele é gravemente ferido durante uma batalha com o Demônio Maior Abbadon e acaba ficando entre a vida e a morte. Magnus consegue curá-lo e permanece tempo o bastante no quarto, apenas para se certificar de que ele estava bem.

Em Cidade das Cinzas, Alec começa a se encontrar secretamente com Magnus, mas não assume seu relacionamento com o feiticeiro perante ninguém. Ainda sente-se confuso em relação aos sentimentos que carrega por Jace, mas as insinuação de que é apaixonado por Magnus tornam-se cada vez mais evidentes, visto que ele preferiu ficar com o feiticeiro do que ir para a Corte Seelie junto com os outros amigos. Clary o marca com o símbolo do Destemor e ele perde totalmente o seu medo de revelar para a família que está saindo com um integrante do Submundo que possui o mesmo sexo que ele.

Em Cidade de Vidro, Alec parte para Alicante juntamente com os outros Lightwood e fica hospedado na casa dos Penhallow. A paixão de Jace ainda é algo que o incomada, mas Jace o joga contra a parede e diz que, se ele realmente fosse apaixonado por ele, deveria beijá-lo. Quando Alec fica totalmente sem reação, Jace diz que apenas achava que gostava dele pelo fato de ser seguro e que deveria parar de mentir sobre os seus sentimentos. Quando a cidade é invadida pelos demônios, ele vê Magnus sendo encurralado por um bando de demônios Iblis. Ele corre para salvar o feiticeiro e eles acabam tendo uma discussão onde Magnus revela que o ama e Alec promete que o apresentará para a família se saírem vivos do combate. Mais tarde, quando Clary está mostrando aos Caçadores de Sombras e aos integrantes do Submundo a maneira como utilizar o Símbolo da Aliança, Alec beija Magnus na frente de todo mundo, inclusive de seus próprios pais, que permanecem boquiabertos.

Em Cidade dos Anjos Caídos Alec e Magnus estão viajando pelo mundo, mas eles são obrigados a voltar quando a Clave captura Camille e ela exije dar esclarecimentos apenas na presençã de Magnus. Alec se torna extremamente ciumento, ficando com raiva de Magnus quando ele descobre uma longa história de um namoro e relacionamento de Magnus com Camille. Ele se preocupa com o futuro de seu relacionamento por causa da imortalidade de Magnus e chega a cogitar o fato de ser trivial. Magnus desmente o fato e diz que Alec é seu futuro e que não está pronto para perdê-lo. Ele está junto com Isabelle, Maia e Jordan quando eles vão investigar o sumiço de Simon. Alec encontra Camille acorrentada em um dos andares do prédio e ela diz que Lilith a capturou do Santuário e a acorrentou novamente. Ela promete um jeito de Alec viver para sempre ao lado de Magnus se a soltasse,mas ela desaparece e foge depois que ele solta a vampira. No final do romance, Clary observa que Alec se tornou mais generoso consigo mesmo, permitindo-lhe ser mais generoso com os outros.

Aparência física[editar | editar código-fonte]

Alec é descrito como extremamente magro, com cabelos pretos, luminosos olhos azuis e altura impressionante. Ele também é muito pálido. Alec é descrito como sendo muito bonito também, mas ao contrário de sua irmã, ele tenta minimizar sua aparência, vestindo camisas gastas e roupas danificadas. Será retratado por Kevin Zegers na adaptação cinematográfica da série.

Família[editar | editar código-fonte]

Alec é o filho mais velho da família Lightwood, e o primeiro filho de Maryse e Robert Lightwood. Isabelle e Max são os seus irmãos e Jace é seu irmão adotivo.

Interesses amorosos[editar | editar código-fonte]

  • Jonathan Christopher "Jace" Wayland / Morgenstern / Herondale / Lightwood: Alec é homossexual, e, na maior parte da série, ele continua convencido de que sempre foi apaixonado por Jace. Em Cidade de Vidro, no entanto, Jace diz a ele que Alec apenas pensou que estava apaixonado por ele porque Jace era "seguro" e que essa era apenas uma desculpa para não correr riscos ao tentar sair com outra pessoa, ou seja, Magnus Bane.
  • Magnus Bane: Magnus sempre mostrou interesse em Alec ao longo dos livros, e depois do desafio de Jace, Alec beijou Magnus na frente de todos os Caçadores de Sombra quando eles estavam escolhendo parceiros para a batalha em Cidade de Vidro e revelou a sua associação com ele. Além disso, quando Clary faz um símbolo que permite com que se veja a pessoa mais amada, fica implícito que Alec viu Magnus. Mais tarde, seus pais aceitam o fato dele ser gay e, como visto em Cidade dos Anjos Caídos, ele e Magnus estão de férias viajando por todo o mundo; indo a lugares como Paris, Índia e outras partes da Europa. Eles são chamados de volta quando Magnus precisa interrogar Camille. Alec fica chocado com a longa história do namoro de Magnus e fica preocupado com seu futuro juntos por causa da imortalidade de Magnus. Alec começa a especular que a razão pela qual Magnus queria o Livro Branco era fazê-lo imortal para que eles pudessem ficar juntos. Ele teme que Magnus irá abandoná-lo em breve. Magnus diz que ele não é trivial e que não está pronto para perder Alec e não pode imaginar um futuro sem ele. Eles concordam em esperar e torcer pelo melhor. Mais tarde, em Cidade das Almas Perdidas eles acabam terminando quando Magnus descobre que Alec tinha considerado fazer um acordo com Camille para torna-lo mortal.
Aparições em livros

Jocelyn Fairchild[editar | editar código-fonte]

Jocelyn Morgenstern / Fairchild / Fray / Graymark / Garroway é a mãe de Clary e uma ex-Caçadora de Sombras. Jocelyn cresceu em Idris com Luke, Valentim e os outros membros do Ciclo. Ela se casou com Valentim quando tinha dezoito anos, até perceber que ele estava torturando integrantes do Submundo. Ela fugiu de Idris quando descobriu que estava grávida de Clary, então ele não poderia fazer mal a sua filha como ele fez com Jonathan (Sebastian), seu primeiro filho que já havia nascido. Mais tarde, foi dito que Luke procurou por Jocelyn por todos os cantos, até encontrá-la em Nova York e então ambos viveram suas vidas em Nova York, juntamente com Clary, até Jocelyn ser encontrada por Valentim.

Em Cidade dos Ossos, Jocelyn toma uma poção, se auto-colocando em um estado de coma para proteger seus segredos e permanecer inconsciente. Descobre-se que ela escondeu o Cálice Mortal em uma carta de tarô e confiou em Madame Dorothea para escondê-lo. Valentim a leva para Renwick e tenta acordá-la de todas as maneiras. Clary descobre o esconderijo do vilão e resgata a mãe, enviando-a para um hospital mundano.

Em Cidade de Vidro, Magnus Bane consegue revivê-la através de um antídoto contido no Livro Branco. Jocelyn aparece de supetão na casa de Amatis e Clary transborda toda a sua raiva ao ver a mãe, cobrando o fato dela ter escondido que ela tinha um irmão e também por tê-la feito viver em um mundo que não lhe pertencia. Logo depois, no Salão dos Acordos, Jocelyn conta toda a verdade a Clary e revela os planos maléficos de Valentim e que o seu verdadeiro irmão na verdade é Jonathan Christopher Morgentern, que assassinou Sebastian Verlac para que pudesse tomar o seu lugar. Depois de Valentim ser morto pelo anjo Raziel, Luke declarou seu amor por ela. Jocelyn não diz nada de imediato e então, Luke vai embora. Levemente forçada por Clary e Amatis, ela corre até ele com o intuito de dizer que também o ama.

Em Cidade dos Anjos Caídos, Jocelyn está de casamento marcado com Luke. Ela se preocupa com o namoro de Clary e Jace, alegando que ele ainda é muito parecido com Valentim. Ela é chamada por Catarina, uma amiga feiticeira de Magnus que ajudou a lhe libertar do coma mágico, para verificar um bebê morto no hospital que possui garras no lugar de mãos e olhos inteiramente negros. Jocelyn não aguenta o fato de ter que ver novamente um criatura parecida com o seu próprio filho, Jonathan, e fica bastante deprimida. Mais tarde, ela é vista na festa de casamento com Luke e logo em seguida abraçando Clary depois dela ter desaparecido e enfrentado Lilith.

Aparência física[editar | editar código-fonte]

Jocelyn é descrita como elegante e bonita. Ela tem longos cabelos vermelhos que geralmente dão uma reviravolta em seu corpo, e ainda carrega as cicatrizes dos seus dias de Caçadores de Sombra. É dito que Clary possui o olhar idêntico ao da mãe. Será retratada por Lena Headey na adaptação cinematográfica da série.

Família[editar | editar código-fonte]

Jocelyn tem dois filhos: Jonathan, morto por Clary em Cidade do Fogo Celestial, e Clary. Seus pais foram mortos em um incêndio por Valentim Morgenstern, no qual ela também acreditava que Jonathan tinha sido morto. A partir de Cidade dos Anjos Caídos ela encontra-se noiva de Luke Graymark e no final de Cidade do Fogo Celestial, a cerimônia é realizada.

Interesses amorosos[editar | editar código-fonte]

  • Valentim Morgenstern: Casou-se com ele quando tinha apenas dezoito anos e dessa união foi gerado dois filhos: Clary e Jonathan. Jocelyn sempre foi feliz com Valentim, ajudando-o em suas ideias para o Ciclo, mas entrou em completo estado de depressão quando descobriu que Valentim realizava experiências secretas em integrantes do Submundo que mantinha aprisionados dentro de um porão. O fato dele tê-la alimentado com sangue de demônio (durante a gravidez de Jonathan) e sangue de anjo (durante a gravidez de Clary) somado ao fato de ter descoberto que Valentim havia mentido quando dissera que Luke estava morto, foram suficientes para que ela o abandonasse definitivamente.
  • Luke Garroway / Graymark: Luke sempre foi apaixonado por Jocelyn, mas ele nunca disse qualquer coisa que desse a entender tal fato a ela. Quando descobriu que Luke estava supostamente morto, entrou em depressão. No final de Cidade de Vidro, Luke finalmente reúne coragem e conta a Jocelyn que é apaixonado por ela.
Aparições em livros

Valentim/Valentine Morgenstern[editar | editar código-fonte]

Valentim Morgenstern é o antagonista principal do livro, e o ex-marido de Jocelyn Fairchild. Isto também faz com que ele seja o pai biológico de Clary Morgenstern e Jonathan Christopher Morgenstern (Sebastian Verlac). Em sua juventude, ele era um Caçador de Sombras muito habilidoso de uma família rica em Alicante. Ele se torna amigo de Luke Graymark, enquanto ainda estavam na escola, entre outros, incluindo Caçadores de Sombras como Maryse Lightwood, Robert Lightwood, Hodge Starkweather, Stephen Herondale e Michael Wayland. Após a morte de seu pai, Valentim apaixonou-se por Jocelyn Fairchild, e juntos, ele e seu grupo de jovens Caçadores de Sombras formaram o grupo infame conhecido como Ciclo. Com Valentim conduzindo o Ciclo, tinham a intenção de compartilhar o dom de Nephilim com o resto da humanidade usando o Cálice Mortal. O seu casamento com Jocelyn sempre foi feliz. Isso mudou quando suas ideias para o Ciclo se tornaram mais radicais: Valentim queria matar todos os integrantes do Submundo. Ele infecta seu filho com sangue de demônio e é traído por seu ex-melhor amigo Luke e sua esposa na batalha da Ascensão. Após fugir da batalha, Valentim é considerado morto e se esconde com seu filho legítimo, Jonathan Christopher Morgenstern e seu filho adotivo, Jace Herondale.

Anos mais tarde, no início de Cidade dos Ossos, Valentim encontra Jocelyn e deseja que ela lhe diga a localização do Cálice Mortal. Ele a leva, mas não pode extrair informações devido ao seu estado de coma auto induzido. É revelado que Hodge era um de seus homens e Valentim desfaz a maldição que o impedir de sair do Instituto. Ele também acaba sequestrando Jace e o levando para o mesmo local em que ele estava escondendo Jocelyn. Clary e Luke correm para salvá-lo e recuperarem o Cálice Mortal, mas Valentim cria um Portal em um espelho e acaba fugindo para Idris com a posse do Instrumento Mortal. O espelho se quebra em diversos pedaços e Jace acaba pegando um deles para si, com o qual consegue ver um pedaço específico da cidade.

Em Cidade das Cinzas, Valentim está matando os integrantes do Submundo na tentativa de realizar o Ritual da Conversão Infernal, um ritual necessário para o uso da Espada Mortal, o segundo dos Instrumentos Mortais. A espada tem a essência do Anjo e o poder de revelar se um Caçador de Sombras está dizendo a verdade ou não. O ritual permite que Valentim mude a essência da espada para algo demoníaco, permitindo que ele invoque exércitos de demônios. Para isso, ele precisa reunir o sangue de quatro integrantes do Submundo e esquentá-los e esfriá-los esporadicamente. Valentim contrata um jovem feiticeiro chamado Elias para invocar o Demônio do Medo, Agramon, e logo depois o mata para drenar seu sangue. Também mata um filhote lobisomem próximo ao Hunter's Moon, mas ele não teve tempo de completar a drenagem do sangue. Um filhote do Povo das Fadas também é morto por Valentim. Ele sequestra Simon e Maia e os leva para o seu navio no East River na tentativa de pegar o sangue dos integrantes do Submundo que estão faltando. Uma batalha se inicia no navio e Clary, utilizando um símbolo de Abertura, consegue destruir o navio e parar o ritual de Valentim.

Em Cidade de Vidro, é dito que Valentim conseguiu de algum modo completar o ritual e agora tem a posse de dois Instrumentos Mortais. Ele descobre que o terceiro dos Instrumentos Mortais é o próprio Lago Lyn quando Sebastian o informa depois de ter ouvindo Hodge relatando a história para Clary, Jace e Alec. Valentim invade o Salão dos Acordos como uma projeção e diz aos Caçadores de Sombras que eles o poupariam caso se rendessem e concordassem com todos os seus termos. Caso contrário, haveria uma guerra e ele não pouparia esforços em matar cada um deles. A Clave não se rende e convoca os integrantes do Submundo para lutarem contra Valentim. Mas seus planos são outros. Ele vai para o Lago Lyn com a posse dos três Instrumentos Mortais e invoca o Anjo Raziel. Clary e Jace tentam impedir, mas Valentim "mata" Jace e coloca símbolos de quietude em Clary. Raziel não concorda com os termos egoístas de Valentim e, também pelo fato de Clary ter desenhado em cima dos símbolos que Valentim utilizou para convocar o Anjo, ele acaba matando o vilão. O Anjo concede um desejo a Clary e a única coisa que ela pede é que ele traga Jace de volta à vida.

Aparência física[editar | editar código-fonte]

Valentim é considerado alto e muito bonito. Ele possui ombros largos e cabelos loiros quase prata. Ele também tem olhos negros. Será retratado por Jonathan Rhys Meyer na adaptação cinematográfica da série.

Família[editar | editar código-fonte]

Valentim é o ex-marido de Jocelyn Fairchild, com quem teve dois filhos (Clary Morgenstern e Jonathan Christopher Morgenstern). Clary descobre que é filha de Valentim no primeiro livro, Cidade dos Ossos, mas foi criada por Jocelyn por toda a sua vida e é vazia da influência de Valentim. Seu filho, no entanto, é tutelado por ele e foi criado para ser um Caçador de Sombras muito talentoso e cruel. Ele é usado mais tarde como um espião de Valentim, assumindo o nome de Sebastian Verlac. Valentim também assume Jace Wayland como seu filho adotivo. Ele treina Jace, bem como Jonathan, fazendo-o como um hábil Caçador de Sombras.

Valentim também realizou experimentos em seus filhos. Na esperança de fazer um Caçador de Sombras mais forte e habilidoso, ele infunde Jonathan com sangue de demônio enquanto ele estava no ventre de Jocelyn. No entanto, um efeito colateral do sangue era o fato de que "queimaria a própria humanidade como o veneno queima a vida que há no sangue". Isto dá-lhe um filho capaz de proezas incríveis, mas com pouca ou nenhuma compaixão ou capacidade de amar. O experimento sobre Jonathan levou a Jocelyn enjôos e muita depressão, por isso, na esperança de fazê-la se sentir melhor, ele dá sangue de anjo em pó, sem saber que ela estava grávida de uma segunda criança (Clary), fazendo com que ela fosse infundida com sangue de anjo da mesma maneira que Jonathan foi infundido com sangue de demônio. Com Jace, após o fracasso de Jonathan em demonstrar qualquer compaixão, ele dá o sangue de anjo para a sua mãe (Céline Herondale), na esperança de criar um forte guerreiro, sem os efeitos colaterais que Jonathan sofreu com uso do sangue de demônio. Valentim treina Jace, mas é forçado a deixá-lo quando ele completa dez anos, tornando Valentim o único pai que Jace já conheceu. Pensa-se também que, dos dois meninos, o anjo e o demônio, foi Jace quem Valentim mais amou, muito mais do que seu próprio filho legítimo.

Interesses amorosos[editar | editar código-fonte]

  • Jocelyn Fairchild / Fray / Morgenstern / Graymark / Garroway: Foi casado com Jocelyn Fairchild, com quem teve dois filhos: Jonathan e Clary. Foi abandonado quando ela descobriu que fazia experiências com integrantes do Submundo e havia utilizado sangue de demônio para transformar Jonathan em um guerreiro mais forte.

Também é mencionado que com a natureza narcisista de Valentim o seu único amor verdadeiro era ele mesmo.

Aparições em livros

Hodge Starkweather[editar | editar código-fonte]

Hodge Starkweather é o tutor de Jace, Isabelle e Alec no Instituto. É descrito como um homem reflexivo e com os cabelos grisalhos; talvez fosse a pessoa certa para se procurar quando precisasse de alguns conselhos. Durante a maior parte da sua vida, foi obrigado a permanecer no Instituto como uma maldição por ter feito parte do Ciclo de Valentim no passado. Passou grande parte desse período trancafiado na biblioteca pensando em uma maneira de aniquilar a maldição.

Em Cidade dos Ossos, Valentim com todo o seu conhecimento em experimentos com sangue de anjo e demônio desfaz a maldição em troca da posse dos Instrumentos Mortais. Quando Clary descobre toda a verdade sobre Hodge, Valentim a sequestra e ele foge, sendo encontrado depois, em Cidade de Vidro, aprisionado em uma cela da Clave, utilizando o nome falso de Samuel. Durante esse período, conversou bastante com Simon e quando Jace, Clary e Alec foram para salvá-lo da prisão, acabaram resgatando Hodge também, que revelou que o terceiro Instrumento Mortal, o Espelho Mortal, era, na verdade, o próprio Lago Lyn. Ao ouvir isso, Sebastian acaba matando-o, afirmando que estava tentando protegê-los.

Aparência física[editar | editar código-fonte]

Hodge é descrito como um homem magro, com cabelos grisalhos e um longo nariz pontudo na primeira vez em que Clary encontra com ele dentro da biblioteca do Instituto. Depois de passar um grande período em uma das celas do Gard em Alicante, sua aparência se transforma para a de um homem barbudo e sujo, o qual Jace compara a uma pilha de trapos. Será interpretado por Jared Harris na adaptação cinematográfica da série.

Família[editar | editar código-fonte]

Não é dito quase nada sobre a família de Hodge. Durante quase toda a sua vida, sua única família foram as crianças Lightwood que moravam no Instituto juntamente com ele.

Aparições em livros

Sebastian Verlac (Jonathan Christopher Morgenstern)[editar | editar código-fonte]

Sebastian Verlac / Jonathan Christopher Morgenstern é o verdadeiro filho de Valentim Morgenstern e Joceyln Fairchild, fazendo dele o irmão de Clary Fray. Seu verdadeiro nome é Jonathan Christopher Morgenstern, mas ele se passou por Sebastien Verlac (primo dos Penhallows) em Cidade de Vidro. Ele é muito sádico por natureza, como resultado de ter sido resultado de um experimento de seu pai, no qual lhe foi aplicado sangue de demônio.

Ele aparece pela primeira vez em Cidade de Vidro como Sebastian Verlac. Ele leva Clary para ver Ragnor Fell, e beija-a, causando-a nojo. Após o regresso de Clary e Jace para Alicante, descobriu-se que Max Lightwood tinha visto alguém escalando as torres demoníacas. Sebastian era a tal pessoa e o seu sangue que foi usado para derrubar os bloqueios. Durante o primeiro ataque em Alicante, ele também mata Max Lightwood e fere gravemente Isabelle Lightwood. Ele acaba sendo perseguido e morto por Jace, antes da convocação de Raziel por Valentim, mas seu corpo nunca foi encontrado. Ele foi levado pela sua "mãe" (Lilith), cujo sangue foi usado durante o experimento. Ela usa Jace como alavanca e tenta trazê-lo de volta dos mortos. Em Cidade dos Anjos Caídos, ele é ressuscitado e usa um símbolo na tentativa de controlar Jace.

Em Cidade das Almas Perdidas sua primeira aparição começa quando ele e Jace(que agora obedece ele)vão a biblioteca do instituto pegar os livros para construir o Cálice Infernal. Depois, ele e Jace vão buscar Clary e a pedir que se juntem a ele, porém ela recusa. Clary e Simon então, bolam uma plano para ela espionar o Grupinho do mal, ela vai ao encontro de Jace. E ele á leva para o Apartamento em Veneza. Depois de vários acontecimentos Sebastian(ele diz que prefere ser chamado assim) tenta estuprar Clary, dizendo que os dois pertencem um ao outro. Ela por sua vez finca um caco de vidro no ombro dele. No final ele começa seu ritual com Caçadores de Sombras do mal, usando primeiro Amatis. Jocelyn, Alec, Simon, Isabelle e Magnus interrompem o ritual, matando todos os servos de Sebastian. Clary usa a espada de Arcanjo Miguel em Jace, retirando tudo que há de mal nele, principalmente a ligação. Termina com Sebastian deixando uma mensagem na biblioteca do instituto que diz: Erchomai (significa, Estou chegando).

Aparência física[editar | editar código-fonte]

Ele se diz ser a cara de Valentim. Ele tem, naturalmente, cabelo prata, é muito oportuno, e tem olhos pretos. Ele tinje seu cabelo de preto em Cidade de Vidro, enquanto está se passando por Sebastian Verlac. Sua foto está presente na capa de Cidade de Vidro.

Família[editar | editar código-fonte]

Jonathan é o filho de Jocelyn Morgenstern e Valentim Morgenstern. Foi usado em um experimento de Valentim enquanto Jocelyn estava grávida. Quando nasceu, Jocelyn sabia que algo estava errado com a criança e teve que se esforçar muito para estar perto dele. Ele é o irmão verdadeiro de Clary. O Dêmonio Lilith também afirma que Jonathan é o seu "filho" devido ao fato de que é o seu sangue de demônio que flui em suas veias.

Interesses amorosos[editar | editar código-fonte]

  • Clary: Finge estar apaixonado por Clary em Cidade de Vidro. Já em Cidade das Almas Perdidas ele tenta estuprar ela dizendo que os dois pertencem um ao outro. Clary então o esfaqueia no ombro.
  • Isabelle: Mesmo não sendo um amor forte, ele começa, mesmo sendo pequeno, a ter algum interesse em Isabelle em Cidade de Vidro.
Aparições em livros

Aline Penhallow[editar | editar código-fonte]

Aline Penhallow mora em Alicante, na casa dos Penhallows, onde os Lightwoods ficaram hospedados durante sua estadia na cidade. Já em sua primeira aparição, mostra-se não gostar dos integrantes do Submundo, quando se recusa a apertar a mão de Simon, apesar de dizer que ele é "bonitinho" para alguém do Submundo. Aparenta ter interesses românticos com Jace, uma vez que flerta com ele durante alguns momentos do livro, segurando em sua mão e acabada sendo flagrada por Clary beijando-o, fato que provoca uma discussão tremenda entre Clary e Jace. Momentos mais tarde, Aline fica a favor de Clary e lhe diz que ela provavelmente ficou preocupada que ele pudesse se encrencar se resolvesse se envolver com a menina, já que a família de ambos eram amigas. Ela também revela que, quando beijou Jace, estava tentando perceber se qualquer menino fazia seu tipo. Fica implícito que Aline pode ter sentimentos lésbicos.

Quando as barreiras que protegem Alicante foram derrubadas e diversos demônios invadiram a cidade, Aline foi sequestrada por um deles e Isabelle sai para salvá-la. Aline acaba matando o demônio, mas foge logo em seguida e não agradece Isabelle por ter tentado salvá-la.

Descobriu que Sebastian Verlac não era quem ele aparentava ser, ao observar suas verdadeiras fotos e constatar que ele não se parecia em nada com o que ele se mostrava.

Aline está junto com Isabelle e Clary quando elas estão discutindo sobre o que vestirão para a festa. Ela insinua que Jace pode não querer mais nada com Clary devido ao fato dele gostar de algo que parecia proibido. Depois que ela sai, Isabelle pergunta se Aline estava sentindo ciúmes. Clary responde negativamente, significando que as meninas estavam em harmonia. Ela é vista pela última vez na festa em Alicante.

Aparência física[editar | editar código-fonte]

Aline é descrita como tendo olhos delicados e em forma de amêndoas, cabelos escuros brilhantes puxados para trás e uma expressão sapeca. Tem origem asiática.

Família[editar | editar código-fonte]

Aline é filha de Jia e Patrick Penhallow. Eles controlaram o Instituto de Pequim por anos e voltaram para Alicante há mais ou menos uma década. Patrick chegou a participar do início do Ciclo, mas rapidamente saiu quando percebeu quão cruel eram as intenções de Valentim. Não participou da Ascensão, mas Patrick foi para Pequim com o intuito de se afastar de Valentim e acabou conhecendo a mãe de Aline no Instituto de lá. Os Penhallow não foram amaldiçoados pela Clave e possuem a gratidão dos Lightwoods por terem votado por clemência quando foram julgados por terem participado do Ciclo. Aline também é prima de Sebastian Verlac, que foi morto e substituído por Jonathan Christopher Morgenstern, o real filho de Valentim e irmão de Clary. O primo diz que ela possui cara de anjo e modos de um demônio Moloch.

Interesses amorosos[editar | editar código-fonte]

  • Jonathan Christopher "Jace" Wayland / Morgenstern / Herondale / Lightwood: Aline flerta com Jace em alguns momentos de Cidade de Vidro. Clary flagra ambos se beijando, o que provoca uma discussão imensa. Jace diz que tinha que tentar um modo de esquecer o amor que sente por Clary e acabou utilizando Aline para isso.
Aparições em livros

Amatis Herondale[editar | editar código-fonte]

Amatis Herondale mora em Alicante. Era uma integrante do Ciclo de Valentim, juntamente com o seu marido, Stephen Herondale, até Valentim obrigá-lo a se divorciar de Amatis e se casar com Céline, sob a desculpa de que Amatis tinha um parentesco indesejável pelo fato de Luke ter se transformado em um licantrope. Amatis conta a Clary que ela e Luke nunca foram tão próximos e quando Luke foi mordido por um lobisomem ela disse a ele para ir embora e nunca mais voltar até ele ter a certeza de que não era um deles. Ela fica com o coração partido devido a traição de Stephen, mas passou o resto de sua vida o amando. Em Cidade de Vidro, ela vê Stephen quando Clary desenha um símbolo que permite que as pessoas vejam aqueles que elas mais amam. Depois, ela dá a Jace uma caixa repleta de coisas de Stephen - como as cartas para ela, sua pedra enfeitiçada, suas poesias e, o mais importante, uma carta que ele escreveu para o seu filho (Jace) antes dele morrer.

Depois que Clary e Luke atravessam um portal criado por Clary e ela cai no Lago Lyn, Luke a leva até a casa de Amatis para que ela possa ser curada. A partir daí, Clary passa a ficar em sua casa durante sua estadia na Cidade de Vidro.

Amatis possui um baú cheio de roupas que costumava usar quando era criança. Dentre elas, há um uniforme de Caçadora de Sombras pelo qual Clary fica maravilhada e várias vezes é vista o trajando.

Possui um sentimentalismo exagerado, talvez pelo fato de sempre ter sofrido por ter expulsado Luke de casa quando descobriu que ele era um lobisomem. Se mostra muito dramática quando percebe que Clary fugiu de sua casa escondida, fato que a faz se sentir culpada.

No final de Cidade de Vidro, Amatis fixa a sua relação com o seu irmão, evidentemente sendo grata por ele ter ido a ela quando mais precisou. Ela também aparece sendo novamente amigável com Jocelyn (ela tinha raiva dela no passado por Valentim forçar Stephen a se divorciar dela).

Aparência física[editar | editar código-fonte]

Amatis é descrita como tendo longos cabelos cinza-acastanhados presos em duas tranças. Seus olhos são azuis e familiares para Clary.

Família[editar | editar código-fonte]

Amatis é irmã de Luke e nunca se conformou com o fato dele ter se transformado em lobisomem e acabou o expulsando de casa. Ficou mais de quinze anos sem ter notícia alguma do irmão e se mostra um pouco agressiva quando ele aparece em sua casa juntamente com Clary, que precisava de uma cura logo depois de ter bebido água do Lago Lyn.

Interesses amorosos[editar | editar código-fonte]

  • Stephen Herondale: Amatis foi a primeira esposa de Stephen, mas Valentim a obrigou a se afastar dele, por achar que ela não era boa o suficiente por ter um parentesco indesejável (claramente se referindo ao ódio que Valentim começou a desenvolver por Luke depois que ele se transformou em um licantrope).
Aparições em livros

Maryse Lightwood[editar | editar código-fonte]

Esposa de Robert Lightwood, mãe de Alec, Isabelle e Max e mãe adotiva de Jace. Foi a responsável por dar esse apelido ao garoto, através das iniciais do seu suposto nome, Jonathan Christopher (JC). É descrita como sendo uma réplica perfeita de Isabelle em uma versão adulta: os cabelos negros escorridos pelo corpo e um olhar negro e penetrante. Por muitas vezes, é severa com os filhos. Em Cidade das Cinzas, questionou várias vezes Jace por seu comportamento de "bad-boy" e começa a sentir medo dele ser um espião de Valentim.

Aparições em livros

Robert Lightwood[editar | editar código-fonte]

Marido de Maryse Lightwood, pai de Alec, Isabelle e Max e pai adotivo de Jace. Não aparece muito durante a série e pouco se sabe sobre suas características psicológicas. Mostra-se bastante seguro e protetor dos filhos. Alec tem medo que Robert o reprima por ser homossexual. É dito que ele fica gravemente ferido por veneno demoníaco e quase morre depois da batalha no navio de Valentim em Cidade das Cinzas.

Aparições em livros

Max Lightwood[editar | editar código-fonte]

Filho de Maryse e Robert Lightwood, irmão menor de Alec e Isabelle e irmão adotivo de Jace. Possui nove anos de idade. Gosta muito de ler mangás e seus óculos provavelmente lhe dão um ar de intelectual. Clary uma vez já prometeu que o levaria até uma convenção de mangás, fato que deixou o garoto muito animado. Viu Sebastian escalando as torres demoníacas a fim de derrubar os bloqueios para que os demônios pudessem invadir Alicante. Tentou contar a Isabelle, mas a garota disse que ele apenas deveria estar sonhando. Max mais tarde foi brutalmente morto por Sebastian, fato que causou uma intensa tristeza na família Lightwood.

Em Cidade dos Anjos Caídos, Lilith utiliza a imagem de Max em um dos pesadelos de Jace, onde o garoto diz que os sonhos de Jace estão prejudicando sua relação com Clary e que seu pai verdadeiro, Stephen Herondale, está preocupado. Ele diz a Jace que cortar os próprios braços ceifaria a parte podre de sua alma. Quando Jace o faz, Lilith utiliza o sangue para criar uma Marca em seu peito responsável por controlá-lo.

Aparições em livros

Michael Wayland[editar | editar código-fonte]

Um Caçador de Sombras que participou do Ciclo de Valentim quando tinha aproximadamente dezessete ou dezoito anos de idade. Ele foi assassinado por Valentim durante a Ascensão e seus ossos foram queimados junto aos escombros da mansão Morgenstern para simular a própria morte e a do filho. Depois disso, Valentim usou o seu nome com o intuito de cuidar de Jace na tentativa de transformá-lo em guerreiro que pudesse ser seu aliado.

Madeleine Bellefleur[editar | editar código-fonte]

Uma antiga amiga de Jocelyn, descrita como tendo cabelo prata, longo e brilhante. Clary a encontrou no hospital quando foi visitar a mãe no final de Cidade das Cinzas e ela revelou que sabia uma maneira de acordar Jocelyn. Ela lhe contou que Clary teria que ir para Idris e encontrar o feiticeiro Ragnor Fell, que saberia o único feitiço capaz de despertar Jocelyn. Estava no Instituto juntamente com os Lightwoods quando, antes de partirem para Idris através do portal, foi atacado por Renegados, no começo de Cidade de Vidro, e acabou tendo a garganta cortada por um deles.

Aparições em livros

Stephen Herondale[editar | editar código-fonte]

O filho de Imogen Herondale, que nunca fez uma participação efetiva na série, mas foi citado diversas vezes. Foi casado primeiramente com Amatis, mas Valentim a obrigou a se separar dele por achar que a mulher não era boa o suficiente pelo fato de ter conexões familiares indesejáveis. Logo depois, se casou com Céline. A esposa se matou depois que ele foi morto em uma invasão do Ciclo a um ninho de vampiros. Possuía a típica cicatriz em forma de estrela dos Herondales na parte superior do braço direito. Revela-se que Stephen era o verdadeiro pai de Jace. No epílogo de Cidade de Vidro, Amatis entrega a Jace uma caixa prateada com alguns pertences do pai: algumas cartas que tinha escrito, fotos, uma árvore genealógica, sua pedra enfeitiçada. Jace diz que tentou ler as cartas para tentar sentir alguma ligação com Stephen, mas afirma que não sentiu nada e que qualquer pessoa poderia ter escrito aquilo.

Céline Herondale[editar | editar código-fonte]

Segunda esposa de Stephen Herondale e a verdadeira mãe de Jace. Também nunca fez uma participação efetiva na série, mas foi citada algumas vezes. Valentim secretamente lhe alimentava com sangue de anjo enquanto estava grávida, fato que fez com que Jace adquirisse habilidades especiais de luta. Ao descobrir que o marido tinha morrido, entrou em completo desespero e acabou se matando, cortando os próprios pulsos e sangrando até morrer. Apesar disso, Jace foi retirado com vida de dentro do seu útero e Valentim passou a cuidar secretamente do garoto, assumindo a identidade de Michael Wayland e dando a Jace o falso nome de Jonathan Christopher, o mesmo nome de seu filho legítimo.

Emil Pangborn[editar | editar código-fonte]

Um Caçador de Sombras que fez parte do Ciclo e lutou durante a Ascensão. Possui um irmão chamado Anson Pangborn que também fez parte do Ciclo e foi um dos Caçadores de Sombras mortos em Cidade dos Anjos Caídos.

Em Cidade dos Ossos, ele é interrogado por Luke e Jace o reconhece como um dos homens que falsamente matou o seu pai. No final do livro, ele acaba sendo morto por Luke depois que eles duelam em Renwick. Será interpretado por Kevin Durand na adaptação cinematográfica da série.

Aparições em livros

Samuel Blackwell[editar | editar código-fonte]

Um Caçador de Sombras que fez parte do Ciclo. Ele era fiel a Valentim e lutou durante a Ascensão. Foi expulso de Idris depois que a Ascensão falhou e permaneceu ao lado de Valentim e de Pangborn, ajudando o vilão a forjar a morte a própria morte quando estava se passando por Michael Wayland. Ele foi morto por Luke em Renwick. Será interpretado por Robert Maillet na adaptação cinematográfica da série.

Aparições em livros

Malik[editar | editar código-fonte]

Um Caçador de Sombras que fazia parte do Conclave de Nova York. Ele era o segundo no comando depois de Maryse Lightwood. Ele é visto no lado de fora da Cidade do Silêncio, conversando com Maryse e a Inquisidora. Quando Clary e Jace estão fugindo com Luke, ele arremesa uma faca contra a roda do carro, mas é parado por Madeleine Bellefleur. Ele foi morto durante a batalha no navio de Valentim.

Aparições em livros

Kadir[editar | editar código-fonte]

Irmão de Malik, se torna o segundo Caçador de Sombras no comando do Conclave de Nova York logo após a morte do irmão, sendo inferior apenas a Maryse Lightwood.

Em Cidade das Cinzas, Kadir era um dos Caçadores de Sombras que estava do lado exterior da Cidade do Silêncio.

Em Cidade dos Anjos Caídos, Kadir assume o lugar do seu irmão no Conclave de Nova York. Ele ajuda Maryse na organização da captura de Camille Belcourt.

Aparições em livros

Vampiros[editar | editar código-fonte]

Raça do Submundo, são criaturas extremamente charmosas que não podem sair durante a luz do dia e bebem sangue. Possuem dentes afiados que ficam à mostra quando estão irritados. Eles vivem em grupos.

Simon Lewis[editar | editar código-fonte]

Simon Lewis é o melhor amigo de Clary. Ele acompanha Clary em suas aventuras, apesar de ser humano na maior parte do primeiro livro.

Em Cidade dos Ossos, ele está junto com Clary quando ela vai à boate Pandemônio e tem seu primeiro encontro com Jace, Alec e Isabelle. Clary rapidamente conta toda a verdade a ele sobre ser capaz de ver o Mundo de Sombras e ele rapidamente se vê envolvido nesse mundo novo e é levado ao Instituto, onde desperta a ira de Jace e a amizade um tanto quanto colorida de Isabelle. Vai juntamente com os outros à festa de Magnus Bane, depois de Clary descobrir este nome impresso em sua mente onde um feitiço de bloqueio fora aplicado, e é transformado por em um rato depois de beber um drinque. Acaba sendo sequestrado pelos vampiros e é levado ao Hotel Dumort.

Mais tarde, em Cidade das Cinzas, ele começa a sentir alguns efeitos colaterais, como resultado de morder Raphael, o vampiro chefe temporário, enquanto ele era um rato. Por ser um humano e não saber a maneira correta de se tornar um vampiro, ele começa a temer que possa estar se transformando em um monstro. Quando ele não consegue conciliar seus sentimentos por Clary depois de vê-la beijando Jace durante a estadia na Corte Seelie, ele retorna ao hotel e se coloca em um grande perigo ao perguntar aos vampiros se está se transformando em um deles. Infelizmente, os vampiros os atacam e Raphael o salva da morte imediata, trazendo-o de volta ao Instituto onde Clary estava hospedada. Confrontados com a escolha de deixar Simon morrer ou torná-lo um vampiro, Clary e Jace decidem deixá-lo renascer como um vampiro. No final do livro, ele se torna um "Diurno" depois da maior parte do seu sangue ter sido drenada no navio de Valentim para que ele pudesse completar a sua conversão em Maellartach, a Espada da Alma. Jace encontra Simon à beira da morte e permite que ele beba do seu sangue a fim de revivê-lo. A grande quantidade de sangue de anjo no corpo de Jace dá a Simon a habilidade de ficar no sol, sem risco de ser queimado assim como acontece com todos os outros vampiros.

Em Cidade de Vidro, Simon parte para Alicante juntamente com os outros Caçadores de Sombras, depois de ter sido atacado por um Renegado. Ele conhece a família Penhallow e logo depois é convocado para ir ao Gard, com a promessa de que lhe seria condedido um Portal para que pudesse voltar para Nova York. O novo Inquisidor da Clave o aprisiona em uma cela e diz que só o libertará se ele concordar em dizer que os Lightwood são espiões de Valentim. Simon nega e é deixado na cela para apodrecer, onde conhece um companheiro com o nome falso de Samuel (que mais tarde revela-se ser Hodge), com quem conversa bastante. Clary descobre que ele está aprisionado e corre para salvá-lo, juntamente com Alec e Jace. Eles conseguem retirar o vampiro da cela antes que as chamas que ardiam no Gard pudessem queimá-lo. Após a morte de Max Lightwood, Isabelle (irmã mais velha de Max) fica perturbada, culpando-se por não tê-lo ouvido quando disse que tinha alguém escalando as torres demoníacas. Ela se recusa a ver qualquer pessoa, mas finalmente permite que Simon entre no quarto. Simon tenta convencê-la de que a morte de Max não foi culpa dela, e, eventualmente, acaba dormindo ao lado dela (para sua surpresa), embora eles não tenham feito nada sexual. No final do terceiro romance, Raphael exige a morte de Simon em troca da assistência do seu clã para a guerra; Raphael acredita que os poderes de Diurno de Simon o torna perigoso demais para permanecer vivo. A fim de protegê-lo, Clary desenha a Marca de Caim em sua testa, que o impede de ser prejudicado por qualquer pessoa e também o amaldiçoa, marcando-o como um andarilho para a eternidade.

Em Cidade dos Anjos Caídos, um conflito envolve Simon quando ele tenta namorar Isabelle e Maia ao mesmo tempo. Quando as meninas descobrem, ambas o deixam, o que faz como que fique novamente sozinho. No entanto, até o final do livro, é evidente que uma relação estritamente aprofundada está se formando entre Simon e Isabelle. Durante o livro, ele é atacado por homens encapuzados que estão tentando capturá-lo, mas sempre são destruídos pela Marca de Caim. Ele torna-se amigo de Jordan Kyle, um licantrope que faz parte de uma organização conhecida como Praetor Lupus, responsável por das assistência a vampiros e licantropes que acabaram de ser transformados e não sabem lidar com isso. Os garotos recebem uma mensagem dizendo que cortariam a garganta da sua namorada se ele não comparecesse à Riverside Drive, nº 232. Simon pensa que é uma piada quando certifica-se de que Isabelle, Maia e Clary estão bem. Mais tarde, ele descobre que o bilhete se referia à Maureen, uma garota amiga da prima de Eric, que era a única fã da banda de Simon e que tinha um queda por ele. Simon não pôde controlar sua sede vampiresca e tinha mordido Maureen antes dela supostamente morrer, mas ele acaba se encontrando com ela e ela está transformada em vampira. Maureen o leva até Lilith e ela diz que estava tentando capturá-lo para que ele pudesse ressuscitar Sebastian. Lilith obriga Simon a mordê-lo e ele passa é envenenado pelo sangue de demônio de Sebastian. Ele se joga contra Lilith e Clary antes da demônio dar uma chicotada em Clary, que estava flutuando e sendo torturada por ela. As ações assassinas de Lilith voltam-se sete vezes contra ela devido a Marca de Caim e ela se transforma em sal, mas não foi totalmente morta, já que Demônios Maiores como ela não podem ser mortos; ela apenas retornou à sua dimensão de origem.

Aparência física[editar | editar código-fonte]

Simon é descrito como tendo cabelo castanho escuro, que cresce ao longo da série. Como um ser humano, seus olhos eram da cor de café com creme, mas após sua transformação em um vampiro, se tornaram mais escuro, maiores e mais profundos do que nunca. Ele costumava usar óculos até sua transformação, embora, ele os mantém para sua mãe, que não tem ideia de seu filho é um vampiro até o quarto livro. Clary afirma que ele ficou muito mais "gato" após a transformação e usou a evidente paixão de Isabelle e Maia para provar-lhe tal fato. Simon também tem a marca de Caim na sua testa, o que significa que ele não pode ser morto. Será retratado por Robert Sheehan na produção cinematográfica da série e sua foto aparece na capa de Cidade dos Anjos Caídos.

Família[editar | editar código-fonte]

Não é dito muito sobre a família de Simon. Menciona-se que seu pai morreu quando ele era muito jovem devido a um ataque cardíaco. Sua mãe se torna um personagem mais proeminente em Cidade dos Anjos Caídos quando descobre que Simon é um vampiro e o expulsa de casa. Ao sair, ele a coloca em um transe, esperando uma data posterior para poder falar com ela. Ele também tem uma irmã chamada Rebecca que é alguns anos mais velha do que ele. É dito por Clary que ela tem uma boa capacidade em desenhar, diferentemente do irmão. Também é dito que Simon possui um gato de estimação chamado Yossarian. Sua família tem devoção judaica.

Interesses amorosos[editar | editar código-fonte]

  • Isabelle "Izzy" Lightwood: Ele se sente atraído por ela desde o momento em que a vê, mas seu relacionamento permanece ocasional até que ele a conforta depois da morte de seu irmão mais novo. Eles começam a namorar em Cidade dos Anjos Caídos, mas Simon ocasionalmente também está tendo o mesmo tipo de relacionamento com Maia.
  • Clary Fray / Morgenstern / Fairchild: Simon a ama durante Cidade dos Ossos e Cidade das Cinzas. No primeiro livro, ele a ama de longe, acompanhando-a em suas aventuras, apesar de saber que ela está apaixonada por Jace. Eles namoram em Cidade das Cinzas, mas Clary é incapaz de parar de amar Jace e eles terminam. Apesar de tudo isso, eles permanecem melhores amigos e ainda provocam uns aos outros como fizeram antes de seu namoro.
  • Maia Roberts: Uma licantrope do bando de Luke. Ela conheceu Simon quando ficou hospedada na casa de Luke depois de ter sido atacada por demônios Drevak. Devido à grande rivalidade milenar entre licantropes e vampiros, ela dispara muitos insultos contra ele e acaba tentando atacá-lo. Ambos foram sequestrados por Valentim para que pudesse drenar seus sangues para cumprir o Ritual da Conversão Infernal, o que transformaria a Espada Mortal em um artefato demoníaco, permitindo que Valentim a usasse. Maia percebe que seus sentimentos por Simon são positivos quando se vê trancafiada juntamente com ele no navio de Valentim. Ela e Isabelle visivelmente sentem inveja uma da outra sempre que entram em contato.
Aparições em livros

Raphael Santiago[editar | editar código-fonte]

O segundo líder e soberano das Crianças Noturnas, sendo inferior apenas à Lady Camille Belcourt. Devido à ausência da vampira nos três primeiros livros da série, ele se torna o vampiro responsável por tomar decisões importantes, como escolher representantes para lutar em batalhas. É descrito como extremamente magro e pálido, os cabelos negros e lisos. É visto pela primeira vez em Cidade dos Ossos, quando Simon é transformado em rato durante uma festa na casa de Magnus Bane e acaba indo parar no Hotel Dumort juntamente com os outros vampiros. Lá, Simon acaba mordendo Raphael e contraindo o vampirismo para si. Raphael costumava falar em alguns tons de espanhol, até que em Cidade das Cinzas ele diz "El no es muerto" erroneamente e nunca mais é visto falando nesse idioma. Em Cidade de Vidro, ao descobrir que Simon é um Diurno (um vampiro com a capacidade de se expor aos raios solares) exige que a Clave o entregue. Mas, Clary faz a Marca de Caim em sua testa, o que impede que Raphael tente matá-lo. Ao invés disso, obriga Simon a lutar na batalha contra Valentim. Já foi vistos muitas vezes apenas como uma projeção.

Aparições em livros

Lady Camille Belcourt[editar | editar código-fonte]

A líder do clã de vampiros de Manhattan. É uma das vampiras mais velhas de que se tem notícias e alguns costumam chamá-la de anciã. Possui uma beleza quase mortal, com os cabelos louros-prateados caindo sobre os ombros como se fossem uma cascata, a pele extremamente pálida e costuma usar jóias de rubis. Ela é citada em Cidade de Vidro quando Raphael diz a Simon que ele está ocupando o seu lugar como chefe dos vampiros durante a ausência de Camille. Ela faz sua primeira aparição em Cidade dos Anjos Caídos quando tenta convencer Simon a se aliar a ela na tentativa de derrubar Raphael. Ela revela que o vampiro tem planos de matá-la para assumir a liderança definitiva do bando de vampiros e que ela estava tentando se esconder durante todo esse tempo. Quando Clary utiliza um dos símbolos responsáveis por reanimar os mortos em um dos Caçadores de Sombras que foram mortos misteriosamente, o cadáver cita o nome da vampira como responsável por tê-lo matado. Camille teve um relacionamento no passado com Magnus Bane, motivo responsável por deixar Alec enciumado. Ela também está presente na outra série de Cassandra Clare, intitulada As Peças Infernais.

Aparições em livros

As Peças Infernais

Maureen Brown[editar | editar código-fonte]

Amiga da prima de Eric, Maureen é uma garota de catorze anos e a única fã da banda de Simon. Tem uma atração por Simon e é conhecida por dizer a todo mundo que é namorada dele. Durante uma apresentação da banda, Maureen encontra Simon em um beco, onde ele está passando mal pela falta de sangue no corpo. Ela pede para tirar uma foto com ele e o garoto aceita, mas acaba não controlando seus instintos e morde Maureen. Jordan aparece, o impede de continuar com o ato e leva Maureen para um local seguro. Mais tarde, Simon recebe um bilhete dizendo que cortariam a garganta de sua namorada se ele não comparecesse à Riverside Drive, nº 232. Ele ignora o bilhete depois de perceber que Isabelle, Maia e Clary estava bem, mas logo descobre que era Maureen quem estavam fazendo de refém. Ele vê no jornal a notícia de que ela estava morta e fica desolado. Entretanto, ele encontra com Maureen e ela revela que se transformou em uma vampira e que tinha que levá-lo para o responsável em ter capturado-a, a Demônio Maior Lilith.

Aparições em livros

Lily[editar | editar código-fonte]

Uma vampira do clã de vampiros de Nova York. Ela é a terceira no comando, sendo inferior apenas a Camille e Raphael. Ela tem traços asiáticos e seu cabelo é tingido de azul. Negocia a entrega de Simon a Clary e Jace quando eles invadem o Hotel Dumort e também está presente quando Maia leva Simon até a floresta onde o clã de Raphael estava reunido.

Aparições em livros

Licantropes[editar | editar código-fonte]

Raça do Submundo, são criaturas que podem se transformar em um lobo a qualquer momento, desde que haja a presência da lua cheia no céu. Vivem em bandos e o líder é escolhido através de quem assassina o antigo. Também podem atingir a forma híbrida, meio humano, meio lobo.

Luke Graymark[editar | editar código-fonte]

Lucian "Luke" Graymark /Garroway é um ex-Caçador de Sombras e fazia parte do Ciclo de Valentim no passado. Estudou junto com Valentim e sempre foi o seu melhor amigo, admirando-o e desejando ser como ele. Também sempre foi apaixonado por Jocelyn, fato que sempre escondeu. Acabou sendo mordido por um lobisomem e se transformou em um licantrope. Valentim já estava em sua parte radical do Ciclo quando começou a odiar os integrantes do Submundo; deu a Luke uma faca e ordenou que se ele fosse um homem verdadeiro, a melhor coisa que poderia fazer era se matar. Luke fugiu para a floresta e durante muito tempo Jocelyn acreditou que ele estava morto, fato que a deixou em uma depressão profunda. Perdido e sozinho, Luke acaba encontrando um bando de lobisomens e se alia a eles, tornando-se o líder. Algum tempo depois, Luke envia um bilhete para Jocelyn contando que havia se tornado o líder de um grupo de lobisomens na Floresta Brocelind. Ao descobrir que ele não estava realmente morto, ela percebe quem Valentim realmente era e começa a sentir ódio dele.

Em Cidade dos Ossos, Clary demonstra muito carinho por Luke e o considera como um verdadeiro tio. Ele frequentemente visita Clary e é o melhor amigo de sua mãe. Ela escuta quando ele conversa com Jocelyn, dizendo que Clary não é como Jonathan (a garota pensava que ele estava se referindo ao suposto pai, mas, na verdade, estava se referindo ao seu irmão). Depois que Jocelyn desaparece e a vida de Clary se vê de cabeça para baixo quando descobre tudo sobre o Mundo de Sombras, Luke se mostra distante e agressivo com Clary, dizendo-lhe para jamais voltar a incomodá-lo com os seus problemas, porque ele já tinha demais. Clary, Jace e Simon veem Luke ameaçando Pangborn e Blackwell, dois Caçadores de Sombras que Jace reconhece como responsáveis pela falsa morte dos pais. Mais tarde, ele revela a Clary que é um licantrope e que estava apenas tentando protegê-las das verdades aterradoras. Quando Jace é sequestrado por Valentim, ele e Clary partem para Renwick onde o bando de licantropes de Luke é atacado por Renegados. Ele luta com Valentim e é responsável por matar Pangborn e Blackwell.

Em Cidade das Cinzas, Luke abriga Maia em sua casa, uma licantrope do seu bando que estava no Hunter's Moon quando Jace provocou a briga com Bat. Ele é atacado por dois demônios Raum na margem do East River e fica bastante ferido, sendo curado por Magnus logo em seguida. Ele dirige a picape juntamente com Clary, Jace e Magnus para o navio de Valentim depois de descobrirem que ele tinha sequestrado Simon e Maia para realizar o Ritual da Conversão Infernal. Magnus realiza um feitiço para que o carro pudesse andar sobre a água e Clary é sequestrada por demônios voadores. Jace e Luke saltam do carro e terminam o trajeto nandando. No navio, eles lutam contra diversos demônios.

Em Cidade de Vidro, Luke tenta impedir Clary de ir para Alicante criando um Portal. Ele acaba atravessando juntamente com ela e a salva quando cai nas águas envenenadas do Lago Lyn. Luke leva Clary para a casa de sua irmã, Amatis, e ela consegue curá-la. Ele permanece na cidade e é responsável por conscientizar a Clave da necessidade de assentos para os integrantes do Submundo no Conselho, já que ele é um dos membros mais influentes e ouvidos dentre todos. Luta na batalha final contra os demônios de Valentim e, no epílogo do livro, finalmente revela todo seu amor por Jocelyn, que é totalmente correspondido.

Em Cidade dos Anjos Caídos, Luke está de casamento marcado com Jocelyn e ele se antecipa com os preparativos para a festa de noivado, onde contrata seu bando para organizar tudo. Ele vai junto com Clary e Maryse para a Cidade do Silêncio, depois de Clary ter visto um símbolo que poderia utilizar para reanimar um dos Caçadores de Sombras que foram mortos. Ele revela que foi morto por Camille Belcourt e a Clave se encarrega de capturá-la.

Aparência física[editar | editar código-fonte]

Luke é descrito como um homem de meia-idade com aparentes quarenta anos. Possui cabelos grisalhos e suaves olhos azuis. Na série de livros é caracterizado por usar sempre suas calsas jeans e suas blusas dr flanela. Será retratado por Aidan Turner na adaptação cinematográfica da série.

Família[editar | editar código-fonte]

Lucian Garroway é irmão de Amatis Herondale. Depois que descobriu sua transformação em lobisomem, a irmã não o aceitou e o expulsou de sua casa. Após Clary criar o portal para Alicante e levar Luke consigo, em Cidade de Vidro, ela acaba caindo no Lago Lyn e ele a leva para a casa de Amatis, onde se recupera e é curada.

Interesses amorosos[editar | editar código-fonte]

  • Jocelyn Fairchild / Fray / Morgenstern / Graymark / Garroway: Durante toda a sua vida, Luke foi apaixonado por Jocelyn e sempre escondeu esse sentimento, por saber que ela era apaixonada pelo seu melhor amigo, Valentim. Depois de Valentim ser dado como morto, durante a Ascensão, e Clary nascer, Jocelyn e Luke passam a morar em Nova York. Clary sempre soube que ele era apaixonado pela mãe, mas Luke nunca gostou de tocar em tal assunto com ela. No final de Cidade de Vidro, ele finalmente toma a coragem necessária para dizer a Jocelyn que sempre a amou. Ela fica sem reação e Luke acaba entendendo que talvez ela não nutrisse o mesmo sentimento por ele. Ele vai embora, mas logo depois é surpreendido por Jocelyn que revela compartilhar do mesmo sentimento. Em Cidade dos Anjos Caídos, eles estão preparando o casamento.
Aparições em livros

Maia Roberts[editar | editar código-fonte]

Maia Roberts é uma adolescente birracial nascida e criada em um bairro do subúrbio de Nova Jersey. Seu irmão, Daniel, era bonito e abusivo, embora seus pais nunca acreditassem nela, mesmo quando ele quebrou o braço da jovem menina. Esse tratamento leva Maia a odiar e temer meninos bonitos, mesmo depois que seu irmão foi morto em um atropelamento. Maia conheceu Jordan e eles acabaram saindo. Ele eventualmente tornou-se controlador e abusivo e ela acabou terminando com ele. Jordan ficou muito irritado e, em forma de lobisomem, a atacou durante o caminho para uma festa (ela era um ser humano comum e não sabia que ele era um lobisomem). Jordan logo desapareceu e Maia se transformou em um lobisomem na próxima lua cheia. Ela fugiu de casa e juntou-se a um bando de lobisomens, em Nova York. Ela tornou-se associada aos Caçadores de Sombras e desenvolveu uma paixão por Simon, e disputa sua atenção com Isabelle em Cidade de Vidro.

Em Cidade das Cinzas, Maia é vista pela primeira vez em um bar chamado Hunter's Moon juntamente com seus outros amigos licantropes. Jace invade o bar e acaba causando uma briga com o dono porque não estava interessado em ajudar aos demais quando chega a notícia de que um filhote de lobisomem havia sido morto. Clary e Simon vão ao bar em uma tentativa de acalmá-lo e Maia acaba conhecendo o mundano. Luke a contrata para tomar conta de sua biblioteca e ela acaba sendo atacada por um demônio Drevak, que deixa vários espinhos entalhados em seu ombro. Maia deixa o apartamento de Luke para desculpar-se com Simon por chamá-lo de nomes feios depois que ela foi atacada e percebeu que ele era um vampiro. No caminho, ela é atacada por Agramon, o Demônio do Medo que ela interpreta como seu irmão mais velho Daniel, que violentamente abusava dela quando ele ainda era vivo. Valentim então a sequestra com o intuito de obter seu sangue para completar o seu feitiço. Simon é raptado logo em seguida. É mostrado que todos os licantropes são afetados negativamente por prata quando Valentim borrifa pó de prata sobre ela e ela grita de dor.

Em Cidade de Vidro, Maia retorna para o seu bando de licantropes na floresta. Seu afeto por Simon ainda é mostrado ao longo do livro, visto que ela é responsável por levar sangue de animal para ele enquanto está hospedado na casa de Luke e também é dito que eles estão saindo juntos. Ela está presente durante a infestação de demônios à cidade de Alicante e salva Jace e Clary quando eles estão sendo atacados por um demônio Behemoth. Ela e todo o seu bando de licantropes unem-se aos Caçadores de Sombras no Salão dos Acordos e se prepara para a batalha final contra Valentim. Demonstra ter ciúme de Isabelle quando a Caçadora de Sombras está interagindo com Simon e fica perplexa quando vê Alec e Magnus se beijando na frente de todo mundo. Ela também leva Simon até o esconderijo dos vampiros depois dele concordar em se entregar a Raphael para que as Crianças Noturnas pudessem lutar na batalha.

Em Cidade dos Anjos Caídos, Maia e Simon estão casualmente namorando, enquanto Simon, sem o consentimento dela, acaba também casualmente namorando Isabelle. Maia acaba descobrindo a farsa quando encontra Simon abraçado com Isabelle e ambas as garotas terminam o relacionamento com ele. Tal fato parece aproximar Isabelle e Maia, que demonstravam sentir ciúme uma da outra no livro anterior. É dito mais sobre o passado de Maia, principalmente do seu envolvimento com Jordan Kyle, seu ex-namorado, que foi o único responsável por transformá-la em licantrope. Ela fica possessa de raiva quando o encontra em uma das apresentações da banda de Simon e o ataca com as garras. Maia também está presente durante a festa de casamento de Luke e Jocelyn e parte com Isabelle, Alec e Jordan para tentar encontrar Simon. Ela vomita de náusea quando encontra os cadáveres dos bebês que Lilith tentou utilizar para fazer mais crianças como Sebastian. Mais tarde, ela acaba conflituando com os próprios sentimentos e beija Jordan. Ele pergunta o porquê dela ter beijado-o e Maia desconversa, dizendo que não sabia e que a única coisa que queria era encontrar os amigos.

Aparência física[editar | editar código-fonte]

Maia é descrita como tendo cabelos crespos, castanhos, sempre presos em trancinhas, pele castanho clara e olhos cor de âmbar. Tem um corpo curvilíneo, e é bonita.

Família[editar | editar código-fonte]

Não é dito muito sobre a mãe ou o pai de Maia, porém seu irmão Daniel é mencionado. Daniel se dizia ser um menino atraente, mas frequentemente abusava de Maia, dando-lhe hematomas onde não pudessem ser vistos, quebrando seu braço, etc. Ele morreu quando ainda era bem jovem, mas Maia ainda continuou sentindo medo dele por muitos anos.

Interesses amorosos[editar | editar código-fonte]

  • Jordan Kyle: Maia começou a sair com ele logo após a morte de seu irmão, Daniel. Foi o responsável por transformá-la em um licantrope, quando se descontrolou e a mordeu durante o caminho para uma festa. Logo depois, ele fugiu e nunca mais foi visto.
  • Simon Lewis: Maia começou a demonstrar interesses amorosos por Simon em Cidade das Cinzas. Ela foi se desculpar com ele depois de tê-lo xingado de nomes horríveis por descobrir que era um vampiro. Simon sempre foi legal com ela e talvez isso apenas ajudasse para que seu sentimento por ele ficasse cada vez maior. Em Cidade de Vidro, ela disputa a atenção de Simon com Isabelle.
Aparições em livros

Jordan Kyle[editar | editar código-fonte]

O ex-namorado de Maia e o único responsável por transformá-la em uma licantrope. Eles tiveram uma relação que foi boa durante os primeiros momentos, mas depois que ele se transformou em lobisomem, começou a sentir uma raiva descomunal e a relação deles se tornou algo controlador e extremamente ciumento. Durante uma de suas crises de de ciúme, ele acabou batendo em Maia e ela terminou o relacionamento com ele. Ela beijou outro garoto na frente dele apenas para enciumá-lo, mas Jordan acabou mordendo Maia e transformando-a em uma licantrope e logo após esse episódio, ela nunca mais teve notícias dele.

Ele reaparece em Cidade dos Anjos Caídos, usando apenas o seu sobrenome, Kyle, para se nomear. É descrito como um garoto alto e magro, ombros largos, as maçãs do rosto altas, cabelos negros e cacheados caindo sobre a testa e o pescoço, e o tom de pele bastante bronzeado. Simon percebe que os cílios longos e espessos sobre os olhos o fazem parecer um astro do rock do tipo bonitinho e rebelde. Ele demonstra ter interesses de entrar para a banda de Simon como vocalista e faz um teste para tal em sua primeira aparição. Ele encontra Simon abandonado na garagem de Eric e o convida para morar juntamente com ele em seu apê. Faz parte do Praetor Lupus, uma organização bastante reservada formada por lobisomens que já sofreram com a incapacidade de controlar os ataques de fúria e raiva gerados pela licantropia que localizam vampiros e lobisomens "orfãos" que foram transformados há pouco tempo e ainda não sabem o que são. Eles intervêm e tentam encaixá-los em um bando ou um clã e a controlar os próprios poderes. Maia encontra com ele durante uma das apresentações da banda de Simon e fica enfurecida, pulando com as garras à mostra em direção à sua garganta.

Aparições em livros

Alaric[editar | editar código-fonte]

Um dos lobisomens do bando de Luke e o terceiro no comando. Ele ataca o Hotel Dumort quando Clary e Jace estão tentando salvar Simon, que estava transformado em um rato, das garras dos vampiros. Clary não sabia que ele fazia parte do bando de Luke e acaba o atacando com uma adaga. Mais tarde, quando Luke e o bando estão se posiciando para invadir Renwick, Alaric devolve a adaga que Clary tinha perdido e a carrega para fora do combate. Ele acaba sendo morto por um dos Renegados.

Aparições em livros

Gretel[editar | editar código-fonte]

Uma licantrope do bando de Luke e a segunda no comando. Quando Luke está conversando com Clary dentro de um dos esconderijos dos licantropes, ela o auxilia trazendo produtos de primeiros socorros e uma agenda telefônica para que pudessem descobrir a localição de Renwick. Ela costuma chamar Luke de mestre. Acaba sendo morta também durante o ataque dos Renegados.

Aparições em livros

Morcego Velasquez[editar | editar código-fonte]

Um membro do bando de licantropes de Luke e é o terceiro no comando depois da morte de Alaric e Gretel. Ele tem 1,98m de altura e possui uma grossa cicatriz que deixara seu rosto desfigurado depois de ser atingido por pó de prata. Ele não é um dos licantropes noturnos, que vivem na delegacia e dormem em celas; ele tem seu próprio apartamento e um emprego. Ele também é um músico, atuando como DJ no Pandemônio.

Quando Maia se muda para Nova York, ele se torna seu primeiro amigo licantrope, juntamente com Steve e Gregg. Ele já namorou Maia e era um bom namorado, mas a dispensou depois de conhecer uma bruxa chamada Eve, que morava em Yonkers e lia mãos na própria garagem. Eles continuaram amigos depois disso.

Durante Cidade das Cinzas, ele discute com Jace enquanto ele agia arrogantemente depois de ter entrado no Hunter's Moon e começa a brigar com ele, sendo interrompido por Pete Aberração, que envia Jace para tomar um ar. Ele retorna depois anunciando que há o corpo de um filhote de licantrope na frente do bar, Joseph, que morreu com a garganta cortada.

Aparições em livros

Feiticeiros[editar | editar código-fonte]

Raça do Submundo, é uma mescla entre humanos e demônios, que fazem uso da magia. São estéreis e não podem gerar descendentes férteis. Apesar de terem uma aparência humanoide, todos carregam uma "lembrança" de sua parte demoníaca, trazendo uma parte do corpo não humana, como garras, olhos de gato, etc.

Magnus Bane[editar | editar código-fonte]

Magnus Bane é o Magnífico Feiticeiro de Brooklyn. Em certo ponto da série, ele diz que tem oitocentos anos, mas Cassandra Clare disse em seu twitter que ele nasceu em 1640, fato que o faz ter aproximadamente 367 anos.

Em Cidade dos Ossos, seu nome é encontrado na mente de Clary quando ela é levada aos Irmãos do Silêncio para que eles pudessem descobrir o motivo dela não saber nada sobre o Mundo de Sombras. Descobre-se que Magnus foi o feiticeiro que adulterou a mente de Clary depois de ter sido convidado a ajudar a apagar suas memórias de infância por sua mãe. Isso permitiu que ela esquecesse todas as lembranças que carregava do Submundo e crescesse sem saber absolutamente nada sobre sua origem. Ele se encontra pela primeira vez com os outros Caçadores de Sombras em uma das suas festas para integrantes do Submundo. Demonstra ter interesses por Alec logo na primeira vez em que o vê, dando o telefone para que o garoto pudesse ligar para ele. Quando Alec é ferido pelo Demônio Maior Abbadon e fica entre a vida e a morte, Magnus é responsável por salvá-lo. Isabelle destaca que viu faíscas azuis por todo o quarto e que Magnus ficou ao lado dele até que se certificasse de que Alec estava realmente bem.

Em Cidade das Cinzas, sua relação com Alec está mais acentuada e eles começam a sair às escondidas. Magnus finge não se importar com o fato de Alec não ter coragem de assumir o relacionamento perante aos outros. Magnus continua fazendo favores aos Caçadores de Sombras, curando Maia e Luke depois que eles são atacados e feridos por demônios. Ele concorda em deixar que Jace hospede-se em sua casa como um prisioneiro da Clave depois que ele escapa da prisão na Cidade do Silêncio. Ele permanece junto com Alec quando os outros vão à Corte Seelie tentar conscientizar o povo das Fadas sobre uma possível aliança com os Caçadores de Sombras na guerra contra Valentim. Magnus ajuda Luke, Clary e Jace a chegarem ao navio de Valentim, fazendo um feitiço que permitiu que a picape de Luke andasse sobre a água. Enquanto os outros estão lutando, Magnus permanece no carro fazendo feitições de proteção até ficar extremamente cansado. Alec diz que ele poderia usar toda a força que existia dentro dele para se manter em pé.

Em Cidade de Vidro, Magnus está ajudando os moradores do Instituto na construção de um Portal para Idris quando são atacados por Renegados. Clary pergunta a ele se poderia construir um Portal sozinha, já que Jace não queria que ela fosse junto para a Cidade de Vidro. Magnus diz que isso seria impossível e que ela jamais poderia entrar na cidade sem uma permissão da Clave. Quando Clary descobre o endereço de Ragnor Fell, com a ajuda de Sebastian, ela encontra Magnus na casa do feiticeiro. Ele congela Sebastian e diz que Ragnor foi morto por tropas demoníacas e concorda em ajudá-la a despertar sua mãe do coma mágico se Clary pegasse o Livro Branco para ele, escondido na biblioteca da mansão Wayland. Quando as barreiras da cidade caem e é invadida por uma tropa assustadora de demônios, Magnus se vê encurralado por demônios Iblis. Alec corre para salvar o feiticeiro e eles têm uma discussão onde Magnus revela que ama Alec e o Caçador de Sombras promete que o apresentaria para a família caso saíssem vivos do combate. Mais tarde, Alec beija Magnus na boca no Salão dos Acordos, na frente de todos os outros Caçadores de Sombras e integrantes do Submundo. No epílogo, Magnus é visto conversando com uma menina de cabelos castanhos (Cassandra revelou que essa menina era Tessa Gray, protagonista da série As Peças Infernais, o que deixa implícito que a garota pode ser uma feiticeira imortal) e está namorando com Alec.

Em Cidade dos Anjos Caídos, Magnus e Alec estão de férias, viajando a lugares como Índia, Paris e outras partes da Europa. O casal envia fotos para Jace constantemente onde Magnus está sempre vestido com alguma roupa típica da região e extremamente exótica. Eles voltam quando a Clave aprisiona Camille Belcourt e a vampira exige falar única e exclusivamente com Magnus sobre o fato de seu nome ter sido dito por um dos Caçadores de Sombras mortos quando Clary conseguiu revivê-lo através de um dos símbolos que viu. Eles revelam que tiveram em relacionamento no passado, fato que deixa Alec completamente enciumado. Ele também revela que já saiu com mais pessoas do que consegue se lembrar, o que incluem homens, mulheres, vampiros, feiticeiros e fadas.

Aparência física[editar | editar código-fonte]

Magnus é descrito como sendo longo e magro, com braços levemente musculosos e uma polegada mais alto que Alec. Ele tem cabelos negros que normalmente são espetados, coloridos e brilhantes. Ele usa todos os tipos de maquiagem, como brilho ao redor dos olhos e batom (também é dito que ele tem mais maquiagem que Isabelle Lightwood em Cidade de Vidro). Ele gosta de exibir sua sexualidade, vestindo calças de couro de arco-íris e outros acessórios chamativos (como um turbante brilhante e azul). Isabelle disse uma vez que ele era um "feiticeiro sexy, muito sexy". Ele também é descrito como tendo olhos verdes. Foi dito em Cidade dos Ossos que ele tem características asiáticas. Será retratado por Godfrey Gao na adaptação cinematográfica da série.

Família[editar | editar código-fonte]

Os pais de Magnus o temia mesmo quando ele era criança. Quando sua mãe descobriu que ele era um feiticeiro, ela se enforcou em um celeiro. Seu pai mais tarde tentou lhe afogar, e Magnus acabou o queimando. Ele foi criado por clérigos. Cassandra Clare revelou em seu twitter que Magnus nasceu no que foi as Índias Orientais Holandesas. Está implícito em Príncipe Mecânico que seu pai é um demônio poderoso chamado Baal.

Interesses amorosos[editar | editar código-fonte]

  • Alexander "Alec" Lightwood: Magnus é bissexual e sempre demonstrou interesses por Alec ao longo da série. Magnus nunca escondeu tal fato, mas Alec demorou um pouco mais para aceitar que estava apaixonado por Magnus. Em Cidade de Vidro, Magnus cobra o fato de Alec sempre esconder os seus verdadeiros sentimentos, mas ele promete que se caso saíssem vivos da batalha ele apresentaria Magnus para a família. Mais tarde, quando Clary está mostrando o Símbolo da Aliança que uniria os Caçadores de Sombras com os integrantes do Submundo para a batalha contra Valentim, Alec beija Magnus na frente de todo mundo, inclusive os seus pais.
  • Lady Camille Belcourt (As Peças Infernais e depois em Cidade dos Anjos Caídos)
  • Woolsey Scott (As Peças Infernais)
Aparições em livros

As Peças Infernais

Ragnor Fell[editar | editar código-fonte]

Um feiticeiro amigo de Jocelyn. Ele era o único que sabia um feitiço capaz de despertar Jocelyn do seu coma mágico. Sebastian afirmou que sabia onde ele morava e levou Clary até sua casa, mas encontraram Magnus em seu lugar, que afirmou que Ragnor havia sido morto. Magnus pediu que Clary fosse a mansão Wayland para recuperar o Livro Branco para ele, o qual continha um feitiço que poderia despertar Jocelyn.

Aparições em livros

Elias[editar | editar código-fonte]

Um jovem feiticeiro que Valentim contratou para ajudá-lo na convocação de Agramon, o Demônio do Medo. Possui asas negras que saem de suas omoplatas como a marca demoníaca que todos os feiticeiros carregam. Valentim promete recompensar o menino com dinheiro depois que conseguisse falar com Agramon, mas o demônio acaba matando Elias de medo, literalmente e Valentim revela que uma de suas intenções durante a invocação era matar o garoto para que pudesse utilizar seu sangue durante o Ritual da Conversão Infernal.

Aparições em livros

Catarina Loss[editar | editar código-fonte]

É uma feiticeira excepcionalmente poderosa que trabalha no hospital para mundanos, Beth Israel. Ela possui a pele inteiramente azulada e os cabelos enrolados em um nó atrás da cabeça, brancos como a neve. Ela diz que poderia ganhar uma fortuna vendendo suas habilidades para os Caçadores de Sombras, mas prefere ganhar seu próprio dinheiro trabalhando como todas as pessoas. Ela é amiga de Magnus Bane e é a ela que ele entrega o Livro Branco para que Catarina pudesse ajudá-lo a prepapar a poção que despertaria Jocelyn do coma mágico. Catarina liga para Jocelyn em Cidade dos Anjos Caídos para que ela pudesse ver o corpo de um bebê encontrado morto no hospital, sob as mesmas condições de Jonathan/Sebastian: os olhos inteiramente negros e garras no lugar de dedos.

Aparições em livros

Fadas[editar | editar código-fonte]

Raça do Submundo, conhecida por sua grande beleza maliciosa e suas poções mágicas. Diz-se serem a mescla entre anjos e demônios. Podem lhe dar aquilo que mais deseja de tal maneira, que se arrependerá de ter desejado.

Rainha Seelie[editar | editar código-fonte]

Rainha da Corte das Fadas. Clary, Jace, Simon e Isabelle vão parar na Corte das Fadas, em Cidade das Cinzas, numa tentativa de conscientizar o Povo das Fadas da necessidade de se unirem aos Caçadores de Sombras. A Rainha é a primeira a dizer que Clary e Jace são experimentos (claramente se referindo ao fato de Valentim ter usado sangue de anjo para que suas habilidades especiais se desenvolvessem). Clary vê uma mancha vermelha no seu dedo e, não sabendo que na verdade era comida de fada, leva-o à boca. A Rainha diz que ela nunca mais poderá sair da Corte, a não ser que receba um beijo da pessoa que mais deseja. Simon se oferece para beijá-la, mas percebe que o beijo que ela mais deseja é na verdade o de Jace. A Rainha também aparece no final de Cidade de Vidro, pedindo que Clary reconheça Meliorn como o representante oficial do Povo das Fadas, mas Clary nega o pedido, mesmo sabendo que quase ninguém o recusaria.

Aparições em livros

Meliorn[editar | editar código-fonte]

É um Cavaleiro Fada que possui certas desconfianças a respeito dos Caçadores de Sombras. Isabelle namora com ele no início da série, embora seja representado como apenas mais um caso de Isabelle. A Rainha Seelie tenta subornar Clary para fazê-lo o novo representante das Fadas na nova ordem da Clave, mas Clary se recusa.

Aparições em livros

Kaelie[editar | editar código-fonte]

Uma fada e servente da Rainha Seelie, que também trabalha como garçonete em um restaurante do Submundo chamado Taki's. Ela tem um rápido momento de flerte com Jace e tem uma atração pelo garoto. Ela é descrita como alta e magra, a pele branca como leite com as veias verdes visíveis, cabelos loiros e olhos azuis.

Em Cidade dos Anjos Caídos, ela aparece na festa de casamento de Luke e Jocelyn, a pedido da Rainha Seelie, e entrega a Clary um colar em forma de sino, dizendo-lhe que se tocasse-o poderia pedir um favor para a Rainha em qualquer momento que quisesse.

Aparições em livros

Membros da Clave[editar | editar código-fonte]

Imogen Herondale[editar | editar código-fonte]

A Inquisidora da Clave em Cidade das Cinzas. Dizem que ficou completamente louca depois que seu filho, Stephen Herondale, foi morto e muitos acreditam que seja por isso que ela foi extremamente arrogante durante a ocupação do seu cargo de Inquisidora. Acusou Jace de ser um espião de Valentim e o prendeu na Cidade do Silêncio, onde ele testemunhou todos os Irmãos do Silêncio serem mortos por Agramon, O demônio do Medo. Arquitetou um plano maluco no qual desejava que Valentim trocasse a vida de Jace pelos Instrumentos Mortais, apenas para que ela pudesse se vingar de todo o sofrimento que o vilão causara a seu filho. Salvou a vida de Jace durante a batalha no navio de Valentim depois de ver que ele possuía uma cicatriz em forma de estrela no ombro, marca dos Herondales. Logo percebeu que ele era seu neto, mas isso custou sua própria vida. Antes de morrer, disse a Jace que seu pai teria orgulho dele. Jace sempre pensou que ela apenas estava o provocando, se referindo a Valentim, quando na verdade se referia ao seu verdadeiro pai, Stephen Herondale.

Aparições em livros

Aldertree[editar | editar código-fonte]

O novo Inquisidor da Clave em Cidade de Vidro, logo após a morte de Imogen Herondale. É descrito como extremamente baixo e com uma voz aguda e fina. Ele convoca Simon para uma conversa, com a esperança de que ele lhe explique o motivo de ser um Diurno. Simon diz que não sabe o motivo e Aldertree acaba o prendendo em uma cela da Clave. Logo depois, pede a Simon que minta sobre os Lightwoods, alegando que todos são espiões de Valentim. Simon novamente nega e o Inquisidor diz que Simon apodrecerá na cadeia. Quando Valentim aparece como uma projeção no Salão dos Acordos, dizendo que acontecerá uma guerra caso a Clave não se rendesse a ele, Aldertree tenta o amedrontar, mas a projeção de Valentim enfia a mão dentro do seu peito e acaba o matando. Nunca foi explicado o fato da projeção de Valentim ter conseguido matá-lo.

Aparições em livros

Malaquias Dieudonné[editar | editar código-fonte]

O Cônsul da Clave. Membro do Ciclo de Valentim. Fiel aliado de Aldertree, também concorda que Simon deveria apodrecer na cadeia. Clary ouve uma conversa dele com Valentim e descobre que Malaquias é espião e aliado do vilão. Valentim conta a ele que pretende transformar todos os Caçadores de Sombras que não seus subalternos em Renegados. Hugin (Ou Hugo), o corvo de Valentim, percebe a presença de Clary e começa a atacá-la para denunciá-la. Malaquias dá vários golpes no corvo, o qual logo em seguida morde o seu corpo todo, empurrando-o e fazendo com que batesse a cabeça na quina de uma mesa e o matando.

Aparições em livros

Irmãos do Silêncio[editar | editar código-fonte]

Elite dos Caçadores de Sombras, tem a aparência pálida e transformada, já que as Marcas que usam são extremamente poderosas. Moram na Cidade dos Ossos (também chamada de Cidade do Silêncio). São chamados de Guerreiros da Mente, pois, diferente de seus irmãos Nephilim, repudiam o combate físico, concentrando no poder das Marcas. Têm o poder de penetrar na mente de qualquer pessoa e detectar todos os seus pensamentos. Também não falam, outras consequências de suas Marcas; apenas se comunicam através da mente. Vestem túnicas grossas da cor de areia e são primeiramente curandeiros e escrivães.

Jeremiah[editar | editar código-fonte]

Um dos Irmãos do Silêncio que reside na Cidade dos Ossos. Em Cidade dos Ossos, Clary vai até ele com o intuito de retirar o bloqueio em sua mente que a impede de se lembrar sobre o Mundo de Sombras. A única coisa que ele consegue ler é o nome de Magnus Bane, feiticeiro responsável por ter colocado o poderoso feitiço de bloqueio nela. Jeremiah, assim como todos os outros Irmãos do Silêncio, utiliza uma roupa encapuzada que cobre todo o seu corpo cheio de cicatrizes. Vive como um monge e só é capaz de falar na mente das pessoas. É morto em Cidade das Cinzas, juntamente com todos os outros Irmãos do Silêncio, quando Valentim envia Agramon, O Demônio do Medo para a Cidade dos Ossos.

Aparições em livros

Zachariah[editar | editar código-fonte]

Um dos únicos Irmãos do Silêncio que restaram depois que Valentim utilizou o Demônio do Medo para matar todos os Irmãos que se encontravam na Cidade do Silêncio em Cidade das Cinzas. Ele aparece em Cidade dos Anjos Caídos quando Clary, Luke e Maryse vão à Cidade do Silêncio em uma tentativa de utilizaram um dos símbolos que Clary enxergou devido ao seu poder para trazer um dos Caçadores de Sombras mortos de volta à vida com o intuito de obterem alguma resposta sobre quem seria o responsável por tê-los assassinados. Clary o descreve como uma das maçãs do rosto marcada por uma única cicatriz de um único símbolo negro. Ela também percebe que a boca não era fechada por pontos de costura e que não tinha a cabeça raspada, embora não pudesse ter certeza disso devido às sombras do capuz levantado.

Aparições em livros

Anjos[editar | editar código-fonte]

Ithuriel[editar | editar código-fonte]

Um anjo invocado por Valentim com o intuito de ser cobaia em seus experimentos. Foi desse anjo que Valentim retirou o sangue capaz de fazer Clary desenhar novos símbos e Jace ter habilidades especiais de combate. Manteve-o completamente aprisionado e em condições lastimáveis de higiene no porão da Mansão Wayland depois de obter todo o sangue que precisava. Seus olhos foram arrancados por Valentim e no lugar do órgão há apenas buracos negros e vazios. Clary e Jace vão para a Mansão Wayland em uma tentativa de buscar o Livro Branco (que contém um feitiço capaz de acordar Jocelyn) para Magnus Bane, que prometeu acordá-la. Eles acabam descobrindo um alçapão na biblioteca que os leva até um porão. Lá, eles encontram Ithuriel amarrado e impedido de ser tocado devido aos símbolos de proteção. O anjo começa a cantar e eles têm algumas visões: Clary vê Valentim torturando o anjo, vê a mãe escondendo o Livro Branco na bibioteca, vê Valentim dizendo que Jace (na verdade Sebastian) possui sangue de demônio correndo pelas veias e também vê um símbolo, que mais tarde ela descobrirá como sendo o símbolo da Aliança, capaz de unir um integrante do Submundo com um Caçador de Sombras, a fim de unirem seus poderes. Depois disso, Clary destrói os símbolos de proteção criando outros com a estela de Jace e entrega uma faca para Ithuriel. Ele finalmente consegue se matar, mas a mansão estava ligada ao anjo e ela começa a desmoronar.

Aparições em livros

Raziel[editar | editar código-fonte]

O anjo responsável por criar todos os Caçadores de Sombras. Todo o trabalho árduo de Valentim na busca dos três Instrumentos Mortais tinha apenas um único objetivo: convocar o anjo Raziel para que ele pudesse ajudá-lo na destruição de todos os Caçadores de Sombras e integrantes do Submundo e criar uma nova legião de guerreiros que seriam seus subalternos. Quando Valentim finalmente consegue, Raziel se recusa a ajudar, dizendo que jamais ajudaria uma pessoa tão egoísta que só estava pensando em seus próprios benefícios. Clary, que estava presente durante a invocação, escreve outros símbolos sobre os de Valentim, permitindo que ela controle o anjo. Raziel mata Valentim e concede um pedido a Clary, que apenas deseja que Jace volte à vida.

Aparições em livros

Mundanos[editar | editar código-fonte]

Madame Dorothea[editar | editar código-fonte]

Vizinha de Clary em Nova York. Clary sempre a achou estranha e com certos traços de bruxa, mas nunca desconfiou que ela pudesse ter alguma relação com o Submundo. Foi adotada por uma feiticeira estéril e possui o dom da Visão, conseguindo enxergar tudo o que acontece no Mundo de Sombras. Jocelyn confiou nela para esconder o Cálice Mortal dentro de uma carta de um tarô. Ela é a primeira pessoa que insinua que há um bloqueio na mente de Clary. Mais tarde, em Cidade dos Ossos, ela é possuída pelo Demônio Maior Abbadon que deseja a posse do Cálice Mortal para dá-lo a Valentim. Durante a possessão, o demônio diz que a morte de Madame Dorothea foi bem rápida. Ele fere Alec e é morto por Simon. Será interpretada por CCH Pounder na adaptação cinematográfica da série.

Aparições em livros

Eric[editar | editar código-fonte]

Um dos amigos e integrantes da banda de Simon. Ele é responsável por nomear a banda com os nomes mais absurdos imagináveis, como Crise na Cadeira de Grama ou Mancha Perigosa. Em Cidade dos Ossos, Clary e Simon vão a uma apresentação onde ele está recitando uma poesia de sua autoria. Eles comentam que Eric não tem dom para isso e que utiliza palavras que já foram esquecidas ao longo do tempo. Possui uma van que Simon, Clary e Jace utilizam emprestada para irem atrás do Cálice Mortal. Ele aparece com mais frequência em Cidade dos Anjos Caídos, onde pode-se perceber que ele costuma falar utilizando muitas gírias e repetindo a palavra tipo com uma frequência assustadora. Simon também conta para ele e aos outros integrantes da banda que se transformou em um vampiro.

Aparições em livros

Kirk[editar | editar código-fonte]

Um dos amigos e integrantes da banda de Simon. Sempre reclama devido ao fato da banda ainda não ter conseguido chegar ao topo das paradas de sucesso simplesmente por não terem revelado que Simon é um vampiro. É dito por Matt que ele é um péssimo vocalista, fato que ele desmente mandando o amigo ir se ferrar.

Aparições em livros

Matt[editar | editar código-fonte]

Um dos amigos e integrantes da banda de Simon. É dito que ele tem cabelos ruivos que caem sobre os seus olhos. Ele diz a Simon que seu charme sexy de vampiro faz as garotas não resistirem a ele.

Aparições em livros

Elaine Lewis[editar | editar código-fonte]

A mãe de Simon, uma mulher magra com os cabelos pretos da mesma cor do filho, marcados com linhas grisalhas ao redor do rosto. Por muito tempo, ela nunca se preocupou em ser uma mãe controlada, mas desde que Simon se transformou em vampiro, ela passou a perceber que tinha algo de diferente com o filho. Em Cidade de Vidro, Magnus Bane lançou-lhe um feitiço que fez com que pensasse que Simon estava em uma viagem do colégio durante o tempo em que ficou em Idris. Em Cidade dos Anjos Caídos, Elaine descobre as garrafas de sangue que Simon escondia em um frigobar dentro do armário no quarto e ele se vê obrigado a contar a mãe toda a verdade. Ela fica transtornada e com muito medo do filho e começa a rezar para afastá-lo. Simon, sem perceber, usa seu poder de persuasão de vampiro para acalmar a mãe e obrigá-la a acreditar que toda aquela história era mentira. Simon não suporta tudo isso e acaba saindo de casa, alegando que Elaine tinha o expulsado.

Aparições em livros

Rebecca Lewis[editar | editar código-fonte]

A irmã mais velha de Simon. Ela está cursando faculdade e por isso quase nunca é vista em casa. Clary diz que ela tem um excelente talento para desenhar.

Aparições em livros

Daniel Roberts[editar | editar código-fonte]

O irmão mais velho de Maia que foi responsável por transformar a vida da garota em um inferno enquanto ainda estava vivo. Ele sempre foi sádico, abusivo e inescrupuloso. Fazia coisas horríveis com Maia, como beliscá-la onde os hematomas não ficassem visíveis e trocar o shampoo por alvejante. Os pais de Maia não acreditavam quando ela reclamava dele e confundiam a beleza dele com inocência e bondade. Daniel, mais tarde, quebrou o braço de Maia, e ela fugiu de casa, mas os pais a capturaram e a levaram de volta. Depois de seu aniversário de quinze anos, Daniel foi atropelado por um carro e morreu instantaneamente. Nos livros, é revelado que durante o seu funeral, Maia se sentiu envergonhada pela morte de seu irmão ter sido um imenso alívio. Maia interpreta Agramon com o rosto de Daniel, fato que comprova que ele é o pior medo dela.

Aparições em livros

Animais[editar | editar código-fonte]

Church[editar | editar código-fonte]

Um gato de estimação dos moradores do Instituto de Nova York. Ele é extremamente obediente e curioso e sempre leva Jace e os outros aos lugares em que é lhe pedido, mesmo que às vezes ele pregue peças e os levem para lugares diferentes. É o mesmo gato que foi encontrado por Jem na casa das Irmãs Sombrias, em Anjo Mecânico, mas neste livro seu nome foi traduzido como Coroinha. Ainda não se sabe por quais motivos foi parar no Instituto de Nova York e porque conseguiu sobreviver por tanto tempo, mas no fim de Cidade do Fogo Celestial Jem/Zacharias o leva em meio a festa de casamento entre Jocelyn e Luke.

Aparições em livros

Hugin[editar | editar código-fonte]

Conhecido simplesmente por Hugo, é um corvo preto que sempre podia ser visto nos ombros de Hodge. Depois que foi revelado que Hodge estava trabalhando para Valentim em uma busca incessante por uma cura para sua maldição, também é revelado que Hugin é, na verdade, um corvo informante de Valentim. Ele fere o rosto de Clary duas vezes ao longo da série e também é responsável pela morte de Malaquias, depois de lhe bicar o rosto até que ele tropesasse e batesse a cabeça na quina de uma mesa dentro do Salão dos Acordos. Jace segue Hugin em sua procura incessante por Valentim e Sebastian e descobre que eles estavam escondidos em uma caverna invocando um exército monstruoso de demônios para a batalha de rendição.

Aparições em livros

Demônios[editar | editar código-fonte]

Os demônios são criaturas que provêm de outras dimensões e invadem a Terra no intuito de sugar tudo o que conseguirem até transformá-las em lugares devastados e inabitáveis. Os Caçadores de Sombras criados pelo anjo Raziel receberam a missão de proteger o mundo dessas criaturas quando a eles foram entregues os três Instrumentos Mortais: o Cálice Mortal, a Espada Mortal e o Vidro Mortal. Eles utilizam lâminas serafins feitas com o mesmo vidro das Torres Demoníacas de Alicante, responsáveis por repelir os demônios, bem como outras armas especiais, como o chicote de electrum de Isabelle ou o arco e flecha de Alec.

Religiosamente, eles são definidos como habitantes do inferno, os servos de Satanás, mas para os propósitos da Clave, eles são qualquer espírito malévolo cuja origem está fora de sua dimensão de origem. Demônios Maiores são uma extensão dos demônios e são muito mais poderosos. Eles devem ser mortos tanto em suas formas físicas e etéreas para serem enviados de volta a sua dimensão de origem. Veneno de demônio é letal para qualquer Caçador de Sombras e um símbolo de cura (iratze) apenas é capaz de entardecer a morte, mas não curá-los definitivamente; apenas os Irmãos do Silêncio ou um feiticeiro experiente têm esse poder. Quando eles estão mortos, eles não são simplesmente enviados de volta para dimensão de origem, eles ficam espalhados entre os mundos. Leva um longo tempo para que eles se reformem e ficam fracos por anos. Os demônios são instantaneamente mortos se entrarem em contato com a luz do dia, portanto só podem ser vistos ou encontrados durante a noite. Feiticeiros são semi-demônios por terem sangue demoníaco correndo em suas veias; são chamados de filhos de Lilith, que também foi a responsável por criar os demônios que infestam o mundo dos Caçadores de Sombras.

Quando os demônios morrem eles tendem a dobrar-se em si mesmos e desaparecem, geralmente, com um grito. Alguns demônios deixam coisas para trás quando morrem (cinzas, pó, líquidos, etc.).

Demônios Maiores[editar | editar código-fonte]

Abbadon[editar | editar código-fonte]

O Demônio do Abismo, um Demônio Maior que cruzou um portal feito dentro da casa de Madame Dorothea e tomou posse de seu corpo, sendo o único responsável pela morte da bruxa. A pele do demônio é extramemente fina e cheia de hematomas, sendo possível enxergar seus ossos pretos, rachados e imundos. Seus dedos são descascados e esqueléticos e os braços cheio de machucados pretos. O rosto assemelha-se a uma caveira cujos narizes e olhos são buracos. Ele é capaz de falar e é enviado por Valentim na falha tentativa de tomar posse do Cálice Mortal. O demônio fere seriamente Alec depois que ele o ataca com uma lâmina serafim. Foi morto por Simon, quando ele utilizou o arco de Alec para arremessar uma flecha em direção ao telhado do apartamento de Madame Dorothea e permitir que a luz do sol penetrasse, dissolvendo completamente o demônio.

Agramon[editar | editar código-fonte]

O Demônio do Medo, um Demônio Maior capaz de assumir a forma do medo mais terrível da pessoa que ele estiver atacando. Ele é capaz de falar e sua forma original é apenas uma fumaça negra com dois olhos semelhantes a joias presas em uma teia de aranha. No prólogo de Cidade das Cinzas, Valentim contrata um jovem feiticeiro chamado Elias para invocá-lo e o garoto acaba literalmente morrendo de medo quando o demônio o ataca. Desde então, ele passa a ser um servo de Valentim. Agramon é enviado para a Cidade dos Ossos, onde acaba matando todos os Irmãos do Silêncio. Ele também ataca Maia, cujo maior medo é do irmão Daniel que sempre lhe infernizou quando ainda era vivo, e Jace, cujo maior medo é ver Clary morta. Jace é marcado com o símbolo do Destemor, que não se encontra no Livro Gray e foi criado por Clary. Agramon estava disfarçado de Valentim e Jace acaba enfiando uma barra de metal no peito dele, que acabou sendo morto e transformado em cinzas sopradas pelo ar frio.

Lilith[editar | editar código-fonte]

A mãe de todos os demônios e a primeira mulher a ser criada. Ela foi amaldiçoada a ter todos os filhos que ela produzisse mortos. É um Demônio Maior devido a sua idade excessiva, sendo possivelmente o Demônio Progenitor. Ela possui outros poderes do mundo e é impossível de ser morta. Ela é mais tarde "morta" pela Marca de Caim de Simon quando ele salva Clary de tomar um golpe letal. Demônios Maiores não podem ser mortos e a Marca de Caim de Simon apenas transportou-a entre os mundos. Levará muito tempo para que ela se refaça e ficará fraca por anos. Valentim invoca Lilith para que ela pudesse ceder o próprio sangue na criação de seu filho, Sebastian Verlac/Jonathan Christopher Morgenstern. Ela é descrita como uma mulher com cabelos longos e brilhantes, uma forma esguia e adorável. Antes de criá-lo, ela diz que ele queimará a própria humanidade, como o veneno queima a vida que há no sangue. Valentim a chama de Dama do Edom.

Lúcifer[editar | editar código-fonte]

Um Demônio Maior e o príncipe do inferno, conhecido como o portador da luz e da Estrela da Manhã. Não fez uma aparição específica na série, mas é citado algumas vezes.

Demônios Menores[editar | editar código-fonte]

Ahiab[editar | editar código-fonte]

Demônios enormes que possuem um corpo grosso em forma de lagarto. São cegos e têm um olfato apurado. Possuem uma linha grossa de dentes serrilhados ao longa da testa onde deveriam haver olhos. Têm outra boca na metade inferior do rosto, bem como presas que pingam veneno. Têm uma cauda estreita que reluz à medida que se movem. Eles têm garras e uma língua longa e bifurcada com uma lâmpada no final do mesmo como um ferrão de escorpião. Eles estupram suas vítimas antes de matá-las.

Behemoth[editar | editar código-fonte]

Demônios amorfos, pegajosos e enormes. São equipados com duas fileiras de dentes que percorrem toda a extensão do corpo oblongo. Não se movem com rapidez, são capazes de se teletransportarem e um fluido verde, tão espesso como muco, que flui dentro de seu corpo, é capaz de tornar lâminas serafins ineficazes. São semi-corporais, sendo quase impossível de serem mortos. Eles podem curar as suas feridas, mas escoam a sua energia — a melhor maneira de matá-los é manter os ferindo até que eles já não possam mais se curarem. Eles emitem ruídos baixos como o zumbir de um inseto quando estão irritados e quando são mortos deixam para trás uma poça de líquido verde fumegante. Clary os descrevem como "uma lesma cega com dentes". Em Cidade de Vidro, um deles ataca Jace e Clary. Ele diz que esse tipo de demônio come de tudo, inclusive pessoas. São salvos por Maia, que transformada em lobisomem, ataca o demômio e o devora literalmente.

Belial[editar | editar código-fonte]

Em Cidade de Vidro, Alec vê um bando de demônios Belial passando por uma arco de Alicante, sibilando e uivando, e arrastando alguma coisa atrás de si que sofria espasmos enquanto deslizava pela ruas de pedras. Não é dito nada sobre sua aparência.

Demônios aracnídeos[editar | editar código-fonte]

Têm oito pinças na ponta dos braços e veneno pinga das presas que se projetam a partir de seus olhos. Eles lançam veneno ácido. Estão presentes na batalha no navio de Valentim, em Cidade das Cinzas e atacam Luke e Jace, mas logo depois sua atenção é desviada para um demônio Oni com o qual acaba se atracando.

Demônios escorpiões[editar | editar código-fonte]

Têm um rosto enrugado, as mãos ágeis como um macaco enorme, mas a cauda longa e farpada como a de um escorpião. Seus olhos são amarelados e têm dentes como agulhas quebradas. Eles sibilam, são incrivelmente rápidos e muito venenosos. Em Cidade das Cinzas, durante a batalha no navio de Valentim, um deles tenta atacar Jace enquanto estava conversando com a Inquisidora. Ela percebe a típica cicatriz em forma de estrela dos Herondales no braço do garoto e percebe que ele é seu neto. Num rápido impulso, ela se joga na frente de Jace e a cauda do demônio acaba acertando o seu peito.

Drevak[editar | editar código-fonte]

Demônios cegos, brancos e amorfos que se assemelham a uma minhoca. Eles possuem espinhos venenosos no lugar de dentes. Não são sanguessugas, rastream pelo cheiro e são mensageiros e espiões (o que deixa implícito que eles são capazes de falar). Eles têm cheiro podre como o lixo e são incrivelmente rápidos. Um deles ataca Maia em Cidade das Cinzas e é responsável por deixar um longo talho no ombro da garota. Luke acaba atropelando-o com a picape, mandando-o de volta para a sua dimensão de origem.

Eidolon[editar | editar código-fonte]

Demônios com a capacidade de mudar de forma, do mesmo modo que a protagonista da série As Peças Infernais, Tessa Gray, também é capaz.

Iblis[editar | editar código-fonte]

Demônios de forma humana, mas feitos de uma substância semelhante a uma fumaça negra ondulante, com pares de olhos amarelos ardentes. Eles explodem em cinzas quando morrem. Em Cidade de Vidro, um bando deles ataca Magnus durante a infestação de demônios quando as barreiras de Alicante caem. Alec corre para salvar a vida do feiticeiro e eles acabam tendo uma discussão da relação, onde Alec promete apresentá-lo para a família caso conseguissem sair vivos do ataque.

Hydra[editar | editar código-fonte]

Demônios do tamanho de uma geladeira, com três cabeças em caules oscilantes. As cabeças são cegas, com mandíbulas enormes das quais se dependuram fios esverdeados de saliva. Clary é surpreendida por um deles, em Cidade dos Anjos Caídos, quando vai até a Igreja de Talto para tentar investigar o mistério sobre o bebê demoníaco encontrado morto no hospital. Ela fere uma das cabeças com uma athame e logo em seguida o demônio é morto por Isabelle Lightwood, que apareceu na Igreja depois que Clary enviou uma mensagem antes de sair de casa pedindo que ela comparecesse.

Moloch[editar | editar código-fonte]

Essa espécie de demônio não faz nenhuma aparição específica na série e nada é dito sobre sua aparência. Sebastian apenas compara o comportamento de Aline a um deles.

Oni[editar | editar código-fonte]

O demônio atraca-se com um demônio aracnídeo que estava atacando Jace durante a batalha no navio de Valentim. Não há muitas descrições sobre a sua aparência, apenas é dito que possui espinhos na testa e que sua mão assemelha-se a uma espada. Em Cidade de Vidro, quando as barreiras que protegem Alicante de infestações demoníacas caem, Alec diz que viu quatro ou cinco demônios Oni espreitando entre os arbustos.

Raum[editar | editar código-fonte]

Demônios brancos, com a pele recoberta por escamas, a boca substituída por um buraco negro, olhos protuberantes com o de um sapo e braços transformados em tentáculos onde deveria haver mãos. Possuem sangue negro, são mais venenosos que um demônio Drevak e são incrivelmente rápidos. Dois deles atacam Luke na margem do East River. Clary e Jace tentam salvá-lo, mas os demônios simplesmente fogem de Clary como se estivessem com medo dela depois que ela empunha uma lâmina serafim. Jace sonda um deles para que pudesse lhe dizer onde Valentim estava escondido.

Ravener[editar | editar código-fonte]

Uma criatura longa e escamada com um conjunto de olhos pretos vazios no centro do crânio. São próximos a um cruzamento de jacaré com centopéia, com um focinho grosso e liso e uma cauda peluda. Possui pernas múltiplas que se ajeitam sob o corpo e dentes afiados dos quais pingam saliva esverdeada. No início de Cidade dos Ossos, Valentim envia um demônio Ravener para a casa de Jocelyn no intuito de sequestrá-la para que ela lhe dissesse onde escondera o Cálice Mortal, o primeiro dos três Instrumentos Mortais. A mãe de Clary liga para a garota durante o ataque e ela corre para ajudá-la, sendo também atacada pelo demônio. Ela percebe que o Ravener consegue falar em meio à sibilações e consegue entender que ele devoraria a menina, mesmo estando consciente de que Valentim não havia permitido que ele saboreasse suas vítimas. Clary consegue derrotá-lo enfiando o Sensor de Jace dentro de sua boca.

Shax[editar | editar código-fonte]

São demônios parasitas que trazem suas vítimas de volta para seus lares a fim de pôr ovos nelas enquanto ainda estão vivas. Eles também têm um olfato apurado e podem ser usados para monitoramento. Eles aparecem no prólogo de Anjo Mecânico, o primeiro livro da série As Peças Infernais.

Demônios não-identificados[editar | editar código-fonte]

  • Demônios desconhecidos atacam Clary, Luke e Jace enquanto eles estavam indo para o navio de Valentim, em Cidade das Cinzas. São voadores e assemelham-se a um pterodáctilo com largas asas de couro e uma cabeça óssea triangular. Suas bocas são cheias de dentes de tubarão serrilhadas, fileira após fileira deles, e suas garras são afiadas como navalhas. Eles não têm olhos, apenas entalhes em cada um dos lados da sua cabeça. Eles estouram quando morrem, deixando uma nuvem de fumaça preta para trás.
  • Outro demônio desconhecido ataca Jace, Alec e Isabelle enquanto eles estão no navio de Valentim, em Cidade das Cinzas. É responsável por destruir o chão da parte superior da embarcação, fazendo com que eles caiam no convés depois que conseguem derrotar a criatura. Eles são enormes, corcundas e maciços. Possuem cinco vezes o tamanho de outros demônios. Têm o corpo blindado, com muitos membros e cada um termina em uma garra quitinosa. Têm pés de elefante, enormes e espalmados. Eles têm a cabeça de um mosquito gigante, com olhos de inseto e uma boca vermelho-sangue semelhante a um tubo de alimentação. Eles gritam como um ser humano e são extremamente fortes.
  • Um demônio desconhecido ataca Simon durante a batalha final em Cidade de Vidro. Ele o descreve como parecendo a imagem da Morte em uma representação medieval: um esqueleto animado e uma machadinha sangrenta na mão ossuda.
  • Outro demônio desconhecido ataca Simon durante a batalha final em Cidade de Vidro. Este é descrito como um lagarto escamoso com dentes de roedor.

Ver também[editar | editar código-fonte]